Na mira do STF, Abraham Weintraub diz que sairá do Brasil “o mais rápido possível”

“Quero ficar quieto, porém, não me provoquem!”, diz Weintraub

Matheus Lara
Estadão

De saída do Ministério da Educação do governo de Jair Bolsonaro, Abraham Weintraub escreveu no Twitter que também deixará o Brasil nos próximos dias. Pressionado a fazer um gesto de trégua ao Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta quinta-feira, dia 18, a demissão do ministro.

“Estou saindo do Brasil o mais rápido possível (poucos dias). Não quero brigar ! Quero ficar quieto, me deixem em paz, porém, não me provoquem!”, escreveu nesta sexta-feira, dia 19, no Twitter. Weintraub foi o décimo a cair desde o início do governo. A saída foi anunciada em um vídeo publicado em rede social em que os dois aparecem lado a lado e comunicam a exoneração.


INDICAÇÃO – O agora ministro demissionário deve assumir uma representação brasileira Banco Mundial, que fica sediado em Washington, nos Estados Unidos. A indicação já foi feita pelo Ministério da Economia, mas ainda depende de aprovação de outros países – o que deve ser apenas uma formalidade. A remuneração no cargo é de US$ 21,5 mil mensais (cerca de R$ 115,9 mil). Como ministro ele recebia R$ 31 mil.

Weintraub, o segundo a comandar a pasta desde o início do governo, ficou 14 meses no cargo, período no qual acumulou desavenças com reitores, estudantes, parlamentares, chineses, judeus e, mais recentemente, magistrados do Supremo, chamados por ele de “vagabundos” em uma reunião ministerial. Em função dessa declaração virou alvo do inquérito que apura fake news e ataques contra os ministros da Corte.

POLÊMICAS – O argumento dos que defendiam a demissão era de que ele se tornou um gerador de crises desnecessárias justamente no momento em que o presidente, pressionado por pedidos de impeachment, inquérito e ações que podem levar à cassação do mandato, tenta diminuir a tensão na Praça dos Três Poderes.

“Eu estou saindo do MEC, vou começar a transição agora e nos próximos dias eu passo o bastão para o ministro que vai ficar no meu lugar, interino ou definitivo. Neste momento, não quero discutir os motivos da minha saída, não cabe”, disse Weintraub na quinta, 18, no vídeo publicado em sua conta no Twitter ao lado do presidente Jair Bolsonaro em que anunciou sua saída. No discurso, além do novo cargo, ele falou do apoio que recebeu e até de sua cadelinha, Capitu, mas nada sobre educação.

8 thoughts on “Na mira do STF, Abraham Weintraub diz que sairá do Brasil “o mais rápido possível”

  1. Torço para que o Supremo seja provocado e impeça a fuga de Weintraub para o exterior.

    Aliás ele provavelmente enfrentará uma rejeição imensa lá no Banco Mundial.

  2. Nem pra ir fritar hambúrguer ele presta!

    Pode arrumar um bico de ficar trocando as tarjetas de papel na banca de tiro ao alvo num parque de diversões….
    Vaitromba Diaraque…

  3. Já vai tarde boçal.

    Pior Ministro da Educação que o Brasil já teve.

    Além de boçal é analfabeto.

    Escreve “imprecionante” e “paralização”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *