Ministro que inventou a “nova classe média” defende o IBGE

Marcelo Néri é economista ou ilusionista?

Sabrina Craide
Agência Brasil
Reportagem de Sabrina Craide, da Agência Brasil, revela que o ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Marcelo Neri, diz que o erro na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2013 não arranha a credibilidade do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “O que arranha é não reconhecer os erros. Todos erramos, nos jornais é comum ver erratas. Avaliamos a qualidade das instituições pelas dificuldades, pela capacidade de reconhecer erros e corrigir o mais rápido possível.”
A ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, também ressaltou a rapidez e a transparência na correção dos dados. Para ela, o episódio deve ser uma aprendizagem para o país, para que a avaliação de políticas públicas seja feita analisando as tendências da Pnad e não as pequenas variações dos índices. “Todo mundo que se apegou a microvariações de 0,1 para cima ou para baixo para tirar consequências dramáticas acabou errando”, ressaltou.
Bem, a ministra do Desenvolvimento Social é aquela senhora que recentemente teve um surto dentro do Tribunal de Contas da União e demonstrou tamanho desequilíbrio emocional que causa surpresa o fato de ainda continuar ministra.

NINGUÉM ERRA COMO ELE

O ministro de Assuntos Estratégicos que minimiza os erros do IBGE não fica atrás, em relação à ministra do Desenvolvimento Social. Trata-se do economista Marcelo Néri, que no início do governo Lula trabalhava na Fundação Getúlio Vargas e ganhou 15 minutos de fama em 2009, ao anunciar que o governo Lula tinha conseguido tirar milhões de família da pobreza e as elevado à classe média. Era como se a classe operária enfim tivesse chegado ao paraíso, mas ao contrário do enredo do filme clássico do diretor Elio Petri (Itália, 1971).

Para realizar o milagre da multiplicação dos pães, em 2009 Néri passou a considerar de classe média as famílias com renda mensal a partir de R$ 1.600 (ou seja, com cada membro ganhando R$ 320. A imprensa abriu espaço para essa idiotice e ele foi ganhando fama, até escreveu um livro, “A Nova Classe Média”.

Lula, evidentemente, ficou encantado com a teoria de Neri e acreditou que milhões famílias tivessem saído da pobreza e emergido na classe média. A vida do economista Marcelo Neri, é claro, imediatamente melhorou. Tornou-se presidente do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e depois ministro. Em sua gestão, o IPEA cometeu o maior erro estatístico de sua história, ao divulgar que 65% dos brasileiros concordam que mulheres com roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas. O resultado correto era 26%, ou seja, o erro foi de “apenas” 39%.

Mesmo demonstrando essa invulgar competência com números e percentagens, Marcelo Neri não foi demitido e agora aproveita para voltar à cena com objetivo de minimizar os erros do IBGE. Realmente, é o homem certo no lugar certo. Ninguém consegue errar como ele. O IBGE está desculpado.

5 thoughts on “Ministro que inventou a “nova classe média” defende o IBGE

  1. Claro que Neri vai defender o IBGE para que algum CUMPANHEIRO seja promovido$$$$.

    No final de março de 2014, o IPEA, divulgou o resultado de uma pesquisa, que revelou inicialmente que 65% dos brasileiros concordam com a frase “mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”.

    Neri, na época, vinha acumulando as funções de presidente do IPEA e de ministro interino da secretaria de Assuntos Estratégicos desde março de 2013.

    O ENROLADOR e INCOMPETENTE Neri apareceu na televisão tentando justificar os resultados da pesquisa do IPEA. Dias depois, o próprio instituto corrigiu o número para 26%, alegando troca de tabelas ?????

    Um mês depois o grande acadêmico foi deposto da presidência do IPEA e promovido a ministro da secretaria de Assuntos Estratégicos. Esta é a punição dada pelo governo Dilma+Lula+PT pela incompetência.

    Duvida? Leia
    Folha de São Paulo
    “Diretor do Ipea substitui Marcelo Neri na presidência do instituto
    DE BRASÍLIA
    05/05/2014 18h46
    No lugar de Marcelo Neri, que deixa a presidência do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Avançada) para assumir efetivamente o cargo de ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, foi escolhido Sergei Soares, atual diretor de Estudos e Políticas Sociais do instituto.
    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/05/1449720-diretor-do-ipea-substitui-marcelo-neri-na-presidencia-do-instituto.shtml

  2. Ficou muito difícil conduzir algum serviço público com qualidade depois que o PT assumiu o executivo, aparelhando-o.

    No caso do IBGE está cada vez mais visível o nível de insatisfação de seu corpo técnico com o atual governo.

    O instituto sempre foi sinônimo de competência, confiabilidade e credibilidade. Tanto aqui no Brasil quanto lá fora, pelas organizações multilaterais que usam e divulgam os números de autoria do IBGE.

    É cada vez mais clara a necessidade de garantir a alternância do poder e garantir a jovem democracia brasileira e o pleno funcionamento dos nossos órgãos e instituições, livres do fisiologismo e do aparelhamento da grei petista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *