Na semana final o eleitorado se motiva e parte para as urnas, com esperança

Charge do kayser (blogdokayser.blogspot.com)

Pedro do Coutto

É sempre assim como está no título. O fenômeno se repete de eleição para eleição, não varia. As disputas começam frias, desmotivadas, mas esquentam com o passar dos dias, e na semana final o povo encontra motivação e vai votar. Ainda bem que é assim, pois, caso contrário, derrotada seria a democracia. Vejam os leitores exemplos das cidades do Rio e São Paulo.

Reportagem de Rodolfo Viana, Folha de São Paulo de domingo, aborda a posição dos principais candidatos em relação ao tema cultura e divulga dados contidos na mais recente pesquisa do Datafolha.

João Dória 25, Celso Russomanno 22, Martha Suplicy 20, Fernando Haddad 10, Luiza Erundina 5% das intenções de voto. Não incluindo os que se encontram abaixo de Erundina, as definições somam 82%. A faixa dos que se dispõem a votar em branco ou anular o voto caiu substancialmente. O mesmo aconteceu no Rio, cidade na qual os que não desejam escolher um nome desceu de 20 para 15 pontos, pesquisa do mesmo Datafolha. Nas duas capitais este grupo vai descer mais ainda, estacionando em 10%.

FALTAM DOIS TEMAS – E olha que isso sem incluir os problemas da reforma previdenciária e da CLT, assuntos do interesse direto de pelo menos 120 milhões de pessoas, aproximadamente 90% de todo o eleitorado do país.

Sei que as eleições de domingo são municipais, porém estes dois temas são nacionais. Se incluídos nas legendas dos candidatos e candidatas, sem dúvida aumentariam o entusiasmo pela conquista dos votos. Uma questão de busca pela representatividade. Em todos os sentidos. As campanhas ganhariam mais densidade, as mensagens mais conteúdo, os eleitores mais motivação, os candidatos mais votos.

É claro. Afinal, quem deseja contribuir por mais tempo e com mais idade para se aposentar, seja pelo INSS, seja pelo Estatuto dos Servidores Públicos? Inclusive  indispensável fazer-se uma distinção: o funcionalismo público não tem FGTS. Como assim unificar as condições para aposentadoria? Uma pergunta a ser colocada na campanha para o governo Michel Temer responder.

INDAGAÇÕES – Enfim, há uma série de indagações a serem respondidas e explicadas concretamente. Da mesma forma, a população deve cobrar dos candidatos como pretendem concretizar as promessas com as quais tentam arrebatar votos para si. É preciso que os eleitores pensem no tema, um pouco que seja, para separar a realidade da fantasia. A fantasia é sedutora, mas a realidade se impõe.

Por exemplo, a rede pública de hospitais no Rio encontra-se em situação de calamidade. Como então, da noite para o dia, transformar tal quadro caótico num sistema sofisticado de atendimento em outro com hora marcada para consultas e datas fixadas para cirurgias? Não entra na cabeça de ninguém. Mesma coisa uma modernização veloz na área essencial da segurança pública.

Mas tudo isso não impede a motivação dos eleitores que cresce na chegada às urnas. Porque, no fundo, política é esperança. E sem esperança não se vive. O candidato iludiu? O que pode o eleitor fazer? Não tem culpa. Apenas desprezá-lo. A vida continua. Com esperança.

20 thoughts on “Na semana final o eleitorado se motiva e parte para as urnas, com esperança

  1. Um bilhão de habitantes em 1.800 com milhões de pobres e miseráveis, 2 bilhões em 1930 com mais pobres e miseráveis, 3 bi em 1960, 6 bi em 2.000,….., sempre com a nobreza, as excelências, os nobres colegas, os amigos do rei, os representantes do povo, todos prometendo, enganando, enriquecendo sem limites, vendendo a alma para alcançarem seus objetivos e mantendo o planeta no eterno caos,…. mas, vamos às urnas.

    • Não sei, talvez, pode ser, que a presidente ganhou porque 30% dos eleitores se afogaram nas bebidas no dia D ou daria na mesma com um talvez das urnas estarem programadas para “ganhar” em qualquer situação.

  2. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO, que analisa e acompanha Eleições desde a Redemocratização de 1945, quando o sabido Presidente VARGAS fundou para os Ricos o PSD, que deu para seu genro Sr. AMARAL PEIXOTO, e para os Trabalhadores o PTB, que deu para seu filho Dr. LUTHERO VARGAS, deixando a pobre UDN da Classe Média, sempre entre a bigorna do PSD e a marreta do PTB, desde essa época então, que o Sr. PEDRO DO COUTTO observa que as Eleições “se ganham” na véspera.

    Quanto a muitos Colegas, e boa parte do Eleitorado, que se mostram crescentemente desencantados com Eleições, e até de nossa “Democracia muito mal REGULADA”, sem dúvida estão com a razão,

    E a solução é atuarmos para mudar nosso SISTEMA POLÍTICO para melhor.

    O Sistema Político que aí está, INDUZ a cobrança de “Comissões” por toda a parte. 35 Partidos operando sustentados com DINHEIRO PÚBLICO e “Comissões”, mais 40 na linha de montagem, necessidade de formação de uma BASE ALIADA, quanto maior melhor (vide os Impeachments), Segundo Turno que é quando
    a coisa fica como o Diabo gosta, etc,etc.

    Isso tudo e muito mais tem que mudar, caso contrário será necessário cada vez mais “Comissões”, que de um jeito ou de outro, acabarão vindo.
    É tudo uma questão de ORGANIZAÇÃO. Como é que no Sistema Bancário os Operadores se comportam honestamente. Não se vêem manchetes na Imprensa: Gerente do Banco acusado de desviar do Cofre R$ 100 Milhões, e na Política, sim. Ora, o POVO é o mesmo. Só que o Sistema Bancário é extremamente ORGANIZADO, e nosso Sistema Político, NÃO.

    Temos que aprender a nos ORGANIZAR Politicamente.

  3. Mestre Bortolotto,

    O primeiro parágrafo do teu comentário foi simplesmente brilhante, antológico!

    Evidente que o texto geral é um primor como sempre, incisivo, contundente, e nos dá uma visão real sobre a situação política nacional, que clama por reformas, sob pena de se implodir ali adiante!

    Certamente o povo está decepcionado com os candidatos, com os partidos, com as urnas eletrônicas, e não tem mais o ânimo de antes, e com razão.

    Eu, por exemplo, deixarei de votar pela primeira vez na vida!

    Não vou gastar dinheiro me deslocando até a capital do RS, onde pertencem o meu título de eleitor e da esposa, para votar em vereador e prefeito de uma cidade que não moro mais, afora os candidatos serem muito ruins, péssimos, incluindo a Luciana Genro, Psol – cuja plataforma, mestre, é dizer que tem as mãos limpas! -, e o petista Raul Pont!

    Significa que o meu sacrifício, se eu viajasse para votar, seria muito maior que o voto na urna, um desperdício, simplesmente!

    Quanto à conscientização política do povo, mestre Bortolotto, não vejo de outra forma que não ligada umbilicalmente à Educação e Ensino, exatamente a área que qualquer governo se omite criminosa e irresponsavelmente!

    Observa o que fez o maligno, corrupto e desonesto PT, que deu muito mais importância às Universidades que aos Ensinos Fundamental e Médio, estes os pilares fundamentais de uma nação que decide se desenvolver, de modo que pelos méritos dos candidatos aos vestibulares, eles consigam lograr êxito pelos esforços feitos neste sentido e porque são originários de uma escola de qualidade, hoje absolutamente inexistente!

    Aliás, enquanto o povo não EXIGIR dos prefeitos, governadores e presidentes da República, que as suas plataformas estejam incluídas – e juramentadas em cartório! – as Escolas em Tempo Integral nos moldes dos CIEPS, acho que não votarei mais, em protesto ao desprezo pelo povo por parte do Legislativo.

    Um forte abraço, mestre Bortolotto.
    Saúde e paz!

  4. Virgílio,

    Não vamos longe.

    Não foram os maios de trinta milhões de votos nulos e abstenções que deram a vitória à Dilma?!

    Quero ver nessas eleições municipais os índices neste sentido.

    Um abraço.
    Saúde e paz!

  5. Prezado Sr. FRANCISCO BENDL, também meu Mestre.

    Muito Obrigado pelas palavras exageradas de elogio. Tenha a certeza de que a recíproca é verdadeira.

    Desde que estou Semi-Aposentado, tenho me dedicado ao estudo da Teoria Política-Econômica, para saber qual o caminho mais eficiente para um País sub-Desenvolvido (Descapitalizado) se Desenvolver em uma Geração(+- 30 anos), e atingir ALTO PADRÃO DE VIDA para a média do POVO, com eliminação completada da Miséria.
    Enfim, resolver o “Teorema do grande Economista-Político KEYNES”: O desafio do Futuro, será implementar um Sistema que gere: 1- Eficiência Econômica; 2- com Justiça Social, e 3- preservando as LIBERDADES INDIVIDUAIS.

    Os Regimes Socialistas ( Propriedade dos Meios de Produção nas mãos do Estado),ex. Rússia, China, Cuba, Correia do Norte, melhoraram a Justiça Social, mas demonstraram muito baixa Eficiência Econômica, e ZERO Liberdades Individuais.
    Os Regimes Capitalistas Mistos como as Repúblicas Latino-Americanas, cujas Economias são como a navegação a vela, quando o vento é de Popa vão bem ( Governo Presidente LULA), quando vento é de Proa, vão para traz (Governo da Presidenta DILMA), tem Eficiência Econômica média, Justiça Social baixa, e Liberdades Individuais excelentes. Antes de cada Eleição se adotam, o que os Jornalistas chamam “Medidas Populistas”, e no entre-meio, “Medidas Neo-Liberais”, isso com maior ou menor rigor. Essa falta de ESTABILIDADE é muito prejudicial para o Desenvolvimento Econômico.
    Os 4 Países que no Século XX saíram da Miséria para a Riqueza em uma Geração, foram: Singapura, China, Coreia do Sul e Malásia, mas o fizeram com Regimes Autoritários de Partido Único, sem a presença Sindical, e Disciplina fortíssima. Em suma: Tiveram excelente Eficiência Econômica implementando Planos de longa duração, muito boa Justiça Social, pois houve muita “ascensão Social, mas sacrificaram bastante, quase acabaram com as LIBERDADES INDIVIDUAIS, até enriquecerem.
    Mas isso nos leva ao absurdo de propor ao Brasil, como melhor caminho: uma “Ditadura com um Ditador ESCLARECIDO, PATRIOTA, COMPETENTE, INCORRUPTÍVEL”.

    Concluindo: então, volto a Estaca Zero, e confirmo que temos que sacrificar um tanto as LIBERDADES INDIVIDUAIS, em favor da EFICIÊNCIA ECONÔMICA e da JUSTIÇA SOCIAL, utilizando um Sistema Democrático SIMPLIFICADO, com Eleições INDIRETAS para Presidente da República, 4 Partidos Políticos ( Conservador; Liberal-Democrático (onde me incluiria), Social-Democrático e Esquerda. Distritalização Pura, Voto Facultativo, Recall de maus Representantes, etc,etc.
    É difícil resolver esse Teorema, mas tenho confiança que chegaremos lá. Abrs.

    • Caríssimo mestre Bortolotto,

      Mediante um comentário muito bem feito, com palavras que formam frases e expressões elegantes, refinadas, diferentes do modo como me esforço em me comunicar neste blog incomparável, tens concordado comigo que somente com o fechamento do poder Legislativo teremos a chance de crescimento, pois reside no Parlamento o cerne de todos os problemas que dizem respeito à estagnação econômica atual e à falta de desenvolvimento como contumácia ao país!

      Não teríamos as liberdades individuais diminuídas, haveria muito mais eficiência econômica pela economia de bilhões de reais a cada ano e, em consequência, esta verba fantástica contribuiria indiscutivelmente para uma melhor Justiça Social!

      Nada de ginástica financeira, de exercícios econômicos compostos de variáveis incompreensíveis, pois a simples eliminação de um poder e justamente o mais perdulário, corrupto e desonesto em atuação, serviria como embalo para a aeronave Brasil decolar finalmente!

      Sobre uma espécie de ditadura branda e muito antes de ser implantada, apesar de eu concordar contigo como solução emergencial para se fechar o Congresso, teríamos de enfrentar um oposição ferrenha, possivelmente uma revolução, e sangrenta, situação que aumentaria nossas mazelas exponencialmente, e dificultando sobremaneira o nosso crescimento.

      Uma vez fechado o Congresso, haveria eleições para presidente da República depois, diante também da extinção dos partidos e seria democrática, não precisando ser indireta porque sem deputados e senadores, mas comissões exercidas por servidores públicos, a sociedade organizada, um novo método de governar, praticamente estaríamos eliminado a corrupção, desonestidade e o jogo político, que nos conduziram à bancarrota!

      Outro forte abraço, mestre Bortolotto.
      Mais saúde e mais paz!

  6. Caros Srs. Francisco Bendl e Flávio José Bortolotto … sds!

    Genial o Teorema de Keynes … podemos dizer que foi Keynes quem melhor entendeu a Revolução!!! entendendo esta como o Poder saindo do Rei com súditos e indo para a CIDADANIA!!!

    Isto aconteceu quando da Constituição de 1967 … “SEÇÃO IV … Das Atribuições do Poder Legislativo
    Art 46 – Ao Congresso Nacional, com a sanção do Presidente da República, cabe dispor, mediante lei, sobre todas as matérias de competência da União, especialmente:”

    Mantido pela EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 1, DE 17 DE OUTUBRO DE 1969, promulgada pela Junta Militar: “SEÇÃO IV … Das Atribuições do Poder Legislativo
    Art. 43. Cabe ao Congresso Nacional, com a sanção do Presidente da República, dispor sôbre tôdas as matérias de competência da União, especialmente:”

    Ou seja, em plena ditadura, hein!!! !!! !!!
    … … …
    Confirmado na CIDADÃ de 1988: “SEÇÃO II … DAS ATRIBUIÇÕES DO CONGRESSO NACIONAL
    Art. 48. Cabe ao Congresso Nacional, com a sanção do Presidente da República, não exigida esta para o especificado nos arts. 49, 51 e 52, dispor sobre todas as matérias de competência da União, especialmente sobre:”
    … … …
    Na Constituição da Redemocratização pós-Segunda Grande Guerra de 1946: “SEÇÃO IV … Das Atribuições do Poder Legislativo
    Art 65 – Compete ao Congresso Nacional, com a sanção do Presidente da República:”

  7. Bem … vamos por partes!

    Acima está bem claro que foi na Constituição de 1967 que o Legislativo passou a DISPOR sobre … porém, não é ditadura do Congresso; pois, se exige a sanção presidencial.

    Nos idos da Revolução, quando esta se sentia ameaçada, recorria aos Atos Institucionais … http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/AIT/ait-01-64.htm: “… A revolução vitoriosa se investe no exercício do Poder Constituinte. … Fica, assim, bem claro que a revolução não procura legitimar-se através do Congresso. Este é que recebe deste Ato Institucional, resultante do exercício do Poder Constituinte, inerente a todas as revoluções, a sua legitimação. Em nome da revolução vitoriosa, e no intuito de consolidar a sua vitória, de maneira a assegurar a realização dos seus objetivos e garantir ao País um governo capaz de atender aos anseios do povo brasileiro, o Comando Supremo da Revolução, representado pelos Comandantes-em-Chefe do Exército, da Marinha e da Aeronáutica resolve editar o seguinte.
    ATO INSTITUCIONAL
    Art. 1º – São mantidas a Constituição de 1946 e as Constituições estaduais e respectivas Emendas, com as modificações constantes deste Ato.”
    … … …
    Os Atos Institucionais e o Comando Supremo da Revolução!!! !!! !!!

  8. Como não houve outra Revolução depois de 1964 … considero a Constituição Federal CIDADÃ de 1988 como a perenização … e o Comando Supremo da Revolução??? ??? ??? que só se pronunciava em momentos de crise??? ??? ???

    Considero que o Constituinte estabeleceu 2 grandes princípios:
    1 – CAPÍTULO II … DAS FORÇAS ARMADAS
    Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.”

    Por este artigo, o Presidente perde mais poder ainda – transferido ao Legislativo e Judiciário!!! confirmando mais uma vez que é o Legislativo quem manda!!!
    … … …
    2 – CAPÍTULO IV … DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 80, de 2014) … SEÇÃO I … DO MINISTÉRIO PÚBLICO
    Art. 127. O Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis.
    § 1º São princípios institucionais do Ministério Público a unidade, a indivisibilidade e a independência funcional.
    § 2º Ao Ministério Público é assegurada autonomia funcional e administrativa, podendo, observado o disposto no art. 169, propor ao Poder Legislativo a criação e extinção de seus cargos e serviços auxiliares, provendo-os por concurso público de provas ou de provas e títulos, a política remuneratória e os planos de carreira; a lei disporá sobre sua organização e funcionamento. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

    O Constituinte colocou o Ministério Público como incumbido da defesa do regime democrático!!! !!! !!! enquanto a defesa do Autoritarismo era feita pelo Comando Supremo da Revolução!!!

  9. MPF faz o que a AGU não fez e vai exigir ressarcimento aos políticos corruptos … está no blog de hoje!!!

    Se é o Legislativo quem Manda … este, por sua fez, não escapa do MPF, que é instituição permanente, com independência e autonomia funcionais (coisas que eram do Comando Supremo da Revolução) … e o MP é essencial à função jurisdicional do Estado (não há mais necessidade de Comando Supremo da Revolução).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *