Na ciência, mudanças paradigmáticas; nas religiões, reformas pragmáticas

José Reis Chaves

Alguém disse uma grande verdade, ou seja, que a evolução é uma lei tão poderosa tal qual a da gravidade. Ninguém consegue, pois, contê-la. Aliás, para a física quântica, tudo no Universo é movimento, vibração. E a evolução é sempre um movimento para a frente, para o mais perfeito, para o melhor e, espiritualmente, para o amor, e, portanto, para Deus.
O velho paradigma científico-filosófico mecanicista e reducionista de Newton e Descartes serve às ideias materialistas, apesar desses dois grandes expoentes da ciência e da sabedoria terem sido espiritualistas.

Já o novo paradigma científico da física relativista-quântica identifica-se plenamente com o espiritualismo, principalmente o oriental e o da doutrina dos espíritos codificada por Kardec.

O pragmatismo é uma doutrina filosófica que defende uma verdade calcada na sua utilidade. Daí um regulamento do poder civil medieval para as cerimônias da corte e da hierarquia eclesiástica, com práticas protocolares objetivas úteis à corte e à hierarquia eclesiástica.

Segundo Moacir Costa de Araújo, “A Nova Física do Espírito”, Ed. Age, Porto Alegre (RS), bacharel em direito, Mestre em Linguística, professor universitário, em Porto Alegre (RS), de física quântica, com três pós-graduações nessa área, um novo paradigma político destrói o antigo, mas um novo paradigma científico não destrói o velho, apenas o faz avançar.

Cremos que, para as religiões, não surgem bem novos paradigmas, mas novos pragmatismos, com um misto de conservação e destruição dos antigos, fazendo surgir, assim, novos princípios doutrinários pragmáticos úteis, por serem baseados na verdade. E, segundo Kardec, a fé deve ser raciocinada, a fim de que ela seja inabalável em qualquer época.

INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA

O estilo literário do gongorismo, cheio de metáforas e imagens, e que não é, pois, nada pragmático, é muito do gosto dos teólogos, principalmente para a interpretação da Bíblia, com raciocínios abduzidos e apagógicos, isto é, ricos de palavreados eruditos e complexos, com o objetivo de esconderem o vazio do conteúdo dos seus argumentos. E ainda dizem frequentemente que se trata de mistérios de Deus, sendo isso o motivo de esses argumentos serem confusos e ininteligíveis!

O homem do século XXI não pode ter o mesmo conceito de Deus do homem dos 4º e 5º séculos. A Igreja, nos seus concílios ecumênicos, fez sempre reformas e adaptações em suas doutrinas, atualizando-as, ou anulando umas e criando outras novas. Por que, então, atualmente, ela está, como se diz, dormindo no ponto?

Assim como os novos paradigmas científicos e filosóficos vão surgindo e autoafirmando-se, as religiões deveriam também ter novos princípios pragmáticos, reestruturando-se, de acordo com a evolução, e fundamentadas na verdade dos verdadeiros e renovados princípios filosóficos e teológicos, principalmente os a respeito de Deus, atualizando-os de acordo com o grau de evolução de cada época.

Não entendo por que algumas religiões ficam paradas na mesmice de sempre, ou se buscam reformas, é só no passo da tartaruga!

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

11 thoughts on “Na ciência, mudanças paradigmáticas; nas religiões, reformas pragmáticas

  1. Senhor moderador, solicito-lhe considerar este post, desconsiderando o que lhe enviei anteriormente…muito obrigado…coloque apenas o texto em post…

    Utilizando-me apenas da oração final – “Não entendo porque algumas religiões ficam paradas na mesmices de sempre, ou se buscam reformas, é só no passo da tartaruga!” – para fazer um rápido comentário…qualquer religião leva ao seu fiel a crença de algo sempre melhor para suas vidas, sempre proporcionada na reverencia a um Criador…está na nossa genética social a lenda do Olimpo, quando deuses existiam só a partir da fé e da reverencia humana a eles, os deuses…Ainda no século XXI, carece o homem da “fé raciocinada” apregoada por Allan Kardec…ora, se de fato a crença humana um dia raciocinar sobre a fé num ente Criador – que Kardec afirmava chamar-se de Espirito Verdade -, ela deixará de existir, dando lugar a qualquer outro tipo de crença em algo, caso o homem insista ainda em não crer em si mesmo e em sua capacidade de agir por si para melhorar-se..Oppenhaimer escreveu certa vez que “a vida é uma sequência de fatos e ações descendentes, fatos e ações que tem uma origem e sempre com melhorias e benefícios, criando assim sucessivamente outros fatos e ações e sempre com melhorias e benefícios, queira ou não o homem admiti-lo”…e é o que escreve aqui no preambulo deste texto, seu autor…

  2. A religião foi inteiramente feita pelo homem, que não confia nas suas próprias pregações. Eis a razão de não permitir a coexistência entre as diversas crenças.
    A física quântica nega a existência de Deus, pelo menos como a divindade é entendida pelas crenças. Não pode ter havido Deus que criou o início, já que o início nunca foi criado. Não houve início dos tempos. A física quântica mostra exaustivamente que o tempo é elástico e que sempre existiu.
    Não devemos misturar as coisas. A existência de um mamífero humano como Kardec (apelido, seu nome era Hipólito) e de uma Madre Teresa (também apelido de Agnes Bojaxhiu, freira albanesa ambiciosa, rica, que queria guardar suas riquezas no Céu, onde as traças não as deterioram, nem onde os ladrões podem roubá-las).
    Nem Kardec, nem Madre Teresa foram espiritualistas, mas profundamente materialistas e mistificadores. Mitomaníacos e paranoicos.
    Física quântica nada tem a ver com superstição, culpa e medo da morte, três ingredientes necessários, mas não suficientes, para qualquer doutrinação religiosa. Querem tomar uma carona na física quântica para continuarem a praticar as diversas religiões, que estão cada vez mais com menos adeptos. Evolucionismo nada tem a ver com criacionismo. Na verdade, é a sua negação.
    “Nova Física do Espírito” é pura baboseira, não importa quantos canudos o autor tenha colecionado. A bíblia nada tem a ver com a física quântica, sendo apenas uma coleção de livros caóticos, desacreditados e contraditórios. Quem acredita em um Deus está exatamente mostrando que acredita em qualquer coisa. As piores pessoas que encontrei são exatamente pessoas religiosas. Quanto mais vil for o seu caráter, mais devotas elas se revelam. Homens fanáticos como Moisés e Maomé nada mais foram que prosélitos religiosos profundamente ignorantes e incultos. Todos os livros sagrados são profundamente materialistas. O Livro dos Médios do impostor Alan Cardec e seu Livro dos Espíritos constituem pura invenção. O livro de Salomão nada mais fala que de riquezas de dar água na boca. O livro do Gênesis atribuído ao mamífero humano Moisés inventou um homem feito à imagem e semelhança de um Deus, que recebeu “livre” arbítrio, mas proibido de usar tal arbítrio. Em outras palavras, recebeu liberdade, mas com proibições impossíveis de serem cumpridas. Só uma mente muito doentia como a do mamífero Moisés seria capaz de tal bolação. As religiões só falam nas recompensas materiais para o bom muçulmano, nas riquezas de Salomão e nas famigeradas histórias de saques e despojos. Todos os clérigos, pastores e prelados religiosos são treinados como uma foca, ou como um elefante no circo, para agirem exatamente como agem. Homens e mulheres cínicos, toscos, deseducados, incultos e grosseiros esperam o momento psicológico adequado para saquearem os fiéis ingênuos e pessoas humildes. Todos os livros sagrados são o reino do desprezível materialismo. Nada a ver com a física quântica.

  3. Sem querer ofender a fé religiosa de quem quer que seja, li certa vez, não me lembro mais o autor, que lá pelo ano 600 da nossa era, evangelizadores seguiam junto aos cruzados com a finalidade de propagar a fé cristã. Formavam núcleos pelo oriente médio, muitos dos quais foram abandonados por guarnições militares preocupadas com a própria sobrevivência e esquecidos pela própria igreja, como aquele militar retratado num filme intitulado Dança com os Lobos. Sabemos que a alfabetização e o conhecimento no ocidente era monopolizado pela igreja desde o fim do império romano. Assim, esses evangelizadores tinha boa noção da escrita também. Como aquela população era tremendamente iletrada, não foi difícil a muitos deles influenciarem núcleos populacionais locais. É sabido que Maomé era um homem de caravana, casado com um a mulher de família influente economicamente. O que diz o livro é que esse ou esses evangelizadores influenciaram-no sob o ponto de vista espiritual e que houve uma adaptação às condições históricas e locais para se criar um movimento político religioso. Resumindo. É inconcebível que uma pessoa analfabeta possa ter redigido o Corão daquela forma, com aqueles versos impecáveis, naquela época e região, como se fosse milagre, que o cristianismo primitivo usava e abusava, ainda mais com citação de Anjo Gabriel e viesse a considerar Cristo um profeta, etc. etc. E a história logo após veio demonstrar tratar-se de um movimento fundamentalmente político e econômico, mascarado, é lógico, de espiritualidade. A prova é que ao ingressarem mais adiante na península Ibérica seus interesses foram muito mais econômicos, ao substituírem os visigodos nos tributos, que evangelizadores. Toleraram abertamente o vinho na península e se guerrearam por razões puramente econômicas entre os anos 900 e 1100.

  4. É muita besteira!.
    A religião quer cristo deixou, é esta: amai,a DEUS sobre todas as coisas, e, ao seu próximo como a ti mesmo!
    O reino de DEUS,não tem nada a ver com o quer é praticado pela igreja católica,islamismo etc..
    CRISTO revelou o evangelho puro aos seus santos apóstolos, que não buscavam sua glória pessoal,pois bem sabiam que não eram nada diante da magnificência e soberania de DEUS.
    UM DEUS criador, que só não ver quem.
    O HOMEM, quis segui, sem DEUS deu no que deu.VEMOS o resultado destruição, maldade, fome,ganância e tudo de ruim que tem assolado o homem em sua trajetória na terra. QUANTO a ciência quântica, o mundo e muito complexo para ser explicado por teoria nunca provadas, quem serão pela eternidade,apenas delírios humanos!

  5. Sr. Paulo Solon.

    Permita-me discordar da sua finalização
    “Nada a ver com a física quântica”.
    Em passado próximo, ano passado ou pouco mais, assisti a uma entrevista com um físico indiano radicado no USA, cientista na área da física quântica, na qual afirmou que “as pesquisas estavam a tal ponto que, a partir dali só a existência da ALMA explicaria.

  6. Cresce avassaladoramente a quantidade de pessoas que preferem exibir seus conhecimentos e atribuir a eles verdades insofismáveis. Não são poucas as vezes em que – de fato – aprendemos com elas umas tantas coisas, sim!, mas quando o assunto é a Verdade, deixemos que cada um encontre a sua! Vejam: Aristóteles discordou de seu mestre Platão, após ter estudado na Academia por vinte anos!
    Ciência e Religião sempre há de se constituir em um Flamengo x Vasco interminável, pois cada indivíduo é um corcunda, acomoda-se na hora de dormir da melhor forma para encontrar um sono restaurador e revigorante. Ele, corcunda, é seu mestre maior. O mesmo pode ser adaptado em nossas vidas? Procurar entender os pontos de vista alheios, para senti-los e deles extrair o melhor para nós … é o melhor caminho? Quantas “verdades” existem, quando o assunto é a própria Existência? A filosofia “buscar ser feliz” será a melhor, entre todas? Muito aprecio Leucipo e Demócrito, atomistas que tanto alicerçaram Descartes e Spinoza, por exemplo. E … os amigos de Einstein diziam, quando o assunto discutido era Deus: “Lá vem o Albert com o seu Deus, o Deus de Spinoza!” Quem sabe como funciona o Universo? Stephen Hawking (tido como o sucessor de Einstein), contemplando o Cosmo, vê uma luz, muito distante, numa área totalmente escura. “Será aquela luz a casa de Deus?”, pergunta ele no DVD que tenho. Nem ele sabe. Nenhum de nós sabe. Mas … continuemos com as investigações e indagações. Einstein dizia que muito deve aos ensinamentos que lhe foram proporcionados por Helena Blavátski (a Madame Blavátski), reinauguradora da Teosofia (investigar Deus, e não definí-lO). Demócrito nos mostrou como funcionam os átomos. Karl Marx fez sua monografia baseado nele. Posso sugerir algo? Que tal cada um se acomodar na sua própria verdade? Impor nossas verdades é o melhor caminho? Meu Deus? É o Flamengo! É o Frank Sinatra cantando! É curtir o Tom Jobim! É contemplar um fim de tarde no Arpoador! É ler um bom livro! É assistir um filme do Woody Allen ou do Clint Eastwood! É beijar uma mulher maravilhosa! É visitar rincões brasileiros onde não há sequer um médico, um dentista, um padre … e levar uma palavra de esperança e fé em Deus! Estou me contradizendo? Sei lá! Isto é o que menos me incomoda. Está aí uma receita para “Ser Feliz?”. Para mim, sim! Que cada um encontre a sua própria.

  7. Parabéns Wendell. De fato, homens sempre deturparam Deus. Jesus veio confirmar a Lei divina, e hoje não há quase nada dEle nesta terra. A revolução social, política, científica, sexual, etc são loucuras à Deus, e tem levado o distanciamento do divino. Muitas religiões, senão todas, aguardam o messias. E muitos serão enganados, pois firmaram suas crenças em areia.

  8. Este é um dos temas mais apaixonantes quando colocado à disposição porque não se chega à conclusão nenhuma!
    Debatemos, discutimos, mas as questões referentes a Deus e à Ciência continuarão distantes, e não que não sejam reconciliáveis, entretanto, as nossas limitações impedem esta aproximação.
    Por outro lado, acredito que a religião não deve mudar, não deve acompanhar a evolução que, admito, é inevitável, haja vista que a moral que deve nortear o ser humano é imutável mesmo com o tempo e desenvolvimento científico e tecnológico.
    Roubar, matar, mentir, enganar, prejudicar, são comportamentos que a Humanidade deplora desde os seus primórdios, que as religiões repudiam, e que não devem ser maleáveis agora por conta de sermos mais tolerantes em certos aspectos e menos tolerantes em outros.
    A maleabilidade, adaptabilidade, ajustar-se aos novos tempos, compete ao ser humano em busca do que é melhor para si e do que consegue alcançar, mas, a religião, deve se manter ortodoxa, conservadora, os limites que existem para ser obedecidos em quaisquer circunstãncias e momentos por mais tentadores os caminhos que possam nos desviar de uma conduta adequada e apropriada à retidão de caráter, personalidade e autoridade de seres humanos para com seus filhos, por exemplo, de chefes para subalternos, comandantes para comandados, a necessária e imprescindível autoridade moral.
    Quanto aos mistérios do Universo ou aos poucos conhecimentos que temos dos fenômenos da Natureza, Física Quãntica, Buracos Negros, não atrapalham a crença em Deus, muito pelo contrário, assim como, paradoxalmente, podem alimentar a convicção dos ateus sobre a inexistência de um Criador, justamente ocasionando este impasse como necessário à pesquisa e descoberta sobre quem tem ou não razão.
    Famosos filósofos se debruçaram neste aspecto sem concluírem definitivamente sobre a existência de Deus, surgindo a Filosofia, Ontologia, Metafísica, Epistemologia, métodos cartesianos, enfim, como se a comprovação de Deus existir fosse modificar a vida terrena, o tempo de vida, alterar o tempo, e curas para nossas doenças e males da mente resolvidos finalmente!
    Ledo engano.
    A vida segue, mas ela deve ter parãmetros, balizas, que se não são oferecidos pelas religiões, o Estado estabelece na forma de leis, através de punições neste mundo, que serão o freio necessário para vivermos em sociedade e entre desconhecidos, assim como somos obrigados a conviver com o que desconhecemos com base na fé ou na crença que valores e princípios são inatos ao ser humano quando, na verdade, somente os exemplos é que nos fazem compreender as suas importãncias e absoluta necessidade de que sejam cultuados diariamente, com Deus ou sem Ele, mas através de nossos comportamentos interpessoais e sociais, valorizando, sobremaneira, o ser humano, a nós mesmos, o homem, o próximo!

  9. Caro Francisco Bendl, saudações
    Peço que leia meu comentário em “Médicos Cubanos São Humanos?”.
    Em face do que vemos e lemos, não seria mais apropriado para o artigo ter o título “Médicos Brasileiros São Humanos”?
    “Médico Cubano Foi Eleito Prefeito, em Mucajaí/Roraima (cidade a 60kms de Boa Vista);
    foi eleito com 4698 votos, pelo PSL)”
    Graças ao programa “Médico Em Sua Casa”, de 1997, gestão do presidente Fernando Henrique Cardoso, iniciativa do então ministro José Serra.
    Nome do médico cubano: Josué Jésus Matos(46)
    Veio, viu e venceu. Casou-se com uma brasileira, foi a Cuba, apresentou-a a família e … voltou numa boa. Atendia diariamente algo em torno de cem pessoas com malária.
    Para os deserdados de tudo em Mucataí … Josué foi a própria presença de Deus.
    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *