Moraes fecha o cerco ao “Gabinete do Ódio” e leva ao desespero os bolsonaristas

Sociedade está farta da insegurança', diz Alexandre de Moraes ...

Moares mostra disposição e coragem ao enfrentar o Planalto

José Carlos Werneck

Na última quarta-feira, o Supremo fechou o cerco contra o chamado “Gabinete do Ódio”, grupo de assessores do Palácio do Planalto comandado por um dos filhos do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro, do partido Republicanos, no Rio de Janeiro.

Em uma operação determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito das fake news, a Polícia Federal apreendeu documentos, computadores e celulares em endereços de 17 pessoas suspeitas de integrar uma rede de ataques a integrantes do STF e convocou oito deputados bolsonaristas a depor.

RELAÇÃO ABALADA – Considerada “abusiva” pelo Palácio do Planalto, a ação da Polícia Federal abalou ainda mais a já fragilizada relação entre os magistrados e o Palácio do Planalto, que não esconde a pretensão de um contra-ataque e até faz ameaças às instituições.

No despacho que ordenou a operação, Alexandre de Moraes, outro profundo conhecedor de Direito Processual, definiu o Gabinete do Ódio como “associação criminosa”, mas não incluiu Carlos ou seus aliados dentro do Palácio do Planalto como alvo da operação realizada, ontem, mas alcançou aliados próximos, como o blogueiro Allan dos Santos, do site bolsonarista TerçaLivre. As referências ao grupo, porém, indicam que eles podem ser alvo numa fase futura da investigação.

O ministro apontou ainda indícios de que empresários financiam de forma velada a disseminação de fake news e conteúdo de ódio contra integrantes do STF e outras instituições.

DIVERSOS CRIMES – Segundo Moraes, há “fortes indícios” de que os investigados cometeram crimes de calúnia , difamação, injúria, bem como violações tipificadas na Lei de Segurança Nacional.

Como se pode ver, a situação requer cautela e muita sabedoria,duas palavras que não parecem fazer parte do dicionário bolsonarista.

Como diria o Conselheiro Acácio: “Aguardemos pois…”, porque a polêmica vai esquentar, com a decisão do ministro Edson Fachin, que levar ao Plenário do Supremo a continuidade ou não das investigações do inquérito das fake news. Não há previsão de quando o STF analisará o assunto

LENHA NA FOGUEIRA – O presidente Jair Bolsonaro colocou mais lenha na fogueira, ao declarar nesta quinta-feira que não admitirá “decisões individuais” e “monocráticas”, num alerta ao Supremo, afirmando em linguajar nem um pouco jurídico: “Chega”. “Acabou, porra!”, expressou-se o presidente.

“Não dá para admitir mais atitudes de certas pessoas individuais, tomando de forma quase que pessoais certas ações”, acrescentou, o que levou a um jornalista comentar durante concorrido almoço em Brasília:

– “Pessoas individuais” é bom demais! – disse ele, provocando gargalhadas.

14 thoughts on “Moraes fecha o cerco ao “Gabinete do Ódio” e leva ao desespero os bolsonaristas

  1. Realmente, precisamos dar a mão à palmatória, o boçal deste guri pançudo que é o presidente da república, quando quer se supera, agora resolveu atacar a língua portuguesa também. Já não bastassem as diatribes diárias virou assassino da nossa língua, tão aviltada nas redes sociais. Espero que esta investigação das fake news leve à alguma coisa.

  2. É fundamental que se avance contra o infame Gabinete do Ódio, que é uma organização criminosa produtora e disseminadora de “fake news”.

    Para quem ainda não compreendeu, “fake news” NÃO é liberdade de expressão! De forma alguma!

    As chamadas “fake news” são mentiras contruídas e disseminadas com toda a sofisticação que a tecnologia da informação de hoje oferece.

    Elas comumente produzem: desinformação, ofensas pessoais, destruição de reputações, temores, ameaças, calúnias, difamações, desorientações, “bullying”, exposições a riscos infecciosos, e diversas outras situações altamente prejudiciais aos indivíduos.

    Tal citado gabinete não é um local físico, mas toda uma rede de pessoas mal intencionadas (ou criminosas mesmo!) que inlui maus empresários, os quais investem bom dinheiro nisso visando a colheita de louros (imundos) com o governo Bolsonaro.

  3. E quem diria que o Estrume teria esse perfil. Sua formação em pular de paraquedas, dar salto triplo, correr milhas e milhas sem parar, nos encheu de esperança em finalmente ter alguém de crânio no Planalto para nos salvar. Porém, mais uma vez, o Estrume nos decepcionou.

    * nota do autor: Estrume, neste contexto, quer dizer algo que fertiliza. É um qualificativo usado para enaltecer autoridades como a do nosso Bem Amado.

  4. Bovinos seguem mugindo, desesperados, por todos os lados. Até aqui nesta Tribuna.

    Mas o boiadeiro psicopata e criminoso vai perder o seu poder e terminar na cadeia. Vários dos seus capatazes seguidores também vão se encrencar perante às leis.

    Somos ainda uma democracia e nossas instituições funcionam!

  5. Sr Isac Mariano boa tarde.
    Podemos acrescentar que destruição da honra pode levar o alvo à depressão, desenvolvimento de tumores e até ao suicídio.
    Temos que repudiar fortemente este “gabinete do ódio”.

  6. Leiam senhores.
    O mecanismo está em plena ação. O STF faz parte do poder oculto (não é mais oculto) e outros poderes que dominam a nação há muitos anos. Bolsonaro é pedra de tropeço e querem liquidá-lo de todas as formas. Tanto é que tentaram antes do pleito/2019. Procurem enxergar a realidade. Quantas vezes o Supremo assassinou a Constituição por ideologia política por alguns de seus membros? Quem pode detê-los? O Senado federal pode. Então, por que não faz? Porque também faz parte do sistema perverso. Essa perseguição não é normal e querem nos convencer de que há pelo em ovo. Vamos pensar um pouco, então?
    O que se passa neste Brasil varonil:
    Antonio Gramsci: DOMINAÇÃO MENTAL DAS MASAS.
    A doutrina do filósofo marxista italiano Antonio Gramsci consiste em inverter o processo revolucionário, fazendo com que a população esteja pronta para recebê-lo (comunismo) sem resistência quando este acontecer.
    A estratégia: dominar todas as instituições humanas, incluindo as midiáticas, jurídicas, educacionais, culturais, governamentais e religiosas de modo que as pessoas desconheçam haver uma coordenação central e se sintam constrangidas por pensarem tratar-se de manifestações honestas, espontâneas e universais, submetidas regularmente ao princípio democrático. Este processo está muito avançado no Brasil.
    “A desconstrução de um texto (ou de um fato histórico) permite que elimine o seu significado, substituindo-o por outro que se pretende.” Gramsci. Vocês percebem que isto acontece no Brasil de hoje?
    “O mundo civilizado tem sido saturado com cristianismo por 2000 anos, e um regime fundado em crenças e valores judaico-cristãos não pode ser derrubado até que as raízes sejam cortadas.” Gramsci.
    “Você destrói a família – você destrói a escola – você destrói a igreja – você destrói os partidos políticos, a não ser o seu próprio – você destrói o Estado – você destrói a economia. Aí você toma o estado e acaba com a oposição. Acabando com a oposição aí você conquista toda a sociedade.” Gramsci.
    Suas ideias vêm sendo praticadas desde o término da segunda guerra mundial por vários países do mundo onde se tem partidos comunistas. O próprio Gramsci alertou que a mudança de regime democrático para comunista levaria de 50 a 60 anos, aproximadamente. Tempo suficiente para mudar a mente do povo sem ser percebido pelos tais. Esse tempo chegou. Olhem os acontecimentos mundiais.
    Este processo está bem adiantado no mundo todo, inclusive no Brasil. Bolsonaro é o último Baluarte de resistência democrática a ser combatido pelos seguidores do mal na América latina. Trump também é muito perseguido pelo eixo do mal. Ele se opõe a este sistema maligno mundial. Será o fim de um país democrático (ainda com muitas imperfeições) chamado Brasil; EUA também. A Europa já está dominada. O mundo está sendo preparado para o reino do mal. A menina dos olhos agora é a China. O mundo hoje baba esta nação. Não se pode falar mal dos chineses no mundo. Falar mal é taxado de xenófobo. Itália, Alemanha, Espanha, Inglaterra…até a França. Bajulam os chineses. O Presidente da França, Macron, quando esboça querer falar duro com a china a imprensa do seu país logo o critica. O problema na Europa não é político. Ela já está dominada. Já no Brasil é político e judiciário como já dito, Bolsonaro é estranho no ninho, logo precisa ser combatido com todas as armas ainda que seja necessário também destruir a nação. Deus, salve o Brasil e o mundo presos as hostes do mal. Reflitam senhores.

  7. Senhor Cidadão, formidável seu arrazoado, sem dúvida demostra apreciável erudição filosófica e política, e também alguma fantasia e paranoia, mas desconfio que não se enquadre no presente assunto em discussão porque teorias de conspiração nada podem contra os fatos.

Deixe uma resposta para Antonius Block Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *