Ministro vai propor ao TCU reabertura de processo que envolve parentes de Jucá

Resultado de imagem para romero juca charges

Charge do Baptistão (El País)

Camila Bomfim
TV Globo, Brasília

O ministro André Luís de Carvalho, do Tribunal de Contas da União (TCU), levará ao plenário do tribunal na próxima semana a proposta de reabertura de processo que envolve parentes do senador Romero Jucá (PMDB-RR), em razão de novos elementos colhidos na operação Anel de Giges. Nesta quinta-feira, a Polícia Federal deflagrou a operação, que tinha como alvos filhos e ex-enteadas de Jucá, líder do governo no Senado.

A Anel de Giges investiga suposto desvio de R$ 32 milhões com a compra superfaturada de terreno e com obras do programa Minha Casa, Minha Vida. Dois filhos de Jucá e duas ex-enteadas dele foram indiciados pela PF por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

SUPERFATURAMENTO – Segundo as investigações, a Fazenda Recreio, em Boa Vista, que era de propriedade de dois filhos e duas ex-enteadas de Jucá, indiciados pela PF na operação, valia R$ 3, 5 milhões, mas teria sido vendida por um valor superfaturado para obra do programa Minha Casa, Minha Vida.

A PF informa que há documentos contraditórios sobre o valor de venda: uns citam R$ 4,5 millhões e outros, R$ 7 milhões. No local, foi construído o residencial Vila Jardim, com mais de 2 mil apartamentos populares. A obra, financiada pela Caixa Econômica Federal, custou R$ 185 milhões.

A Polícia Federal investiga as transações envolvendo a venda desse terreno e suspeita e a fiscalização e aprovação pela Caixa Econômica Federal para a construção do empreendimento Vila Jardim.

ARQUIVAMENTO – No ano passado, o Tribunal de Contas da União analisou , em parte, esse caso e concluiu que não havia irregularidades na avaliação de mercado do terreno. Segundo a assessoria do tribunal, foi verificado que o valor pago pelo terreno foi de R$ 4 milhões. Avaliação da Caixa mostrava que o terreno valia R$ 5,2 milhões. Diante disso o tribunal concluiu que não havia excedente de preço. Essa apuração do TCU foi feita com base nas explicações da Caixa.

A Polícia Federal suspeita de falhas da Caixa nesse caso. Diante das novas revelações das investigações, o ministro André Luís decidiu levar a proposta de reabertura do caso ao plenário do TCU – que pode aprovar ou rejeitar a proposta.

Caso seja aprovada, ao fim da nova fiscalização, os envolvidos podem ter que pagar multa, e o tribunal até decretar a indisponibilidade dos bens dos responsáveis por prejuízo ao erário.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O senador Romero Jucá nega irregularidades e afirma que a operação é uma “agressão a mim e à minha família”. Pode até ser, mas acontece que tudo o que provém da famiglia Jucá é suspeito e merece ser investigado. Apenas isso. O senador se considera “perseguido”, o ex-presidente Lula diz o mesmo. Certamente, ainda deve haver quem acredite neles. (C.N.)

3 thoughts on “Ministro vai propor ao TCU reabertura de processo que envolve parentes de Jucá

  1. Jucá é uma leguminosa, que ocorre, principalmente, nas regiões nordeste e norte. Produz vagem e dela se aproveita tudo, na medicina popular. Também conhecida como pau-ferro, chega a ser quase uma panacéia da nossa flora. Pena que, ultimamente, ela vem produzindo efeitos colaterais devastadores, devido à vinculação com o nome do senador.

  2. Quando a palavra ” jucá ” é pronunciada, sabemos todos, aparece uma onda de pornografia , corrupção, bandidagem, grilagem, roubalheiras etc
    Lembram do ” vamos fazer uma suruba ” e também do ” temos que frear a lava jato ” e outraa cositas mas. Um indivíduo tentando se livrar de 7 processos no Supremo tem a audácia de bostejar que é inocente ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *