Ministros se reúnem com embaixador da China para amenizar acusações feitas por Bolsonaro

Marcelo Queiroga (Saúde) em visita ao centro de distribuição de vacinas do Ministério da Saúde, em Guarulhos - BRUNO ROCHA/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

Queiroga e o chanceler Carlos Franca se desculpam hoje com o embaixador

Julia Lindner e André de Souza
O Globo

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o chanceler Carlos França vão se reunir nesta sexta-feira com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming. De acordo com Queiroga, o intuito é “ampliar as relações” entre os países “independente de quaisquer fatos”. O encontro ocorre dois dias após o presidente Jair Bolsonaro insinuar que os chineses podem ter criado o novo coronavírus em laboratório como parte de uma “guerra química”.

— Vamos continuar trabalhando para manter as boas relações que o Brasil tem com a China, no que tange a questão da saúde eu e o ministro Carlos França estamos trabalhando juntos. Amanhã nós temos uma audiência agendada com o embaixador chinês. E estou muitas esperanças que consigamos ampliar essas relações com a China independente de quaisquer fatos — disse Marcelo Queiroga durante depoimento à CPI da Covid.

RELAÇÕES ABALADAS – Queiroga falou sobre o encontro ao ser indagado pelo senador Humberto Costa (PT-CE) se a fala de Bolsonaro contra a China ajuda ou atrapalha o esforço que tem sido feito pelo Ministério da Saúde para a aquisição de vacinas e insumos.

— Eu imagino que ajudou muito a fala do presidente e o senhor vai chegar amanhã na Embaixada da China e vai ser recebido de braços abertos — ironizou Humberto Costa, após a resposta.

De fato, as declarações de Bolsonaro sobre a China repercutiram negativamente na CPI. Logo no início da sessão, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) apresentou requerimento para que o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, seja ouvido no colegiado para explicar se há, de fato, indícios de uma guerra química como apontado por Bolsonaro.

QUEIROGA IMPRENSADO – Tasso perguntou a Queiroga se ele tinha conhecimento de alguma informação que aponte a origem do coronavírus como uma guerra química proveniente da China. “Eu desconheço esses aspectos. O que posso dizer em relação à China é que nossa relação com o embaixador da China é a melhor possível” — disse Queiroga.

O senador cearense insistiu se Queiroga sabia se, nas instituições mundiais de credibilidade, há algum indício de que isso seja produto de alguma guerra química. “Desconheço indícios de guerra química” — respondeu o ministro.

Queiroga chegou a dizer que Bolsonaro não mencionou a China. Jereissati rebateu, argumentando que, mesmo sem mencionar o nome do país, as declarações do presidente apontavam, sim, para a China.

13 thoughts on “Ministros se reúnem com embaixador da China para amenizar acusações feitas por Bolsonaro

  1. definitivamente o bozo não tem vocação para são jorge! nossa sorte é que o dragão não está disposto a detonar o bozo(e o brasil por tabela). uma cuspidinha do dragão pode fazer o bozo (e o brasil por tabela) virar churrasco!

    • Definitivamente o Bozo phoderoso não é São Jorge! Quer cutucar o dragão com vara curta, vai virar churrasco. Pensa que só porque deu certo cutucar o dragão Dilmanta agora pode sair por aí cutucando qualquer dragão!
      Bozo phoderoso está mais para Dom Quixote de La Mancha, ou Dom Bozo de La Mancha acompanhado de seu fiel escudeiro o Sancho Pazzuello Pança! Os 2 vão virar churrasco, churrasco de uma carne podre que nem os cachorros vira latas vão querer comer!

  2. Após a indireta do Presidente Bolsonaro, os lacaios da tirania chinesa vestiram de imediato a carapuça.
    Pra acalmar o sabujo Yang Wanming o ministro Queiroga deveria levar uma moqueca de morcego para o encontro.

  3. Já que ponderação( e inteligencia também) são palavras que não existem no dicionário do Bozo, urge que sejam tomadas as seguintes medidas pelo todo “phoderoso” presidente:
    – Imediata demissão do ministro das relações exteriores e do ministro da saúde que foram “arregar” pros chineses. Macho que é macho não arrega.
    – Imediata ocupação do Senado e do Congresso inteiro por forças militares para acabar de vez com essa palhaçada de CPI. Segundo o Eduardo Bananinha basta um jipe, um cabo e 2 soldados para realizar essa tarefa.
    – O mesmo se aplica ao STF, é só mandar outro jipe, outro cabo e mais 2 soldados para também fazerem o serviço.
    – Imediata nomeação de interventores nos estados e imediata prisão do governador João Doria( o calça apertada) para dar exemplo e amedrontar todos os que ousarem enfrentar o todo “phoderoso” Presidente Bozo.
    – Imediato fechamento do instituto Butantã e de aplicação de vacinas. Vacinas é coisa de frouxos e de maricas, macho que é macho não precisa de vacinas, macho que é macho é sempre ativo, nunca passivo. O todo “phoderoso” Bozo já eu exemplo disso. Dentro dele ninguém coloca nada, só ele coloca nos outros!

    Chega de brincadeira! O Bozo só não toma essas atitudes acima não porque não queira mas porque não pode. Está louco prá virar a mesa, só que a mesa está bem pesada para ser virada. Mas é bom não subestimar a besta! A situação é clara, ou a nação acha um jeito de por esse idiota prá correr ou ele ainda vai provocar muito estrago prá nação.
    FORA BOZO!

  4. Nunca li tanta opinião imbecil em toda a minha vida ! Esse “presidente” é mesmo uma porcaria !O Quedroga e o França vão fazer todo o possível para ver se conseguem acalmar a situação mas o superbozo vai sujar tudo de novo. É só abrir a boca !!!

Deixe um comentário para Marcos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *