Momento político atual lembra “Angústia”, de Graciliano Ramos

Graciliano, na visão de Portinari

ROBERTO NASCIMENTO

A política é uma ciência para profissionais, portanto, os amadores se surpreendem a todo momento com as artimanhas dos políticos. Temer é um profissional e com a vantagem de conhecer o Congresso como ninguém. O vice-presidente bebeu na fonte limpa de Ulysses Guimarães, este sim um verdadeiro político com P maiúsculo.

O político profissional não conhece a palavra fidelidade. A lealdade ocorre até o momento em que o céu se torna nublado, sujeito a chuvas e trovoadas.

Realmente, a economia resume tudo na sociedade, quando “ela” vai bem os governos navegam em mar de almirante. Quando a economia vai mal, o desemprego desponta no horizonte das famílias, desesperando os eleitores e o arco da sociedade. Consequentemente, a popularidade do governo e dos governantes cresce igual ao rabo do cavalo.

Este é o cenário atual do Brasil, ou seja, um travamento da atividade econômica. As concessionárias de automóveis não estão vendendo quase nada, porém, os preços dos automóveis continuam nas alturas, na contramão do capitalismo e da lei da oferta e da procura. Os supermercados permanecem vazios e observamos todos os dias as caixas de supermercados sem filas. Podemos agora escolher a caixa de preferência, tal a falta de compradores, mesmo nos primeiros dias do mês.

O humor do carioca está por um fio, por qualquer coisa querem briga, no ônibus, no BRT, no trânsito e também nos supermercados. O mar não está para peixe.

UM PARTIDO INFIEL

Voltando ao tema principal, o PMDB não é um partido fiel. A legenda presidida por Ulysses Guimarães, o Sr.Diretas, na verdade só obedecia a um Senhor, o eleitor. Depois vem a briga por um naco do poder, lógico, para assim sustentar a máquina partidária. Na oposição, fica-se a pão e água, perdendo a capilaridade para crescer nas próximas eleições. Este é o drama para 2016 e 2018. Continuar apoiando o PT, lançar candidatura própria ou se inscrever como segundo do PSDB.

O que fazer com diante dessa encruzilhada política? Para começar, a leitura do livro “Angústia”, de Graciliano Ramos. Depois a ficha cai.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Uma bela sacada do comentarista Roberto Nascimento, que andava sumido. Segundo a professora Elizabeth Ramos, neta do grande escritor e professora de Literatura da Universidade Federal da Bahia, o romance Angústia “constrói, através de uma galeria de personagens e da decadência do espaço e do ambiente, uma análise das infinitas roupagens de que se reveste a miséria humana“. Tem tudo a ver com a política dos dias de hoje. (C.N.)

 

One thought on “Momento político atual lembra “Angústia”, de Graciliano Ramos

  1. Prezado Editor Carlos Newton

    Acompanho diariamente os posts da Tribuna da Internet. Diminui o ritmo de comentários, os quais pretendo retomar em breve, pois o momento político e econômico assim o exige.

    Por falar no incrível, no fantástico e no extraordinário Graciliano Ramos, o saudoso Graça, a vida hoje se resume numa brutal “angústia”, que causa em muitos envolvidos na lava jato em incomoda “insônia” e o nível dos rios e reservatórios de São Paulo, induz “vidas secas”, que nos levam inevitavelmente para o volume morto.

    Só uma coisa não pode de maneira alguma acontecer: O jogo virar e jornalistas e intelectuais de esquerda passarem a amargar o cárcere, de triste memória, contada com maestria por Graciliano no livro Memórias do Cárcere.

    Vira essa boca para lá, talvez em Pasargada, onde todos nós somos amigos do Rei, lugar aprazível, sem tortura, sem censura, sem pobreza, e principalmente, sem crise econômica, um lugar perfeito, aonde o sistema capitalista deu certo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *