“Mensalão do DEM” : Promotoria decide não recorrer de decisão que absolveu ex de Frederick Wassef

Ação foi apresentada após delação do ex-secretário do governo do DF

Rayssa Motta e Fausto Macedo
Estadão

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios decidiu que não vai recorrer da decisão que absolveu a empresária Maria Cristina Boner Léo, ex-mulher do advogado Frederick Wassef, no processo por improbidade administrativa aberto após a deflagração da Operação Caixa de Pandora. A investigação mirou suposto esquema de corrupção na capital federal conhecido como ‘Mensalão do DEM’.

Em manifestação na última segunda-feira, dia 20, o procurador Leonardo Roscoe Bessa e a promotora Daniella Virgínia Gomes formalizaram a decisão. A empresária e a empresa de informática B2BR, da qual ela era sócia, foram absolvidas pela 2ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios no final do mês passado.

CODEPLAN – A ação havia sido apresentada em 2011 após delação do ex-secretário do governo do Distrito Federal, Durval Barbosa, por suposto pagamento de propina para obtenção de contratos firmados com a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan). O valor da licitação era de R$ 9,8 milhões.

Um vídeo de Durval Barbosa entregando R$ 50 mil em propina para o então governador José Roberto Arruda (ex-DEM) chegou a ser obtido nas investigações. Segundo Barbosa, os valores haviam sido pagos pela B2BR após acerto prévio com Maria Cristina. No entanto, para a Justiça, a acusação contra a empresária não ficou provada.

###
COM A PALAVRA, MARIA CRISTINA BONER LEO

“Esse longo processo judicial me causou muitos prejuízos financeiros e de imagem. Infelizmente, no Brasil a condenação e seus efeitos acontecem antes do julgamento definitivo. O desrespeito ao devido processo antecipa cruelmente a pena. O final desse julgamento, com a ajuda de Deus, desfez o equívoco que tanta dor me causou. Nunca perdi a fé na Justiça. Agora tenho pela frente a árdua tarefa de reconstruir a minha imagem.”

3 thoughts on ““Mensalão do DEM” : Promotoria decide não recorrer de decisão que absolveu ex de Frederick Wassef

  1. REINVENTAR-SE, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, ou desaparecer do mapa das possíveis grandes nações, é o que resta ao Brasil, com urgência urgentíssima, porque o tempo urge, e no trem da história não há lugar para os que dormem no ponto. A questão não e só a tributação, que o “Posto Ipiranga” do demotucanismo, Armínio Fraga, quer aumentar ainda mais, no mesmo sentido do delírio do Paulo Guedes, o “Posto Ipiranga” do bolsonarismo. E nem só o spread bancário. A questão é, sobretudo, de organização , comando e métodos. A organização centralizada em Brasília é horrível, démodé, a mais perdulária e a mais cara possível, o comando tb é horrível, tipo rolo de cobras em permanente estado de guerra tribal, primitiva, permanente e insana, por poder, dinheiro, vantagens e privilégios, sem limite$, à moda todos os bônus para ele$ e o resto que se dane com os ônus, e os métodos dos me$mo$ então,”quanto pior, melhor”, são os mais desastrosos possíveis, ninguém merce , fatos esses que fazem do Brasil um concorrente internacional absurdamente desqualificado, fadado ao insucesso na competição entre nações. https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/07/29/estudo-cni-competitividade.htm?fbclid=IwAR30zZe0bEdjAKfAGw0TaqqjDdJ_ylBOCtmGo9K4N8I7QJHrXWqddKN5-_A

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *