Moro e Guedes, dois superministros que viraram alvos de dúvidas e interrogações

Resultado de imagem para moro e guedes

Os principais ministros, Moro e Guedes, agora estão na berlinda

Eliane Cantanhêde
Estadão

O efeito da divulgação da troca de mensagens do então juiz Sérgio Moro com procuradores é menos jurídico e mais político. É improvável que isso mude alguma coisa, por exemplo, nas condenações do ex-presidente Lula. Mas é provável que deixem Moro debaixo de chuvas e trovoadas, principalmente se os hackers tiverem bem mais do que já foi publicado.

Moro entra na mira justamente quando o outro superministro, Paulo Guedes, da Economia, começa a fraquejar. A reforma da Previdência virou um samba de uma nota só, enquanto a economia patina e o desemprego não dá refresco. Dois superministros, dois alvos de interrogações.

Bom para Moro isso tudo não é. As mensagens confirmam sua forte ligação com procuradores, principalmente com Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato.

FATOS NORMAIS – E a independência da Justiça? Juízes não devem e não podem manter relações promíscuas nem com a defesa nem com a acusação. Isso, porém, é uma questão formal. Na prática, no dia a dia, que juiz não troca informações, mensagens e dúvidas com um lado, o outro ou ambos?

E, cá para nós, nem chega a ser surpresa o trabalho e o esforço conjunto de Moro, procuradores, delegados e agentes da Receita Federal para chegar a um resultado espetacular: a maior e mais bem-sucedida operação de combate à corrupção de que se tem notícia.

No próprio documentário “O mecanismo”, dirigido por José Padilha e baseado no livro Lava Jato, do jornalista Vladimir Neto, essa relação já é retratada. Todo mundo sabia. Agora todo mundo finge que não e está chocado?

PROMISCUIDADE – E as idas de ministros do Supremo a palácios presidenciais, cervejadas de advogados com procurador-geral da República, visitas “de improviso” de advogados de Lula ao ministro da Justiça? Sem falar na intensa troca de mensagens de todos com todos.

Para conferir ainda mais complexidade à história, há o ataque de hackers. É óbvio que a ação não foi isolada e aleatória. Foi, sim, uma ação orquestrada, concentrada nos principais atores da Lava Jato. Além de Moro, os procuradores de Curitiba, o desembargador Abel Gomes, do Rio, e outros personagens-chave em Brasília. Os celulares invadidos não eram de quaisquer procuradores e juízes, mas de procuradores e juízes da Lava Jato.

E OS AUTORES? – Impossível a Polícia Federal chegar aos autores? Impossível não é, até pela máxima de que “não há crime perfeito”. Basta um vacilo, um descuido, um rastro e a investigação pode evoluir como um rastilho de pólvora. E Moro não é só o chefe da PF, mas é um sólido aliado da instituição na Lava Jato, tanto quanto dos procuradores.

Agora, há duas questões pairando no ar e impedindo qualquer conclusão precipitada: se há outros trechos e se essas novas revelações podem ser mais diretas e mais devastadoras do que as que já vazaram até aqui pelo site The Intercept Brasil.

LOMBO CURTIDO – Até lá, lembre-se que Sérgio Moro tem o lombo curtido e está bastante acostumado a “apanhar” desde os cinco anos de Lava Jato, testando forças com poderosos do Executivo, do Legislativo, do Judiciário e com as maiores fortunas do País.

Uma coisa é certa: a ida de Moro para a Justiça foi muito melhor para Bolsonaro do que para o próprio Moro e pode até ser que ele vá dormir toda noite pensando se fez bem ou não, à sua biografia, à sua vida privada e até à Lava Jato, ao virar ministro de um governo tão estranho, adepto de armas, empenhado em beneficiar maus motoristas etc. Mas não são esses hackers e as mensagens que saíram até agora que irão derrubá-lo. Muito menos do pedestal na opinião pública.

Como bem disse Fernando Henrique Cardoso ontem, houve “comentários impróprios”, mas o resto é “tempestade em copo d’água”.

15 thoughts on “Moro e Guedes, dois superministros que viraram alvos de dúvidas e interrogações

  1. Viraram alvo de dúvidas? Não mesmo. Viraram alvo de difamação engendrada pelos esquerdistas melequentos que querem voltar ao poder para achacar a nação. Pau nesses corruptos traidores.

  2. Falou tudo!!!!

    “Quem sabe sabe, quem não sabe sobra
    Cobra caminha sem ter direção
    Que sabe a cabra das barbas do bode?
    A águia voa sem ser avião.
    Quem sabe sabe quem não sabe sobra…”

  3. Está aí é da globo lixo.
    Por isto, ela, é contra tudo, apoia os ladrões petistas que roubaram o Brasil.
    É uma idiota.
    O marido participou de umas benesses da imbecil e do ladrão maior.

  4. Eu duvido até de mim Já vc, brasileirinha, e como tal ingenuazinha, acha que pode confiar em alguém, né?

    No meu caso, cético, estou apenas dando um prazo razoável para este governo (um ano ou um ano e meio) para poder ter uma opinião fundamentada em dados concretos e não ficar torcendo contra ou a favor a um time como num campeonato de futebol.

  5. Mas que a mamata da UFF acabou, acabou! Tem gente por aqui que vai ficar sem mamar o dinheirinho da própria mulher. Só mesmo se tratando com “merdicina psicossomática” (picaretagem).

  6. Vamos fazer campanha o grande juiz do STF Gilmar Mendes. Entendo que ele seria um excelente juiz/procurador de República. Vamos botar o bloco na rua Gilmar para ministro. kkkkkkkkkkk. No dia que resolverem pendurar os canalhas desse país, vai faltar poste.

  7. Dr Moro, alvo de dúvidas? Para chegar a essa conclusão, a avezinha vermelha parece dar muito crédito a Operação Roubocept, coordenada pelo gringola que infiltrou seu michê nos escaninhos políticos de Brasília. Gente abjeta, a soldo da organização criminosa petelha.

  8. quarta-feira, 12 de junho de 2019

    HELIO FERNANDES

    MORO NEGA IRREGULARIDADES VASTAMENTE DENUNCIADAS
    POR ESTE REPÓRTER, NUNCA DESMENTIDAS

    Durante meses e sem interrupção revelei (denunciei) a parcialidade do
    juiz Moro. Não uma vez e com objetivo único, mas um verdadeiro “plano
    de carreira para o futuro”.

    Influiu e influenciou o ato e o fato mais alto, a eleição
    presidencial. Contei tudo, minuciosamente, enquanto ele favorecia a
    candidatura Bolsonaro.

    Fundamental para o sucesso da jogada: tirar Lula da disputa eleitoral.
    Condenou-o a 9 anos, combinou com os desembargadores federais de Porto
    Alegre, aumentaram mais 3 anos, era a tão desejada “segunda instancia”
    e a consequente prisão do ex-presidente.

    (Nada do que está aqui é inédito, apenas repetição do que foi
    publicado enquanto acontecia. Moro insistia na afirmação falsa e
    farsa, quando SUSPEITAVAM que suas ações tinham lastro e interesse
    pessoal, respondia, “não deixarei a magistratura, não quero fazer
    carreira política”.

    Aconteceu então o que de pior pode atingir a um personagem,
    principalmente na vida publica: negar ou desmentir a si mesmo. Assim
    que Bolsonaro assumiu, trocou Curitiba por Brasília, 2 ministérios e a
    presumida e proclamada candidatura presidencial em 2022.

    Baseado na afirmação do próprio Bolsonaro, “não disputarei a
    reeleição”. Apesar dele estar insistindo com vários assuntos,
    (exemplo, o absurdo e catastrófico decreto das armas, POSSE e
    TRANSPORTE) como compromisso de campanha, nenhum presidente
    gosta de ter ao seu lado, um presidenciável antecipado.

    Daí o desgaste espantoso de Moro, atingindo a apreciação sobre seu
    passado, presente, futuro.

    PS- Agora, o admirável e admirado site “Intercept”, liquida as
    esperanças ou suposições de Moro.

    PS2- Faz revelações irrevogáveis e irrefutáveis, sobre a espúria
    ligação que dominava a Lava-Jato.

    PS3- Com provas insofismáveis, incluindo depoimento de Membros do MP.

    O PAÍS ESTREMECE COM O ESCÂNDALO DA LAVA-JATO

    Inimaginável e incontrolável. Como o assunto ganhou prioridade até

    sobre a badalada reforma da Previdência.(O relator e o presidente da

    Comissão Especial prometem entregar o trabalho á Câmara amanhã.

    Possibilidade. O escândalo do Moro, realidade intransferível).

    A revelação da Intercept, explodiu os fatos. Mas a repercussão

    estrondosa foi provocada pelo inusitado do fato. Começou então um

    movimento coordenado para salvar e livrar a cabeça do ministro. O

    primeiro a tentar foi o próprio Moro, insinuou ou afirmou, “fui

    atingido por um hacker, que desvendou meu sigilo”.

    Ora, esse “fato” teria acontecido ha uma semana. Os responsáveis pelo

    Intercept contestaram imediatamente. Tinham a informação muito antes.

    Uma revelação como essa não se completa em uma semana.

    E os bastidores da revelação, contados pelos próprios jornalistas

    desmentem o ex-ministro.

    O vice general Mourão quebrou o silencio, com duas impropriedades

    gritantes, poderia ter ficado calado. 1- “Conversa privada, é conversa

    privada”. Não quando se trata de juiz e MP. 2- “O presidente tem total

    confiança no seu ministro”.

    Pode ter, mas não quando se trata de “razões de estado”. Basta

    verificar na historia, e não apenas no Brasil, situações que levaram a

    demissões constrangedoras de ministros amigos.

    Bolsonaro pretendia conversar com Moro logo na segunda feira, o

    ministro estava em Manaus, numa reunião oficial importante. Concordou

    em adiar por 24 horas.

    Marcou para ontem, terça.

    INDEPENDÊNCIA BANCÁRIA

    Goldman Sachs, agência reconhecida e respeitada por avaliar a
    segurança de empresas e de países, surpreendeu ontem.

    Recomendou aos clientes que vendam ações do Bradesco e Itaú. Mesmo
    cobrando juros de 300 por cento?

    O RELATOR DA NOVA PREVIDÊNCIA DIZ QUE ENTREGA
    HOJE O PROJETO

    Por enquanto, sem a participação de governadores e prefeitos. O
    capitão e Paulo Guedes, seu ministro mais poderoso, vibraram.
    Defendem a formação de um pacto republicano, sem governadores ou
    prefeitos. Só a União.

    MORO, A FUGA DO “ESTRATEGISTA”

    O ministro de duas pastas. Suposto pretendente á primeira vaga no STF.
    Ocasional, e superficial candidato a presidenciável, está
    assustadissimo. Chegou de Manaus, soube que senadores estariam se
    movimentando, e com número para formar uma CPI.

    E investigar a matéria denuncia do site Intercept.

    Através de amigos, fez a proposta: iria voluntariamente ao Senado,
    responderia a todas as perguntas, haveria esclarecimento imediato.

    Teve sucesso, vão marcar a data.

    Que Republica!!!

    Postado por Helio Fernandes às 20:50

  9. Matéria beira o ridiculo.
    Essa história de grampo só quem não tem o minimo de bom senso pode levar a sério.
    A lava a jato não tem adjetivos.
    Minha nossa, vejam o que recuperou de grana.
    Trata-se de uma força tarefa de alto nível. E se não fosse uma força tarefa seria contaminada…é simples.
    Era muito bom ao levantar, ver os FDPs sendo levados..muito bom.
    Ainda faltam alguns (Dilmanta/Dudu Paes). Vamos aguardar.
    O Paulo Guedes é sem comentários.
    Tremei Sociaistas Fabianos e Che Guevaras do Leblon.
    Tremei

  10. Boa tarde , leitores (as):

    Senhora Eliane Cantanhede ( Estadão ) e Senhor Carlos Newton , acontece que o Ministro da Economia Brasileira Paulo Guedes é LADRÃO , ele roubou e saqueou os fundos de pensão dos funcionários das Empresas Públicas e Estatais e esta sendo PROTEGIDO e ACOITADO pelo Presidente da República Jair Messias Bolsonaro , e com o agravante de que foi incumbido de DEMONIZAR e PRIVATIZAR e entrega-la aos comparsas Banqueiros ladrões e lesa-pátria.
    já o ex-juiz e atual Ministro da Justiça , pelo pouco que li até o momento , não existe nada que o desabone , mas a senhora comparar o Ministro Paulo Guedes com o Ministro Sergio Moro , é uma total falta de respeito para o Ministro Sergio Moro , pois todo mundo sabe que o Ministro Paulo Guedes é LADRÃO .

Deixe uma resposta para Pedro Augusto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *