Mulher de Mantega não fez “cirurgia”, foi apenas uma desculpa para libertá-lo

(Compartilhado de humorpolitico.com.br)

Charge do Mário, reprodução do Humor Político

Carlos Newton

O ex-deputado José Genoino foi o primeiro petista a lançar mão de doença grave para escapar da Penitenciária da Papuda e ganhar direito à prisão domiciliar. Ele deixava de tomar remédio para hipertensão, fingia passar mal, a mulher se descabelava, a filha caia num choro desesperado, diziam que ele podia morrer a qualquer momento, e o ex-presidente do PT conseguiu ser “tratado” em casa.

OSCAR DE COADJUVANTE – Reconheça-se que Genoino desempenhava o papel com raro brilhantismo, merecia o Oscar de Coadjuvante. Hoje está solto (embora investigado pela Lava Jato), vive numa boa, recebe R$ 25 mil mensais da aposentadoria como deputado, isento de Imposto de Renda, além da chamada Bolsa  Ditadura, e chegou a exigir equiparação aos parlamentares da ativa (R$ 33 mil) alegando doença grave, mas o serviço médico da Câmara negou, vejam que vexame para alguém que se dizia um valoroso guerrilheiro do Araguaia, mas depois  passou a ser acusado de trair os companheiros.

Na trilha de Genoino surgiu agora o ex-ministro Guido Mantega, que sexta-feira escapou da prisão e da viagem para a República de Curitiba. Para se livrar dos federais, ele alegou que sua atual mulher, que sofre de câncer desde 2011, estava prestes a ser operada quando os policiais chegaram ao Hospital Albert Einstein.

EXAME DE ENDOSCOPIA – Na verdade, não se tratava de cirurgia e Mantega estava no Departamento de Endoscopia, onde a mulher faria um simples exame. Ao ser informado de que os federais estavam na portaria, esperando por ele, Mantega ligou para o advogado José Roberto Batochio, que disparou para o hospital.

A imprensa escrita, falada e televisionada já estava no Albert Einstein e o ilustre causídico então fez a festa.  Inventou que a mulher de Mantega estava em procedimento para entrar em cirurgia, já tinha sido até “pré-anestiada”. Batochio fez um escândalo que comoveu os jornalistas e a opinião pública. A repercussão foi tamanha que levou o juiz Sérgio Moro a imediatamente revogar a ordem de prisão. Todos julgavam que a mulher de Mantega estava sendo operada de câncer e ficaram penalizados, imitando o personagem-amigo Otto Lara Resende, que Nelson Rodrigues apregoava somente ser solidário no câncer.

Era tudo conversa fiada. Tratava-se um simples exame de endoscopia no estômago, procedimento corriqueiro que nem exige anestesia local, quanto mais geral… Mas quando se descobriu a verdade, Mantega já tinha sido libertado…

CONSERTANDO O ERRO – Como na vida tudo tem seu lado positivo, a mentira inventada por Batochio serviu para o juiz Sérgio Moro consertar o erro cometido ao mandar prender Mantega. Ao contrário de ladrão que rouba ladrão, o ex-ministro merece 100 anos de prisão pelos crimes cometidos contra o país, mas deve ser preso pelo conjunto da obra, e não por representar ameaça à ordem pública, conforme a justificativa equivocada que o juiz federal utilizou.

O magistrado extrapolou na ânsia de prender Mantega, porque certamente se trata de um criminoso vulgar, conforme ficou demonstrado quando substituiu Carlos Lessa no BNDES e colocou a instituição estatal a serviços dos banqueiros. Uma das primeiras medidas saneadoras de Lessa tinha sido proibir que operações acima de R$ 10 milhões fossem intermediadas por bancos comerciais, que levavam 4% do total da financiamento sem mover uma palha e sem entrar com um tostão, era o melhor negócio do mundo.

PARA ATRAVESSAR A RUA… -“Não posso pagar 4% aos bancos para o BNDES emprestar à Petrobras, porque o dinheiro só vai atravessar a rua” – ironizou Lessa ao justificar a decisão, referindo-se ao fato de a sede do BNDES se situar em frente ao prédio da Petrobras.

E o que fez Mantega? Na maior encolha, sem divulgar nada, restabeleceu o sistema antigo de conceder os 4% pela intermediação. Por essa gentileza, passou a ser tão prestigiado pelos banqueiros que eles o ajudaram a ir ocupar o Ministério da Fazenda, quando houve o escândalo que detonou Antonio Palocci, o sanitarista que tirava onda de economista e depois virou próspero consultor, um verdadeiro fenômeno, tipo os filhos de Lula…

FALSA CIRURGIA – A assessoria do Hospital Albert Einstein tentou desfazer o equívoco e até perguntou a Mantega se poderia divulgar nota esclarecendo qual o procedimento médico realizado na mulher dele. O ex-ministro proibiu, mas não adiantou nada, porque foi logo desmentido pela filha Marina, que revelou se tratar apenas um exame de endoscopia, sua madrasta não sofrera cirurgia.

Como se vê, Mantega e Genoino têm algo em comum, além da corrupção no trato dos recursos públicos. Para escapar da prisão, os dois renomados petistas se submetem a qualquer baixeza. Aliás, não seria mesmo possível esperar qualquer ato de dignidade por parte desses maus brasileiros. (C.N.)

13 thoughts on “Mulher de Mantega não fez “cirurgia”, foi apenas uma desculpa para libertá-lo

  1. Na minha opinião essa solidariedade ao drama pessoal foi ridícula. Uma coisa não tem nada com a outra. Se a moda pega, ninguém mais vai pra cadeia além do que é claro que somente os ricos terão esse privilégio.

  2. Mantega terá a sua pena agravada por obstrução à justiça, ao fim da Operação em curso. Não tenho dúvida.
    O advogado e dramaturgo Batrachio será alcançado também, por certo. O drama idealizado por ele no contexto da “fuga” do seu cliente das mãos da PF foi genial, mas inócuo.
    A Administração do Hospital Albert Einstein também terá muito a explicar na história de cobertura dada ao Mantega.
    Por fim, a Polícia Federal já iniciou investigações preliminares para apurar os fatos e depois, se for o caso, instaurar Inquérito Policial, para esclarecer tudo e dar nome aos mantegas e batráquios petistas envolvidos na trama bem urdida pela dramaturgia petralha.
    Ótima matéria, Carlos Newton.

  3. Caro Newton, assino em baixo, há um ditado que diz: a mentira tem pernas curtas, menos as do PT, que tem pernas longas, e a cada dia cresce mais.
    A fala de sua filha, desmentindo a cirurgia fajuta, é prova contundente de achincalhar a Srª Justiça.
    O Zé e Maria Povinho, estão de olho, queira Deus que no próximo domingo, renegue o PMDB< PT< PSDB, os partidões , e seus penduricalhos, votando com consciência e dignidade, o problema, é: Quem é confiável?? para receber o voto! Tá dificil!!!

  4. Pronto Dr. Moro , tá provado mais um crime da ORCRIM PETRALHA OU JURIDICA/PETRALHA, já que seus “cúmplices” os deixam soltos e impunes para praticarem um crime atrás do outro. Nessa segunda feira leve os meliantes petralhas para a Cadeia, mesmo que haja desmaios ou chiliques dos que fazem o SOMOS TODOS FRAUDES !!!!!

  5. Advogados – Um dia aparecerá alguém que tratará de legislar coibindo a ação espúria de advogados. Nela, todo advogado que mentir ou utilizar recursos fraudulentos para obstacular a Justiça ou induzir juízes a erro de julgamento será condenado à mesma pena que a que for sentenciado o seu constituinte, se comprovadamente culpado… Nesse dia juro que tomarei um belo porre!

  6. Exagero: Batochio não fez escândalo nenhum. Falou com os policiais que acompanharam Mantega até em casa e depois voltou. Quem falou com a imprensa que sua mãe fora fazer uma endoscopia foi a filha de Mantega. Reclamou das redes sociais das ofensas a seu pai. Disse que o pai não roubou nada de ninguém, que não precisava. Quanto a Batochio depois de dialogar com policiais, levou uma mini vaia na saida. A pergunta que se faz é: Endoscopia é para ver se o paciente tomou sorvete? Não, só em casos de suspeita de cancer é que se faz endoscopia.

  7. Repondo a verdade dos fatos: Batochio em entrevista diz que a filha de Mantega está sendo usada; não é endoscopia. A esposa de Mantega faz tratamento de cancer desde 2011. Já fez três cirurgias. A polícia tem o boletim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *