MPF marca acareação entre Flávio e Paulo Marinho sobre vazamento de operação que apura ‘rachadinhas’

Flávio não tem a obrigação de colaborar voluntariamente

Deu no O Globo

O Ministério Público Federal (MPF) marcou para o dia 21 de setembro a acareação entre o empresário Paulo Marinho e o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), prevista para acontecer no procedimento que investiga o possível vazamento de informações sigilosas sobre a Operação Furna da Onça, deflagrada em 2018.

As informações são do Jornal Nacional, da TV Globo, e foram confirmadas pela procuradoria. De acordo com o MPF, o procurador Eduardo Benones, responsável pelo caso, expediu intimação direcionada a Flávio através da Procuradoria-Geral da República (PGR).

OBRIGATORIEDADE – Apesar da intenção da procuradoria em reunir Marinho e Flávio para posteriormente confrontar a versão de ambos sobre o episódio, o parlamentar não tem a obrigação de colaborar voluntariamente em um ato processual como esse. Ele não é investigado, uma vez que o procedimento apura, até agora, eventual crime de um ou mais servidores públicos que podem ter vazado informações sobre a operação da Polícia Federal (PF).

Em nota, a defesa de Flávio informou que ele ainda não foi intimado para a acareação e reforçou ” a  prerrogativa legal dos parlamentares federais de ajustar dia e hora da sua conveniência com as autoridades para a realização de depoimentos”. O senador já foi ouvido pelos investigadores há um mês e negou ter recebido informações vazadas sobre a operação. Procurado, Paulo Marinho também informou que ainda não foi notificado oficialmente sobre a data.

PROVOCAÇÃO – Em julho, Marinho já havia “provocado” Flávio e dito que estava à disposição do MPF para a acareação, bastando marcar hora, data e local. “Reafirmo tudo que relatei nos meus três depoimentos. Já o senador assumiu que esteve na minha casa na reunião do dia 13/12/18, mas não soube de nada. Francamente, senador!”, escreveu o empresário em uma rede social.

VAZAMENTO –  O empresário acusa o senador de ter tido acesso antecipado a uma ação da Polícia Federal contra seu ex-assessor parlamentar, Fabrício Queiroz. A denúncia de Marinho, feita em maio à Folha de S.Paulo, foi classificada por Flávio como uma “invenção de alguém desesperado e sem votos”. Marinho, que é presidente do PSDB no Rio de Janeiro, também é pré-candidato à prefeitura da capital fluminense.

O tucano já prestou três depoimentos, sendo dois à PF e um ao MPF. Flávio também falou ao MPF, e admitiu ter pedido e realizado uma reunião com Marinho em dezembro de 2018 — mas negou o vazamento de informações sobre a Operação Furna da Onça. Um trecho do depoimento do senador foi divulgado em 31 de julho pelo “Jornal Nacional”, da TV Globo.

“É uma situação que vai acontecendo. A imprensa atirando pedra em mim, eu tinha que me defender, procurar um advogado. Foi essa a intenção (de se reunir com Marinho), porque o Marinho eu tinha a percepção de que era uma pessoa bem relacionada no mundo jurídico. Então fui consultá-lo pra ver se ele tinha uma pessoa para indicar”, disse Flávio.

9 thoughts on “MPF marca acareação entre Flávio e Paulo Marinho sobre vazamento de operação que apura ‘rachadinhas’

  1. Se parássemos um pouco a nossa lida diária e olhássemos para o status quo do país, especialmente a classe política, veríamos que não temos esperanças de um bom futuro – parece estar tudo perdido: o governo cego em seus propósitos sujos, militares que deveriam dar exemplo de honestidade e patriotismo se prestam a ser lacaios de um desmiolado, um congresso putrefato e um STF que deixa muito a desejar. O que nos resta fazer?

  2. Será que o 01 vai à acareação? Ou vai entrar também na justiça para não ir, assim como faz para que não haja a quebra dos seus sigilos?

    A covardia é a sua marca.

  3. Esse idiota não aguenta uma acareação nem comigo que não tenho nada com isso.

    Um peixe ganha dele fácil, fácil!!

    Uma ameba da um nó na cabeça dele.

    Uma minhoca da
    um Ippon nele sem fazer força.

    Se uma formiga fizer BÚUU, o machão se borra todo na calcinha.

    Isso é um pedaço de tolete que virou senador.

    A casa do pústala vai cair, será pego a qualquer momento.

    Não podem corromper o brasil inteiro. Nem o molusco conseguiu.

    O desmemoriado é um lixo!

    No dia da acareação, vai passar mal, vai correr… podem anotar.

    Cordialmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *