Michel Temer assegura reajuste para servidores civis e militares

Charge do Clayton, reproduzida de O Povo (CE)

Pedro do Coutto

Na entrevista a Maria Cristina Frias e Valdo Cruz, Folha de São Paulo, edição de domingo, o presidente Michel Temer praticamente assegurou o reajuste de vencimentos aos funcionários civis e militares, ao dizer que governar não existe só para fazer restrições e impedir gastos. “Imaginem – frisou – se eu não cumprisse os acordos feitos pelo governo anterior para o aumento do funcionalismo. Os servidores do Judiciário, entrariam em greve, os do Ministério Público também, além dos servidores civis que fariam movimentos nas ruas”. E acentuou que seria um desastre, até porque eles diriam legitimamente que havia um acordo com o governo, portanto com o governo do Brasil, não importando, no caso se o acordo fosse feito com o governo passado ou com o atual.

Com tais afirmações, Michel Temer deixou claro que vai sancionar os projetos aprovados pelo Congresso reajustando os vencimentos com os servidores públicos, entre eles incluídos os integrantes das Forças Armadas.

NO SENADO – Temer já sancionou integralmente o reajuste dos funcionários do Senado Federal, que foi  publicado no Diário Oficial de 28 de junho. Este reajuste foi de 5,5% para este ano, mas retroativo a janeiro. A lei estabeleceu também um acréscimo automático de 5% a partir de janeiro de 2017. E de 4,5% a vigorar em janeiro de 2018.

Este reajuste pode ser diferente, quanto aos percentuais relativos aos outros aumentos nominais a serem enviados pelo Congresso à sanção do Palácio do Planalto. De qualquer forma, representa um sinal evidente de que não haverá política de congelamento salarial, também para os trabalhadores regidos pela CLT, como chegou a ser defendido pelas correntes conservadoras que atuam no comando da economia do país.

IMPORTÂNCIA – Voltando à entrevista de domingo, deve-se destacar a importância das declarações do chefe do Executivo referentes ao reajuste do funcionalismo público, sobretudo porque foram essas as afirmações concretas reveladas a Maria Cristina Frias e Valdo Cruz. Pois de modo geral as suas outras respostas dadas aos repórteres, elegantes na forma, foram vazias de conteúdo.

Por exemplo: disse ele que a meta fiscal apresentando um déficit de 139 bilhões de reais foi realista, embora muitos tenham proposto que tanto fosse maior quanto fosse menor. Chegamos então ao valor que pelo menos na aparência, é realista. Acentuou que vai exigir sacrifícios, mas não os especificou.

Em outro trecho, sobre a proposta do Ministro Henrique Meirelles de elevar impostos, Temer assinalou que “talvez”, mas por enquanto não há nada definido. “Vamos verificar se com a venda de ativos a elevação de tributos vai ser necessária. Meu desejo é que não haja aumento. Mas se houver absoluta necessidade nada se pode fazer”. admitiu.

PRIVATIZAÇÕES – Perguntado quais os ativos que seriam colocados à venda, frisou que podem ser os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont, porém tal iniciativa vai depender do déficit registrado nas contas públicas. Os repórteres indagaram então se os dois aeroportos vão ser concretamente privatizados. Ele respondeu que houve essa conversa, porém a privatização vai ser analisada.

Os entrevistadores indagaram também: o que mais estará colocado à venda? Temer respondeu: vamos levantar a lista do que é privatizável. Os Correios representam um caso muito complicado, porque deu um prejuízo muito grande. A Petrobrás não dá, pois traz consigo uma simbologia muito grande.

DESEMPREGO – Quanto ao desemprego, sustentou não saber hoje dizer quanto tempo vai demorar sua redução. O que tenho que fazer é produzir atos para combater o desemprego.

Negou ter dado conselho a Eduardo Cunha para renunciar à presidência da Câmara, mas acha que para ele foi a melhor solução. “Qual sua avaliação da operação Lava-Jato”? “Positiva para o país”, respondeu.

Diante essa relação de respostas vagas, sem maiores caracteres concretos, as declarações do presidente Michel Temer em relação ao reajuste salarial dos funcionários públicos representam uma forte exceção afirmativa. Afinal de contas, foi a única questão que ele respondeu de forma direta e objetiva. Assim, comprometeu-se com um ato cuja prática anunciou. E tal ato depende apenas dele mesmo. Num deserto de ideias, os funcionários civis e militares enfim receberam uma boa notícia.

18 thoughts on “Michel Temer assegura reajuste para servidores civis e militares

  1. Deboche, escárnio, pontapé na bunda do trabalhador civil desempregado este anúncio de reajuste para servidores federais e militares, pois inadimplente, sem qualquer possibilidade de futuro porque Temer ainda não deslanchou, este governo que não disse a que veio ainda se encontra atrelado aos parlamentares em busca de apoio, que não se sabe para quê!

    Funcionários públicos federais e militares (os maiores aquinhoados em termos de salários, no mesmo nível dos corruptos e desonestos parlamentares porque igualmente NÃO TRABALHAM, apenas meio dia, folgando de sexta às 12 h até segundas após o almoço) não poderiam estar tendo reajuste, se os seus colegas estaduais e a população sofrem desesperadamente pelo atraso e em seus proventos e falta de reajustes há anos, e o trabalhador porque sem emprego, repito, e devendo a alma no comércio e bancos por falta de dinheiro!

    De que forma este governo idiota e incompetente irá obter ajuda do povo?

    Por que essa cambada de inúteis não revoluciona o país através da implantação de estradas de ferro e autorização para cassinos, que abririam vagas para milhares de pessoas desesperadas por um trabalho?!

    Quando que esses canalhas aprenderão que o trem sempre foi e continuará sendo o agente de progresso para qualquer nação, ainda mais a nossa, que tem dimensões continentais!?

    Quando que esses cafajestes terão consciência que os cassinos movimentam bilhões, e é simples o seu controle fiscal e operacional para impedir lavagem de dinheiro, roletas e cartas viciadas?!

    Quando que nossos governantes terão sentimentos nacionalistas e não somente a mente voltada para o roubo e a corrupção desmedidas?!

    PORCOS IMUNDOS, concedendo reajustes para quem não precisa e deixando a maioria absoluta do povo e de outros servidores públicos à margem, tratando-os diferentemente dos federais e dos militares, sinônimos hoje de INÚTEIS, usando as casernas para brincar de roda, casinha, boneca e trenzinho, e travestidos em uniformes camuflados para esconderem que, de fato, nada fazem e não servem para nada!!!

    Aumentos de vencimentos para quem não tem arma?
    Munição?
    Alimento?
    Fardas?
    Combustível?
    Viaturas?

    Que praga que rogaram para o Brasil, que mesmo tendo saído o PT, um partido de criminosos, o seu amante, o PMDB, que por treze anos foi íntimo dos petistas em suas orgias e bacanais com o dinheiro público, e relações as mais depravadas e pornográficas possíveis e imagináveis, segue o mesmo curso do devasso, da podridão moral, da permissividade ética, do ROUBO E CORRUPÇÃO, haja vista os esforços que faz para acabar com a Lava Jato e ministros escolhidos, mais sujos que pau de galinheiro?!

    E afirmo categoricamente esta relação marital entre PMDB e PT, em face de que a administração de Temer ainda possui milhares de petistas em postos chaves, COM MEDO de demiti-los, em face desta união carnal que liga as duas agremiações mais nocivas e nefastas que a nossa história registra em todos os tempos!

    Quanto a nós, os civis, que tratemos de nos proteger ou nos rebelarmos com essas diferenças, dando um basta a tantos descalabros e desmandos!

    • Fiquei triste com você. Por acaso, vc sabe quando foi o último aumento dos funcionários civis? Se aumento nestes últimos 13 anos houve, não apareceu no contra-cheque. Aumento, sim, do Judiciário que sempre se diz com salário defasado.
      Tenho uma amiga que juntas na Universidade, ganhavamos a mesma coisa. Ela fez concurso para o Judiciário e hoje o contra-cheqe dela é o triplo do meu.

      • Minha cara Carmen Lins,

        Pelo amor de Deus, não sou contra este reajuste aos servidores públicos, mas para esta diferença de tratamento que apontas e o total desprezo aos DESEMPREGADOS!

        Por que uns terão a atenção do governo e a maioria absoluta continuará desesperada por um trabalho?!

        E quanto ao valor do salário mínimo, UM QUINTO DO QUE DEVERIA SER PELO DIEESE?!

        Deveríamos era estabelecer os mesmos ganhos para as diversas categorias de servidores públicos ou, por acaso, é crível que um ascensorista no serviço público ganhe mais de doze mil mensais, enquanto que um professor recebe menos de mil e quinhentos reais por mês?!

        Ou, no teu caso, que a tua colega do Judiciário ganha o triplo. Por quê?!

        Por favor, não fica “triste” comigo, haja vista eu não ser governo e muito menos o responsável pelas injustiças que cometeram contra o povo e funcionários públicos, mas o governo, permanentemente corrupto, e desonesto, imoral e antiético, enganador e mentiroso, perdulário e irresponsável!

        Aceita o meu abraço, eu te peço.
        E estou contigo, mas contra o desprezo que dão aos desempregados, aposentados, ao salário mínimo.

        Vamos à luta!

        Saúde e Paz!

        • Obrigada, pela sua atenção em me responder. Minha colega Bibliotecária como eu, passou a ganhar mais porque fez concurso para um Tribunal de Justiça e os Triibunais pagam melhor do quem trabalha em Universidades. Você tem toda razão quanto ao trabalho do Professor, sem ele, não haveria engenheiros, médicos, todos os profissionais que tiveram professores em suas vidas. Desejo-lhe muita Paz e Saúde também.

  2. Só posso ficar indignado!
    Reajuste? Onde? Cinco por cento num período de aproximadamente vinte meses, no qual a inflação acumulada passa de quinze por cento? Vocês estão de sacanagem! Isso não é nem reposição, o que dirá reajuste! Os canalhas roubam o dinheiro público e a culpa é sempre dos servidores. Se acham tão moleza assim, a opção é aberta para todos. Estudem e façam uma porra de concurso público. Mas não se iludam, pois servidores concursados, em sua maioria não ganham tanto como a mídia apregoa por aí. Salários altos são para quem entra no serviço público por indicação, SEM CONCURSO PÚBLICO!

    • Wagner,

      Este é o mal do Brasil, onde cada categoria pensa em si mesma, e o resto do povo que se exploda!

      Leste o meu comentário todo ou apenas o que te interessou?

      Não há comparação entre os ganhos dos funcionários federais com os estaduais, pois os primeiros estão muito acima do que recebem os segundos, e com atraso, sem qualquer reajuste há anos!

      Desta forma, conceder aumentos para os federais em detrimento dos COLEGAS ESTADUAIS, que também estudaram e passaram em concursos, trata-se de uma tremenda INJUSTIÇA!

      Até porque, Wagner, os estados estão à míngua, sem dinheiro para pagar seus servidores porque a União suga as suas arrecadações e distribui em doses homeopáticas, sobrando a maior parte do quinhão administrado conforme seus interesses e conveniências!

      E não estou culpando o servidor público, lê direito e com mais atenção, mas o governo, incompetente, corrupto e desonesto, que deixou a situação chegar a esta calamidade que assola o Brasil, e que não pode se permitir que alguns fiquem imunes à crise!

      Ou todos padecem ou todos se beneficiam!

    • Perfeitíssimo Wagner!
      O que está sendo feito e a prestação,não é reajuste e sim uma tardia reposição salarial,que no caso dos FUNCIONÁRIOS e não dos MAGISTRADOS,estão com seus salários defasados há muitos anos.
      Parabéns pelo seu comentário,atual e pertinente!

    • É isso ai, Wagner! Indicação, sem concurso, ou através do chamado “recrutamento amplo” esses ganham bem, trabalham, ou melhor, comparecem à repartição quando querem e aumento para eles. Digo, sabendo o que se passa. Duas servidoras na mesma função. com os mesmos salários (nível superior). Pois bem uma delas fez concurso para mesmo no Judiciário e hoje ganha o triplo do que sua colega .

  3. Enquanto isso o bolsa-familia teve um aumento de 12,5% SEM DIVISÃO EM OITO PARCELAS, como vai a ser o do servidor do judiciário que está há 10 ANOS sem qualquer reajuste! Isso sim é um escárnio, e ninguém fala nada!

  4. Foraesquerdacomunista,

    Falei, sim, mas e daí?

    Tu mencionaste algo com esta decisão?

    A minha decepção é que não vejo ninguém berrar contra a injustiça de outros servidores deixarem de receber este reajuste, mas defesa férrea TÃO SOMENTE daqueles que agora vão ser contemplados mesmo com um índice abaixo da inflação, mas um percentual de aumento em seus salários!

    Revolto-me e indigno-me quanto aos demais funcionários públicos que ficarão lutando pelos seus vencimentos para que sejam pagos em dia e não mais atrasados ou parcelados, e o trabalhador civil, que seguirá desempregado, inadimplente, vítima de recessão econômica, inflação, inadimplência e sem futuro.

    Se quiserem me criticar porque defendo os injustiçados, mas não me solidarizo com aqueles que receberão reajustes, entendam como quiserem, porém me nego a concordar com essas diferenças de tratamento, e muito mais admito os absurdos recebidos pelos parlamentares, que não encontro neste blog incomparável manifestações que me acompanham nessas reclamações, críticas e acusações do quanto o Congresso nos custa, ainda mais se somarmos as Assembleias Estaduais e Câmaras Municipais.

    • Bendl,

      o Temer diz que esses reajustes foram concedidos por Dilma, não sei dizer se foram mesmo. Parece que sim.

      Mas é evidente a ‘torcida’ do governo para um lado só. Por que será?
      Abraço, saúde e paz

      • Ofélia,

        Pois é este o meu questionamento, de haver diferença de tratamento entre os cidadãos brasileiros!

        Se funcionários públicos ou não, a verdade é que somos brasileiros, então por que milhões estão desempregados e à mercê desta crise sem precedentes, e os servidores – independente de merecer o reajuste, justo e legítimo – transitam imunes aos problemas nacionais?!

        Ofélia, quero dizer que, se o povo não se unir na sua totalidade, em solidariedade, apoio moral, coesão e propósitos, adeus tia Chica, o Brasil afunda de vez!!!

        Agora, assistir que certas categorias são atendidas pelo governo, o responsável pelos civis desempregados e inadimplentes, enquanto que atende categorias que estão bem ou mal pagas e recebendo seus vencimentos, antes eu desejo que os desempregados tenham uma esperança por mais tênue que seja para conseguir emprego, e depois os reajustes indiscutíveis que os servidores merecem!

        E, qualquer reajuste que os parlamentares se concedem, que vamos para a frente do Congresso e exijamos o seu cancelamento, em princípio no diálogo e, se não for possível, na marra, na porrada, na violência, se for necessário!!!!!!

        Um abraço.
        Saúde e Paz!

    • Luiz Carlos,

      Esta diferença de tratamento é que me revolta, me deixa indignado, encolerizado!

      Os servidores do Congresso são aqueles que mais ganham, que mais tem vencimentos acima da média, e ainda terão o reajuste retroativo, enquanto seus colegas não serão atendidos por esta medida?!

      Por quê?!

      Tais diferenças é que precisam ser exterminadas como erva daninha, caso contrário teremos o funcionalismo público virado em castas, situação que já gozam os poderes Judiciário e Legislativo!

      Um abraço.
      Saúde e Paz!

  5. Então vamos por partes:

    Respondendo ao seu primeiro parágrafo – Não sou a favor de governo Temer e seu partido sanguessuga PMDB, pois se ficaram treze anos de braços dados com a situação, no caso o PT, não vai ser agora que vão querer mudar alguma coisa. Tudo aquilo que serviu durante treze anos, passou de uma hora para outra a não prestar? Achou mesmo que o PMDB iria fazer reforma em alguma coisa?

    Segundo parágrafo – Infeliz a comparação dos servidores federais com agentes políticos, que realmente não trabalham. A maioria dos servidores federais de carreira, ou seja, CONCURSADOS, cumprem 40 horas semanais de jornada de trabalho, sem choro nem vela. Além disso, Francisco, o que considera aumento, ou reajuste, nem sequer se justifica como reposição salarial, visto que os percentuais concedidos estão sempre abaixo, e bem abaixo dos percentuais de inflação calculados para os mesmo períodos. Já vi aqui mesmo na TI, tempos atrás, um artigo que falava sobre inconstitucionalidade da redução salarial dos servidores por conta da inflação estar sempre acima da reposição.

    Terceiro parágrafo – Concordo totalmente que esse governo é idiota e incompetente.

    Quarto parágrafo – Concordo que a implantação de uma malha ferroviária seria uma grande revolução econômica no país, mas nós sabemos que vários interesses de várias classes seriam frustrados, logo isso não vai acontecer. O Barão de Mauá era um visionário, defensor ferrenho da instalação de ferrovias, e no entanto foi ridicularizado, alvo de deboche. Quanto à autorização dos cassinos, não creio que adiantaria muita coisa. Rapidamente seriam transformados em algo voltado para lavagem de dinheiro, corrupção e qualquer outra atividade que as mentes inventivas dessas pessoas sem escrúpulos pudessem desenvolver. Fora o outro problema que isso causaria, visto que o jogo de azar pode se caracterizar como um vício. Conheço famílias que já foram destruídas por conta de jogos de azar. Tem pessoas que apostam tudo o que ganham em corridas de cavalos, só para citar um exemplo. Só se, paralelamente, se criasse um “bolsa viciado em jogo”, para, mais uma vez de forma assistencialista, atender as famílias dos apostadores, colocando esmolas em suas mesas.

    Quinto parágrafo – Concordo plenamente que são canalhas, e que o transporte ferroviário é o mais adequado, principalmente para o escoamento de produção, não só por conta das dimensões do país, mas também por ser o meio de transporte terrestre de menor custo.

    Sexto parágrafo – O controle fiscal e operacional dos cassinos seria realmente simples, como também seria simples esse mesmo controle na Petrobrás, nos bancos públicos, e nas demais estatais. Só faltou a parte onde nós, honestos, fechamos um acordo com eles, desonestos, no qual a fiscalização vale para todos, e eles não podem roubar. Acho que jamais vão aceitar esse acordo.

    Sétimo parágrafo – Caro Francisco, acho que jamais nossos governantes terão senso nacionalista e comportamento honesto. Infelizmente, a impressão é que todas as instituições estão contaminadas por algo que impede os valores morais de triunfar. O problema não é só da classe política, é da sociedade brasileira como um todo. Todos se vendem. E os preços variam, dependendo da camada social.

    Oitavo e nono parágrafos – Mais uma vez vou afirmar que não há reajuste, nem mesmo reposição. Quanto aos militares, nada posso afirmar. Apenas acompanho de longe, notícias que revelam um sucateamento das forças armadas, no que diz respeito à falta de recursos de toda espécie. Os outros servidores públicos de que fala, creio que são vítimas do mesmo problema, a diferença é que estão em estado mais avançado de abandono. E a citada “maioria absoluta do povo”, apesar de (eu) pessoalmente não gostar de generalizações, creio que, de alguma forma, está agora pagando a conta. Nos falsos e simulados tempos de vacas gordas, se lambuzaram com o melado, gastando mais do que recebiam, esbanjando o crédito fácil, consumindo todo o tipo de quinquilharia inútil. Essa “maioria absoluta do povo” gostou tanto da farra, que ainda escolheu o PT mais três vezes, mesmo após o primeiro mandato desse partido, quando várias promessas de campanha não foram cumpridas, e as instituições financeiras continuaram a registrar lucros recordes, ano após ano. Francisco, francamente, você conhece povo mais perdulário que o brasileiro? Infelizmente o que observo hoje é que, para o brasileiro tudo é descartável. Aparentar é bem mais que ser ou construir.

    Décimo e décimo primeiro parágrafos – Apesar de achar que a saída do PT era necessária, nunca depositei qualquer esperança no PMDB, que mais se parece uma prostituta interesseira. São farinha do mesmo saco. E dentro desse saco, todos tem rabo preso.

    Décimo segundo parágrafo – Não acho que a necessidade de se proteger seja exclusividade da classe civil. Acho que é uma necessidade das pessoas de bem, que ainda acreditam e lutam pelos valores morais, pelo civismo, pela honestidade.

    Como pode observar, caro Francisco, o seu comentário foi lido na íntegra. E continuo achando que todo mundo gosta de bater nos servidores, sem fazer distinção.

    Por que os políticos recebem salários tão altos, fora todas as verbas agregadas, se em contrapartida fazem tão pouco? Por que se aposentam com todos os benefícios após dois mandatos, ou seja, apenas oito anos de suposto trabalho?

    Por que magistrados além do polpudo vencimento, ainda recebem auxilio moradia, auxílio educação para os filhos, entre outras benesses, todas de valores altos?

    Acompanhe comigo, caro Francisco: Eu acordo cedo todos os dias, para cumprir minha carga horária de 40 horas semanais, atendendo e servindo ao público. A maioria dos órgãos públicos federais está sucateada, as condições de trabalho são péssimas. Eu moro em uma cidade distante 140 quilômetros da que trabalho, e nem por isso recebo auxílio moradia (sabemos o valor desse auxílio). Devido ao estado de total abandono, não posso matricular meus filhos em escola pública. Pago, do meu salário a educação dos meus filhos. Auxílio creche, que é somente para filhos até os sete anos de idade, agora que foi corrigido, é de aproximadamente R$ 290,00. (sabemos o valor do benefício equivalente para magistrados). Conhece alguma boa escola com mensalidades nesse patamar? Preciso contribuir para a previdência dos servidores públicos federais por 35 anos ininterruptos, e mesmo assim, se a soma desses 35 anos com a minha idade não atingir 95, não posso me aposentar. Vinte e cinco por cento do produto do meu trabalho já vem descontado automaticamente no meu contracheque. Leve em conta toda uma formação acadêmica, e horas de estudo sem dormir para passar num concurso público.

    Me perdoe, Francisco, mas não posso ser chamado de “maior aquinhoado”. Também não acho que possa afirmar que meus ganhos estejam no mesmo nível dos parlamentares. Se comparar outros benefícios além dos salários então, o abismo é colossal. E por fim, fico triste ao constatar que, na sua opinião, igualmente aos parlamentares, os servidores públicos federais não trabalham. Ainda bem que, quanto a isso, o amigo está equivocado.

    Tenho uma opinião, que talvez a maioria considere radical demais: A meu ver, programa social é colocar todo mundo para trabalhar, para produzir. O resto é esmola comprando voto.

    Cordialmente,
    Wagner

    • Caríssimo Wagner,

      Após tão simpática e contundente resposta aos meus questionamentos, agradeço a gentileza e a educação conforme te diriges a mim, conformando que não somos opositores neste particular, de eu ser contrários aos servidores federais terem seus reajustes de salários, ainda mais abaixo da inflação.

      Tenho sido incisivo quanto às diferenças existentes entre as demais categorias de funcionários públicos que, em razão da economia dos estados, se encontram sem qualquer aumento há anos e recebem seus vencimentos em atraso ou parcelados.

      A meu ver, antes de ser concedido QUALQUER REAJUSTE PARA QUALQUER CATEGORIA DOS TRÊS PODERES, DEVER-SE-IA EQUACIONAR A SITUAÇÃO DO BRASIL, consequentemente, meu caro Wagner, dos milhões de desempregados!

      Bem ou mal, os servidores estão ganhando seus salários. Têm suas funções garantidas porque fizeram seus concursos e foram aprovados. No entanto, milhares de brasileiros com diplomas universitários, técnicos, gente responsável e trabalhadora, este pessoal está sem emprego, desesperado, acossado por dívidas impagáveis, por uma recessão brutal, inflação gigantesca, e sem perspectivas de melhoras a curto prazo.

      Eu gostaria muito que tu me entendesses neste particular, de eu me solidarizar com quem não ganha nada, antes de apoiar qualquer reajuste mesmo que LEGÍTIMO E JUSTO, aqueles que recebem vencimentos mensais e estão trabalhando.

      Esta é a nossa única diferença de pensamento, pois concordo plenamente contigo em todas as tuas reivindicações, que o servidor federal trabalha, que tem sido um dos esteios do Brasil, assim como os colegas estaduais, mas devemos pensar nos demais brasileiros que estão sendo vítimas de um governo desalmado, corrupto, desonesto, causador de seus problemas graves, enquanto que os membros do PT e PMDB enriqueceram suas burras às custas do trabalho deste povo injustiçado e desprezado!

      Não esquecendo, Wagner, que milhares desses servidores “púbicos” entraram pela porta dos fundos do funcionalismo, pois detém cargos em comissão, sem concurso, e ganham muito bem!

      Desta forma, muito mais me decepciono, revolto e fico indignado, com vontade de pegar em armas, quando os parlamentares venais, inúteis, perdulários, ladrões, se concedem aumentos, igualmente a abastada categoria do Judiciário, que está sendo muito bem paga pelo que produz e injustiças prolatadas!

      Enfim, estamos unidos, e não podemos nos dispersar mediante desigualdades, um contrassenso, mas temos de nos manter coesos e combater as diferenças de tratamento entre os brasileiros, que deve ser rechaçada e impedida de seguir adiante.

      Obrigado, Wagner, pelas ponderações.
      Um forte abraço.
      Saúde e Paz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *