Movimentos pró-impeachment se unem contra demissão de Medina Osório

Aline Macedo
O Globo

Pouco mais de uma semana depois de Michel Temer ser empossado como presidente efetivo, seu governo já enfrenta a primeira crise e pode perder aliados que ajudaram a desgastar sua antecessora, Dilma Rousseff. Movimentos que foram às ruas pedir o impeachment da ex-presidente voltaram a atuar em conjunto, mas desta vez os alvos são Temer e o Ministro-Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. Eles criticam a articulação de Padilha para exonerar o advogado-geral da União, Fábio Medina Osório.

Um grupo de 50 entidades e movimentos de mobilização, incluindo NasRuas, Movimento Brasil Livre (MBL) e Vem pra Rua, reunidos sob o nome de Convergências programou para a tarde desta sexta-feira ações como um “tuitaço” com a hashtag #FicaMedina. O grupo também elaborou uma carta, que será protocolada junto à Presidência da República, criticando a demissão do AGU:

ATO ILEGAL “Repudiamos ainda, a medida autoritária e ilegal do Ministro Chefe da Casa Civil Sr. Eliseu Padilha, não apenas por buscar, segundo farto noticiário da imprensa especializada, obstruir o trabalho do Dr. Medina, mas também por tê-lo demitido. O ato praticado pelo Ministro é ilegal, pois cabe exclusivamente ao Presidente da República sua nomeação e, consequentemente, sua demissão”, diz um trecho do documento, que já começou a ser divulgado por meio de redes sociais.

A primeira ação do Convergências foi uma cerimônia na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), na qual o grupo assinou uma carta em resposta à petição enviada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à ONU, denunciando o juiz Sérgio Moro. Antes de organizar sua primeira ação crítica em relação ao governo Temer, o Convergências também chegou a elaborar uma nota de esclarecimento direcionada ao Papa Francisco, quando ele disse que o Brasil atravessava um ‘momento triste’.

Resultado de imagem para medina osorio

Os militantes já começarem a preparar cartazes de protesto

DEFENDEU O ESTADOAcreditamos que o Medina foi o primeiro advogado-geral da União que defendeu o Estado, e não um presidente. Agora que já está confirmado o nome da advogada Grace Mendonça para o cargo, vamos cobrar o posicionamento dela em relação às ações lideradas por ele, como a tentativa de recuperar o dinheiro desviado da União pela Lava-Jato — diz Carla Zambelli, do movimento NasRuas, em referência à iniciativa do ex-AGU de solicitar provas ao STF para embasar ações cíveis contra 26 políticos acusados de envolvimento com os escândalos da Petrobras.

Segundo a coluna de Lauro Jardim, do GLOBO, o AGU exonerado e Eliseu Padilha tiveram uma forte discussão na noite de quinta-feira, quando o ministro da Casa Civil reclamou da atuação do advogado em relação à Lava-Jato. Na visão de Padilha, Medina Osório traria “problemas para o governo”.

CONTRA O GOVERNOMesmo com a nomeação de uma funcionária de carreira da AGU para o cargo máximo, o grupo afirma que vai continuar com as ações de protesto contra o governo.

— Vamos manter a carta de repúdio, porque o Planalto precisa saber que queremos ver o dístico “Ordem e Progresso” sendo cumprido. Não conhecemos pessoalmente o Medina ou a Grace (a nova ministra), mas as atitudes dele mostravam que ele queria exercer o cargo em sua plenitude. É uma pena que o advogado-geral da União seja indicado pelo governante. Isso deixa claro que o cargo não tem independência — afirma Thomas Korontai, do movimento dos Federalistas e um dos idealizadores do Convergências.

13 thoughts on “Movimentos pró-impeachment se unem contra demissão de Medina Osório

  1. O presidente Michel Temer, realmente deu uma fora.Um político experiente deixar se levar à subserviência de um subornado seu,é lamentável!
    O presidente Michel Temer sabe muito bem, que foram os movimentos programados pelas redes sociais, que o levaram a ocupar o cargo número um do serviço público brasileiro.Portanto, tem que agir rápido, sob pena de se queimar perante a opinião pública.

  2. De acordo com a gíria foi mais uma mancada do Temer. Se continuar assim, vai se cumprir o que um Carlinhos Vidente anda dizendo na página dele, que ele, Temer vai acabar renunciando. Oh! Deus!

  3. A exoneração do cargo do Agvogado-Geral da União do renomado, competentíssimo, isento e radical defensor dos princípios da moralidade administrativa e das diretrizes constitucionais e infraconstitucionais punitivas que recaem sobre os administradores e agentes públicos que praticam atos de improbidade, gestão temerária e corrupção — Jurista Fábio Medina Osório — é a demonstração de que o governo Temer pode até ser pior que o de Dilma. Osório não apenas escreve em suas várias obras jurídicas o que pode e o que não pode o administrador fazer. O que é certo e o que é errado e o que é criminoso. Osório prega as boas praticas. E exige que toda a administração pública as pratique. Não, por virtude. E sim, por ser dever comezinho. E isso não interessa a nenhum governo que não esteja comprometido com a lisura e com a honestidade.

    A chapa Dilma-Temer está pendurada no TSE. Está mais para cair do que para ficar de pé. Dilma já caiu no Senado. Agora é Temer que terá que se defender no TSE. Mas não seria Medina Osório que, na condição de Advogado-Geral da União, iria defender Temer no TSE, tal como fez José Eduardo Cardozo. Na condição de Advogado-Geral da União, Cardozo, sem poder e em afronta à lei e à moralidade administrativa, foi defender logo aquela que levou à ruína a própria União, que Cardozo tinha o dever de defender.

  4. o fato é, que, Temer não manda nada no PMDB, nunca mandou…. não tem voto, sempre foi uma rainha da Inglaterra, colocado como ponto de união dos caciques do partido. e é nessa condição que vai “governar”. poderia até tentar ser um Itamar, mas não tem poder pra isso. alguém que acompanha a politica nacional, tenha alguma duvida????!!!!!

  5. Michel Temer foi criteriosamente escolhido pelo molusco para sustentar o seu poste justamente por se alinhar a todas as bandalheiras praticadas ou em vista de serem realizadas. A maioria dos integrantes de seu Ministério é de medíocres e assaltantes do erário.
    Na questão da AGU fica evidente que Temer queria um José Eduardo Cardoso para chamar de seu.
    Agora cai a máscara, mas não nos surpreende: sendo vice de quem foi, era para se esperar algo diferente?

  6. Manhêêê, tô com a minha panelinha de Inox prontinha pra protestar, mas a rua tá vazia e as redes sociais estão mudas….Por que ninguém mais fala em ir pra rua agora, mamãe?????

  7. O povo mais uma vez foi traído, foi a rua pacificamente, representado por 6 milhões, e recebe está bofetada, se Temer deixar o Padilha para tomar decisões, em seu lugar, entrará para a História, com a medalha de ouro da hipocrisia, e protetor de larápios do cofre público.
    Que Deus nos acude.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *