Medidas populares são uma farsa para ocultar fracasso da política social, econômica e financeira do governo

Não se observa neste governo qualquer iniciativa efetiva para reduzir a pobreza

Pedro do Coutto

Reportagem de Fernanda Trisotto, Evandro Éboli e Dimitrius Dantas, edição desta terça-feira de O Globo, revela um conjunto de medidas elaboradas pelo ministro Paulo Guedes por pressão do presidente Jair Bolsonaro no sentido de reduzir os impactos negativos dos aumentos de preço dos combustíveis, da energia elétrica e da alimentação, esta última atingindo fortemente os grupos de menor renda. Por falar em renda média, esta recuou no país.

O que o governo chamou de pacote de bondades, representa também um esforço de transferir concretamente os efeitos do desemprego e dos desembolsos pelo Tesouro Nacional. Assim, no cerne da questão, surge um aspecto essencial: sem recuperação do mercado de trabalho e dos salários diante da inflação, não há como o poder público – não só no Brasil , mas em todo o mundo – enfrentar e superar os obstáculos sociais cada vez maiores que separam a pobreza do impasse em que se envolveu o governo Bolsonaro, em grande parte aprisionado numa teia imobilista traçada por Paulo Guedes e sua equipe.

CICLO VICIOSO – Não se observa em todo o governo qualquer iniciativa, não paternalista, mas efetiva, no sentido de reduzir a pobreza que avança com os seus efeitos, os mais diversos, sobre a realidade brasileira. Sem emprego não pode haver produção, não havendo produção, não pode haver consumo, não havendo consumo, coloca-se em risco a própria existência humana representada em nosso país por pelo menos por 40 milhões de pessoas que se encontram sob risco de não poder se alimentar e que já enfrentam as consequências gravíssimas da falta de saneamento e até da ausência regular do abastecimento de água potável.  

Reduzir tarifas muito altas de energia elétrica nao é solução efetiva tanto para o presente, quanto para o futuro do país. Mas para o governo Bolsonaro o futuro concentra-se apenas em outubro de 2022, no caminho das urnas, o que já representou um recuo anunciado por projeto de não realizar as eleições caso o voto impresso não fosse reinventado no Brasil em um retrocesso que pelo menos conduziria a 1996.

As perspectivas relativas ao Produto Interno Bruto, de acordo com o boletim Focus do Banco Central, não são positivas. Pelo contrário, indicam um avanço pequeno em relação a 2021. Mas aí surge uma outra questão. Os percentuais relativos a avanços referem-se a que base numérica absoluta? Este é um outro problema porque é preciso distinguir entre um avanço relativo a uma situação de recuo anterior e a incidência do avanço sobre o Produto Interno Bruto que havia antes da queda.

ILUSÃO – O PIB brasileiro era de R$ 6,6 trilhões. Assim, os avanços concretos só podem ser confirmados se o crescimento incidir sobre esse montante porque se qualquer avanço recair sobre um produto menor que o montante de R$ 6,6 trilhões, os números podem iludir uma grande parcela da população. Mas o seu uso é incapaz de mudar a realidade. Essa visão concreta é indispensável para mostrar que pacotes de bondade não são de todo negativos, mas ocultam uma realidade essencial que ultrapassa a queda de prestígio de Bolsonaro para disputar o pleito do próximo ano.

Há que se estabelecer uma diferença entre o que é um benefício e um direito. A sociedade brasileira espera obter direitos sociais e não receber benefícios eventuais. A questão da popularidade, sem dúvida, é importante. Mas ela não se conquista apenas com iniciativas isoladas e subsidiadas pelo Tesouro Público. Elas têm que ser resultado de uma política integrada sob os ângulos social, econômico e financeiro. Sem isso, não há solução efetiva para a sociedade brasileira ou para qualquer sociedade.

ARGENTINA –  Vejam agora o exemplo da Argentina. As eleições legislativas preliminares das eleições gerais marcadas para novembro apontaram uma derrota do presidente Alberto Fernández e da vice Cristina Kirchner. O peronismo assim, como em poucas vezes da história política do país, coloca-se em crise. Para mim, consequência de compromissos assumidos na campanha eleitoral não cumpridos pela chapa vencedora. Mais uma diferença, portanto, entre as promessas e a sua concretização.

Nas campanhas, como é habitual, os candidatos se comprometem com uma série de projetos e soluções. Uma vez no poder, esquecem tanto das soluções quanto das promessas. Essa é uma das raízes institucionais que ocorre principalmente no Brasil. Para mudar essa tendência, os candidatos devem no mínimo dizer a verdade e, quando eleitos, lembrar o que disseram aos eleitores e eleitores ao longo das campanhas.

ZIZINHO – Uma bela reportagem de Alex Sabino, Folha de S. Paulo, sobre os 100 anos de Zizinho que transcorreria ontem se vivo fosse. Foi sem dúvida, um dos maiores jogadores brasileiros de todos os tempos. Pertence à era anterior às vitórias de Pelé e Garrincha. Jogou no Flamengo, foi tricampeão em 42,43 e 44, jogou no Bangu de 1949 a 1956 e encerrou a carreira no São Paulo.

Representou uma lembrança inesquecível para todos aqueles das gerações que o viram jogar. Meio-armador, meio-avançado e centroavante, deixou a sua marca no futebol. O destino não permitiu que fosse campeão do mundo em 1950. O campeonato mundial caberia bem para ele, como também para Ademir de Menezes. Ele, aliás, lembrou este ângulo da história esportiva num diálogo com o próprio Ademir.

Mas é que houve um Uruguai de Obdulio Varella no caminho e os 2×1 no Maracanã. Esteve fora da seleção brasileira na conquista do Pan-Americano de 1952 em Santiago do Chile. Não existia um bom relacionamento entre ele e o treinador Zezé Moreira. Com Zezé Moreira, o Brasil derrotou o Uruguai por 4×2, devolvendo a derrota de 1950 e conquistou o título numa final, derrotando o Chile por 3×0.

CONTUSÃO –   No lugar de Zizinho, no meio-campo, Zezé Moreira escalou Didi, então no Fluminense que, eis novamente o destino, se tornaria campeão e bicampeão do mundo nas jornadas heroicas de 1958 e 1962. No Pan-Americano de 1952, Zezé Moreira convocou apenas um jogador da equipe efetiva de 1950, Ademir de Menezes. Mas ele se contundiu e no seu lugar entrou Baltzar, do Corinthians.

A vitória de 1952 lavou a alma dos brasileiros. Eis o time que Zezé Moreira escalou: Castilho, Djalma Santos, Pinheiro, Brandãozinho e Nilton Santos. No meio, Eli do Amparo, Didi e Pinga, na frente, Julinho Botelho, Baltazar e Rodrigues Tatú. A conquista de 1952 representa também uma alteração tática de grande importância: o futebol nao se ganha apenas do meio para frente, mas também depende do desempenho da defesa e da entrega de bola do meio-campo para as ações ofensivas.

23 thoughts on “Medidas populares são uma farsa para ocultar fracasso da política social, econômica e financeira do governo

  1. Nesse governo tudo é farsa: é farsa que o Bolsonaro não tomou vacina na Florida quando em visita ao Trump; é falso que ele tem boa-fé conforme afirmou o Gilmar do STF; é falso que ele vai recuar nas investidas á democracia. O cara é falso por natureza.
    O que fazer? Impeachment só é solução se houver certeza de que vai passar. Caso contrário, o Bolsonaro vai se fortalecer e usar a vitória na campanha com chances de vencer a eleição.

  2. Segundo o IBGE, órgão do próprio (des)governo que o Presidente e seu puxadinho banqueiro não tem noticia sobre ele, tem no Brasil metade da população sobrevivendo com 15,00 contos por dia.

    Quando vejo esse Exército nas ruas de pessoas de todas as idades “brigando” por “lixo” tenho a certeza de que a políticas nestes últimos 35 anos de “desgovernos corruptos” é um total fracasso em todos os níveis, politica social, economica, financeira, emprego, segurança, educação , saúde……

    Lamentável….mas este é o Páis nos dias de hoje.
    Enquanto isso, alguns comem lombo de bacalhau ao preço de 216,00 contos o quilo
    Outros comem Picanha Japonesa com Bois criados a pão-de-mel ao preço de 3 mil contos.
    E outros fecham os Estado, manda todas as pessoas ficarem em casa, pega seu Avião Learjet de 100 milhões de contos financiados pelo BNDES nos tempos do Luladrão e vai com sua linda e maravilhosa esposa curtir a badalada Miami.
    Ninguém é de ferro, todos precisam de um descanso, afinal todos somos iguais , como diz a Constituição Cidadã……

  3. E sempre assim Pedro do Couto. Quando os resultados econômicos começam a ficar ruins, fruto de políticas econômicas equivocadas e cenário internacional desfavoráveis, os responsáveis pela área econômica começam a surtar e botar a culpa nos outros para disfarçar a incompetência da gestão.
    É o que faz agora o Sr. Paulo Guedes, que botou a culpa do fracasso econômico do governo Bolsonaro, no ” barulho político”, em tese, acusando o próprio chefe, por tabela. Jair não fala nada, engolindo em seco a indireta de seu ministro do Posto.
    Jair chamou Guedes e disse: quero medidas populares, chega de arrocho contra a classe dos pobres. Faça alguma coisa para baixar o preço do gás, da conta de luz, da gasolina, do diesel, dos juros altos e dos gêneros alimentícios nos supermercados e nas feiras livres.
    Que tarefa difícil e extressante para esse Ministro, que se considera um gênio da Escola de Chicago.
    Daqui, do meu latifúndio do Rio de Janeiro, vai minha torcida para que o Ministro faça alguma coisa. Sua equipe já prepara uma série de medidas, intitulada de Pacotes do Bem para trabalhadores e empresários.
    Ontem, Bolsonaro anunciou em cerimônia no Planalto, um Pacote imobiliário para a categoria dos policiais militares. Nada mais justo.
    Todos sabem, e o exemplo mais concreto foi o Plano Cruzado no governo Sarney, lembram dos fiscais do presidente? Pois bem, passadas as eleições, em novembro, tudo ruiu e os preços voltaram a disparar. Mas, o PMDB elegeu 22 governadores.
    O mundo político não muda um milímetro. Até nós, somos imutáveis nos erros maiores do que nos acertos. Essa é a saga da vida humana, uma incomensurável comédia intermediada por tragédias.

  4. Shopenhauer, filósofo alemão, tinha razão, quando afirmou que a vida seria uma tragédia do início ao fim.
    Uma vez conquistado um de seus sonhos ou objetivo, o homem sempre iria em busca de outras realizações, resultando ser a existência uma infindável busca pela inatingível felicidade.

    O germânico tinha razão.

    A busca pelos brasileiros tem sido encontrar um bom governante.
    Faz 132 anos que não perde a sua esperança ser realizada, em vão, mesmo que a renove a cada 4 anos e animada pela possibilidade, dizendo para si mesmo que agora vai dar certo!
    Não dá. A nossa situação dificulta cada vez mais, e as frustrações aumentam ao longo do tempo.

    O povo está tão acostumado a ser espoliado, roubado, explorado e manipulado, que aplaude a fome!
    Que apoia quem lhe condena à miséria e à pobreza perpetuamente.
    Aceitamos ser infelizes através de governantes traidores, ladrões, corruptos e incompetentes.
    Deve ser a sina do povo, de cada um de nós.
    Certamente devemos estar pensando que assim deva ser porque nada fazemos para mudar essa sequência infindável de infelicidades, falta de trabalho, comida, condições mínimas para uma subsistência, pelo menos.
    Pois até isso nos é proibido!

    Pedro do Coutto tem razão na sua crônica, em tela.
    Bolsonaro se esforça para ocultar a sua omissão nas áreas social, econômica e até política, em vão.
    Jamais tivemos tantos pobres, miseráveis, desempregados e mortos por uma pandemia, cujas vítimas poderiam ter sido em menor número, caso o governo federal tivesse tomado as devidas providências no início.

    Enfim, eis o Brasil:
    Um amontoado de pessoas sem futuro, sem rumo, sem ambição, sem perspectivas de sair desta estagnação que se encontra há décadas.

    Mas, na ótica do desvalido, ele não só deve continuar sofrendo como prefere continuar sendo governado ou por um ladrão ou por aquele que o detesta, que o odeia, pois Bolsonaro nada faz para amenizar os problemas mais graves:
    A fome e a falta de trabalho.

    Convenhamos, mas necessitamos urgentemente de tratamentos psiquiátricos, de modo que deixemos de ser masoquistas, que tem sido a característica do povo brasileiro!

    Aplaudo o texto acima, de Pedro do Coutto.

      • Complemento a tua afirmativa, Ronaldo:

        Lula queria um país menos desigual, mas o tornou mais injusto;
        Bolsonaro quer a permanência da desigualdade no Brasil, e o torna mais injusto.

        Enquanto o bem-estar do povo for medido pela economia ou determinado por este setor, que deve primeiro atender interesses financeiros das castas, elites e poder econômico, o povo afunda cada vez mais e se aprofunda na miséria, pobreza, fome e desemprego.

        A questão é saber as razões pelas quais os desvalidos não importam, deixam de ser considerados e até mesmo aceitos como seres humanos!

        Entra e sai governo, e a situação desse contingente de milhões de pessoas somente se agrava, e sem qualquer possibilidade de amenizações, pelo menos.

        A meu ver, um dos mistérios está dentro de cada governante, que repele os necessitados, que os detesta, que odeia o povo, e que precisamos resolver;
        O outro enigma, muito mais difícil de ser decifrado, resulta em descobrimos os porquês de elegermos gente assim!

  5. Bendl, que bom vê-lo de volta, nos brindando com seus lúcidos comentarios.
    Na sua linha, Leandro Karnal, no título de sua coluna de hoje no Estadão, Caderno Especial: “Os Logrados”.
    Peço Vênia, ao articulista para transcrever o parágrafo final:

    ” E o povo? Teve impostos ( como a gamela, sobre o sal) aumentados muitas vezes. Aumentou a miséria na França. A pergunta sempre fica: ” razão de Estado” é boa para a população em geral? Onde estaria os verdadeiros “Logrados”?

    Bem, muito parecido com os dias atuais, mas, é um retrato da França, sob o reino de Luís XIII, pelos anos de 1630.

    Tudo igual neste país desigual

  6. Nascimento, meu caro,

    Em se tratando de povo nada munda, parceiro, nada muda.

    Por mais guerras, revoluções, movimentos sociais, políticos e religiosos em defesa dos desvalidos, a verdade é uma só:
    Essa gente sofrida aumenta a cada ano neste planeta!

    Por que?
    Eu não saberia te dizer, conforme meus parcos conhecimentos sobre a espécie humana mas, seria de bom alvitre, que fizéssemos um ato de contrição e pedíssemos perdão ao Criador, pelo que fazemos de mal a bilhões de seres humanos na Terra.

    Talvez, Nascimento – por que não? -, justamente pela omissão do povo brasileiro com seus desvalidos, a causa de não encontrarmos o desenvolvimento, saúde, educação, estabilidade econômica e política não estaria nesse comportamento omisso e irresponsável com o próximo?!

    O acréscimo anual desse contingente de milhões de pessoas neste país cada vez mais pobres, miseráveis, desempregados, incultos e incautos, quem sabe não seria a punição que merecemos?
    Bem ou mal, por mais que pensemos que o sofrimento alheio não nos interessa e não atinge, a verdade é que também sofremos as suas consequências, de estarmos em uma nação atrasada, retrógrada, cruel e hedionda para o seu próprio povo!

    Enfim, certamente, a solução para nossos problemas graves – e são muitos! – encontra-se na metafísica, em patamares que nos fogem à compreensão, logo, o nosso comportamento omisso e criminoso para com os necessitados continue sendo o desprezo e a falta de solidariedade, que se reflete na sociedade de forma absoluta e indiscutível.

    Tem cabimento o presidente impulsionar a separação do povo deste país?
    Alguma explicação plausível do ódio que se deve ter contra comunistas e socialistas por que assim quer e determina o presidente?
    Dane-se o ser humano, pois deve preponderar a ideologia, política e economia, para depois se pensar na vida das pessoas!?

    Não vamos a lugar algum desse jeito, meu caro.

    Abração.
    Saúde e paz.

  7. DEU NO ANTAGONISTA!

    Dólar deveria estar caindo, mas barulho politico não deixa, diz Guedes!

    O homem é um verdadeiro cara de pau, deve passar peroba todo dia, ou num portugues mais claro é um verdadeiro canalha.
    O maior responsável pela disparada do dólar, em 2 atos, é o próprio Paulo Guedes. Vamos aos atos
    ATO 1 Em 12/fev/2020 Paulo Guedes declara que é um absurdo essa estória de domésticas estarem viajando para a Disney, o dólar está muito barato, temso que acabar com esta festa. Resultado dolar dispara de R$ 4,322 em 12/fev para R$ 5,90 em 13.mai, aumento de mais de 36%

    ATO 2 Em 12 mar/2020 um mes após a 1ª declaração ainda não conformado com a então baixa subida do dolar(então em ~R$ 4,69), ele afirma que se fizer besteira o dólar vai passar de R$ 5,00 . Dito e feito, não só passou dos R$ 5,00 com quase chegou nos R$ 6,00 em 13.mai

    E agora vem dizer que a culpa do dolar alto, que provoca toda essa inflação em consequencia é culpa dos politicos e do barulho politico. CARA DE PAU, VERME ORDINÁRIO! ASSUMA SUA RESPONSABILIDADE! PEDE PRÁ SAIR SEU VAGABUNDO! É obvio que alguém ganhou muito dinheiro com essa maxi promovida pelo Guedes, muito provavelmente insiders amigos deles. Agora, os trouxas, isso é a imensa maioria da população tem que pagar essa conta em forma de inflação, recessão e desemprego..

    • A economista Helena Landal declarou hoje no Estadão, que Guedes é um cara insensível.
      Ele é muito bom de palestra para plateia de empresários.
      Eu diria mais, esse cara de peroba, vulgo Posto de Gasolina é desumano e não conhece a realidade do país. Morou um tempo nos EUA e em 1973 foi trabalhar para o ditador Pinochet no Chile. Pinochet corrupto e covarde, quando ministro da Guerra de Salvador Allende, conspirava contra o comandante em chefe das Forças Armadas. Em 1973 mandou bombardear o Palácio Lá Moneda na Capital chilena, Santiago. O presidente eleito pelo povo, morreu metralhado sem chance de defesa. Os militares desalmados, comandados pelo truculento Pinochet não deu nem chance de um exílio para o presidente. A ordem era para matar.
      No final vida ancião, decrepito, fugiu para a Inglaterra para não ser preso. Triste fim, de um assassino e corrupto.

  8. É obvio que alguém ganhou muito dinheiro com essa maxi promovida pelo Guedes, muito provavelmente insiders amigos deles.

    Bingo, acertou na mosca.
    Entregou o Ministério da Economia para um Banqueiro , deu nisso

  9. Aproveito o embalo e o excelente artigo em tela, de autoria de Pedro do Coutto para, mais uma vez, eu deixar ideias para este governo mostrar que tem interesses e preocupações com o povo e o Brasil.

    Vamos lá:
    Todo sabem que tenho solicitado postos de trabalho, e não uma política assistencialista inócua, perdulária, condenando milhões de pessoas à miséria e à pobreza, através do malfadado Bolsa Família!

    Caso os desempregados fossem convocados para aberturas de ferrovias, rodovias, pontes, elevadas, viadutos, túneis, metrôs, escolas e hospitais, o Brasil já teria saído da sua estagnação econômica e social há alguns anos.

    Pois bem, complemento a minha sugestão acima:
    Sabemos que existem cerca de 800 mil servidores federais, incluindo as FFAA.
    Cerca de 150 mil pessoas recebem mais que o teto, 33 mil, mas não vem ao caso.
    Aproximadamente, 250 mil pessoas têm vencimentos entre 20 a 33 mil;
    Cerca de 400 mil servidores recebem entre 12 a 20 mil mensais.
    Seriam parlamentares em todos os níveis, assessores, pessoal administrativo, diretores do congresso, assembleias e câmaras municipais;
    Judiciário, com seus ministros, desembargadores, juízes, assessores;
    Ministério Público Federal e Estaduais;
    Tribunal de Contas da União e Estaduais;
    Defensoria Pública;
    Banco Central;
    Caixa Econômica;
    Receita Federal;
    Estatais;
    Conselhos de Estatais;
    Parlamentares aposentados, magistrados, demais servidores públicos acima mencionados

    Pois bem:
    Se cada servidor que citei, destinasse apenas e tão somente um salário POR ANO, deduzível do IR, o Brasil arrecadaria:
    150 mil x 33.000,00 = 4.950.000.000,00 anuais;
    250 mil x 20.000,00 = 5.000.000.000,00 anuais;
    400 mil x 12.000,00 = 4.800.000.000,00 anuais;
    TOTAL = 14.750.000.000,00 arrecadados anualmente e descontados do IR!

    Se o governo pegasse esta verba e aplicasse nas construções que mencionei acima, prontamente ele tiraria do desemprego cerca de DOIS MILHÕES DE PESSOAS do dia para noite!!!

    Considerando que cada trabalhador tem sobre as suas costas três dependentes apenas, mulher e dois filhos, seriam OITO MILHÕES DE PESSOAS que sairiam da condição de miseráveis ou pobres!
    Considerando a arrecadação dos servidores públicos na média das rendas obtidas individualmente, ou seja, o parlamentar, juiz, servidor público, podem ganhar mais que os 33.000,00 mas destinariam um salário por ano do teto pago pelo Brasil – sei que é não é obedecido esse limite -, o restante dos 26.400.000.000,00 que precisariam ser arrecadados para pagar esses desempregados um salário mínimo com carteira assinada e leis trabalhistas neste sentido, seriam descontados do Bolsa Família pois, seus dependentes, uma vez indo trabalhar para ganhar mais, a diferença de 11.650.000.000,00 viriam da economia deste benefício!

    Ora, entre pagar IR e as quantias correspondentes descontadas pela Receita ser destinadas aos desempregados, que não iriam aumentar as contribuições de ninguém para esta canalização de recursos a quem tanto necessita, a falta de verbas seria encontrada e destinada para essas finalidades no próprio desemprego!!!!

    Fim da estagnação econômica;
    Início do fim do desemprego;
    Quantos pequenos negócios não seriam abertos ao longo das construções de ferrovias, rodovias, elevadas, pontes, asfalto …

    Meu Deus, mas quanta falta de criatividade, interesse, inexistência de boas intenções, e até mesmo de CRISTIANISMO!!!

    Bom, digam o que disserem de mim quando eu for embora deste mundo, mas não poderão comentar que apenas critiquei governantes sem apresentar soluções sociais e econômicas, em decorrência, E NÃO O CONTRÁRIO, de primeiro a economia, para depois a preocupação com o ser humano!

    Essa equação está errada, então jamais vamos encontrar o valor de X!

  10. Custo a crer que Bolsonaro tenha chegado a esse mundo com a intenção de ser injusto semear a discórdia e matar de fome e misérias os mais pobres.
    Mas se os Torquemadas da vida e tantos cavaleiros do apocalipse estão em loucas disparadas como os Cavaleiros de Granada fico com a boca escancarada esperando a morte chegar.

    • Você Pimenta, também será uma vítima desse descalabro de governo, que está aumentando a miséria e as mortes de brasileiros.
      Sabe por que? Um país ruim atinge a todos os cidadãos, sejam eles, os conservadores, progressistas, centristas, ricos ou pobres.
      O país está dividido e rodando no próprio eixo, sem ver uma luz no fim do túnel.
      Triste isso.

  11. De fato, Bolsonaro não veio para este mundo com essas determinações que mencionaste, Pimenta, e não foi isso que escrevi.

    Na verdade, assim como não veio para fazer o mal, também não veio fazer o bem, mesmo que tenha condições para isso!

    Tanto é verdade, que minhas sugestões para diminuir a miséria, a pobreza e o desemprego não são contestadas.
    A intenção dos defensores de Bolsonaro é uma só:
    evitar que sobre o presidente recaia alguma responsabilidade pela situação social e econômica atual, simplesmente uma catástrofe generalizada.

    Ora, na razão direta que seus apoiadores querem isentá-lo de qualquer culpabilidade, mesmo sendo presidente e tendo as condições necessárias para esta transformação, de diminuir o sofrimento agudo que penaliza o povo injustamente, pois seus admiradores e seguidores demonstram a mesma conduta que Bolsonaro, o desprezo pelos desvalidos!

    Bolsonaro jamais poderia ser mais valioso que o povo, ainda mais o carente, o necessitado.
    Mas, seus adeptos pensam igual. Logo, somos obrigados, pela realidade que nos cerca, de dar adeus às ilusões, pois este governo deixará como patente registrada o seu desprezo e descaso pela população brasileira, e decisão apoiada e aplaudida pelos seus fieis defensores.

  12. Ele veio ao mundo para brigar com todo mundo e enriquecer com os mandatos parlamentares.
    Falta grandeza e amor a pátria.
    O foco do mandatário da hora é seus filhos, unicamente. Nisso ele é bom pai. Talvez seja, sua única virtude.

  13. Através de maus exemplos e má conduta?

    Ensinar seus filhos a levar vantagens sobre outras pessoas por que o poder está com eles?
    Então a rachadinha, ou seja, se queres ganhar um salário, tens de entregar a maior parte para o parlamentar?

    Não vejo neste procedimento, meu caro Nascimento, virtude alguma de pai.
    Outro aspecto:
    quantas vezes Bolsonaro se casou?
    Três.
    Com cada mulher teve filhos.
    Ilícito, desonesto?
    Não.
    Mas, convenhamos, das duas uma:
    ou confunde o amor com desejo ou a mulher para ele é somente para servi-lo.

    Que exemplo deixa de fidelidade aos seus filhos?
    Por que não me venham dizer que Bolsonaro enamorou-se de outra mulher DEPOIS que se separou!?

    Tudo bem, questões pessoais de Bolsonaro, que não interessam a ninguém.
    Mas, na condição de homem público e presidente deste país, Bolsonaro deve ao povo um comportamento ilibado, ético, moral, que não o tem.

    Logo, não vejo virtuosismo na paternidade de Bolsonaro, meu caro Nascimento, pelo contrário, pois vejo um comportamento egoísta, vaidoso, e de muito pouco amor entre ele com seus filhos, suas ex-esposas e a atual.

    Abraço.

Deixe um comentário para Ronaldo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *