Mudança no ministério: Temer troca zero por 171

Imagem relacionada

Jardim também será derrotado pela Lava Jato

Augusto Nunes
Veja

A mudança que tentou transferir Osmar Serraglio para o Ministério da Transparência e instalou Torquato Jardim no Ministério da Justiça pode parecer aos desinformados outra troca de seis por meia dúzia. Engano. O que fez o presidente Michel Temer foi trocar o zero pelo 171. Serraglio, que nunca existiu como ministro, iria para um ministério inexistente. Torquato melhorou de endereço para reforçar a tropa que insiste em deter o avanço da Operação Lava Jato.

Em maio de 2016, numa entrevista a um jornal do Piauí, o agora ministro da Justiça formulou quatro perguntas, abaixo reproduzidas, para provar que a mais bem sucedida ofensiva anticorrupção da história do Brasil não passa de uma irrelevância inconsequente. Confiram:

1) O que mudou com o impeachment de Fernando Collor?

2) O que mudou depois da CPI do Orçamento, quando os sete anões foram cassados?

3) O que mudou com o Mensalão?

4) O que vai mudar com a Lava Jato?

VAMOS DESENHAR – Ao livrar-se de Collor, o Brasil substituiu um caso de polícia por um insuspeito Itamar Franco, cujo governo, com Fernando Henrique Cardoso no Ministério da Fazenda, instituiu o Plano Real, domou a inflação estratosférica, impôs a responsabilidade fiscal e deixou o país pronto para um sucessor provido de cinco neurônios. Depois da CPI do Orçamento, o Congresso ficou com sete delinquentes a menos. A devassa do Mensalão ensinou que, além de pobres, pretos e prostitutas, as cadeias têm vagas para meliantes da classe executiva, como José Dirceu, José Genoíno ou Delúbio Soares. A quarta pergunta induz à suspeita de que Torquato mora em outro planeta. A Lava Jato já mudou o Brasil.

O balanço dos três últimos anos informa: já não há condenados à perpétua impunidade, presídios existem para hospedar também ex-presidentes, camburões espreitam a turma do foro privilegiado, figurões da política e do empresariado cabem em celas e beliches. Fora o resto. Tudo somado, o povo aprendeu que os corruptos e seus defensores não têm musculatura para deter a devassa das catacumbas. Se tentar sabotar a Lava Jato, o ministro Torquato será despejado do novo gabinete antes de decorar o ramal da secretária.

5 thoughts on “Mudança no ministério: Temer troca zero por 171

  1. Pouca farinha meu pirão primeiro.
    A republica coronel-sindicalista entrou em luta antropofágica. De um lado os coroné-tradicioná e do outro os coroné-sindicalista. E no meio, indecisos, tentando escolher o lado vencedor renan, sarney e quadrilha.

  2. Artigo contundente, irrepreensível, mostrando que as palavras de ministros são modificadas conforme a situação, ainda mais quando lhes apraz, evidenciando que o caráter pode ser moldável e adaptável, curiosamente!

    Agora, pobre daqueles que discordam de uns e outros com relação a esta política brasileira ignóbil, deletéria e abjeta.

    E cuidem-se aqueles que emitem suas opiniões contrárias a certos endeusamentos de malfeitores, ladrões e criminosos, elaborados por bajuladores!

    Independente dos fatos, de documentos comprobatórios, de entrevistas, que contradizem parlamentares ou membros do Executivo como este novo ministro da Justiça, que pretensiosa e arrogantemente deita cátedras sobre a Lava Jato, surgem inexplicáveis e injustificáveis defesas da conduta contraditória deste senhor, porém não apresentadas mediante alegações ou motivações, mas com base na ofensa, na degradação, na tentativa infrutífera de desqualificar o crítico!

    E não se trata de uma pessoa comum, mas um profissional liberal, gente que se imagina ter comportamento à altura do curso superior e função desempenhada!

    Evidentemente que esta demonstração antidemocrática indiscutível e de cerceamento à liberdade de expressão, comprova o cinismo e a hipocrisia enquanto interesses e conveniências pessoais e profissionais não forem atingidas diretas ou indiretamente, pois as reações são grosseiras, mal educadas e desrespeitosas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *