Militares da ativa descumprem a lei em bolha de extrema direita no Twitter, indica levantamento

Brum on Twitter: "Charge da Tribuna do Norte #brum #charge  #chargespoliticas #governobolsonaro #militares #militarizacao #cargoscivis  #governomilitar https://t.co/ck1G1T7XUp" / Twitter

Charge do Brum (Tribuna do Norte)

Jan Niklas
O Globo

Membros do topo da hierarquia das Forças Armadas vivem em uma bolha de extrema direita no Twitter, segundo apontou um levantamento do laboratório DATA_PS, que reúne pesquisadores da UFRJ e da UFF, feito a pedido do GLOBO. Militares que usam a plataforma estão inseridos numa rede de políticos bolsonaristas e influenciadores olavistas, de acordo com a pesquisa. O estudo elaborou um mapa ideológico do debate público na rede social a partir das redes de perfis que são seguidos por políticos e militares na plataforma.

O GLOBO localizou 26 oficiais do último grau hierárquico do Exército, Marinha e Aeronáutica — sendo a maioria de generais (23) — com contas ativas na plataforma. Entre eles estão integrantes do governo Jair Bolsonaro (PL), como o vice-presidente Hamilton Mourão, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno; e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Luiz Eduardo Ramos.

Também têm perfis na rede militares como o ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas; o ex-ministro da secretaria de Governo de Bolsonaro — e atualmente filiado ao Podemos — Carlos Alberto dos Santos Cruz; e o deputado federal General Girão (PL-RN).

AFINIDADES IDEOLÓGICAS – Baseado nos dados das contas desses generais, além de um universo de 668 políticos entre deputados, governadores, ministros e senadores, a pesquisa encontrou seis redes agrupadas por suas afinidades ideológicas. Dentre elas, três se destacam pela sua relevância na atuação nos debates da plataforma.

A primeira é a rede da esquerda, onde estão políticos como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Guilherme Boulos (PSOL). Ao centro, estão dispostos políticos que vão desde a centro-esquerda como Ciro Gomes (PDT), passando pelo centro como Rodrigo Maia (PSDB), e mais para a direita com Sérgio Moro (União Brasil).

Já no topo, , estão os canais da direita mais extremista, agrupados em torno do presidente Jair Bolsonaro (PL). É nesta bolha que estão localizados todos os militares identificados pelo GLOBO.

EXTREMA DIREITA – Na lista de usuários mais seguidos pelos oficiais estão perfis institucionais das Forças Armadas, ministros, veículos de imprensa e uma variedade de páginas com conteúdo de extrema direita. Nesse catálogo ideológico de maior interesse dos generais estão políticos que são figuras de proa do bolsonarismo como Eduardo Bolsonaro (PL-SP), Carla Zambelli (PL-SP) e Major Vitor Hugo (União-GO).

Também estão entre os canais preferidos dos generais contas dedicadas ao ideólogo Olavo de Carvalho. Influenciadores como Leandro Ruschel e Bárbara ‘Te Atualizei’ — que chegaram a ser alvos de investigações do Supremo Tribunal Federal (STF) por propagarem fake news — são alguns dos mais populares entre esses perfis.

Comandante do Exército até o fim de março deste ano, quando foi nomeado para chefiar o Ministério da Defesa, o general Paulo Sérgio Nogueira conta com 98 mil seguidores e segue apenas 24 contas no seu Twitter. No pequeno rol de figuras de interesse do militar estão os deputados bolsonaristas Carlos Jordy (PL-RJ) e Bia Kicis (PL-DF); além da juíza e influenciadora olavista Ludmila Lins Grilo.

GENERAIS DA ATIVA — Os generais são significativamente alinhados a um lado específico da direita brasileira, com forte relação com o campo bolsonarista. Eles são, em geral, pouco seguidos, e seguem mais perfis bem à direita — diz o pesquisador e autor do levantamento Francisco Kerche.

Crítico do que aponta ser uma politização exacerbada do Exército pela turma de generais que ocupam cargos no governo Bolsonaro, o oficial da reserva e mestre em Ciências Militares Marcelo Pimentel destaca que militares têm o direito de se posicionar individualmente, desde que na inatividade e sem se vincular à instituição.

Porém, ele ressalta, isso não ocorre nessas contas, onde a maioria dos oficiais se apresentam com suas patentes de general, usam roupas fardadas ou outras referências militares

FORA DA LEI — “Isso afronta a Lei 6880, que define a ética militar, onde está determinado que os membros das Forças Armadas devem abster-se, na inatividade, do uso das designações hierárquicas em atividades político-partidárias e no exercício de cargos da administração pública — afirma Pimentel.

Segundo uma portaria publicada em julho de 2021 pelo Exército sobre a criação de perfis em mídias sociais, a função militar somente pode ser associada a perfis em redes de publicação de currículos e atividades profissionais, tais como o Linkedin.

Especificamente sobre o Twitter, a portaria ressalta que o “ato de seguir ou curtir perfis” e postagens “é considerado um endosso” ou uma aprovação àquele conteúdo. “Sendo assim, é preciso muito critério nas ações de relacionamento nesta mídia social”, completa o texto.

REGRA INEFICAZ – O GLOBO questionou o Exército se os generais estariam contrariando a regra impunemente, porém não obteve retorno.

Segundo o cientista político Mauricio Santoro, que já ministrou cursos e palestras em institutos militares como a Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (Eceme), o Exército sempre foi envolvido com política no Brasil, desde a independência em 1822. Porém, ele afirma que até o golpe militar de 1964 havia uma “pluralidade” maior entre a tropa, com correntes mais liberais e outras mais conservadoras.

“Essa turma dos anos 1970 que se formou com Bolsonaro tem uma visão marcada pelo anticomunismo, pela Guerra Fria e de que os militares deveriam salvar politicamente o Brasil. Hoje, na vida pública brasileira, é nítida essa conexão da cúpula do governo com ideais da linha dura do regime” — analisa Santoro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Mais uma constatação de que o Brasil está de cabeça para baixo – ou ponta-cabeça, como dizem os paulista. Aqui do lado debaixo do Equador, nem os militares cumprem as leis que disciplinam seus comportamentos na ativa e na reserva. É realmente lamentável. (C.N.)

13 thoughts on “Militares da ativa descumprem a lei em bolha de extrema direita no Twitter, indica levantamento

    • As bolsonaretes que aqui comentam, não vão falar nada sobre o despejo de dinheiro que o Bozo está colocando nas Organizações Globo?

      O Bozo não iria acabar com a Platinada?!

      O que aconteceu agora para o Bozo despejar rios de dinheiro dentro da Globo?

  1. O cotidiano dos Estados Irmaõs, BrizolixoQuistão e Tucanistão..

    A bandidagem tomou conta do Páis, ninguém tem mais sossego e viver em paz e tranquilidade nas ruas das grandes e pequenas cidades.

    Os filhotes do Luladrão tocam o terror na população todos os dias.

    Com o apoio total do Luladrão seus filhotinhos a cada dia roubam , matam, estupram e nada acontece,

    Papaizão Ladrão está lá para defendê-los naqueles discuros cheio de cachaça com sua mente totalmente desequilibrada e doente..

    “ah , esses jovens, estão apenas roubando um celular, para depois vender, e tomar uma cervejinhas…””

    “Não aguento mais ver os ‘jovens” sendo presos e mortos pelos policiais, só porque roubaram , mataram por causa de um celular”…

    Vejam o “filhote”, “jovem “luladrãozinho em ação, está bem encaminhado pelo Papai Luladrão….

    Motorista usa celular ao parar em sinal e é assaltado em 4 segundos; veja..

    Veja mais em https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2022/07/04/motorista-usa-celular-ao-parar-em-sinal-e-e-assaltado-em-4-segundos.htm?cmpid=copiaecola

  2. A história conta nós mínimos detalhes, os requisitos necessários para ser militar neste glorioso exército brasileiro.
    A batalha de Itararé é um dos seus grandes feitos.

    • Milico deveria te o mínimo senso de dignidade, responsabilidade e profissionalismo, para cumprir sua função constitucional, mesmo porque recebe seus Soldos para isso (dinheiro Público) e cumprir a mínima função em defender o Patrimônio Público e as terras da União de narcotraficantes, grileiros, garimpeiros, extratores ilegais de madeira e o genocídio de índios.
      Trabalho não falta. Falta disposição, competência e seriedade.
      O leite -moça e a pipoca fica para depois que cumprir seus fazeres, aliás é obrigação.
      A sociedade paga muito bem para isso.

  3. Não há nenhuma ilegalidade em milico ter perfis em redes sociais e seguir outros perfis. Milico também é gente, milico também tem direitos constitucionais.

    Pior do que milico ter perfil em rede social é a imprensa NARCO-socialista (Globo) mobilizar vagabundos NARCO-socialistas (doutores das “universidades”), pagos com a grana pública, para fazer “pesquisa” visando a difamar uma categoria profissional.

    Se o GLOBO quiser, farei uma pesquisa “de grátis”, levantando as participações de ministros do STF em lives e entrevistas com os maconheiros Youtube e outros aliados do narcotráfico. Será que o Globo quer saber disto? O que você acha?

  4. As bolsonaretes que aqui comentam, não vão falar nada sobre o despejo de dinheiro que o Bozo está colocando nas Organizações Globo?

    O Bozo não iria acabar com a Platinada?!

    O que aconteceu agora para o Bozo despejar rios de dinheiro dentro da Globo?

  5. Oficial é o da ativa; oficial da reserva é Oficial da Reserva seja ele cabo ou general. Reserva não tem direito nem á continência, a menos que esteja fardado. Que fique claro.

  6. Bolha por bolha estamos lotados delas.
    Tema bolha da imprensa que engorda comunistas.
    Bolha das universidades, prenhe de comunistas.
    Bolha dos partidos lotada de vermelhoides.
    Bolha dos artistas, carregadas de esquerdinha caviar.
    Não vejo bolhas de comunistas no nosso generalato e nem na soldadesca.
    Queriam ao quê? Que nossas FFAA fossem redutos de comunistas?
    Contente-se com os militares da Coreia do Norte e de Cuba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.