Ministro do Esporte tenta se explicar hoje na Câmara. Mas sua batata está assando…

Carlos Newton

Cada vez mais próximo da demissão, o ministro do Esporte, Orlando Silva, vai hoje à Câmara dos Deputados prestar esclarecimentos sobre denúncias de desvios de verba da pasta. Ele participa de uma audiência marcada para as 14h30. Ele nega irregularidades e diz que denunciante é um “bandido”. No desespero, Orlando Silva envolve o ex-ministro Agnelo Queiroz, que hoje é governador de Brasília, e complica ainda mais a situação.

Enquanto isso, na África, a presidente Dilma Rousseff defende maior rigor com ONGs e diz acompanhar o caso. A Polícia Federal está abrindo inquérito para investigar acusações contra o ministro, suspeito de participação num esquema de desvio de recursos do programa Segundo Tempo, que dá verba a ONGs para incentivar jovens a praticar esportes.

A acusação foi feita à revista “Veja” pelo policial militar João Dias Ferreira. Segundo Ferreira, o ministro teria recebido dinheiro vivo na garagem da pasta, o que Silva nega. À revista Um funcionário do policial, Célio Soares Pereira, afirmou à revista Veja ter entregue dinheiro ao próprio ministro na garagem do ministério, em Brasília, no final de 2008.

“Não há e não haverá nenhuma prova no que foi falado por esse criminoso, simplesmente porque os fatos relatados e publicados na revista no fim de semana não correspondem à verdade”, afirmou o ministro. Veremos.

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *