Mirem-se na Turquia e lembrem: a pior democracia é superior à melhor ditadura

Charge sem assinatura, reprodução do Arquivo Google

Roberto Nascimento

O desastre do governo Dilma está bem fresco na memória de todos, nem precisa gastar tinta para comentar. A novela dessa tragédia política e econômica termina no final de agosto, um mês fatídico de tantas mudanças políticas. Então, não há que se falar, a meu juízo, em questões ideológicas, tanto no campo da esquerda ou da direita. O PSDB e o PT, com o PMDB no meio do jogo, são partidos conservadores na forma e no conteúdo. Não há diferenças fundamentais entre esses três protagonistas da cena política brasileira nos últimos anos. E tão cedo não haverá mudanças no horizonte deste Brasil varonil.

O programa “Ponte para o Futuro”, um conjunto de medidas administrativas e econômicas, gestado na Fundação Ulisses Guimarães sob liderança do ex-governador Moreira Franco, depois de demitido do cargo de ministro pela presidente Dilma Rousseff, foi sem dúvida um contraponto à política do PT. Tanto assim é que a presidente Dilma ficou profundamente irritada com o lançamento da tal ponte para uma troca de governo. Os petistas então começaram a percebeu o cheiro que exalava de seu principal parceiro na aliança governamental. E logo depois emergiu a criticada Carta de Temer, endereçada a Dilma.

Fica claro que o governo da Dilma acabou no instante em que o PMDB decidiu retirar o apoio à aliança, que vinha desde 2002, com a vitória de Lula. E o novo processo de impeachment também é de caráter político, como ocorreu com o presidente Fernando Collor.

DILMA CAUSOU TUDO – A política segue os ditames da natureza. Quer dizer, uma grande tempestade começa com pingos de chuva, depois vem a borrasca. Tudo começou quando Dilma demitiu Moreira Franco do governo e depois tirou o tapete do substituto dele, Eliseu Padilha, ambos ligados diretamente a Michel Temer. Com isso, Dilma praticamente colocou seu vice na oposição, que então se fortaleceu a ponto de desencadear a queda do governo, o que hoje parece irreversível.

Nada acontece por acaso em política. Dilma jamais poderia desprezar a força do PMDB no comando de Câmara e Senado, além de ocupar a vice-presidência. Dilma também não deveria ter minimizado a relação de causa e efeito que seria causada pela reação do PMDB. Ou seja, sem ter uma ampla maioria no Congresso, Dilma conseguiu brigar com o maior partido, que então se aliou à terceira força, o PSDB, para apeá-la do poder.

ESTELIONATO ELEITORAL – Agora, voltando ao tema inicial, é bom alertar os próceres do PMDB sobre a repetição do estelionato eleitoral do Plano Cruzado. Naquela época, quando Dilson Funaro, ministro da Fazenda, quis tomar medidas de ajuste na economia antes das eleições de outubro, o PMDB vetou. O partido então teve uma das maiores vitórias de sua história, apenas dois governadores não foram eleitos pelo PMDB, e logo em novembro o governo Sarney adotou as medidas impopulares.

E qual foi o resultado desse estelionato eleitoral? Foi a vitória de um líder messiânico, governador de Alagoas, filiado a um partido minúsculo, o PRN. Trata-se de Fernando Collor, eleito pelo furor contra a corrupção e os marajás. Só faltou a vassoura mágica de Jânio Quadros, destinada a varrer os corruptos do mapa.

Se o PMDB errar novamente pelas mesmas circunstâncias ou similares a elas, um novo salvador da Pátria, com a bandeira anticorrupção, será eleito à margem do PSDB, do PT e do PMDB, e poderá arrastar a nação para um vale perigoso de lágrimas e sangue. A missão dos amantes da liberdade e da democracia é justamente evitar que se repita o drama que vive o povo turco, nas mãos de um governante despreparado, corrupto e ditatorial. A sorte está lançada.

14 thoughts on “Mirem-se na Turquia e lembrem: a pior democracia é superior à melhor ditadura

  1. Na década de 70, o cantor Waldick Soriano, declarou que pretendia fazer um filme com a “socialite” Beki Klabin, intitulado, “A Grande Xerifa”
    Por motivos desconhecidos, o filme não saiu.
    Anos mais tarde, um outro lunático, inventou que faria de uma mulher, a “presidenta” da república, com o nome de “A Gerentona”.
    Para a infelicidade geral da nação, este filme de terror foi rodado,
    Agora se aproxima o THE END, a platéia esta com o c*, que não cabe uma melancia, só pensando que o fim pode ser adiado, se os loucos dos políticos, mais uma vez agir sem responsabilidade.

  2. 1) Belo artigo.

    2) qto à Turkya, me parece que o povo está com Erdogan, tem ampla maioria.

    3) Um belo país, Turkya, povo hospitaleiro e alegre. Parentes chegaram lá e disseram: “curtam o país, só não perguntem sobre os Kurdos, que é um drama étnico”.

    • O teocrata Erdogan tem armas, o islã e as leis de exceção que implantou para controlar o país. Se eu estivesse na Turquia e fosse contra o governo não falaria nada, ficaria quieto pois tortura deve ser dolorido. Ainda é muito nebuloso para saber se a população da Turquia o apoia tanto assim, como ele apregoa na sua mídia controlada.

  3. Uma ditadura não surge apenas de atos violentos, muitas delas surgem através da subtração paulatina dos direitos constitucionais dos cidadãos, como estão fazendo agora ao tentar proibir o Direito Constitucional da Livre Manifestação, contra essa tocha da vergonha, que ontem ficou mais vergonhosa ainda ao BNDES liberar mais R$ 800 milhões, quem sabe para serem gastos com empreiteiras de parentes da base aliada do Temer do PMDB do Rio.
    Sei que viivandeiras de 64 vão falar que isso é coisa de ‘comunista’ , não é, é apenas democracia, pois a Constituição não foi feita apenas para impeachment .


    Rio deve ter onda de protestos contra a tocha; Angra teve o 1º dos 20 esperados.
    —-
    ALFREDO MERGULHÃO
    GABRIEL VASCONCELOS
    COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, DO RIO
    CAMILA MATTOSO
    ENVIADA ESPECIAL AO RIO
    29/07/2016 02h00
    —-
    Os protestos que interromperam a passagem da tocha olímpica por Angra dos Reis (RJ), na noite de quarta-feira (27), foram os primeiros de uma série de manifestações marcadas nas redes sociais contra o símbolo dos Jogos.

    A Folha apurou que em ao menos 20 das 41 cidades que receberão a tocha nos próximos dias foram convocados atos públicos para investir contra o símbolo olímpico.

    Criadas por ativistas ou movimentos sociais, as páginas convocatórias surgiram de forma independente e têm motivações diversas , desde demonstrar aversão ao evento esportivo até protestar contra o governo municipal, o estadual ou o federal.

    O Comitê Rio-2016 confirmou que a Polícia Federal monitora essas iniciativas. Nos últimos dias, criadores das manifestações foram procurados por policiais. As páginas dos protestos de Volta Redonda, Barra Mansa e Resende foram removidas do Facebook por seus autores.

    “Fui chamado pela Polícia Militar para dar esclarecimentos na delegacia, onde pediram para apagar a página”, disse o organizador do protesto de Volta Redonda, que não quis ser identificado.

    O organizador do ato em Barra Mansa apagou a página do evento na quarta-feira (27), quanto a tocha passou pela cidade. “Barra Mansa está em crise, e o prefeito teve a audácia de pagar para a tocha passar por aqui. Enquanto isso, os funcionários públicos estão com salários atrasados”, disse ele, também sob condição de anonimato.

    Segundo o advogado criminalista Luiz Carlos Torres, o ato de apagar a tocha não é criminoso. “Infelizmente, estupidez ainda não virou crime. Se quebrarem algo, danificarem a estrutura da tocha, isso pode ser tipificado. Mas apagar o fogo, não.”

    De qualquer modo, algumas páginas organizam, além dos protestos, “vaquinhas” para pagar a fiança de quem for preso nesses protestos.

  4. -Bem…

    “…um novo salvador da Pátria, com a bandeira anticorrupção, será eleito à margem do PSDB, do PT e do PMDB, e poderá arrastar a nação para um vale perigoso de lágrimas e sangue. A missão dos amantes da liberdade e da democracia é justamente evitar que se repita o drama que vive o povo turco, nas mãos de um governante despreparado, corrupto e ditatorial.”

    -Ou seja, o futuro da democracia, da honestidade e do Brasil estão com o PT, com o PSDB e com o PMDB, tríade que demorou TRINTA ANOS para nos trazer ao atual paraíso. Votar em candidato de outro partido ou com outra opinião seria trair tudo o que esses três partidos representam, seria jogar o resultado dessa longa caminhada na lata de lixo.
    Por isso NEM PENSE EM VOTAR EM CANDIDATO DE OUTRO PARTIDO, ainda mais se ele pregar contra a corrupção e falar em botar bandido na cadeia, em endurecer as leis ou falar contra algum dos ilustres candidatos desses três ESTEIOS DA MORALIDADE nacional. Caso o (nem-preciso-dizer-o-nome) seja eleito, corremos o RISCO de perder as delícias do Éden, onde nos colocaram e fartamente moramos.

    -Mudar envolve riscos!
    -Tentar envolve riscos!
    -Voar envolve riscos!

    -Fiquemos com a nossa vida simples de galinha poedeira, na segurança do calor do galinheiro, precisando, apenas, de vez em quando, satisfazer o apetite dos donos da casa; deixemos o voo para as águias do Hemisfério Norte…

    Abraços.

  5. Caro Roberto Nascimento,

    Como sempre, mais um artigo irrepreensível, bem feito e, principalmente, nos alertando quanto à possibilidade da repetição do golpe praticado pelo PMDB na administração Sarney, que deixou para depois das eleições os reajustes necessários e o povo se viu lesado, enganado, mas já era tarde!

    Por favor, observa e tenta concordar comigo:

    NADA identifica o PMDB politicamente. Trata-se de uma frente com diversas correntes políticas, sem qualquer característica.

    Ora situação ora oposição ora em cima do muro ora nem isto nem aquilo, o partidão tem como objetivo somente o poder, a ponto de sujeitar-se ao PT de forma humilhante como ocorreu, mas para compartilhar do gosto do mando, de ser chefe, de estar no Planalto.

    No entanto, “próceres” do PMDB e vaidosos, embevecidos pela possibilidade de reinarem sozinhos em Brasília, aproveitando-se da falta de tato da presidente afastada, perceberam a chance de pegar o trono para si, e conseguiram por enquanto, mas, deram-se conta que não havia planejamento, sequer um esboço elaborado de como mover o Brasil e mudar o governo petista para peemedebista, se não havia como saber quem era do PMDB de fato, quem se identificava com a sigla!

    Resultado:
    Continuamos nesta estagnação econômica e suas dramáticas consequências, e milhares de petistas nas suas funções sabotando Temer porque fraco, à mercê das velhas raposas que se arvoraram como conselheiras e autoridades neste governo, e o País imerso na lama, inerte, sequer sendo puxado por uma carreta de bois deste atoleiro!

    Não se discute a força do PMDB, Roberto, mas afirmo que se trata de um partido incompetente, sem criatividade, sem ousadia, e vagabundo, pois jamais trabalhou para o povo e nação como deveria e poderia ao longo da história.

    Entendeu ser muito mais confortável e interessante manter-se em segundo, ao lado do poder, mas em caráter secundário, em razão de que as críticas mais contundentes não lhe atingiriam por óbvio, como de fato aconteceu, com o PT sendo dilacerado pelas denúncias e acusações de roubo das estatais, fundos de pensão e o erário – mesmo com a participação de gente do PMDB, a bem da verdade -, porém sem atingir mortalmente o partido de Temer, que assumiu o Planalto e não se sabe ainda para qual finalidade, salvo de estar dando expediente no gabinete presidencial diariamente!

    Consequentemente, a decepção, a frustração, o PMDB tentando encontrar o fio da meada perdido em seus acordos políticos com meio mundo, e sem definir o caminho que devemos seguir para o desenvolvimento, a retomada do emprego, o fim da inadimplência, a diminuição da inflação, dos juros extorsivos, e de se ter uma perspectiva positiva para o futuro, mesmo que distante!

    Se deixamos de lado uma quadrilha de ladrões travestida em partido político, conforme reitero, adotamos um governo gosmento, uma plasta, um caldo grosso e fedorento que não serve tanto para alimento quanto para se dar para os porcos, então inútil, desnecessário, haja vista que esta porção indefinida de matéria não se transforma em medidas de efeito para pelo menos amenizar a crise, ao contrário, é mais um problema que nos colocaram no meio da sala para ser retirado, e por quem?!

    Estamos entre dois governos: ladrões e vagabundos!

    Desta forma, os vagabundos querem repetir o comportamento de Sarney porque confirmam solenemente que tenho razão, Roberto, de não possuírem qualquer plano de governo, apenas ostentar o poder e preparar os candidatos desta frente às eleições municipais e as posteriores, pois é mantendo as prefeituras e governos estaduais que o PMDB se mantém como influente, paradoxalmente, é desta maneira, no entanto, que se mostra o quanto é incapaz e incompetente em administrar os municípios, estados e país pela falta de uma identidade política, de uma ideologia, de um sistema, de um movimento que seja, apenas e tão somente uma frente, uma resistência, algo inacabado, disforme, um elefante branco, que perturba, incomoda, come em demasia, suja mais ainda e, a montá-lo, um jóquei sem força, sem controlar o paquiderme porque este tem vários donos, várias rédeas para obedecer, e não somente aquele que, em cima do lombo do animal, imagina ser o piloto!

    Nesse meio tempo, o povo espera, espera, espera … até quando?!

    Um forte abraço, Roberto.
    Saúde e paz!

    • Como sempre, você Bendl vem comentando com extrema clarividência sobre os mais diversos assuntos em pauta no Blog. Quando se trata dos fatos políticos pontua com lógica e razão, com exemplos fáticos.

      E é exatamente como você descreve, a falta de um projeto de Brasil que estagna a nação. Os Partidos estão focados na próxima eleição e na manutenção do PODER como lema único. Por esta razão, se interessam muito mais no investimento em obras faraônicas tocadas por empreiteiras em detrimento do investimento na Educação, na Ciência e na Tecnologia.

      A Educação Básica no Brasil ainda é um desastre. Os alunos seguem para o Ensino Técnico e até para a Faculdade com déficits gigantescos no Ensino da Matemática como também na Língua Portuguesa. Como pode acontecer isso?

      Não interessa aos nossos políticos, que o povo tenha instrução e massa crítica. O país perde com isso, ao permanecer na esteira do atraso em comparação com países da América do Sul inclusive.

      Os prefeitos não gostam de investir na Educação das crianças, pois acreditam que dá poucos votos. Veja, uma ideia de jerico, pois sem bons técnicos e profissionais qualificados, o Município não avança rumo ao desenvolvimento sustentável. Resultado: Vivem de pires na mão frequentemente pedindo dinheiro ao governo federal.

      Só mesmo a sociedade organizada para varrer do mapa político, prefeitos e governadores que só pensam nas suas carreiras e contas bancárias.

      Será que verei esse dia chegar? Espero que sim!

      Um grande abraço, Bendl

  6. foraesquerdacomunista,

    O governo petista não é democracia ruim, tampouco ditadura boa, mas uma quadrilha que ascendendo ao poder roubou o povo e Brasil!

    O PT é um grupelho de criminosos travestido em partido político!

    Um abraço.
    Saúde e Paz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *