Mesmo com as dificuldades de acesso, o Blog está sendo muito lido

Resultado de imagem para censura na internet

Charge do Jota, reprodução do Arquivo Google

Carlos Newton

O número de comentários diminuiu de forma espantosa, devido à dificuldade de acesso ao blog, mas o número de leitores continua expressivo. No momento em que escrevo, às 16h55m, já passamos dos 13 mil acessos diretos, sem contar a leitura por Facebook, outras redes sociais, republicações e e-mails.

Os técnicos do servidor UOL estão dando um atendimento permanente, as quedas de conexão já diminuíram, mas a situação ainda não se normalizou. Como dizem o Francisco Bendl e o Théo Fernandes está difícil postar comentários. Por isso, agradecemos a todos que insistem em acessar a Tribuna da Internet.

Mas não há de ser nada e logo estaremos com o funcionamento normal. E devemos fechar o dia com mais de 20 mil acessos diretos. Até agora, segundo contador norte-americano Histats.com,  o blog já foi lido em 46 países. Nada mal.

14 thoughts on “Mesmo com as dificuldades de acesso, o Blog está sendo muito lido

    • Sabe, Ofelia, li sobre o discurso, é uma coisa meio protocolar. Sobre o impeachment, tudo bem, mas se abrir o país à imigração desenfreada, não sei no que isso vai dar.

      Abs.

      CN

    • Ofélia, eu jamais receberia refugiado. Não conhecemos quem é, não falamos a mesma lingua, pode ser um terrorista. A ch que a ONU é quem deve se preocupar com esse problema. Você receberia.?
      Será que os nossos politicos recebe-los-iam?

  1. Sou leitor assíduo deste site há anos e sempre houve problemas com hackers que querem tirá-lo do ar por sua independência. Contudo, gostaria muito que fosse discutida com mais veemência nos próximos artigos uma questão que abate os brasileiros – a dívida pública federal e os encargos dela decorrentes. Se há um consenso entre todos os analistas econômicos é o fato de que são esses os grandes entraves para qualquer processo de desenvolvimento e distribuição de renda no Brasil. Como a mídia que domina o país se beneficia dessa situação ela jamais é discutida. A dívida pública federal e seus encargos inviabilizam qualquer futuro melhor para os brasileiros, mesmo considerando um período de longo prazo. Como os artigos dessa Tribuna repercutem em outros sites é preciso falar mais de economia do que de política, pois essa é o que realmente interessa ao povo brasileiro. Agradeço se outros comentaristas corroborarem minha opinião. Obrigado!

    • Eu só queria entender.
      Quando a crise econômica atingiu os EEUU, o governo americano providenciou o salvamento de suas empresas. Embora privadas.
      No Brasil,para salvar o governo vendem as empresas estatais e financiam o comprador com dinheiro do governo (BNDES). Pode isso?
      Administradores de empresas estatais, colocam seus ativos a venda para salvar a empresa e vai a tv, como prestou grande serviço a essa empresa. E o capital privado que está em crise como fica? É assim que salva uma nação da crise econômica? ¨Tou Errado¨?

  2. Bota protocolar nisso!

    Gostaria de saber por que motivo Obama se atrasou tanto, deveria ser o segundo a falar, logo após Temer.

    Não vamos receber refugiados. Temer jogou para a platéia os 85 mil haitianos que recebemos como se fossem refugiados.

    Deveria ter falado mais do Brasil. Disse ele que alguém o aconselhou a universalizar o discurso.
    Aconselhou mal. Os membros da ONU estavam mais interessados em saber do Brasil, o resto eles conhecem bem.

    Perdeu a oportunidade de falar algo de interesse geral.

    Abs
    Ofelia
    PS: Oi Carmen, serve pra vc tb. Abs

  3. UOLHA lá. e UOLHA bem de onde pode estar vindo esse ataque a TI…. ….. …

    Em momentos assim que se tenta barrar a liberdade, já dizia o cantor: ” Eu desconfio no sentido estrito Eu desconfio no sentido lato. Eu desconfio é do diabo a quatro…”

  4. Também apoio a tese do Sr. Luís Hipólito (17:57) acerca da necessidade de esclarecimentos sobre a dívida que compromete as atuais e futuras gerações de brasileiros(as).

    Cordialmente,
    Christian.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *