Moro revoga a prisão de Guido Mantega, devido à doença da mulher

Resultado de imagem para sergio moro

Moro disse que a Polícia Federal e a Procuradoria concordam

Deu no G1

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato, revogou a prisão do ex-ministro Guido Mantega nesta quinta-feira (22). Mantega foi preso temporariamente na 34ª fase da operação, que investiga contratos da Petrobras para construção duas plataformas e repasse financeiro em benefício do Partido dos Trabalhadores (PT).

Moro afirmou que a Polícia Federal (PF), o Ministério Público Federal (MPF) e ele mesmo não tinham conhecimento do estado de saúde da esposa do Mantega. O ex-ministro estava com a esposa no hospital Albert Einstein no momento da prisão.

A Polícia Federal afirmou que, nas proximidades do hospital, agentes ligaram para Mantega, que se apresentou espontaneamente na portaria. “De forma discreta e em viatura não ostensiva, o investigado acompanhou a equipe até o apartamento e, já tendo feito contato com seu advogado, foi então iniciado o procedimento de busca”, diz trecho de nota oficial emitida pela Polícia Federal.

DISCRIÇÃO – Sergio Moro citou que foi informado que o ato foi praticado com discrição, sem ingresso no hospital. Para decidir pela liberação do ex-ministro, ele argumentou que as buscas começaram e que Mantega, uma vez solto, não deve oferecer riscos ou interferir na colheita das provas.

“Procedo de ofício, pela urgência, mas ciente de essa provavelmente seria também a posição do MPF e da autoridade policial. Assim, revogo a prisão temporária decretada contra Guido Mantega, sem prejuízo das demais medidas e a avaliação de medidas futuras”, declarou o juiz.

ORDEM PÚBLICA – Durante entrevista coletiva, na qual a força-tarefa detalhou a 34ª fase da Lava Jato, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima afirmou a prisão do ex-ministro teve como base “o fundamento foi a ordem pública”.

“Estamos falando de valores bilionários desviados dos cofres públicos”, disse. Ele afirmou que foi pedida a prisão preventiva do ex-ministro, mas o juiz recusou e deferiu prisão temporária. Carlos Fernando classificou de “coincidência infeliz” o fato de a prisão ter acontecido no momento em que Mantega acompanhava a mulher no hospital.

A PRISÃO – Durante o cumprimento do mandado, nesta manhã, a PF foi até a casa de Mantega, mas o ex-ministro não estava. Ele estava no hospital Albert Einstein, no Morumbi, Zona Sul de São Paulo, onde a mulher passa por uma cirurgia. Do hospital, os policiais levariam Mantega até seu apartamento em Pinheiros, na Zona Oeste, para também cumprir um mandado de busca e apreensão.

(reportagem enviada pelo advogado e jornalista José Carlos Werneck)

3 thoughts on “Moro revoga a prisão de Guido Mantega, devido à doença da mulher

  1. sábia decisão de moro, revogar a prisão desnecessária de guido, em resposta ao clamor do bom senso. e os bandidos do psdb, pmdb, dem e cia, tb operadores do sistema político podre, quando serão presos, é a pergunta que a banda apartidária do brasil não se cansa de fazer ? “não basta ser honesta, há tb que aparentar-se honesta”, na condição de mulher de césar. e as aparências infelizmente é a de que as brasas estão sendo puxadas para as sardinhas podres das velhas elites políticas bandidas do brasil, face às quais pobres, pretos, prostitutas e petistas devem ser “linchados”, embora sejam a grande maioria do conjunto da população deste país que, a qualquer momento, pode se rebelar de forma incontrolável contra golpes políticos bandidos que visem exterminá-los. e motivos é o que não faltam. ainda são muito dúbias as segundas e reais intenções desse tipo de combate aparentemente seletivo à corrupção que grassa neste país há trocentos anos, infelizmente. a prisão de mantega realmente afeiçoa-se absolutamente desnecessária, e por acaso ou adrede favorece os adversários dos petistas, partidário-eleitorais e golpista-ditatoriais, velhaco$, em plena campanha eleitoral. absurdo esse que ganha proporções alarmantes tendo-se em vista o relacionamento da própria mulher do juiz do caso como prestadora de serviços do partido adversário dos petistas que é o psdb, líder dos derrotados nas urnas por 4 eleições consecutivas, todos bancados com dinheiro das mesmas fontes hoje na berlinda e no banco de réus do judiciário e da história. aliás, para separar o joio do trigo seria adequado até mesmo a abertura de uma cpi, até para se apurar excessos e a possível ocorrência do critério podre baseado no condenável sistema de dois pesos e duas medidas. será que o sistema político podre ainda tem alguma moral, pelo menos para isso ? http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/256543/lindbergh-cobra-lava-jato-contra-tucanos-e-cunha.htm

  2. É nojento , indescritível , canalhice , mentira , abominável , distorcido , infiel , digno de escárnio o que o colunista deste blog Mauro Santayana escreveu no Pravda da Rússia sobre a derrocada do PT. Entendo que deve haver liberdade de expressão , mas ela não pode extrapolar o limite da mentira descarada. Por exemplo : não posso escrever um artigo dizendo que Eduardo Cunha é um homem honesto , e que foi cassado por causa de pura perseguição do Palácio do Planalto. Isto não é liberdade de expressão, e sim coisa de cafajeste.

    O jornal Pravda em português é lido não só no Brasil como em vários países lusófonos , da Europa , da África , da Oceania (Timor) e, portanto tem diariamente milhões de eleitores.

    Protesto veementemente pelas mentiras horrorosas que Mauro Santayana escreveu em seu artigo no Pravda , e estou até com vergonha, embora eu não tenha nada a ver com esta execrável atitude. Não merece o meu , o seu, o nosso respeito. Leiam:

    http://port.pravda.ru/mundo/20-09-2016/41776-mauro_santayana-0/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *