Meirelles diz à CNN que o Brasil superará recessão no início de 2017

Henrique Meirelles

Charge do Baptistão, reproduzida do El País

Deu em O Tempo
Agência Estado

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, concedeu entrevista ao jornalista Richard Quest, da rede de televisão CNN, durante sua passagem pelos Estados Unidos Na conversa, Meirelles disse que o Brasil irá superar a recessão “no início do próximo ano”. Ele também defendeu a necessidade de um ajuste fiscal. “Nós temos a pior recessão desde os anos 1930. No Brasil, há um nível muito alto de desemprego, mais de 10% de desemprego, e os resultados para a economia, para as empresas, os consumidores, são muito sérios. O crédito está sofrendo, os bancos estão sofrendo”, descreveu Meirelles no início da entrevista. Porém, segundo ele, o País superará a recessão no começo de 2017.

Questionado pelo apresentador sobre se a retomada do crescimento poderia ter um salto, Meirelles respondeu: “Nós provavelmente teremos um crescimento mais fraco agora. A recuperação será mais fraca que a que tivemos da crise de 2008.”

RISCO-PAÍS – Quest lembrou o fato de que Meirelles foi presidente do Banco Central e perguntou se ele, agora como ministro das Finanças, concordava com suas decisões no comando da autoridade monetária. Meirelles disse que a inflação desacelerou durante seu mandato no BC e acabou por se estabilizar por volta da meta. “Mais importante que isso, o risco-país diminuiu e a taxa de juros estrutural caiu”, afirmou.

O jornalista questionou se era adequado que um presidente de banco central se tornasse um ministro da Fazenda, “dadas as diferenças de ênfases que os dois [cargos] têm”. Meirelles disse que, com a experiência anterior, pode saber exatamente o motivo de o banco central tomar as decisões que toma. “E, mais importante, eu sei que para que a taxa de juros estrutural caia nós temos que fazer o ajuste fiscal. Eu não contesto isso e estou fazendo.”

DESREGULAÇÃO – No fim da conversa, disponível no site da CNN, Quest disse ao ministro que “se há um país que precisa de reformas estruturais em termos de mercado de trabalho, serviços financeiros e desregulação, é o Brasil”. Meirelles, que concordou com a afirmação, respondeu que estava pronto para adotar o “medicamento duro” – expressão citada por Quest.

Em tom irônico, o jornalista questionou quanto tempo Meirelles ficaria no posto. “Eu já estou há cinco meses, um período longo no Brasil”, brincou o ministro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGBem, amigos, alguém já viu ministro da Fazenda sendo entrevistado pela CNN em Washington? Quantas vezes Pedro Malan, Antonio Palocci ou Guido Mantega tiveram essa oportunidade? Conforme comentamos diversas vezes aqui na Tribuna da Internet, Henrique Meirelles já está em campanha para a sucessão de Temer, em âmbito nacional e internacional. Ou alguém ainda alimenta alguma dúvida? (C.N.)

5 thoughts on “Meirelles diz à CNN que o Brasil superará recessão no início de 2017

  1. Isto lembra a dupla Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso.
    A crise se encarregou de eleger o ministro da fazenda, tudo como agora esta acontecendo.
    O Meireles salva economia e é eleito presidente.
    O que se espera, é que nunca mais surja no horizonte político, um PT ou assemelhado.

  2. Prezado Carlos Newton, não tenho dúvida nenhuma. Nesse caso, como fica a reeleição de TEMER. Será que o presidente do PMDB desistiu da reeleição ou foi atropelado pelos fatos e pelo seu cacique da Fazenda?

    O sistema de PODER pode ter focado sua preferência no Sr. Henrique, entretanto, o senhor dos anéis, sua excelência máxima, o povo é que deposita o voto nas urnas.

    Até 2018 ele terá muita lenha para queimar. No entanto, seu discurso é vazio e amorfo. Como pode alegar que vivemos a maior crise econômica e que num passe de mágica voltaremos a crescer no início de 2017. Parece uma pitonisa anunciando primeiro o caos das contas públicas para passar suas propostas recessivas no pior Congresso da história republicana e em segundo adoçando a boca da nação com crescimento a partir do ano que vem. Uma contradição antológica, uma deslavada mentira, que de tanto repetida em pronunciamentos televisivos na Rede Globo e em plateias internacionais, que daqui a pouco parecerá uma verdade cristalina. É a mesma receita de governos que querem se eternizar no PODER, a repetição, a repetição, até a suprema exaustão. Por essas simples razões, que o PT sofreu a pior derrota de sua curta existência, difícil de se erguer novamente e que o PSDB nunca mais voltou a sonhar com o PODER central. O PMDB começou a descida da ladeira, aqui no Rio de Janeiro e isso é só o começo.

    O que sinto caro e estimado Editor do Blog é que está havendo muita ladainha, muita ameaça, muito neoliberalismo, muita soberba e governo mesmo NADA. E vem por aí matérias polêmicas contra o povo e a moralidade pública, tais como:

    Acordos de leniência.
    Perdão para empreiteiras
    Reforma da Previdência
    Reforma Trabalhista
    Diminuição drástica das carreiras do Estado
    Redução dos benefícios do Bem Estar Social
    PEC da mordaça no Ministério público
    Volta do financiamento privado de campanha política.
    Perdão para sonegadores com contas no exterior

    Que fazer?

  3. Ainda vamos ver acontecer! É vaticínio!
    Depois da lambança realizada pelo lulopetismo, a esquerda ainda agradecerá a assunção do Meirelles.
    Este banqueiro vai contribuir eficazmente para a reaglutinação das esquerdas e outra mudança de posição da classe média.
    Vamos estar vivos para verificar!
    Eta País infeliz esse nosso.
    SDS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *