Mensagem de delator da Lava-Jato coloca Geddel Vieira em má situação

Resultado de imagem para geddel vieira lima

Geddel tinha “preocupação exacerbada” com determinada empresa

Deu no Correio Braziliense
 (Agência Estado)

A Polícia Federal (PF) recuperou no telefone celular de Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa Econômica Federal e aliado do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), mensagens trocadas com o empresário Lúcio Funaro, em 2012, que citam Geddel Vieira Lima, ministro do governo Michel Temer. Cleto é um dos delatores da Operação Lava Jato.

LIGAÇÕES PERIGOSAS – À época, Geddel ocupava a vice-presidência de Pessoas Jurídicas da Caixa e, segundo as mensagens, demonstrava “preocupação exacerbada” com um aporte de R$ 30,6 milhões à empresa JMalucelli. A estrutura societária da JMalucelli Energia é composta pela JMalucelli Energia Participações Ltda., com 59,19%, e pelo Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS) com 40,81%. Geddel foi membro do Conselho de Administração da Jmalucelli.

Relatório do Ministério do Trabalho, de 2012, aponta que o FI-FGTS ingressou no quadro societário da J. Malucelli Energia, “visando uma subscrição de 40,81% das ações, que correspondem ao aporte de R$ 330,61 milhões, liberados conforme as chamadas de capital, deliberadas pelos acionistas, para desenvolvimento dos projetos”. Do total, R$ 30,61 milhões foram desembolsados em 2012.

PREOCUPAÇÃO EXACERBADA – “Em princípio, trata-se de uma transação típica de negócio da Caixa, porém, analisando-se os diálogos constantes do Relatório de Análise-RA N° 16/2016, verifica-se que Geddel Vieira, demonstrava uma preocupação exacerbada a esse aporte à J. Malucelli, segundo palavras de Fábio Cleto”, aponta a PF.

“Chamou atenção ainda a comunicação de aporte financeiro de R$ 30,6 milhões que Fabio Cleto recebera da Diretora Executiva de Fundos da Caixa, Sra. Deusdina Pereira, operação de grande interesse, segundo Cleto, do vice-presidente da Caixa, Sr. Geddel Vieira Lima, atual ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República do Governo provisório Michel Temer. O relatório é de 6 de junho de 2016, data em que Michel Temer ainda era presidente em exercício.

6 thoughts on “Mensagem de delator da Lava-Jato coloca Geddel Vieira em má situação

  1. Estimado Dr. Jorge Béja … trabalhei uns 3 anos em Tietê, cidade natal de Temer – até uns 2 anos atrás. Por lá, a reclamação é de que gostariam de mais presença de Temer na cidade; inclusive, reclamavam do seguinte: Houve um rompimento na rede de esgoto sanitário da cidade de Cerquilho, que passa por Tietê bem no lago artificial que embeleza a cidade ocasionando fedor etc e Temer não se aproveitou para beneficiar sua cidade natal … … … não sei se já houve reconstrução da rede de esgoto, que fora construída com tubos inadequados.

  2. É brincadeira!
    O que pode ser pior que o governo da Dilma?
    Excelente, Ótimo, Muito Bom, Bom, Razoável, Ruim e Péssimo.
    O governo da Dilma está entre o Ruim e Péssimo.
    Então eu diria que pior do que estava não ficará.
    O que vem além de péssimo? As Trevas, talvez.
    Aliás, se o PT continuasse e pudesse governar à sua maneira, com certeza nos levaria para o Inferno.

  3. http://www.folhadacidadetiete.com.br/noticiadetalhes.php?url=1315-come-a-nova-etapa-das-obras-de-recupera-o-do-emiss-rio-da-serra

    Começa nova etapa das obras de recuperação do emissário da Serra … 04 de Setembro de 2015 … A obra terá custo zero para Tietê
    Uma nova etapa das obras de recuperação do emissário da Serra já está em andamento desde a última sexta-feira (28). As obras acontecem no bairro Moinho, em Tietê. Após a fase de limpeza, terraplenagem, levantamento topográfico, marcação e escavação, estão sendo assentados os tubos, de 6 metros cada no local.
    No total, serão recuperados 1.255 metros de tubulação de esgoto visando diminuir o mau cheiro causado por um rompimento na rede que ocorreu em janeiro de 2013.
    Sem recursos para fazer a obra em 2013, O Serviço Municipal de Abastecimento de Água e Esgoto (Samae) buscou outras alternativas. Uma delas foi o convênio pleiteado com o Governo do Estado. A autorização para as obras de construção de 1,2 quilômetros de emissário de esgotos foi emitida apenas em junho de 2015, em audiência realizada no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo.
    A obra está sendo realizada por meio de convênio com o Departamento de Água e Energia Elétrica (DAEE), do Governo do Estado de São Paulo. Ela está orçada em R$ 1,4 milhão e foi financiada pelo programa Água Limpa, do Governo Estadual. A expectativa é que ela seja entregue em 9 meses a contar do seu início, que foi em julho de 2015.
    Rompimentos. O emissário do Ribeirão da Serra se rompeu após as fortes chuvas em janeiro de 2013. Esse rompimento foi mais um dentre os vários que ocorreram ao longo dos últimos anos.
    Com o incidente, o represamento do Ribeirão da Serra, denominado Lago da Serra, precisou ser aberto, para minimizar os efeitos da poluição e do mau cheiro ocasionado pelo esgoto. Visando solucionar o problema de forma definitiva, a atual gestão buscou recursos com o Governo Estadual. Por meio do convênio com o DAEE, a obra será feita a custo zero para os cofres municipais.
    Há cerca de um ano, após a aprovação do projeto de recuperação do emissário nos órgãos competentes, a Prefeitura realizou audiências com o DAEE, com o governador e o prefeito Manoel David, que acompanhou todo o processo. Os encontros tiveram o objetivo de obter a assinatura da Ordem de Serviço, para início da obra.
    Fotos: Assessoria de Imprensa/Prefeitura Tietê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *