Ministério Público aperta o cerco ao ‘legado olímpico’ do ex-prefeito Eduardo Paes

Resultado de imagem para legado olimpico charges

Charge do Aroeira (Portal O Dia/RJ)

Deu na Folha

O ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB) se tornou réu em uma ação civil pública ajuizada por razão de problemas encontrados na construção do campo de golfe da Olimpíada. A Justiça aceitou denúncia do Ministério Público Estadual contra ele e a construtora Fiori Empreendimentos, responsável pelas obras. O peemedebista foi denunciado sob acusação de improbidade administrativa – quando autoridade comete algum ato ilegal contra a administração pública. Segundo a Procuradoria, Paes atuou para que prefeitura arcasse com despesas da construção que a empresa queria se livrar, gerando prejuízos aos cofres municipais de pelo menos R$ 4 milhões em valores atualizados.

Na sua decisão, a 8ª Vara de Fazenda Pública do Rio de Janeiro aceitou a ação no dia 26 de julho, afirmando que “a peça vestibular delimita com precisão os supostos vícios do ato praticado”.

MULTA AMBIENTAL – A Procuradoria diz que, após receber negativa da Secretaria Municipal de Meio Ambiente para se livrar de uma taxa sobre a remoção de vegetação exótica na área do campo de golfe, a Fiori Empreendimentos passou a pedir isenção do tributo diretamente ao então prefeito do Rio.

A empresa não teria interesse, segundo a ação civil, em manter seu compromisso de construir o campo de golfe dos Jogos, caso tivesse que arcar com aquela despesa.

Sob o argumento de que haveria um desequilíbrio econômico para construção do campo de golfe, o ex-prefeito aceitou o argumento da empresa e, num despacho de três linhas determinou em 15 de março de 2013 que o município assumisse o pagamento da cobrança. O acordo foi revelado pela Folha em setembro de 2015.

PAES NEGA – Procurado por meio de sua assessoria de imprensa, Paes afirmou em nota que a Justiça já havia dado decisão anterior dizendo que não houve prejuízo aos cofres da prefeitura. O ex-prefeito também declarou que revogou enquanto ainda estava no cargo o ato contestado pelo Ministério Público (leia a íntegra abaixo).

A Fiori Empreendimentos afirmou que não iria se posicionar.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Paes precisa explicar como consegue morar em Nova York sem trabalhar, sustentando a família e colocando os filhos num dos colégios mais caro dos Estados Unidos. Seria interessante que abrisse suas contas, porque o pai e o irmão Guilherme, sócio do BTG Pactual, tinham dinheiro em paraísos fiscais, sem declarar à Receita. E dinheiro lá fora, não declarado ao Fisco, é dinheiro sujo, minha gente. (C.N.)

6 thoughts on “Ministério Público aperta o cerco ao ‘legado olímpico’ do ex-prefeito Eduardo Paes

  1. Ontem no Rio , hoje em Mato Grosso.
    Protestos em todos estados e feito a por diferentes públicos. ..
    O presidente Michel Temer (PMDB) afirmou que é preciso eliminar do Brasil a cultura política da “animosidade” durante o lançamento da primeira usina de etanol de milho, em Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso, na manhã desta sexta-f… – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2017/08/11/recebido-com-protesto-em-mt-temer-fala-em-dialogo-pede-fim-de-animosidade.htm?cmpid=copiaecola

  2. Simples assim, roubando; os políticos entram simplesmente para roubar e se dar bem; com as bençãos da receita Federal e do Judiciário; sempre digo, que o pior dos poderes é o Judiciário, principalmente a turma do STF; se não colocarmos essa turma pra fora, dificilmente as coisas vão mudar.

  3. Sr. Demolidor,
    Canso de bater na mesma tecla que o senhor.
    O Brasil inteiro já sabe disso, só os facínoras se beneficiam, e estão muito felizes com este STF!
    Simples assim!
    Atenciosamente.

  4. Carlos Newton eventualmente diz que: “em sociedade tudo se sabe”, lembrando daquela frase que Ibrahim Sued sempre dizia.

    Pois aqui no Rio de Janeiro muitos conhecem o apelido que Eduardo Paes possuía, ANTES mesmo de se tornar prefeito desta cidade, em plena época de gastos olímpicos bilionários.

    Para os que não conhecem ainda o apelido, vou dizer: “um milhão”.

    Afinal o político conquistou a fama de sempre pedir pelo menos um milhão em propina, quando algo dependia da sua influência para se concretizar.

    Pois é… o cara virou prefeito e comandante de um cofre bilionário. E depois ainda se reelegeu!

    Será que alguém é tão ingênuo de achar que Eduardo Paes não amealhou umas boas dezenas de milhões, em propinas, nesses 8 anos de mandato na prefeitura???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *