Mensagem ao último Rinoceronte branco que ainda existe na face da Terra

O último exemplar da espécie sobrevive no Quênia

Antonio Rocha

Li em 20/07/2015, na revista online Oásis, que o último rinoceronte branco, macho, encontra-se em uma reserva do Quênia, vigiado 24 horas por guardas armados, pois tem o perigo dos caçadores que querem matá-lo para vender o valioso chifre, a pele etc. Aviso que, no próximo dia 20/07 é o Dia do Amigo e Dia Internacional da Amizade. Então envio um forte abraço de apoio e solidariedade a este irmão e amigo.

Budismo é Gratidão e quero neste momento agradecer a ele, Rinoceronte, agradecer à Natureza, agradecer ao Ecossistema e peço aos Espíritos do Vento, por favor, se encarreguem de transmitir ao paquiderme amigo esta prece:

Amigão, literalmente, você é muito importante no âmbito do equilíbrio ecológico, infelizmente a espécie humana é predadora. O Senhor Buda ensina que todos estamos interligados, tudo é impermanente, todos nós, assim você, quando desencarnar e espero que demore muito, vai descansar um pouco no seu plano espiritual específico e depois vai reencarnar/renascer, talvez em outra forma, da cadeia evolutiva. Admiro vocês, rinocerontes, desde criança, quando aprendi a ler e me divertia com Monteiro Lobato e o personagem Rinoceronte Quindim. Que o Senhor Buda Primordial, os Anjos Bodhisatvas e os Espíritos de Muitas Luzes abençoem vocês do Reino Animal. Obrigadão por tudo! Valeu !

###
PS –
A proposta do artigo é falar: todos estamos no mesmo barco Vida. Claro que alguns vão achar tolice. Podem criticar à vontade. Buda os abençoe! Agradeço a este incomparável blog, no dizer do Chico Bendl, que publica todas as correntes.

14 thoughts on “Mensagem ao último Rinoceronte branco que ainda existe na face da Terra

  1. Antonio, devemos agradecer ao rinoceronte, agradecer à natureza, e agradecer também a você por nos trazer a lembrança desta unidade da Vida.
    Um abraço.

  2. Sou um defensor dos animais em qualquer circunstância.

    Tenho paixões por estes seres vivos que, por não terem raciocínio, não significa que não possuem os mesmos direitos à vida que qualquer ser humano e, neste aspecto, me aproximo dos budistas, que aceitam a reencarnação em várias formas após a morte, inclusive de um rinoceronte.

    Lamento que este seja o último desses mamíferos, um branco, vigiado durante 24 horas para que o “civilizado e inteligente” homem não o mate, fazendo-me desdenhar a respeito que somos a maior obra de Deus.

    Tenho lá minhas dúvidas após milhares de anos que existimos, e o quanto ocasionamos de dor e sofrimento à nossa espécie, e no que nos tornamos, simples adoradores de dinheiro, e roubado, ainda por cima, os petistas que o digam!

    Enfim, meu grande rinoceronte branco, vida longa, e te cuida, meu!

  3. Caro Antonio Rocha … saudações!

    Finalmente concluí sobre a fotossíntese … lembra???

    A Energia tende à Matéria … e=mc2
    A Matéria tende à Radiação … conferir em http://www.rtp.pt/noticias/mundo/universo-morre-lentamente-energia-radiada-por-galaxias-e-menor_n850586
    A Radiação tende à Perpetuidade!!! !!! !!!
    … … … só que há um detalhe: parte da Radiação se transforma em Energia na Fotossíntese, né???
    … … …
    A Energia da Fotossíntese alimenta a Matéria Viva … que tende à RadiAÇÃO … que tende ao JUÍZO!!! !!! !!

    Estão gostando do treino do Juízo Final?!. Abração.

  4. A espécie humana, é o principal parasita que habita esse planeta.
    Os asiáticos, chineses, japoneses… são os que mais destroem a fauna, com principal menção para os chineses, que assassinam os grades felinos para saborear os seus pênis, considerados afrodisíaco pela culinária daqueles lunáticos.
    Praticamente já dizimaram todos os tigres da Ásia em nome da potência sexual, creio que o cérebro deles está noutra parte do corpo.
    Ainda nas nossas fantasias achamos que os ETs que por ventura apareçam por essas bandas da Galáxia viriam para nos orientar, na nossa caminhada rumo à destruição! No mínimo achamos que eles são mais civilizados do que nossa espécie genocida!

  5. A IUCN lista a espécie como quase ameaçada.

    Existem em torno de 8500 exemplares de Ceratotherium simum simun, ou rinoceronte-branco do sul.

    A subespécie Ceratotherium simum cottoni, o rinoceronte-branco do norte, conta em 2015 com 3 espécimes, um macho e duas fêmeas. Em 2013, a espécie foi extinta em Moçambique, depois dos últimos 15 animais terem sido mortos no Parque Transfronteiriço do Grande Limpopo.

    Dos 5 espécimes restantes, 4 fêmeas e 1 macho, 2 fêmeas vivem em zoológicos, e o único macho e as outras duas fêmeas restantes vivem juntos no Ol Pejeta Conservancy, no Quênia, sob a proteção de seguranças fortemente armados, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

    O motivo da quase extinção da espécie é a crença difundida em alguns países asiáticos de que o chifre do animal seja capaz de curar vários tipos de enfermidades, entre elas, o câncer. No entanto, não existem confirmações científicas que corroborem esta tese.

    Cada espécie é uma riqueza inestimável, resultante de tempos imemoriais de evolução natural.

    Técnicas como a clonagem reprodutiva, a criônica e a conservação máxima das informações biológicas precisam ser usadas para que as gerações futuras tenham acesso a esses tesouros da natureza que estão se perdendo de modo irrecuperável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *