Movimento dos Sem Terra apóia a greve das universidades federais. Você sabia?

Carlos Newton

Foi distribuída à imprensa uma interessante nota da Direção Nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), a favor da greve das universidades federais, como se uma coisa tivesse a ver com a outra. O inusitado fato apenas demonstra o surrealismo que comanda a realidade do Brasil de hoje.

###
NOTA OFICIAL DO MST

Nós do MST expressamos para toda a sociedade nosso apoio e solidariedade aos trabalhadores e trabalhadoras da educação em luta.

Desde o seu nascimento, o MST tem lutado pela educação. Temos a convicção de que a luta por escola, se faz, fazendo escola.

Como fruto da mobilização e luta permanente, conquistamos mais de 1500 escolas do campo.

Somos contra a política do Estado brasileiro de fechamento das escolas do campo. Para nós: Fechar Escola é Crime!

Defendemos a expansão e a interiorização da educação. No entanto, isso não pode representar a precarização educacional.

Manifestamos nossa solidariedade de classe aos trabalhadores e às trabalhadoras das universidades federais em greve.

Nos somamos na defesa de sua justa pauta de reivindicação:

– Contra o produtivismo: Educação não é mercadoria. Pelo aumento de salários. Pela garantia do plano de carreira. Pela qualidade da educação; Pela destinação de 10% do PIB para a educação; Contra a apropriação do público pelo privado através da privatização indireta em curso.

A universidade pública não pode estar a serviço do capital e do mercado. A universidade deve ser um espaço de pesquisa, produção e divulgação do conhecimento.

Nos colocamos nas ruas e nas lutas ao lado dos trabalhadores e das trabalhadoras da educação. Empunhando as bandeiras da Reforma Agrária e da Educação Pública de qualidade e gratuita, seguimos na construção de um país soberano.

“A educação não é a única alavanca para transformação da sociedade, mas sem a educação, a transformação não ocorre.” Paulo Freire

Direção Nacional do MST

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *