Moreno insiste nas acusações a Medina Osório e passa a ofender até a FAB

Moreno diz que a FAB mentiu para proteger Osório

Jorge Bastos Moreno
O Globo

O presidente Michel Temer, desde a última quinta-feira, já tinha decidido demitir o advogado-geral da União, Fábio Medina Osório, por uma série de erros cometidos por ele durante a semana, dentre eles uma carteirada na FAB e omissão no caso da liminar que devolvia à presidência da EBC o jornalista nomeado por Dilma.

Ao tomar conhecimento, logo na manhã de sábado, pela coluna do Moreno, de que seria demitido, Medina começou uma mobilização nacional para permanecer no cargo. Ligou cedo para o seu padrinho, o ministro Eliseu Padilha, que lhe pediu calma e recomendou silêncio absoluto, no que foi contrariado pelo advogado. Depois de falar com Padilha, Medina começou a dar entrevistas, atribuindo o vazamento da sua demissão a integrantes do próprio governo, que estariam, segundo ele, a serviço das empreiteiras. E começou a ligar para parlamentares, ministros e representantes da OAB, em busca de solidariedade, e conseguiu também um desmentido da FAB sobre a carteirada. A movimentação irritou profundamente Temer e o próprio Padilha, que, em entrevista à Rádio Gaúcha, criticou Medina por estar falando demais.

Temer esperava que amanheceria na segunda-feira apenas com o problema de Medina sobre a mesa de trabalho. Mas teve que dar prioridade ao caso Henrique Alves, denunciado por Rodrigo Janot ao STF como beneficiário do esquema de corrupção da Lava-Jato e, ainda, ao da ex-deputada Fátima Pelaes, nomeada mas ainda não empossada para o cargo de secretária da Mulher, denunciada também por envolvimento em irregularidades.

Enfim, em vez de um, o presidente teria que resolver três problemas. Tomou uma decisão inusitada: a de não tomar nenhuma decisão. Assim, salvaram-se os três. O argumento, numa reunião com Padilha e com o ministro da Articulação Política, Geddel Vieira Lima, foi o de que Temer não poderia ser comandante de um Big Brother Político para eliminar a cada segunda-feira um participante do seu governo.

Tudo bem que não se deva, por questão de marketing, demitir ministro às segundas-feiras. Só nos outros dias úteis da semana. Cria-se mais uma moda da era Temer: não contem com quedas de ministros no primeiro dia da semana.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Como se vê, desta vez Moreno amarelou. Até agora não entendeu que Medina Osório ia ser demitido por seu integral apoio à Lava Jato, e não por suposta “carteirada” e por “omissão na defesa da EBC”. Ao invés de fustigar o “informante” que lhe deu as falsas justificativas para a demissão do ministro, prefere continuar a difamá-lo. Quanto à afirmação de que Osório “conseguiu também um desmentido da FAB sobre a carteirada”, Moreno está dizendo mais bobagens e ofendendo a Força Aérea Brasileira, que não faz essas “armações” em notas oficiais nem aceita “carteiradas”. Quando era chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff apareceu na base aérea de Brasília e exigiu um jatinho. O oficial responsável não liberou. “Você vai ver o que vai lhe acontecer, menino”, ameaçou Dilma. No dia seguinte, o oficial foi chamado ao Comando da Aeronáutica e recebeu um elogio pelo cumprimento de seu dever. Recentemente, foi promovido a coronel. Se Moreno quiser, forneço o nome do oficial para que desta vez ele apure bem direitinho a notícia. (C.N.)

21 thoughts on “Moreno insiste nas acusações a Medina Osório e passa a ofender até a FAB

  1. Moreno, há pouco tempo:

    Um ministro do próprio STF acaba de informar ao blog do Moreno que o consenso entre eles é o de que ” se Janot vazou seu pedido é porque não obteve nada do Teori”. O ministro lembrou que os casos de Renan, Sarney e Jucá, gravados por Machado a pedido do procurador, são insignificantes diante do caso Mercadante.

    – Mercadante ofereceu dinheiro para barrar investigações. Esses três defenderam teses, inclusive a de projetos para regular delação. Falaram em intenções. Nada disso é crime — disse o ministro.

    E tem mais, segundo esse mesmo ministro, se for comprovado que realmente Machado gravou os três combinados com a Procuradoria, essas provas são nulas:

    – Nos bancos escolares aprendemos que “flagrante preparado” não tem efeito legal. Por isso, nesse caso em questão, não acredito que o Supremo valide isso como prova.

    Em todo o caso, segundo o ministro, por envolver chefes de poderes, Teori deverá levar o pedido de Janot ao plenário do Supremo.

    Agora à tarde haverá reunião da Turma integrada por Teori. Aguarda-se um pronunciamento seu nessa reunião.

    Como não sou babão, lembro:

    Associação Criminosa

    CPB – Art. 288. Associarem-se 3 (três) ou mais pessoas, para o fim específico de cometer crimes: Pena – reclusão, de 1 (um) a 3 (três) anos. Parágrafo único. A pena aumenta-se até a metade se a associação é armada ou se houver a participação de criança ou adolescente.

    • Mais uma invenção do Moreno. Nenhum ministro iria dizer a besteira de que flagrante preparado não tem valor legal. Se fosse assim os inúmeros flagrantes aonde se pega o funcionário recebendo propina, com o apoio da polícia, seriam inócuos. Além disso o Delcídio foi preso por meio de uma gravação flagrante preparadíssima. Este Moreno sempre foi lambe-botas dos poderosos. Só não via quem é ingênuo.

  2. Moreno age como um contra-informante manipulado para, assim, ajudar a derrubar o AGU e evitar a cobrança de 23 bilhões às empreiteiras, que o AGU havia planejado.

    Moreno, se continuar assim, vai ficar fazendo resenha de novelinha da globo.

  3. Temer deveria fazer cumprir a Constituição que proíbe juros abusivos, onde todo e qualquer tipo de juros para pessoas físicas ou jurídicas não deveria passar do teto estipulado pela taxa Selic. Com isso o Brasil deslancha !!!

    • Lucas, já mostramos, eu e o Wagner, em respostas anteriores a um seu comentário, porque em qualquer operação de crédito os juros não podem ser limitados à taxa SELIC.

  4. O bucho desse Moreno! Não deve avistar os lá debaixo há muitos anos! Só com um espelho na ponta do dedão do pé! Cuidado, mestre Moreno, o diabetes, o diabo-a-14, sei lá mais o quê; a lava-jato, a Dilma, o Lula, o Xarney! — cuide-se, homem de Deus! O regime é o low-carb, farinha de banana verde – o véio aqui, 72, está novinho em folha! (A coisa está pra lá de séria. Estamos em plena convulsão, mas estamos tão de perto que a gente nem vê.) O que acontecerá hoje de noite? quem é que sabe!

  5. Como já havia comentado, este jornalista não é confiável.
    Tende à imprensa marrom ou morena.
    Íntimo da corja petista, ou pelo menos se fazia passar por tal, deve estar amargando a mudança, para muito melhor, ocorrida.
    Que asco!!!

  6. Mais um jornalista sem sabedoria para lidar com o contexto político caótico do nosso país!
    Muitos como ele cairão por falta de qualificação profissional e controle emocional.
    São tempos sombrios!
    Ficará de pé quem cultivar a sabedoria e a prudência temperadas com o espírito crítico!

  7. Noto que o blog vem atacando o Moreno sistematicamente. Não vou discutir. Mas vejo que o mesmo blog bate nas Organizações Globo também de forma regular. Seria recalque? Complexo?

  8. Newton, Acho que você está com fontes muito saturadas de ódio. Quando vierem esses informes de que Dilma fez isso e aquilo. Consulte outras fontes. Dilma ameaçar um oficial das Forças Armadas? Nem tomando como você diz, tarja preta, ela e nem um outro presidente faria isso. É a mesma coisa que negar avião a presidente. Quem vai negar? Eu sinceramente não acredito. Esses teus informantes é que devem tomar tarja preta. Ninguém sabe dessas coisas, só teus informantes. É melhor indenizá-los e encontrar gente de cabeça sem “teia de aranha”.

    • Prezado Aquino, neste caso minha fonte é simplesmente o pai do oficial da Aeronáutica, que me fez essa revelação para que eu soubesse quem é Dilma, quando ela assumiu. Eu já escrevi sobre esse episódio aqui na Tribuna há alguns anos, mas acho que você não leu.

      A FAB só libera jatinhos em viagens a serviço, Dilma queria passar o fim de semana em Porto Alegre. E eu conheço o oficial da Aeronáutica desde que nasceu, é afilhado do Dr. Manoel Vidal, ex-Chefe de Polícia daqui do Rio de Janeiro, que é escritor e está sempre publicando artigos aqui na TI.

      Como dizia o cartunista Robert Ripley, acredite se quiser.

      Abs.

      CN

  9. Jornalista Carlos Newton

    A EXTINÇÃO DOS “SARUÊS”
    A imagem de um vetusto cidadão nordestino, de “aspecto respeitável”, com tornozeleira eletrônica e em prisão domiciliar, humilhado em sua onipotência arrogante, devolve-me a esperança de que as “Ligações Perigosas” que tanto mal nos causaram, estejam sendo sepultadas nas profundezas abissais de sua essência pútrida, de onde jamais deveriam ter emergido.
    Seria talvez este senhor um êmulo do “coroné” Saruê???
    Delírios de uma velha senhora com a mania de PENSAR.
    A Literatura é uma das mais elevadas manifestações do Espírito Humano, exatamente porque capta o clima de cada época.
    Quando em 1782, Choderlos de Laclos publicou seu romance epistolar “As ligações perigosas” (Les liasons dangereuses), possivelmente haverá ocorrido um destes fenômenos incompreensíveis no campo racional, somente explicáveis pela paranormalidade, tantas as semelhanças com os signos mais profundos do espetáculo de indignidades a que assistimos em nosso país no alvorecer do século XXI.
    No cenário de 1782, nobres sem escrúpulos, mergulhados na abjeção moral que o cinismo costuma impingir a seus adeptos, manipulam e humilham as restantes personagens através de jogos de sedução e intrigas.
    Maquiavelismo erótico à parte, o retrato da libertinagem vigente, a promiscuidade entre membros da aristocracia decadente, imediatamente anterior à Revolução Francesa, poderia facilmente ser transposto para o Brasil atual, onde episódios de deboche haviam chegado ao ápice. Uma olhadela rápida pelas manchetes confirmará esta assertiva.
    No caso brasileiro auferiam espertamente os lucro$$ de “enredo$”, sempre através de artifícios sofisticados, escapando aos mecanismos legais de controle e punição de seus atos torpes.
    Respingava lodo por toda parte e o dinheiro público escorria pelo ralo das negociatas, abundante como as águas do “Velho Chico” …
    Algumas personagens repetiam-se, ad aeternum, deslizando solertes e elegantes pelos corredores do Congresso Nacional, desvãos do Executivo, como tristemente informam as mesmas manchetes e atualmente a operação “Lava Jato” flagrou.
    A desvairada cobiça, a certeza da impunidade, o sentir-se protegidos por movimentos corporativistas, acima da Lei, envolvem seus espíritos apequenados, expondo em cifras sua fragilidade moral, medida pelos valores que se atribuem nos balcões de negócios onde despudoradamente se vendem.
    Aonde chegaríamos nesse caminhar? Nem o oráculo de Delfos ousaria prever.
    Pasma, como a maioria da população correta e digna, assistia impotente, silente, aterrorizada, o alastrar-se célere da praga nas camadas mais elevadas do Poder.
    O organismo muito deteriorado, acobertava os maiorais que prosseguiriam como hienas, sorrindo, vencedores, se uma divindade compadecida do povo brasileiro não viesse em sua ajuda através deste senhor, o Juiz Sérgio Moro e equipe..
    Desanimada eu tinha a visão dos bolsões miseráveis do norte e nordeste, que bem conheci, onde vicejam analfabetismo, desesperança, e os mais baixos IDH do país, convivendo com anacronismos incompatíveis com um mundo em célere desenvolvimento:- satrapias, oligarquias, dinastias, capitanias hereditárias etc.
    Eis que hoje abro os jornais e me deparo com a ordem de prisão emitida pelo procurador Rodrigo Janot para três personagens que desenvoltos desfilavam pelos salões do PODER.
    A corrupção endêmica e suas trágicas conseqüências certamente começa a ser reduzida a níveis razoáveis, pois a consciência crítica passará a funcionar como antídoto poderoso.
    Só assim a Democracia será exercida, de fato, para e pelos cidadãos. Os que se habilitarem aos cargos eletivos haverão de ser responsabilizados, cobrados pelos que os elegem, visando sempre o bem comum, ao contrário do que atualmente sucede, quando prevalecem interesses pessoais espúrios, levando à débâcle de valores éticos que perplexos presenciamos.
    A imprensa e demais meios de telecomunicações RESPONSÁVEIS, bem orientados, isentos de manipulações oportunistas, serão partícipes ativos de um processo de higienização nacional, que nos leve ao destino almejado pela maioria decente de brasileiros inconformados, desiludidos e impotentes.
    Saudações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *