Meirelles rebate crítica de Guedes e diz que resultado da política econômica “é ruim”

Meirelles defende o teto de gastos e diz que Guedes vai mal

Rosana Hessel
Correio Braziliense

Após o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmar que a economia brasileira vai crescer e chamar de “conversinha” a piora nas estimativas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2022, o ex-ministro da Fazenda e atual secretário de Fazenda do Estado de São Paulo, Henrique Meirelles, aproveitou para dar uma alfinetada no atual chefe da equipe econômica, que não consegue entregar nada do que prometeu e ainda sinaliza em destruir o teto de gastos — emenda constitucional que limita o aumento das despesas à inflação.

Segundo ex-ministro da Fazenda, o resultado da política econômica é muito ruim e Paulo Guedes está fazendo confusão, porque o Brasil não está crescendo no ritmo desejado, porque a renda per capita está caindo.

RESULTADOS NEGATIVOS – “Os resultados da atual política econômica são negativos. É possível que o Ministro da Economia esteja até conseguindo fazer o melhor possível dentro da confusão que virou este governo e a área econômica, mas o resultado é ruim”, escreveu Meirelles, nas redes sociais, logo após o discurso de Guedes em evento no Palácio do Planalto, nesta segunda-feira (25/10).

Apesar da piora nas previsões do mercado para o ano que vem, em grande parte, por conta da piora na questão fiscal, Guedes voltou a falar que o Brasil está crescendo em ritmo mais acelerado do que o resto do mundo além de insistir na história da retomada em V, que só ele costuma enxergar.

“Vamos crescer ano que vem de novo. A conversinha é sempre essa. Primeiro que ia cair, ia ficar lá embaixo, não ia voltar. Aí volta em V”, disse o ministro da Economia para a plateia que participava do lançamento do Programa Nacional de Crescimento Verde.  Segundo ele, o PIB vai crescer de novo e “cada um vai fazer o seu trabalho”.

ALVO DE GUEDES –  No domingo, Meirelles foi um dos alvos das críticas de Paulo Guedes, que resolveu falar à imprensa ao lado de Bolsonaro sem máscaras. O ministro da Economia, que vem sendo chamado de “fura-teto”, saiu atirando ao lado do chefe contra os críticos do fim do teto de gastos.

Disse que Meirelles deu aumento aos servidores no governo Michel Temer, como se fosse um erro, também criticou Affonso Celso Pastore, ex-presidente do Banco Central, um dos maiores economistas do país, e disse que ele está velho e  “deveria ficar quieto e ter uma velhice digna”.

Outra vítima da ira do Posto Ipiranga foi o ex-ministro da Fazenda, Mailson da Nóbrega, que segundo o titular da Economia, fez a inflação chegar a 5.000% ao ano.

PREVISÕES SINISTRAS – No meio da briga, vale lembrar que nesta segunda-feira o Itaú Unibanco passou a prever queda de 0,5% no PIB do ano que vem. A MB Associados também atualizou as estimativas e, apesar de prever zero de crescimento em 2022, afirma que o viés “é de baixa”, não descartando recessão técnica do PIB, com retração no 4º trimestre de 2021 e no 1º trimestre de 2022.

Conforme dados do boletim Focus, do Banco Central, as novas estimativas do mercado apontam uma taxa de crescimento abaixo de 5% neste ano, apesar de o ministro Paulo Guedes ainda apostar em alta acima desse patamar. A mediana das projeções do PIB de 2021 passou de 5,01%, na semana passada, para 4,97%, nesta semana. Já a mediana para a expansão do PIB no ano que vem foi reduzida de 1,5% para 1,4% na mesma base de comparação.

3 thoughts on “Meirelles rebate crítica de Guedes e diz que resultado da política econômica “é ruim”

  1. Aí pessoal do Tribuna da Internet!

    Ficaram sabendo que os tais “tiros” no trending topics de ontem dizendo “#Sergio Moro presidente2022” vieram em sua maioria do Texas (Titio Sam), e nessa área do Texas é uma área militar?

    Vocês do Tribuna da Internet vão continuar colocando o traidor Sergio Moro como herói, ou irão abrir os olhos antes que se decepcionem outra vez com mais um traidor da Nação Brasileira como Bozo-Paulo Guedes?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *