Na política do Brasil de hoje, tudo parece misturado

Fotomontagem reproduzida do arquivo Google

Carlos Chagas

“O presidente interino, Michel Temer, tem uma regra. Não decide em cima de suposições. “Só serão demitidos ministros se houver revelações graves contra eles”. É a frase que mais se escuta no palácio do Planalto, esta semana, com Romero Jucá puxando a fila. Porque o já agora ex-ministro do Planejamento, pelo menos licenciado, voltou para o Senado. Não anda bem, apesar das aparências. Mas continua dialogando com parte de seus colegas do novo governo.

Fica difícil acomodar essas  equações. Sem falar na ameaça de dois ou três senadores antes favoráveis ao impeachment de Dilma Rousseff mudarem de lado, não agora, mas daqui a algumas semanas, precisamente pela barafunda criada em torno das novas esperanças de  Madame.

Numa palavra, tudo parece misturado. Em especial, o Brasil.

 

3 thoughts on “Na política do Brasil de hoje, tudo parece misturado

  1. Enquanto lamentamos nossas desditas políticas e Maduro faz do discurso sob o chapelão uma grosseria insuportável de ouvir, a Suíça inaugura nos Alpes o túnel mais longo do mundo, com 57 km de comprimento.

    Parte, ou 15% do custo do túnel de São Gotardo ficou com a União Européia, embora a Suíça não faça parte da UE.

    Por ele, em duas galerias, passarão 260 trens de cargas e 65 de passageiros para aumentar o transporte ferroviário e descongestionar as estradas.

    Levou 17 anos para ficar pronto, o que a mim parece impossível, uma vez que tenho extrema dificuldade de lidar com longos prazos. Mais impossível ainda é acreditar que ficou pronto no prazo e no custo previsto: 12, 276 bilhões de dólares.

    Ah, dirão, os suíços são o máximo em precisão.

    Na viagem inaugural de hoje estiveram presentes o presidente suíço Johann-Schneider, o primeiro ministro italiano Matteo Renzi, a chanceler alemã Angela Merkel e o presidente francês François Holande

    O túnel passa a 2300 metros abaixo dos Alpes. E a viagem foi encurtada em uma hora entre Zurique e Milão.

    Não me ocorreu nada melhor para homenagear essa construção do que a canção Edelweiss, sobre a florzinha branca que nasce nos Alpes suíços e está eternizada no filme A Noviça Rebelde.

    Emocionante é que a canção termina dizendo ‘proteja nossa terra para sempre’.

    https://www.youtube.com/watch?v=PNwmHHs9N_4

    • Antes que me esqueça. Ao final do filme, a canção Edelweiss, que todos cantam, é uma espécie de ‘resistência’ ao nazismo.

      O nazismo não nos incomoda hoje, embora de vez em quando surjam grupos aqui e ali tentando erguer o braço para saudar um Hitler morto.

      Mas no filme ele surgia, como surgem agora valores que nos incomodam, a nós que tanto preservamos a LIBERDADE e a INDEPENDÊNCIA como nação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *