Moraes tira do ar contas de bolsonaristas em redes sociais, inclusive Roberto Jefferson  

, durante entrevista exclusiva à Folha de S.Paulo, na sede nacional do Partido Trabalhista Brasileiro, em Brasília (DF), em 2018.

Roberto Jefferson pensou que ia encontrar moleza e se deu mal

Márcio Falcão, Fernanda Vivas e Bruno Tavares
TV Globo

Perfis de 16 aliados e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, investigados por suposta disseminação de fake news, foram bloqueados pelo Twitter e pelo Facebook nesta sexta-feira (24). A suspensão das contas foi determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

A decisão faz parte do inquérito das fake news, que apura ataques a ministros da Corte e disseminação de informações falsas e tem Moraes como relator.

MULTA DIÁRIA – Em documento assinado na última quarta (22), Moraes pede o bloqueio de 16 contas do Twitter e 12 perfis no Facebook, com multa de R$ 20 mil ao dia para as empresas que descumprirem a ordem. Todas foram suspensas nesta sexta.

A decisão cita como titulares das contas a serem suspensas: Roberto Jefferson, ex-deputado e presidente nacional do PTB; Luciano Hang, empresário; Edgard Corona, empresário; Otávio Fakhoury, empresário; Edson Salomão, assessor do deputado estadual de São Paulo Douglas Garcia; Rodrigo Barbosa Ribeiro, assessor do deputado estadual de São Paulo Douglas Garcia; Bernardo Küster, blogueiro; Allan dos Santos, blogueiro; Winston Rodrigues Lima, militar da reserva; Reynaldo Bianchi Júnior, humorista; Enzo Leonardo Momenti, youtuber; Marcos Dominguez Bellizia, porta-voz do movimento Nas Ruas; Sara Giromini, Eduardo Fabris Portella, Marcelo Stachin, Rafael Moreno (não especificados).

BUSCA E APREENSÃO – Contas de bolsonaristas em redes sociais são retiradas do ar após decisão de Moraes

– Em maio, o grupo já tinha sido alvo de busca e apreensão autorizada pelo ministro, em desdobramento do inquérito. Na época, Moraes determinou o bloqueio de contas em redes sociais de 16 investigados. Os perfis seguiam ativos até esta semana, o que levou o magistrado a reforçar a determinação na última quarta.

Advogados dos alvos disseram à TV Globo que recorreram da decisão do ministro do STF. Em nota divulgada nesta sexta, o Twitter disse que “agiu estritamente em cumprimento a uma ordem legal proveniente de inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF)”. O Facebook, também por meio de nota, afirmou que “respeita o Judiciário e cumpre ordens legais válidas”.

26 thoughts on “Moraes tira do ar contas de bolsonaristas em redes sociais, inclusive Roberto Jefferson  

    • Sim, ninguém merece Roberto Jefferson, Dirceu, Dória, Witzel, Renan, Rui Costa, Maia, Alcolumbre, Ciro, Lula, o “careca” do stf,o tal “pedófilo” também do stf, Luciano Huck, Mandetta, Moro e outros (…). É fato!

  1. Não entendi o enredo absurdo em favor da censura. Acredito que é só entrar em “configurações” – Conta e privacidade – Conta – Dados e permissões e, infelizmente, mudar o país para Estados Unidos. Não sei, vou verificar…

  2. “Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.” ( Evelyn Beatrice Hall), Também tenho os meus preferidos, CN! Literatura é a minha cachaça, envelhecida no Rio Comprido.

  3. Para a grande mídia, as Fake News são sempre as dos outros. O que a mídia tradicional publica é verdade; o que a contraria, falso. Para essa imprensa oficial, que se considera a única e verdadeira, tudo o que não sai de suas próprias prensas é tido por suspeito de antemão. E, hoje em dia, seu alvo principal tem sido as mídias independentes que surgiram, principalmente, com o advento da internet, e vêem fortalecendo-se a cada dia, começando a serem vistas como um risco à sobrevivência dos jornais tradicionais.
    O certo seria, então, que a grande mídia fizesse uma autocrítica, tentando entender as razões porque vem perdendo terreno para o jornalismo avulso. Porém, faz autocrítica quem pretende honestamente rever suas atitudes, e o que estamos testemunhando é uma imprensa desonesta, que tem mentido, distorcido e omitido deliberadamente.
    Chega a ser revoltante ver esses jornalões, que vem lançando mão de todas os meios possíveis para enganar seus leitores, com notícias tendenciosas e opiniões enviesadas, acusar as mídias alternativas de praticarem Fake News. O ataque da grande mídia às mídias independentes não passa de um ato de autodefesa.
    A imprensa tradicional não quer perder o seu poder. Basta ver que, até aqui, foi ela quem deteve o monopólio da narrativa. Foi ela que sempre determinou quem eram os heróis e quem eram os vilões da história. Com isso, obviamente, ela cometeu terríveis injustiças. Mais ainda, ela dirigiu a cultura do país para onde quis – e o que ela quis não está exatamente de acordo com o que as pessoas comuns querem também. E o que ela pretende é manter-se como a direcionadora do pensamento nacional. O problema, porém, é que a profusão de mídias independentes está furando esse bloqueio, apresentando narrativas alternativas, colocando em discussão o viés da grande mídia e desmentindo muito do que ela vinha contando ao público há muito tempo.
    Esconder as próprias mentiras, nesse caso, passa a ser uma questão de sobrevivência. Quando ela, então, acusa as pequenas mídias de serem propagadoras de Fake News, na verdade, está desviando a atenção do leitor de suas próprias artimanhas.
    Isso porque, essa grande imprensa, aproveitando-se da credibilidade que adquiriram em sua existência secular, tem abusado dos recortes dos fatos, da omissão de dados, das conclusões sem fundamento, do enviesamento da notícia, quando não da prática da mentira pura e simples para destruir seus inimigos escolhidos. Seu reconhecimento como, ainda, fonte idônea de informações, tem servido como escudo nessa guerra suja que promove.
    No fundo, o que a grande mídia quer é eliminar a concorrência nestes novos tempos quando se sente ameaçada pelas novas formas de comunicação – a qual, digamos, ela ainda não conseguiu se adaptar. É que as mídias independentes estão tornando-se, gradativamente, as fontes preferenciais dos leitores. Não estando presas às determinações editoriais de redações tomadas por militantes ideológicos, nem submetidas aos interesses de proprietários historicamente comprometidos com o poder estabelecido, elas sentem-se livres para apresentar as notícias de uma maneira muito mais dinâmica e imparcial. E os leitores percebem isso e começam a escolhê-las como as suas fontes preferenciais de informações.
    As atitudes do STF contra a mídia independente não prevalecem diante da verdade ainda que tentam feri-la de morte. A verdade sempre prevalecerá.

    Pensem nisso.

    • Cidadão brasileiro … o senhor escreve bem … porém, fake news na moda brasileira ainda está em investigação … no entanto, todo inquérito tem um final … e estou curioso de como será o fim do Treino do Juízo Final … pois Jesus afirma que a Verdade prevalecerá para os que permanecem em sua Doutrina kkk KKK kkk
      Sds.

  4. A crítica ao tolo é perda de tempo, uma vez que só o ofende. Ao sábio, no entanto, o faz poupar tempo, pois se norteia e aprende.

    Luiz Roberto Bodstein

  5. O CARVALHO E O JUNCO

    Um enorme carvalho virou-se um dia cercado por um violento furacão que o arrancou do solo e o atirou na correnteza, onde caiu entre alguns juncos. Ele disse, tristemente:
    – Como isto é possível? O furacão me arranca do chão, com raízes e tudo, e não arranca esses magros juncos?
    – És que és orgulhoso demais – disse um dos juncos – e não sabes curvar-te como nós!
    “Em certas situações, é melhor curvar-se do que quebrar.”

    Esopo

  6. Estou cansando de escrever a mesma coisa e, a maioria ou não quer, ou não pode ou é idiota mesmo.
    |Mas vamos lá!
    Liberdade de expressão não significa dizer e escrever o que passa pela cabeça do imbecil!
    Ofender, atacar a honra (mesmo que sujeito não a tenha), invadir a privacidade, JAMAIS FOI DIREITO DE EXPRESSÃO!É a mesma comparação que se pode fazer entre democracia e anarquia!
    Roberto Jeferson não aprendeu com a cadeia! Tinha prestado relevantes serviços ao abrir o !”cofre da corrupção”! Agora, novamente, tem uma recaia e reencarna o que de pior existe em nossa política.
    Ex-líder de Bolsonaro (eram do mesmo partido e do mesmo centrão), deve ter vindo buscar mais uns trocos.
    Estes jeito, de forma proposital ou sem querer, desperta no cidadão de bem “os instintos mais primitivos”!
    Pague a pena ou não, será sempre um vigarista, corrupto e ladrão de dinheiro público!
    Amanhã, assim como fez com Lula, fará com Bolsonaro.
    O umbral o espera, de braços abertos!
    Fallavena

  7. Liberdade vs Libertinagem de Expressão

    “Essa era da “libertinagem de expressão” está produzindo uma infinidade de macacos de imitação. Sinceramente, eu esperava que a era da informação trouxesse as pessoas para debates mais profundos e ricos. Todavia, acabou gerando um festival de asneiras e maledicências, absolutamente inúteis e perniciosas. Antes de sair escrevendo ou replicando ideias alheias, seria bom que a turma parasse para pensar, conversar e debater de forma consistente. Para terminar, digo, sem rodeios, não se esqueçam dos antigos. Leiam o que os grandes pensadores do passado falaram, reflitam, pensem e tirem suas próprias conclusões. Repetir ideias de “gurus” é mais um caminho para a ignorância.” (Leonardo Corrêa – Instituto Liberal)

    • Sebastião Barros
      Na verdade, as redes sociais deram vazão a livre ignorância! Estamos completando pesquisa em mais de 70.000 comentários das redes. É uma vergonha!
      Mas, também tem um ponto positivo, mas um só. Ficou fácil identificar-se os idiotas!
      Se o objetivo era disseminar portas e janelas para a “integração”, conseguimos, sem testes obrigatórios, realizar pesquisa sobre o grau de ignorância das pessoas em geral.
      Dá tristeza ver-se tanta informação tentarem entrar em cérebros embotados. Em contra partida, podemos nos proteger melhor.
      Na era da informação disponível, a maioria se desinforma!
      Fallavena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *