Virou moda: toda vez que houver pronunciamento, tem panelaço

Rossetto-Carodozo

Rossetto e Cardozo anunciaram na TV o pacote do marqueteiro

Lisandra Paraguassu e Adriana Fernandes
O Estado de S. Paulo

O governo classificou como democráticas as manifestações deste domingo, 15, muito longe de golpismos, e anunciou o envio de medidas ao Congresso Nacional para combater a corrupção no País. Os ministros escalados pela presidente Dilma Rousseff para apresentar a visão do governo das manifestações (Miguel Rosseto, da Secretaria-Geral da Presidência, e José Eduardo Cardozo, da Justiça) fizeram um mea culpa sobre a necessidade de diálogo e defenderam esse caminho para aprovação das medidas de ajuste fiscal do governo e de mudanças no sistema política que impeçam no futuro a corrupção no País.

Apesar de reconhecer a legitimidade das manifestações que tomaram o País neste domingo, Rossetto fez questão de frisar, mais de uma vez, que elas foram tomadas por pessoas que não votaram em Dilma Rousseff. “Das manifestações majoritariamente participaram setores críticos que não votaram na presidente”, afirmou. Segundo ele, manifestações contrárias são legítimas, o que não é aceitável é o golpismo, a intolerância e o impeachment infundado. “A sociedade há de rejeitar essas manifestações contrárias à democracia”, disse.

Os dois ministros falaram por quase uma hora e fizeram questão de repetir que o governo aceitou as manifestações e está aberto ao diálogo, mas negaram que o governo esteja fragilizado. “Quem foi eleito por quase 55 milhões de votos e tem claro compromisso com a democracia não passa por fragilização. Quem sabe conviver com manifestações contrárias não tem fragilização. Nossas instituições absorvem posições contrárias”, afirmou Cardozo.

As medidas anunciadas pelo governo como resposta são o envio do pacote anticorrupção para o Congresso – que já havia sido anunciado ainda na campanha, mas não havia sido finalizado. Cardoso alega que as medidas precisaram ser trabalhadas e analisadas juridicamente, mas serão enviadas nos próximos dias, com menos de três meses do segundo mandato da presidente.

###
NOTA DA REDAÇÃO
Na hora em que os ministros apareceram na televisão, houve panelaços nas mais diversas cidades. Ou seja, a coisa está feia. É melhor ficarem calados. Já virou moda: toda vez que houver um pronunciamento oficial do governo, a resposta será um panelaço, como aconteceu ontem à noite.

Já explicamos aqui na Tribuna da Internet que o pacote anticorrupção é falso e foi montado pelo marqueteiro João Santana copiando projetos já existentes no Congresso, apresentados por parlamentares de diversos partidos, e até agora o governo não tinha movido uma palha pela aprovação deles. É tudo factóide, ou realidade virtual, como é comum hoje em dia. Mas o governo e o marqueteiro pensam que continuarão enganando todo mundo, o tempo todo. Ah, Abraham Lincoln, cadê você? (C.N.)

24 thoughts on “Virou moda: toda vez que houver pronunciamento, tem panelaço

    • A lei Anti Corrupção é uma proposição que irá partir da bancada do PT após uma analise criteriosa dos dois especialistas em Corrupção, do glorioso Partido dos Trabalhadores, Delúbio Soares e João Vaccari Neto. Trabalho este que esta sendo feito sob a coordenação dos senhores José Dirceu e Antonio Palocci.

  1. Pela caro do sinistro cardozo, ele deve ter levado uma antes de sua fala. O outro pateta rossetto vem com a mesma ladainha dos petralhas. Quando era o collor o impeachment era um processo válido, agora não. Eta governinho incomPTente.

  2. Antigamente, quando o indivíduo fazia alguma coisa em desacordo com a lógica, dizia-se, que deveria levar
    com “um gato morto na cara até o gato miar”.
    Para a Dilma, que é a criatura, o panelaço, é o indicado. Porem para o tal de lula, que é o patrono de tudo
    isso, a minha receita, é o gato morto.

  3. Transmitir as “ideias” da “gerentona” é, de fato, tarefa difícil. Seguir a redação-curral que ela impõe, é para seres anormais.

    Ontem à noite, após as manifestações dos brasileiros que estão com as medidas cheias e os bolsos vazios, munidos dos textos e informações palacianas, Dilma se escondeu e mandou dois ministros para o palco televisivo. Foi mais embromação.

    Cardozo declarou que Dilma governa para “200 milhões de brasileiros” e deseja dialogar com todos.

    Cacilda!!! A mulher que não consegue dialogar com seus 39 ministros vai dialogar com 200 milhões de brasileiros, incluindo os mudos. Essa é mais uma piada, do tipo da que contou na ONU propondo o diálogo com os terroristas do Exército Islâmico.
    Vai dialogar assim no mato…

    Rossetto, do alto de sua majestade social e funções de quiromante da corte, concluiu que os brasileiros que foram às ruas neste domingo são os eleitores de Aécio Neves.

    E foi mais longe: o governo deve “ampliar o diálogo” sobre as medidas de ajuste fiscal especialmente com os manifestantes espontâneos e remunerados (também com condução grátis e alimentados com pão com mortadela) que foram às ruas na sexta-feira (13-3-2015), sob o comando de entidades como CUT (Central Única dos Trambiqueiros), MST (Movimento dos Sem Tino) e UNE (União Nacional dos Emasculados).

    Tomadas essas medidas e continuando a corrupção por atacado, o Brasil estará salvo.

    Foi o recado de Dilma que os brasileiros receberam por meio dos ilustres mensageiros.

  4. Permitam-me repetir: pacote e ações anticorrupção não podem partir do governo ou de seus integrantes.

    Ao executivo (entenda-se Dillma) cabe:
    – avisar (ridículo mas é isto mesmo) ministros, demais indicados e servidores públicos que corrupção é crime e que não defenderá ninguém;
    – compreender suas responsabilidades e co-responsabilidades se por suas escolhas: indicados e nomeados para os cargos.

    Rosseto falou em seu “discurso” que:
    “o que não é legitimo, o que não aceitável e que deve ser condenado é o golpismo, a intolerância, o IMPEACHMENT infundado que agride a democracia, a violência….”

    Ele fez afirmações corretas mas que são não usadas pelo governo Dillma e pelo PT.
    Elles cobram da sociedade o que não fazem e o que permitem que o MST faça – e vem fazendo ao longo de muitos anos.

    Mentir pode. Roubar pode. Corromper pode. Praticar violência pode. O PT e o MST tem feito isto nas duas últimas décadas.

    E quando elles fazem não é golpismo, não agride a democracia e não é violência..

    E mais: elles querem dialogar com o pessoal das manifestações do 13 – servidores públicos, movimentos sociais do PT. O resto, não são eleitores da Dillma.

    Não podemos permitir que o governo Dillma/Lulla/PT diga como combater ou buscar a responsabilização dos culpados pela corrupção, se a maior parte dela é patrocinada pelo próprio governo petista.

    Isto sim, é golpe contra a democracia e contra as instituições!

    O papel de fiscalizar e combater a corrupção é das instituições de estado. E elas estão tentando fazer, mesmo com as dificuldades estruturais e políticas impostas pelo executivo (dono do cofre que guarda o dinheiro do povo).

    Cabe a parcela responsável da sociedade acompanhar e cobrar mais recursos humanos, estruturais e financeiros para o pleno e total funcionamento dos órgãos/instituições que tem sob sua responsabilidade a tarefa de promover uma guerra contra a corrupção.

    Pacote anticorrupção feito por Dillma/Lulla/PT? Estão nos chamando de burros!

    É tudo conversa fiada, embromação e propaganda para enganar bobos.

  5. A ‘solução’ fascista do Dr. Bancoop…
    “É pesada a magoa do ministro Ricardo Berzoini com Aloizio Mercadante.

    Afastado do convívio de Dilma Rousseff desde que começaram a vazar para a imprensa as divergências entre o núcleo politico do governo, pouco ouvido por Dilma, Berzoini tem, no entanto, a solução para a crise politica na ponta da língua e a tem externado aos mais próximos: partir para o confronto com “a direita” e a “mídia burguesa”.

    Berzoini quer que Dilma envie imediatamente o projeto de “regulamentação da mídia” ao Congresso e transfira da Secom para o Ministério Comunicações as verbas oficiais de propaganda.

    Por Lauro Jardim

  6. É uma piada,de mau gosto, escalarem a dupla Deby/Loyd para encararem a nação depois do tsunami domingueiro no Brasil. Ao ver entrar no salão,para explicar o governo, a dupla me lembrou o grande Chico Anísio,criador da dupla Rolando Lero e o DaJúlia .
    É impressionante, a capacidade deste governo em escalar idiotas para cargos de responsabilidades e comunicação com o distinto eleitor.

  7. A considerar, um puquinho, as palavras de Rossetto de que só tinha “eleitor do Aécio” nas manifestações de 15 de março, significa que as do dia 13 de março eram só petistas. Assim, fica provada e comprovada a fraude das urnas; tem muito mais pessoas que votaram no Aécio do que na Dillma!!! E ainda temos que considerar que os de 13.03 foram pagos para lá estar (sindicalistas, movimentos populares,etc) Tem lógica.

  8. Concordo Eliane.
    Verdade, verdade.
    Me lembrei do português :
    ”quem não tem competência, não se estabeleça”
    Mais : a marchinha carnavalesca :
    ”menina vai, com jeito vai, senão um dia, a casa cai.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *