Moro silencia e o general Augusto Heleno diz que não vai se meter “nesse negócio”

Imagem relacionada

Moro e os demais ministros já estão fugindo dos jornalistas

Vinicius Sassine
O Globo

O agravamento da crise envolvendo o filho primogênito de Jair Bolsonaro vem incomodando o núcleo militar mais próximo ao presidente. Entre esses militares, a expectativa é por uma explicação convincente por parte do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), suspeito de recebimentos irregulares em conta bancária.

Enquanto as explicações não aparecem, o Palácio do Planalto estabeleceu uma ordem de silêncio, numa tentativa de blindar Bolsonaro pai. O silêncio se estende ao Ministério da Justiça: Sergio Moro submergiu e não comenta as suspeitas que recaem sobre Flávio e o ex-assessor e ex-motorista Fabrício Queiroz.

JUDICIALIZAÇÃO – A escalada da crise ganhou novos elementos ao longo da semana. Ganhou outros contornos desde a iniciativa de Flávio de judicializar a questão no Supremo Tribunal Federal.

 Primeiro, o ministro do STF Luiz Fux, em plantão e atendendo a pedido do senador eleito, decidiu suspender a investigação tocada pelo Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro. A decisão final sobre a instância onde o inquérito tramitará caberá ao ministro Marco Aurélio, relator da reclamação movida pela defesa de Flávio. Ele já indicou que deve decidir no sentido de o procedimento continuar com o MP local.

Depois, o “Jornal Nacional”, da TV Globo, revelou trechos de um novo relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), com apontamentos sobre movimentações suspeitas em conta bancária de Flávio Bolsonaro.

R$ 7 MILHÕES – Conforme o relatório, 48 depósitos em espécie foram feitos na conta entre junho e julho de 2017, somando R$ 96 mil . Os depósitos se concentraram num terminal de autoatendimento da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Em um dos dias analisados, por exemplo, foram feitos dez depósitos de R$ 2 mil cada num intervalo de cinco minutos. Os registros da movimentação suspeita podem apontar para a prática em que parlamentares retêm parte dos salários de seus assessores.

Neste domingo, O Globo mostrou a extensão das transações de Queiroz em três anos . O ex-assessor e ex-motorista movimentou R$ 7 milhões no período, conforme registros do Coaf. Até então, o que se sabia era que Queiroz havia movimentado R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017. Na movimentação, R$ 24 mil em cheques foram depositados na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro. O depósito foi o pagamento por um empréstimo a Queiroz, segundo o presidente Bolsonaro.

SEM EXPLICAÇÕES – Até agora, Flávio não deu explicação para a movimentação de R$ 1,2 milhão; para a movimentação de R$ 7 milhões em três anos; e nem para os depósitos fracionados em sua conta bancária, somando R$ 96 mil em um mês.

Neste domingo, o general mais próximo a Bolsonaro, o ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), disse ao GLOBO que não vai se “meter nesse negócio”, em relação às revelações já feitas no caso envolvendo Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz:

– Isso não é um problema meu. Eu não vou me meter nisso, não falo sobre isso. Não vou me meter nesse negócio.

Moro silencia – O ministro da Justiça, Sérgio Moro, também foi procurado pela reportagem para comentar suas impressões sobre o caso:

– Sem comentários – limitou-se a dizer diante das perguntas feitas.

Bolsonaro embarca neste domingo para Davos, na Suíça, onde participa do Fórum Econômico Mundial. Estará na companhia de Moro, do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do chanceler Ernesto Araújo. Diante do agravamento da crise envolvendo o filho mais velho do presidente, o Planalto decidiu que Bolsonaro não dará uma entrevista coletiva à imprensa em Davos.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGNa viagem até Davos, o que será conversado no avião presidencial? A imprensa mundial está aguardando e não vai deixar barato. O cancelamento da entrevista só vai aumentar o assédio. (C.N.)

29 thoughts on “Moro silencia e o general Augusto Heleno diz que não vai se meter “nesse negócio”

    • Não tem nada a ver com o governo?
      Mas como, se tinha dinheiro ali que foi parar na conta da Michele? Sujeito que transferia para a conta esposa e do filho? Se filha deste mesmo assessor e a mulher foram empregadas no gabinete o filho? Essa filha deste mesmo assessor, que chegou a ganhar cargo no gabinete do pai e descobriu-se que trabalhava como recepcionista 40hrs semanais e personal trainer? Se tinha assessor do Carlos Bolsonaro, da Câmara dos Vereadores, remunerado com verba municipal, trabalhando para o pai Bolsonaro em Brasília? E que antes de tudo isso acontecer o Bolso botou a própria esposa no gabinete?
      Imoralidade, improbidade completa!

  1. “Que tal tirar sigilo das investigações de todos os deputados?”
    O Antagonista

    Foi o que perguntou no Twitter a deputada federal eleita Joice Hasselman, referindo-se às operações bancárias suspeitas de servidores e ex-servidores da Alerj.

    “São 20 casos suspeitos. Estou muito curiosa para saber como assessores do Dep. André Ceciliano movimentaram R$ 49 mi. Que todos dêem explicações.”

  2. “Bolsonaro ficou sem seus 100 dias de graça”

    “O histórico período de graça de 100 dias, parece não ter sido concedido ao presidente Jair Bolsonaro.

    Nem se trata da desmoralizada oposição lulopetista, cujos principais líderes estão na cadeia ou na iminência de parar lá.

    É tudo fogo tradicional, com ênfase para o corporativismo estatal, o sindicalismo pelego, os empresários deslocados dos cofres públicos e as lideranças políticas da velha política, quase todos alojados no PT, MDB e PSDB, os três Partidos com maior número de corruptos sob investigação, em julgamento, condenados e presos como ladrões vulgares do dinheiro público.

    O bolo inclui a mais influente mídia tradicional (Rede Globo, Veja, Folha, Zero Hora) ameaçados de ficar sem as milionárias verbas publicitárias do governo federal; e de internet, no caso blogs e sites sujos.”

    https://polibiobraga.blogspot.com/2019/01/opiniao-do-editor-bolsonaro-ficou-sem.html

    • Caro Francisco Virginiano do dia 14/09 como eu

      Acho que quase todos os políticos tem alguma maracutaia no currículo.

      Os Bolsonaros devem ter mesmo.

      Agora, exigir Santos e Santas trabalhando num prostíbulo é o máximo da hipocrisia.

      Essa onda não vai enfraquecer o Jair Bolsonaro que tem a canta Bic super carregada.

      Mas que enoja enoja vindo daqueles que detonaram o Brasil e seu povo.

      Eles sempre eles.

      Abraços!

      • Pô, Areal,

        Como soubeste a data do meu aniversário??!!

        Olha, eu sempre tive a certeza que qualquer político tem a sua falcatrua.

        Até mesmo escrevi que, o candidato egresso do Congresso, teria dificuldade de se mostrar não só competente como honesto, ao surgir Bolsonaro para combater as hostes petistas.

        No entanto, Lula e sua quadrilha foram insuperáveis nos danos ao país e povo, logo, Ciro e Haddad seriam derrotados merecidamente, como foram, efetivamente.

        Dito isso, a mais comum das práticas dos parlamentares é esta, a de tomarem dinheiro dos vencimentos de seus aspones!

        TODOS, SEM EXCEÇÃO, cometem este crime!!!!

        O segundo, odioso, também, pois se trata de roubar diretamente o erário sem intermediários, diz respeito às indenizações dos gastos de combustíveis pelos parlamentares.

        Uma farra que Calígula teria inveja!

        Tem parlamentar que viajou com o seu carro distâncias que vão da nossa galáxia, Via Láctea, até a vizinha Andrômeda, que está apenas a 2,54 milhões de anos-luz do nosso planeta!
        E, mesmo assim, a corregedoria (?!) do Congresso paga a gasolina que sua excelência afirmou ter ido à próxima galáxia!

        Mudar esta práxis legislativa, somente acabando com este poder negativo, ladrão, corrupto, incompetente, perdulário e irresponsável!!!!

        Abração, meu amigo, mas estou ainda curioso de como sabes a minha data de nascimento!

  3. Moro, quem ficou com as 70 toneladas de cocaína apreendidas em Setembro 2018 ??
    Foi a maior apreensão do Brasil..

    Assim como o COAF sabe muito bem os terceiros envolvidos, mas nao divulga, tu têm a OBRIGAÇÃO de saber quem ficou com a muamba…
    Por que nao divulga, nem manda prender???

    Brasília é uma merda mesmo….

  4. Bolsonaro é mais malandro que todos os ptralhas juntos e misturados .
    Enquanto ficam todo os dias a imprensa falando do filho , que eu acho que está deixando os metidos a esperto pensar que irão desestabilizar o governo …Tenho convicção que o Bolsonaro filho não está metido em sujeira …..Porém se eu estiver enganado que todos sejam punidos na forma da lei !!
    Espero que isso não seja retalhação porque Bolsonaro mandou cobrar da poderosa dividas de impostos sonegados …

  5. O grande problema é a não existência de um sistema contábil para controlar os 5570 Municipios. Ali os ratinhos comecam a se desenvolverem. Depois, alguns se transformam em ratos e vão para os Estados, onde são formados as futuras ratazanas da Uniao.

    O modelo contábil existente e controlador de todas as grandes ECONOMIAS MUNDIAIS, foi criado em 1496. Até hoje ainda não chegou ao Brasil.

  6. Olha o COAF aí mentindo …

    Advogado de Queiroz diz que desconhecia movimentação de R$ 7 milhões
    O Antagonista

    Paulo Klein, advogado de Fabrício Queiroz, afirmou neste domingo que não sabia que seu cliente movimentou R$ 7 milhões em três anos, publica O Globo.

    A defesa do ex-assessor de Flávio Bolsonaro disse também que ainda não obteve acesso às informações do Coaf sobre o caso.

    “Eu tinha pedido na semana passada para ter acesso a essas informações e foi dito que isso não tinha sido documentado na investigação. Pedi cópia das informações do Coaf e também de eventuais testemunhas que tenham sido ouvidas. Não entregaram. Disseram: ‘doutor, não tem nenhuma informação do Coaf depois daquela’. Para mim foi uma surpresa a imprensa ter tido essa informação [dos R$ 7 milhões] sem a defesa ter tido acesso primeiro.”

  7. Advogado burro, este do Queiroz, burro!

    Se precisar de documentos contra o seu cliente e Flávio Bolsonaro, que vá requisitá-los na Rede Globo, que os têm em exclusividade!!!!

  8. PSC, PT, PDT, DEM, PSDB, MDB e PSOL também estao em relatório do Coaf
    Com informações do Coaf e da Folha

    O relatório do Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras) que apontou movimentação atípica do policial militar Fabrício Queiroz, ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL), mencionou auxiliares de outros 20 deputados da ALERJ (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

    A Procuradoria-Geral de Justiça do Rio de Janeiro instaurou um procedimento criminal há cerca de quatro meses para investigar as circunstâncias das movimentações dos funcionários de ALERJ. A apuração também tem como alvo os deputados aos quais estão vinculados os servidores.

    A menção no relatório não significa a prática de algum ilícito. O volume da movimentação, por sua vez, não é medida para a suspeita que eventualmente recaia sobre os deputados. O deputado Marcos Abrahão (Avante), preso na Furna da Onça, teve uma movimentação atípica de R$ 289 mil, por exemplo.

    Apenas quatro dos dez deputados alvo da operação foram mencionados no relatório do Coaf. O gabinete que apresentou a maior movimentação entre eles foi o de Luiz Martins (PDT), com R$ 18,5 milhões, quarto da lista geral.

    O gabinete com o maior volume de comunicações é o de André Ceciliano (PT). Foram quatro assessores com movimentação atípica de, somados, R$ 49,3 milhões. A maior parte se refere a entradas e saídas na conta de Elisângela Barbieri, que movimentou R$ 26,5 milhões em sua conta, segundo o Coaf.

    O segundo da lista é o deputado Paulo Ramos (PDT), cujo gabinete registrou movimentações atípicas de R$ 30,3 milhões. Elas estão concentradas em nome de Luiz Felipe Conde, cuja conta recebeu e retirou R$ 18,6 milhões, segundo o Coaf.

    Márcio Pacheco (PSC) aparece em terceiro com uma movimentação atípica de R$ 25,3 milhões envolvendo assessores de seu gabinete. O volume está distribuído entre nove funcionários.

    Outros deputados estaduais cujos funcionários realizaram movimentações atípicas em 2016 são Dr. Deodalto (DEM, R$ 16,3 milhões), Carlos Minc (PSB, R$ 16 milhões), Coronel Jairo (PSC, R$ 10 milhões, preso), Marcos Müller (PHS, R$ 7,8 milhões), Luiz Paulo (PSDB, R$ 7,1 milhões), Tio Carlos (SD, R$ 4,3 milhões), Pedro Augusto (MDB, R$ 4,1 milhões), Átila Nunes (MDB, R$ 2,2 milhões), Iranildo Campos (SD, R$ 2,2 milhões), Márcia Jeovani (DEM, R$ 2,1 milhões), Jorge Picciani (MDB, R$ 1,8 milhões, preso), Eliomar Coelho (PSOL, R$ 1,7 milhões), Flávio Bolsonaro (PSL, R$ 1,3 milhões), Waldeck Carneiro (PT, R$ 700 mil), Benedito Alves (PRB, R$ 500 mil), Marcos Abrahão (Avante, R$ 300 mil, preso) e Wanderson Nogueira (PSOL, R$ 300 mil).

  9. “Que tal tirar sigilo das investigações de todos os deputados?”
      
    Foi o que perguntou no Twitter a deputada federal eleita Joice Hasselman, referindo-se às operações bancárias suspeitas de servidores e ex-servidores da Alerj.

    “São 20 casos suspeitos. Estou muito curiosa para saber como assessores do Dep. André Ceciliano movimentaram R$ 49 mi. Que todos dêem explicações.”

    https://www.oantagonista.com/brasil/que-tal-tirar-sigilo-das-investigacoes-de-todos-os-deputados/

    • Ué?! O Flávio Bolsonaro é o mais visado é porque ele e a família estão no poder.

      Não era isso que falava os anti-petistas durante o processo de Impeachment de Dilma quando os petistas questionavam do porque somente iam atrás dos petistas?

        • Lula já nem mais estava no poder e foi bem visado por todos, né?
          Liberações seletivas das informações, segundo a tática adotada por Curitiba, para manter a atenção e o interesse do público e, por consequência, a pressão para não melarem com as forças atuantes na investigação – sem se importarem com excessos.

  10. Quanto deputado moralista do tipo “dedo na cara” nesse listão da ALERJ.

    E que tal a COAF entregar a movimentação bancária de todos os vereadores, prefeitos, governadores, deputados e senadores?

    Esqueci algum poder?

    Jair Bolsonaro deveria assim como fez a rede Globo, liberar tudo pra gente, é só pedir pro Moro.

    Libera Geral Bolsonaro!

    • Joice não é capacho do Bolsonaro. Ela é capacho de quem está no poder. Adulava vagabundos tucanos e arrotava intimidade com Temer depois do impeachment.

      Joice, assim como Carla Zambelli, é da direita canhota que só engana otários, assim como .

Deixe uma resposta para JOSE ROBERTO SILVEIRA Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *