Morre em Pernambuco, aos 89 anos, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Severino Cavalcanti

Severino tinha problemas cardíacos e usava marcapasso

João Valadares
Folha

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Severino Cavalcanti (PP), 89, morreu na madrugada desta quarta-feira, dia 15, em sua casa no Recife. De acordo com familiares, ele tinha problemas cardíacos. O político morreu enquanto dormia.

“Foi uma morte muito tranquila. Estava dormindo. Ele tinha problemas cardíacos, usava marcapasso e sentia dores nos ossos”, afirmou José Maurício Cavalcanti, um dos três filhos do político, que exerce o cargo de secretário-executivo da Casa Civil no governo Paulo Câmara (PSB).

TRAJETÓRIA – No último dia 10, recebeu familiares em casa para comemorar 64 anos de casamento. “Fomos para lá, todos de máscara e sem chegar muito perto. Ele estava bem”, diz o filho. Cavalcanti tem uma longa trajetória política por Pernambuco. Pelo extintos PFL e PPB, exerceu o mandato de deputado federal por três mandatos.

Representante do chamado baixo clero em 2005, surpreendeu o candidato do governo Lula à presidência da Câmara, Luiz Eduardo Greenhalgh, e venceu a disputa. Mas sua gestão durou pouco. Em setembro de 2005, foi acusado por Sebastião Buani, dono de um restaurante na Câmara, de receber R$ 10 mil reais por mês para que o estabelecimento pudesse funcionar.

“MENSALINHO” – O episódio ficou conhecido como “mensalinho”. Em 21 de setembro, diante das denúncias, renunciou ao mandato de deputado federal e deixou a presidência da Câmara. Em 2006, Severino tentou voltar ao mandato, mas foi derrotado nas urnas. Dois anos depois, foi eleito novamente prefeito de João Alfredo, no interior de Pernambuco, sua cidade natal.

Severino Cavalcanti também foi deputado estadual por sete legislaturas. O sepultamento do corpo acontece na tarde desta quarta-feira (15), em João Alfredo. Não haverá velório para evitar aglomerações na cidade. O político deixa a esposa, três filhos, seis netos e dois bisnetos.

10 thoughts on “Morre em Pernambuco, aos 89 anos, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Severino Cavalcanti

    • Ouve-se muito daqueles teóricos, que só conhecem feijão no prato: “A solução pro Brasil está na educação!” Mas qual tipo de educação esses senhores se referem? Neste país, os ladrões de maior monta passaram por uma universidade. Quer dizer: quanto mais diplomas, maior será o alcance corruptivo. A não ser que o conceito de educação seja imediatamente mudado.
      Para muitos, Thamas Alva Edison foi o mais prolífico inventor de todos os tempos. Quantos cursos acadêmicos ele tinha?

      • Oi Paulo III, boa tarde!

        Intrometendo no assunto, por me sentir tentado a participar.
        Eu recordo de um livro de Bauman que li. Legisladores e Intérpretes.

        Segundo o autor revelou, mesmo na Revolução Francesa, quando reunidos os principais nomes do movimento e discutirem exaustivamente a questão da Educação. “Se o povo deveria ser educado e sob qual modelo”.
        Muitos defenderam que “deveria ser educado mas não concientizado”.

        • Dito isso, vemos o quanto , na verdade, era burguesa e as massas ficaram a margem.

          Da divisão, como testemunha a própria História, surgiu a Esquerda , que entre outras defendia a educação concientizante.

      • O conceito correto é : Quanto mais pessoas com estudo, menos chances desses enganadores obterem sucesso (enquanto houver otário, vai haver malandros). E menos pessoas acreditando nesse seu comentário distorcido.

        PS: E você acha que o Edison não estudava, ele enchia o brioco de cachaça, ia dormir, e quando acordava estava com as ideias e os projetos prontos, ao lado da garrafa de cachaça vazia.

  1. Cavalcanti(e) = Cavaleiro, é a maior Família una e continua do Brasil, com predomínio no Nordeste. Dentre os seus membros, figuram o expoente que melhor representa a média da nossa conduta coletiva: Paulo César Cavalcanti Farias, ou simplesmente, PC Farias.

  2. Lamento a perda do ser humano, e ofereço meus sinceros sentimentos a família, afinal ninguém é uma ilha, cada homem é parte de um continente… Mas, como político não cabe lamentar, apenas mais um representante dessa política que vemos aí.

  3. O presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti, quer diretoria da Petrobras para afilhado político.

    “O que o presidente (Lula) me ofereceu foi aquela diretoria que fura poço e acha petróleo. É essa que eu quero.”

    Já vai tarde!!
    Era ladrão e continuará ladrão no inferno. O capiroto que se cuide!

    Atenciosamente.

  4. Paulo III apresentou um interessante sofisma pois, comentarista inteligente, apresentou uma variável que existe entre aqueles que não fizeram Faculdade ou concluíram o Ensino Médio, porém conquistam espaços na sociedade porque se tornam comerciantes, industrias, empreendedores ou políticos, evidentemente acrescentando talento e vocação para o segmento que escolhem progredir.

    Outra variável diz respeito à corrupção, que não é exclusiva de quem tem curso acadêmico ou não ou político ou não, porém praticada por todo o indivíduo cujo caráter sucumbe às mínimas tentações e/ou oportunidades.

    Por último, temos a situação brasileira como exemplo do mal que faz a ausência de educação no que tange à capacidade de discernimento, senso crítico, cidadania, e de não ter consciência de seus deveres e obrigações para si mesmo, família, comunidade, sociedade e país.

    O tipo de educação que precisamos ou, melhor dizendo, de ensino, aborda a falta de condições que temos de decisão entre o bem intencionado e o demagogo candidato, cuja presença de formadores de opinião manipulam o pensamento do povão para onde querem e precisam para se manter no poder ou conquistá-lo.

    A questão é que a política nacional é sinônimo de desonestidade, logo, seus componentes e em todos os níveis do Legislativo, se tornaram ou se tornam corruptos pela natural atuação dos parlamentares porque sem qualquer fiscalização, e autoconcessão de poderes que extrapolam os limites constitucionais, incluindo morais e éticos.

    Nesse vácuo de exemplos positivos de nossas autoridades, o povo se pergunta por que deve andar com o passo certo?

    No entanto, inculto, incauto, analfabeto absoluto e funcional, o comportamento popular se mostra não só mal educado (falhas dos pais) quanto pouco ensinado (falha do governo), em não oferecer um ensino de qualidade e política voltada à educação conforme as dimensões desse país e sua necessidade premente de desenvolvimento.

    Em outras palavras:
    A falta de educação (ensino) é a responsável pela omissão do cidadão, seus erros nas eleições, seu comportamento pessoal que não é exemplar, uma política deletéria e deprimente, poderes constituídos que se alimentam vorazmente da desonestidade e impunidade, em razão de o povo desconhecer a sua autoridade inalienável sobre os rumos do país!

    O resto, Paulo III, advém de falhas de caráter, que educação e ensino jamais conseguirão corrigir, pois atribuo à índole de cada um de nós.
    Confirmo o que digo, mencionando filhos de ladrões, que poderiam seguir ao pai e não o fazem ou filhos de famílias honestas e trabalhadoras, mas que pendem para a marginalidade, para o delito, para o crime.

    Abraço.
    Saúde e paz.
    Te cuida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *