MP prende Fabrício Queiroz no interior de São Paulo em imóvel do advogado de Flávio Bolsonaro

Flávio Bolsonaro e Queiroz são investigados pelo esquema da rachadinha

Bruno Tavares
G1

Fabrício Queiroz, ex-assessor e ex-motorista do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), foi preso em Atibaia, interior de São Paulo, na manhã desta quinta-feira, dia 18. Queiroz estava em um imóvel de Frederick Wasseff, advogado do parlamentar, e foi levado para unidade da Polícia Civil no Centro da capital paulista, onde deverá passar por exame de corpo de delito.

Policial Militar aposentado, Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão em sua conta de maneira considerada “atípica”, segundo relatório do antigo Conselho de Atividades Financeiras (Coaf). Ele trabalhou para o filho do presidente Jair Bolsonaro antes de Flávio tomar posse como senador, no período em que ele era deputado estadual no Rio.

“RACHADINHA” – Os mandados de busca e apreensão e de prisão contra Queiroz foram expedidos pela Justiça do Rio de Janeiro, num desdobramento da investigação que apura esquema de “rachadinha” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). A prisão foi feita numa operação da Polícia Civil e o Ministério Público de São Paulo.

No Rio, a Polícia Civil faz buscas em um imóvel que consta da relação de bens do presidente Jair Bolsonaro, em Bento Ribeiro, Zona Norte da capital fluminense.

Queiroz foi assessor e motorista de Flávio Bolsonaro até outubro de 2018, quando foi exonerado. O procedimento investigatório criminal do Ministério Público Estadual do RJ que apura as irregularidades envolvendo Queiroz na Alerj chegou a ser suspenso por decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, após pedidos de Flávio Bolsonaro em 2019.

OPERAÇÕES SUSPEITAS – As investigações envolvem um relatório do Coaf, que apontou operações bancárias suspeitas de 74 servidores e ex-servidores da Alerj. Recursos usados para pagar funcionários na Alerj voltavam para os próprios deputados estaduais.

A movimentação atípica de R$ 1,2 milhão na conta de Queiroz ocorreu, segundo as investigações, entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017, incluindo depósitos e saques.

###
NOTA DO MP DE SÃO PAULO

Na manhã desta quinta-feira (18/6), o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Polícia Civil efetuaram a prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, na cidade de Atibaia. Ele foi encontrado pelo Gaeco, responsável pelos levantamentos no terreno e pela confirmação do alvo da operação, no escritório de um advogado que presta serviços ao parlamentar. Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça do Rio, a pedido do Grupo de Combate à Corrupção (Gaecc) do Ministério Público daquele Estado, que investiga a participação de Queiroz em um esquema desvio de vencimentos de servidores do gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro. A transferência para o Rio ocorrerá ainda hoje.

29 thoughts on “MP prende Fabrício Queiroz no interior de São Paulo em imóvel do advogado de Flávio Bolsonaro

  1. Agora a cobra vai fumar. E muito mais do que fuma o guru psicopata do bolsonarismo, astrólogo que sequer terminou o curso ginasial, que pensa ser filósofo, e vive refugiado na Virgínia, EUA.

    • O sistema tenta de todas as formas derrubar o Presidente Bolsonaro, mas quanto mais ele apanha mais forte ele fica. A guerra é duradoura, não ia ser fácil, já se sabia, batalhas por todos os dias, altos e baixos, idas e vindas, quedas e levantes. Pra quem passou e passa por injúrias, injustiças, sofrimentos de toda sorte, inclusive uma tentativa de assassinato, não é mais essa investida na vida de JB, que vai desajustá-lo de prosseguir na caminhada de tornar o Brasil um país digno e grandioso. Fica o registro.

  2. Hoje a boiada bolsonarista vai precisar de muito capim para espalhar narrativas distorcendo a importância da prisão de Queiroz.

    O preço do capim vai disparar no mercado.

  3. “Fabrício Queiroz foi preso no interior de São Paulo, em Atibaia, num imóvel do advogado de Flávio Bolsonaro, Frederick Wassef. Vem cá. Esse não é também o advogado de Jair Bolsonaro, o presidente da República? Como explicar isso?” (Augusto Franco, via Twitter).

    Talvez seja só coincidência da coincidência da coincidência.

    Acho que hoje Bolsonaro nem vai parar em frente ao curralzinho para dar entrevistas. Ou nem vai sair de casa pro trabalho!

  4. O serviço particular de investigação do seu Jair falhou?

    Mas ele não se gabou que era o único que funcionava, em relação à ABIN e PF?

    O que houve, seu Jair?

    Acho que o Witzel está dando o troco.

    Hoje o seu Jair vai rosnar o dia todo.

  5. “A mulher do Queiroz também foi presa. Mas o mais grave de tudo é o que os policiais acharam dentro das paredes arrebentadas à marreta na casa de propriedade do Jair Bolsonaro, em Bento Ribeiro. Tudo isso precisa ainda ser confirmado”. (Augusto de Franco, via twitter).

  6. Nenhum bovino radical seguidor fiel do bolsonarismo apareceu aqui até agora para mugir contra a prisão do Queiroz, o homem de confiança da familícia Bolsonaro.

    Acho que a dose diária de capim ainda não foi distribuída pelo gabinete do ódio.

  7. “Geralmente começa assim:

    Se for culpado, que pague…

    MAS (é na adversativa que o demônio faz a festa).

    E os outros da alerj?
    Talvez estejam querendo atingir o presidente.
    Não sei, pode ser uma prisão política.
    Peraí, eu acho que é uma prisão política, héin?!”.

    (Do cartunista André Guedes, via twitter).

    Link dele: https://twitter.com/aguedescartoon

  8. “Havia uma singela placa na portaria da residência onde Fabrício Queiroz foi preso na manhã desta quinta, 18, em Atibaia: “Sonho Meu”. Esse era o nome dado à chácara que pertence a Frederick Wassef, advogado de Queiroz na investigação no caso das rachadinhas. Wassef também advoga para o senador Flávio Bolsonaro na mesma investigação e para o presidente Jair Bolsonaro.

    A chácara de Wassef serviu de abrigo para Queiroz e sua mulher ao longo de um ano, segundo informou o delegado Osvaldo Nico Gonçalves para a GloboNews. A região onde fica o imóvel é bastante arborizada e mais centralizada em comparação ao sítio de Lula, localizado na mesma cidade. O imóvel “Sonho Meu” fica relativamente perto da Rodovia Fernão Dias e a menos de 75 quilômetros do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde Queiroz em determinado momento fez tratamento contra um câncer.”

    (João Batista Jr. – Veja).

    Link: https://veja.abril.com.br/blog/veja-gente/nome-casa-onde-queiroz-estava-atibaia/

    *A chácara da prisão se chama “Sonho Meu”. E assim vai se aproximando do fim o “sonho de uma noite de verão” da quadrilha bolsonarista no poder.

  9. Esse Advogado não apenas é de Flávio Bolsonaro não. Ele também é do Presidente Bolsonaro. Segundo uma matéria, ele frequentemente é visto no Palácio do Planalto.

  10. Os robôs começaram a enferrujar… rsrs

    Cadê os defensores do indefensável?
    Como está o cocktail de Rivotril com Dipirona?
    Meio ruim, né?

    Sempre disse aqui: na família rolo, tudo é enrolado!!
    Agora a situação passou a ser escabrosa de tão enrolada.
    PQP!!

    Desde 1991: 296 assessores e ao menos 102 parentes.
    HAJA ROLO!!

    Atenciosamente.

  11. Vamos lembrar que Queiroz, em áudio vazado, reclamou que estava abandonado, reclamando de que sentia falta de proteção e que até Adélio estava sendo bem cuidado comparado a ele.
    – Será que Adelio, na verdade, íntegra o grupo(?) confirmando de que a facada foi uma montagem(?)

  12. – Flávio acordou todo cagado

    – Agora é manter Queiroz preso e forçá-lo a uma delação premiada.

    – Vamos observar quantos Advogados comparecerão

  13. Tento ser, na medida do possível, do que sei, do que tenho de experiência, de acordo com a minha capacidade mental, um sujeito coerente, sensato, que tem uma bitola de trilhos para seguir com o seu trem já velho e corroído pela ferrovia abandonada.

    O artigo assim informa:
    “Policial Militar aposentado, Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão em sua conta de maneira considerada “atípica”, segundo relatório do antigo Conselho de Atividades Financeiras (Coaf).”

    Lembro-me que, à época que fomos informados dessa descoberta do tal órgão controlador, e também dos 24 mil reais transferidos à conta bancária da primeira-dama, fiz um comentário contundente contra o tal Coaf.

    Eu aplaudia a descoberta da “movimentação atípica” por Queiroz, mas eu perguntava os porquês das fortunas roubadas pelos petistas – o caso Geddel foi o mais escandaloso com seus 52 milhões em ESPÉCIE jogados em um apartamento -, que passaram em branco pelos fiscais responsáveis pelas movimentações bancárias!

    Pensando daqui, dali, de cá para lá, obtive uma conclusão:
    O Coaf não descobria os roubos de BILHÕES de reais porque não eram advindos de “movimentações bancárias”!!!!
    Quem quisesse roubar do povo, do país, deveria ser em dinheiro vivo!

    Não foi por acaso, que se descobriu ontem ou anteontem, uma grana polpuda no subteto da casa de um secretário do Rio de Janeiro, ligado à saúde pública!
    Afora os milhões sempre encontrados nos imóveis dos ladrões descobertos pela Lava Jato -por sinal completamente desaparecida! -, que o Coaf ou se fazia de salame ou não lhe interessavam os golpes que fomos vítimas antes de Bolsonaro for eleito.

    Ótima a prisão de Queiroz, que deverá esclarecer essa história da rachadinha, um artifício desonesto e de extorsão qualificada contra os salários de quem é “convidado” para fazer parte do gabinete de um parlamentar, sistema mais antigo que se andar para a frente, e utilizado por onze parlamentares em cada dez deles!

    Mas, o Coaf, ah, o Coaf …
    Eu queria apenas perguntar ao … Coaf, o que o Coaf fazia antes de Queiroz!

    Praticava suas infindáveis gafes?

    O Coaf era conhecido como pornografe (descrever ou agir de forma pornográfica, explicitando particularidades do ato sexual), ou seja, a atividade parlamentar feita com o contribuinte?

    A descoberta da atividade bancária de Queiroz foi uma epigrafe (uma história com nome cômico, “rachadinha”)?

    O Coaf, no caso de Queiroz, deixou de usar o tradicional anafafe (travesseiro), utilizado para abafar casos anteriores mas, do Flávio, deixou que o golpe não fosse sufocado?

    O Coaf justificaria a “descoberta” como um Asafe (Deus quis, em hebraico)?

    Ou a operação que redundou na prisão de Queiroz irá se chamar “Desabafe”?

    Ou, antes de ter sido localizado Queiroz, o atual governo denominou da Abafe?

    Ou sabe-se lá, o Coaf constatou em Queiroz , e somente em Queiroz, que nada mais era do que um bitafe!

    De minha parte, consultarei um médico para tratar da minha úlcera, e que ele me forneça através da sua anágrafe, medicamentos adequados!

      • Caro amigo e conterrâneo, Souza/POA-RS,

        Então vou te explicar, lógico, e peço perdão por eu não ter escrito de maneira que não entendeste.

        1 – Aplaudo terem encontrado o Queiroz;

        2 – Certamente ele deverá esclarecer a questão do envolvimento do atual senador Flávio Bolosnaro ou não, no esquema “rachadinha”;

        3 – Essa maneira desonesta, de extorquir parte do salário de assessores lotados em gabinetes de parlamentares é mais velha do que andar para a frente, e utilizada por onze parlamentares a cada dez deles, ou seja, lá pelas tantas, tem assessor tomando parte do salário do seu subalterno;

        4 – O Coaf fez um estardalhaço quando veio a público noticiar que o assessor do então deputado Flávio, havia movimentado na sua conta mais de um milhão de reais, que denominou de atípica;

        5 – O Coaf não poderia ter feita a mesma fiscalização nas contas do PT?

        6 – Nas contas bancárias das empreiteiras?

        7 – Nas contas dos dirigentes do PT?

        8 – Nas contas de Temer?

        9 – Se um parlamentar recebe 160 mil mensais, o movimento de Queiroz equivaleu-se a oito meses de proventos de um parlamentar;

        10- O Coaf jamais percebeu, por exemplo, que um parlamentar poderia movimentar na sua conta 50, 100 vezes mais que o Queiroz, então o meu exemplo com Geddel, onde em um de seus imóveis foram encontrados largados em caixas de papelão 52 milhões de reais, ou seja, 50 vezes mais que a “movimentação atípica” de Queiroz?
        11 – Evidente que o descaso do extinto Coaf com outras contas correntes de parlamentares e seus assessores não pode servir de exemplo para que a de Queiroz fosse deixada livre do faro dos fiscais à ápoca, nada disso;

        12 – No entanto, Souza, causa espécie, estranheza, curiosidade da minha parte, pelo menos, que outros chefes de gabinete tinham E TÊM o mesmo procedimento, e o Coaf ou não investigava, logo, negligente ou atendendo interesses escusos ou apenas visou o filho de Bolsonaro porque o seu pai havia sido eleito Presidente do Brasil, caso contrário, este caso sequer teria sido ventilado?!

        Enfim, se o meu texto causou uma certa dubiedade, que eu poderia estar defendendo o atual senador ou sendo contra a prisão de Queiroz não foi assim que eu quis dar a entender.

        Flávio e Queiroz precisam, e devem ser investigados, porém lamento muito que os demais assessores de qualquer parlamentar no Legislativo nacional, hoje estejam livres, leves e soltos, por essa prática COMUM, INCLUSIVE OS AUTORES DO GOLPE, os próprios vereadores, deputados estaduais, federais e senadores!

        Então, meu caro, o meu comentário, que o Brasil continua sendo um país desigual, que age politicamente de forma deletéria e deplorável, causa básica dessa corrupção incurável e cada mais grave que nos assola!

        Maravilha que a nação brasileira tenha mais um ou dois bandidos na cadeia, mas cadê os outros?
        Ou, a rachadinha era somente Flávio e Queiroz, que a praticavam?!

        Finalizo, gaudério:
        Um milhão e pouco de reais perto dos CINQUENTA E DOIS DE GEDDEL, e em dinheiro vivo, sinceramente, mas não sei se lamento o azar de Queiroz ou me rendo à sorte extraordinária da família Geddel, que o Coaf não descobriu nada de “irregular” nas contas dessa gentalha!

        Eu apenas quis mostrar o ridículo e projeção superestimada de um episódio corriqueiro, comum, cotidiano, no meio político.

        Espero que eu tenha me feito entender agora, Souza.

        Abração.
        Saúde e paz.
        Te cuida, meu!

          • Souzza, meu caro,

            Vou aproveitar o teu texto para dizer mais:
            Nada contra, evidentemente nada contra, pelo contrário, que tenham encontrado e prendido Queiroz.

            Mas, a questão que me leva a pensar, é que não devemos questionar a Justiça, os órgãos fiscalizadores, os encarregados das movimentações bancárias – para mim uma surpresa, pois eu pensava no que respeito o sigilo bancário, o que lhe aconteceu? -, mas na sorte ou azar do “descobrido”!

            Souzza, convenhamos:
            Um milhão e duzentos mil na conta de um assessor ou de um deputado é troco!
            É dinheiro de xisburguer, uma comprinha em um supermercado qualquer de Brasília, Rio ou São Paulo!

            Ou seja, a questão do atual senador e de seu ex-assessor, somente poderemos atribuir à metafísica, aos cálculos das probabilidades ou por que política, a descoberta “atípica” de dinheiro nas contas de Queiroz?!

            De todas as formas, este caso abre mais uma das tantas facetas nos “podres” constituídos, que não visam a probidade, a seriedade, a honestidade com o dinheiro do trabalhador, do contribuinte mas, apenas e tão somente, a rinha entre predadores, a briga de hienas, a disputa pelo dinheiro, enquanto aumentam a miséria, a pobreza, o desemprego, o analfabetismo …

            Abração.
            Saúde e paz.
            Te cuida, meu!

        • Caro Bendl,o COAF antes estava com o ministério da justiça,por obra e graça do Sr.Bolsonaro,passou para setor do Guedes,(chicagoboy),que blindou seus filhos,e Toffoli.
          Por,sinal Toffoli recebeu alcunha ser dos “NOSSOS”.
          Mas,por trás dessa singela rachadinha e existe coisas além do horizonte.
          Elementar meu caro Watson.
          Agora,fazer comparações com o Geddel, independente do valor,o delito é o mesmo,CRIME .O processo do Geddel, não está extinto,apenas voltou para juiz singular.
          De outra banda,aqueles na sua visão estão impune,”se” não houver denuncia, não tem como o inquérito iniciar, não tem partes.

          Mas,ainda não entendi,o amigo na posição de Robin Hood.

  14. 1 – GASTOS EM DEBATE
    O presidente do Tribunal de Contas da União, José Múcio Monteiro, participa nesta quinta-feira, 18, de uma audiência pública da Comissão Especial da Covid-19 no Congresso Nacional.

    O objetivo é discutir e acompanhar os gastos públicos no combate à pandemia. O momento coincide com uma série de investigações em estados e no governo federal sobre o superfaturamento, sobrepreço e desvio de dinheiro na compra de respiradores. Com o decreto de estado de emergência em saúde, publicado em fevereiro, a compra de equipamentos dispensa licitação.

    Na semana passada, o MPF de Brasília abriu um inquérito para apurar suposta irregularidade na execução de contratos emergenciais firmados pela União, por intermédio do Ministério da Saúde. A PF também está investigando o desvio de dinheiro para o combate ao coronavírus em pelo menos três estados: Rio de Janeiro, Pará e Amazonas. No Rio, o caso levou ao pedido de impeachment do governador Wilson Witzel (PSC).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *