Nas mãos de Sérgio Moro, o ex-presidente Lula nunca esteve tão perto da cadeia

Charge do Paixão, reprodução da Gazeta do Povo

Débora Bergamasco
IstoÉ

Nos últimos dias, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desabou. Não seria a primeira recaída desde o início das investigações do Petrolão, responsáveis por tisnar sua imagem de homem probo semeada desde os tempos do sindicalismo no ABC Paulista. Mas ao contrário dos outros momentos de fragilidade, Lula desta vez expôs um sentimento insólito a companheiros de longa data: o de culpa. Pela primeira vez, pôs em xeque o próprio faro político – considerado indefectível no seio do petismo. Em uma longa conversa, em Brasília, com um amigo, o ex-presidente lamentou em tom de desabafo, depois de fazer uma breve retrospectiva de sua vida pública: “Não me perdôo por ter feito a escolha errada”. O petista se referia ao fato de ter apostado todas suas fichas e ter feito de Dilma Rousseff sua sucessora.

O arrependimento, porém, tem pouco a ver com o desastre político-econômico provocado pela gestão da pupila. Lula é um pote até aqui de mágoas, porque, em sua avaliação, ela nada fez para blindá-lo e ao seu partido das garras afiadas da Lava Jato.

ABRAÇO DE AFOGADOS

Para Lula, Dilma queria entrar para a história como a presidente do combate à corrupção – mesmo que, para isso, tivesse de sacrificar o próprio criador. Não logrou êxito, e é isso que emputece Lula. Hoje, ambos rumam para um abraço de afogados.

Dilma está à beira de deixar o comando do País, alvo de um processo de impeachment, e na iminência de ser investigada pelo crime de obstrução de justiça – a solicitação, feita pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na semana passada, depende apenas do aval do STF.

Ele, Lula, enfrenta o mais tenebroso inverno de sua trajetória pública. Atingido em cheio pela Lava Jato, o ex-presidente nunca esteve tão próximo de voltar à cadeia. Em 1980, o então líder sindical foi detido em sua residência pelo DOPS, a polícia política do regime militar. Permaneceu preso por 31 dias, chegando a dividir cela com 18 pessoas. Agora, o risco de outra prisão – desta vez em tempos democráticos e por um temporada provavelmente mais longa – é iminente.

INVESTIGAÇÕES MÚLTIPLAS

São pelo menos sete frentes de investigação contra Lula, na primeira instância e na Suprema Corte. Lula é acusado de liderar o comando da quadrilha, que desviou milhões da Petrobrás, participar da tentativa de comprar o silêncio do delator Nestor Cerveró, ex-diretor da estatal, obstruir a Justiça ao ser nomeado na Casa Civil para ganhar foro privilegiado, receber favores de empreiteiras ligadas ao Petrolão em reforma de um sítio em Atibaia, frequentado pela família; ocultar patrimônio e lavar dinheiro por meio de um apartamento tríplex no Guarujá, – que Lula jura não ser dele – , e de receber dinheiro de propina, por meio de empreiteiras, por palestras realizadas no Brasil e no exterior.

Além disso, ele ainda pode ser encrencado na Operação Zelotes, que apura suspeita de venda de medidas provisórias com suposto beneficiamento de seu filho Luís Cláudio Lula da Silva.

LULA COMANDOU TUDO

No pedido para incluir Lula no chamado inquérito-mãe da Lava Jato, Janot foi contundente ao dizer que o petista foi peça-chave no esquema: “Essa organização criminosa jamais poderia ter funcionado por tantos anos e de uma forma tão ampla e agressiva no âmbito do governo federal sem que o ex-presidente Lula dela participasse”.

O procurador-geral da República também denunciou o ex-presidente, com base na delação do senador Delcídio do Amaral, – revelada com exclusividade por ISTOÉ – por participar da trama para tentar comprar o silêncio do Néstor Cerveró, ex-diretor da Petrobras envolvido nas traficâncias da estatal.

Um total de R$ 250 mil teria sido repassado pelo filho do pecuarista e amigo do ex-presidente, José Carlos Bumlai, Maurício Bumlai, para o advogado de Cerveró. A procuradoria identificou, entre outros elementos contra o petista, um e-mail que comprova um agendamento de reunião entre Lula e Delcídio no dia 8 de maio do ano passado no Instituto Lula, além de uma passagem aérea provando que ele viajou naquela data.

Disse Delcídio a respeito do encontro: “Fui chamado por Lula, em meados de maio de 2015, em São Paulo para tratar da necessidade de se evitar que Néstor Cerveró fizesse acordo de colaboração premiada com o Ministério Público Federal”, disse o parlamentar.

PRISÃO PREVENTIVA

O que mais atormenta Lula é o pedido formal de prisão preventiva, formulado pelo Ministério Público de São Paulo no caso da compra do tríplex do Guarujá, hoje nas mãos do juiz Sérgio Moro. Segundo apurou ISTOÉ junto a fontes da Lava Jato, Moro aguarda apenas o afastamento de Dilma na quarta-feira 11 para se debruçar sobre o pedido de prisão.

O juiz não queria analisar o caso antes do encerramento do imbróglio jurídico envolvendo a nomeação de Lula no STF. Com a saída de Dilma esta semana, o mandado de segurança em discussão no Supremo perde objeto e o caminho para uma possível prisão de Lula estará aberto. Caso seja novamente preso ou mesmo vire réu no Supremo, algo inédito para uma figura política de sua estatura, os estragos políticos serão irreparáveis. A mácula indelével abreviaria sua carreira pública de maneira inequívoca e sepultaria eventuais chances de retorno à Presidência em 2018. A morte política do seu maior líder decretaria o fim do PT.

ENVOLVIMENTO

Os primeiros indícios do envolvimento do ex-presidente Lula no Petrolão surgiram com os depoimentos do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef. Após firmar acordo de colaboração com o Ministério Público Federal no segundo semestre de 2014, Costa e Youssef detalharam aos investigadores no Paraná como funcionava a quadrilha que agia na estatal.

Ambos fizeram menção a Lula, declarando acreditar que o Palácio do Planalto, o que incluiria o ex-presidente, tinha conhecimento das irregularidades. A dupla não dispunha de provas contra o petista, mas forneceu informações cruciais para que a força-tarefa da Lava-Jato avançasse sobre as empreiteiras envolvidas no escândalo.

Batizada de Juízo Final, essa fase da operação confirmou que as acusações de Costa e Youssef procediam. Ao quebrar o sigilo da Camargo Corrêa, uma das empreiteiras investigadas, as autoridades descobriram valores significativos transferidos à LILS, a empresa da qual Lula é sócio e pela qual promove suas palestras.

Outras construtoras envolvidas no Petrolão também transferiram milhões de reais ao ex-presidente, um soma superior a R$ 10 milhões entre 2011 e 2015.

DINHEIRO DA CORRUPÇÃO

Embora o ex-presidente tenha negado irregularidades nos valores recebidos das companhias, a Polícia Federal e o Ministério Público passaram a esquadrinhar tais repasses. Trabalham com a tese de que os valores recebidos por Lula seja dinheiro de corrupção. Essa apuração está em curso tanto em Brasília quanto em Curitiba. No Paraná, os investigadores estão fazendo uma comparação entre os valores repassados pelas empreiteiras à LILS e pedindo para que elas apresentem documentos que comprovem a realização das tais palestras.

A Andrade Gutierrez foi a única que conseguiu provar todas. As outras empresas não foram bem sucedidas nesse intento. Entre as pontas soltas está uma suposta apresentação do ex-presidente na Venezuela, ainda sem comprovação, o que complica a defesa do petista.

À medida que as investigações avançam, o papel de Lula na organização criminosa do Petrolão fica cada vez mais evidente para a Procuradoria-Geral da República.

“EU NÃO SABIA”

No mensalão, o petista recorreu ao mantra do “eu não sabia” para se dizer alheio ao que acontecia ao seu redor. Agora, está claro que aquele era um apêndice do esquema de maior capilaridade, desvendado pela Lava Jato. Ao dizer que o Petrolão não poderia ter funcionado sem a participação decisiva de Lula, Janot uniu o petista a dezenas de deputados e senadores que figuram na investigação conhecida como “quadrilhão”, destinada a apurar o funcionamento da engrenagem que desviou recursos da Petrobras.

Em seu despacho, o procurador-geral escreveu: “Embora afastado formalmente do governo, Lula mantém o controle das decisões mais relevantes, inclusive no que concerne às articulações espúrias para influenciar o andamento da Lava Jato, à sua nomeação ao primeiro escalão, à articulação do PT com o PMDB.”

E continuou em outro trecho: “Já no âmbito dos membros do PT, os novos elementos probatórios indicam uma atuação da organização criminosa de forma verticalizada, com um alcance bem mais amplo do que se imagina no início e com uma enorme concentração de poder nos chefes da organização”.

FIM DE LINHA

Outra frente de problemas para o morubixaba petista é a investigação sobre o sítio Santa Bárbara, em Atibaia, no interior de São Paulo. Há fortes indícios de que as construtoras Odebrecht e OAS pagaram pela reforma com dinheiro desviado da Petrobras, configurando, nesse caso, crime de corrupção. O terreno está em nome de dois sócios de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, filho mais velho do Lula. Há uma série de indicativos de que o verdadeiro dono seja o ex-presidente.

Conforme apurou IstoÉ, a confirmação poderá vir da delação premiada do executivo da Odebrecht, Alexandrino Alencar. No roteiro da delação, Alexandrino prometeu entregar detalhes e provas que incriminariam Lula. A expectativa é que os executivos da OAS também colaborem sobre o mesmo tema.

Assim como o sítio de Atibaia, a força-tarefa da Lava-Jato no Paraná analisa denúncia feita pelo Ministério Público de São Paulo contra Lula no que concerne ao tríplex no Guarujá. Os promotores acusam o petista de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Para a MP, a família Lula era a proprietária, de fato, do imóvel. No papel, o apartamento pertence à empreiteira OAS, envolvida no Petrolão.

O MP desmontou os argumentos do ex-presidente de que teria apenas uma cota de outra unidade no prédio. Entre as provas apresentadas pelos promotores estão relatos de funcionários e ex-moradores que confirmam que a ex-primeira-dama Marisa Letícia, Lula e um dos filhos do casal vistoriaram as reformas do imóvel. Obras que custaram mais de R$ 700 mil. Pagas pela OAS e feitas ao gosto da família Lula.

VISITA AO TRÍPLEX

Chamou a atenção das autoridades que uma das visitas ao apartamento foi acompanhada pelo presidente da OAS, Leo Pinheiro. O executivo chegou a ser preso no Petrolão e negocia acordo de delação premiada. O caso estava sob a responsabilidade da juíza Maria Priscilla Ernandes, da 4ª Vara Criminal de São Paulo, mas na semana passada, o inquérito foi remetido ao juiz Moro, incluindo o pedido de prisão preventiva contra Lula formulado pelo MP paulista.

Um pedido como este nas mãos do ágil juiz Sérgio Moro era tudo o que o Dilma e Lula tentaram evitar a todo custo. A ponto de ensejar sobre eles uma possível investigação pelo crime de tentativa de obstrução do trabalho da Justiça. A linha de investigação leva em consideração o ato de nomeação do ex-presidente para a Casa Civil, iniciativa cujo único propósito foi o de livrar o petista da competência do juiz de Curitiba. Foi um duplo tiro no pé. Agora, além de Lula ser alvo de um pedido de investigação por tentar atrapalhar o trabalho da Justiça, crime tipificado na Constituição, no inciso 5 do artigo 6º da Lei 1.079/1950, o destino político do ex-presidente está definitivamente nas mãos do seu principal algoz.

27 thoughts on “Nas mãos de Sérgio Moro, o ex-presidente Lula nunca esteve tão perto da cadeia

  1. Já puxando minha cadeirinha p/ esperar sentadinha o desenrolar dos atos e fatos do dia 11/05/2016!
    Tem certas coisas q só acredito se jogarem no meu colo e ver Dilma e Lula finalmente serem pegos pelo “destino” numa encruzilhada é uma delas!
    Ave, César – os q vão lutar te saúdam!
    Mas meu coração já está mais leve…

    • Os teclados com taximetro choram o fim da Rece Goebbels:

      Vice vai separar publicidade do governo da área da imprensa
      Por: Severino Motta 07/05/2016 às 7:10
      Temer vai separar a publicidade do governo da área de imprensa.
      Hoje as duas são centralizadas na Secom.
      A chave do cofre publicitário ficará com o filósofo gaúcho Denis Rosenfield.

  2. Tem gente indo para debaixo do tapete….

    ” A oposição no Senado estima que o impeachment de Dilma terá 57 votos favoráveis à admissibilidade do processo, na próxima quarta-feira (11). Esse número é bem superior ao mínimo de 41 votos necessários. Aprovado o relatório, a presidente será afastada do cargo para preparar defesa dos crimes que pesam contra ela. No julgamento do mérito, em até 180 dias, a previsão dos opositores é ainda mais otimista: 60 votos. A informação é do colunista Claudio Humberto, do Diário do Poder.

    O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) acha que, na próxima quarta, serão no mínimo 54 votos pró impeachment. Ou “daí para cima”.

    Ronaldo Caiado (DEM-GO) aposta que a admissibilidade manterá a proporção do impeachment na comissão do Senado: 75% a favor.

    Mais cauteloso, o líder do PSDB no Senado, Cassio Cunha Lima (PB), prevê um mínimo de 52 votos pelo impeachment já na próxima quarta.

    No julgamento do mérito do impeachment, Cássio Cunha Lima acha que o número mínimo de 54 votos será ultrapassado com folga.

    • O placar do jornal Estadão subiu para 50 a favor e 20 contra, num total de 70 senadores com voto já declarado. Ainda faltam 11 senadores para definir o voto.

      A previsão é de que desses 11 senadores que estão “em cima do muro”, 7 votem a favor do impeachment e 4 contra.

      A média atualizada dos senadores favoráveis ao impeachment subiu um pouquinho (71%) em relação à média amostral inicial (70%) na contagem do Estadão: [50/70 = 71%]. Contudo se mantém em torno da média amostral inicial.

      A contagem das intenções de voto continua a apontar para as seguintes expectativas a serem verificadas no final da votação: 57 (70%) a favor e 24 (30%) contra.

      As abstenções devem ser computadas junto com os votos contrários ao impeachment.

      A certeza estatística de 77% em favor do impeachment, calculada aqui na Tribuna da Internet a partir da amostra inicial do jornal Estadão, vai sendo confirmada.

  3. Desculpem sair do assunto da postagem, mas eu tenho uma dúvida. A Lei 1079, a lei do impeachment, diz o seguinte:
    (…)
    CAPÍTULO III – DO JULGAMENTO

    Art. 24. Recebido no Senado o decreto de acusação com o processo enviado pela Câmara dos Deputados e apresentado o libelo pela comissão acusadora, remeterá o Presidente cópia de tudo ao acusado, que, na mesma ocasião e nos termos dos parágrafos 2º e 3º do art. 23, será notificado para comparecer em dia prefixado perante o Senado.
    Parágrafo único. Ao Presidente do Supremo Tribunal Federal enviar-se-á o processo em original, com a comunicação do dia designado para o julgamento.

    Art. 25. O acusado comparecerá, por si ou pelos seus advogados, podendo, ainda, oferecer novos meios de prova.

    Art. 26. No caso de revelia, marcará o Presidente novo dia para o julgamento e nomeará para a defesa do acusado um advogado, a quem se facultará o exame de todas as peças de acusação.

    Art. 27. No dia aprazado para o julgamento, presentes o acusado, seus advogados, ou o defensor nomeado a sua revelia, e a comissão acusadora, O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, ABRINDO A SESSÃO, mandará ler o processo preparatório o libelo e os artigos de defesa; em seguida inquirirá as testemunhas, que deverão depor publicamente e fora da presença umas das outras.

    Art. 28. Qualquer membro da Comissão acusadora ou do Senado, e bem assim o acusado ou seus advogados, poderão requerer que se façam às testemunhas perguntas que julgarem necessárias.
    Parágrafo único. A Comissão acusadora, ou o acusado ou seus advogados, poderão contestar ou argüir as testemunhas sem contudo interrompê-las e requerer a acareação.

    Art. 29. Realizar-se-á a seguir o debate verbal entre a comissão acusadora e o acusado ou os seus advogados pelo prazo que o Presidente fixar e que não poderá exceder de duas horas.

    Art. 30. Findos os debates orais e retiradas as partes, abrir-se-á discussão sobre o objeto da acusação.

    Art. 31. Encerrada a discussão O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL FARÁ RELATÓRIO RESUMIDO DA DENÚNCIA E DAS PROVAS DA ACUSAÇÃO E DA DEFESA E SUBMETERÁ A VOTAÇÃO NOMINAL DOS SENADORES O JULGAMENTO.

    Art. 32. Se o julgamento for absolutório produzirá desde logo, todos os efeitos a favor do acusado.

    Art. 33. No caso de condenação, o Senado por iniciativa do presidente fixará o prazo de inabilitação do condenado para o exercício de qualquer função pública; e no caso de haver crime comum deliberará ainda sobre se o Presidente o deverá submeter à justiça ordinária, independentemente da ação de qualquer interessado.

    Art. 34. PROFERIDA A SENTENÇA CONDENATÓRIA, O ACUSADO ESTARÁ, IPSO FACTO DESTITUÍDO DO CARGO.
    (…)

    Pergunto: De onde saíram os 180 dias que Dilma vai ter que ficar “de molho” caso seja condenada se o Art. 34 claríssimo?

    Outra: Pelo que se dá a entender, será que o Presidente do Supremo vai ser ignorado, já que aparentemente quem está dando as cartas é Renan, que já disse até que vai optar pela votação eletronica, infringindo o Art. 31.?

  4. A SUBURBANA KGB DOS STALIFASCISTAS :
    ______________________

    Arapongas espionaram Teori Zavascki
    Por: Severino Motta 07/05/2016 às 6:08
    Arapongas andaram espionando a vida do relator da Lava-Jato, Teori Zavascki.
    O setor de inteligência do Supremo Tribunal Federal foi informado, há cerca de dez dias, de que espiões de Brasília dispunham de detalhes dos hábitos e horários do ministro, e iniciou investigação sigilosa para saber se Teori teve telefones grampeados e que outros tipos de monitoramento sofreu.
    A inteligência está em busca de elementos que levem aos mandantes da operação.
    Se conseguir apontá-los, a prisão de Delcídio do Amaral parecerá coisa de juizado de pequenas causas.

    ( Radar Veja ).

  5. Com prisão ou sem prisão do Grande Embusteiro, o pete está M O R T O. Acabou a farsa do partido ético, que não se envolvia em corrupção e que defendia os pobres. Defenderam bem seu próprio interesse, mais nada.

  6. Por mero acaso a mesma empreiteira, que em parceria com ‘investidores’ suíços está construindo em sociedade a sede dos mensalinhos da UNE.
    E os R$ 57 milhões dados pelo PT ??

    Exclusivo: Jatinho usado por Lula é da WTorre
    Brasil 07.05.16 10:32
    O Antagonista já publicou que o jatinho Gulfstream G200 PR-WTR, usado por Lula, está registrado na Pássaro Azul, táxi-aéreo da família Constantino…

    Mas agora descobrimos que o avião é usado pela WTORRE, o que sugere que os vôos do petista são bancados pela empreiteira beneficiada por ele com a bilionária obra da sede da Petrobras.

    Tudo combinado.

  7. A opinião de um outro prêmio Nóbel :

    O senhor situa a obra nesse momento de incerteza. Pensando na América Latina, vivemos hoje um momento de incerteza? Como estão nossas democracias?
    Sou otimista. A maioria está estusiasmada com a ideia de que a democracia é o único caminho ou está resignada e sabe que não há alternativa. O que está acontecendo em países como a Argentina, por exemplo, é muito estimulante: uma mudança radical no repúdio ao populismo e à demagogia socializante e uma tomada de consciência de que a democracia e as reformas liberais são as únicas que podem trazer uma modernização rápida. E há um movimento anticorrupção e o Brasil é um exemplo. Esse movimento, muito sadio, busca a purificação da democracia porque a corrupção é uma gangrena que destrói a confiança nas instituições. E o que ocorre agora no Brasil revela um espírito do que está muito estendido no continente: um grande repúdio à corrupção. Mas este não é um fenômeno que quer uma volta ao passado, ao populismo. É um aperfeiçoamento da democracia.
    Como vê o processo de impeachment da presidente Dilma?
    Com otimismo. No Brasil, há uma espécie de catarse da qual participa uma imensa quantidade de brasileiros que querem uma democracia decente e honrada, e não uma democracia de políticos que aproveitam o poder para enriquecer. O Brasil está dando um exemplo pela maneira radical com que está combatendo e querendo castigar os culpados pela corrupção. Que nas próximas eleições os brasileiros sejam mais lúcidos e não votem novamente em ladrões e escolham políticos honrados.
    Os partidos de esquerda estão em crise na América Latina?
    Os partidos, de uma forma geral, estão em crise. Os partidos que antes canalizavam a participação dos cidadãos na vida política se converteram em máquinas eleitorais. Eles precisam se renovar e voltar a ser representativos porque sem eles não há democracia funcional.
    Como imagina que teria sido sua vida se tivesse sido eleito presidente do Peru?
    O que importa é a história que tivemos, e é ela que precisamos corrigir e utilizar como ponto de partida para um futuro. Há razões para o otimismo. Não se compara a América Latina de hoje com a de 20, 30 anos atrás, quando não havia base sólida para a democracia. Havia os partidários das ditaduras e a utopia comunista. Esses mitos desmoronaram. Com exceção de Cuba e da Venezuela, todo o resto do continente tem governos democráticos. Democracias imperfeitas, claro. Estamos num momento fronteiriço em que as perspectivas são mais otimistas que negativas.
    http://cultura.estadao.com.br/noticias/literatura,mario-vargas-llosa-diz-que-brasil-esta-dando-exemplo-de-combate-a-corrupcao,10000049651

  8. Ele não se perdoa por ter feito a escolha errada.
    Ele pode ter certeza que tudo isto que esta ocorrendo, é também o fato da opinião pública pensar da mesma forma.
    A ignorância tem destas coisas, faz com que um indivíduo sem as mínimas condições de comando, passe a ser achar um ser infalível, o resultado é este, o desastre.
    Lula achou que seria a sumidade maior da pátria, Que seria o herói nacional, passaria a história como o reformador da sociedade brasileira. Não deu certo e nem poderia, se juntou ao que de pior existe no pais, quebrou a cara.
    Estes tempos de PT no governo, servem e muito para o próprio partido e principalmente para o povo brasileiro tomar como exemplo e nunca mais se deixar levar pelo canto da sereia e lembrar sempre, que otário é o malandro que não deu certo.
    O inferno do lula esta só começando, muitas desgraças se abaterão sobre o outrora sapo barbudo, se continuar com a barba, passará a ser um leão banguela e enjaulado.
    O “cara” esta com o prazo vencido.

  9. O que Lula diz sobre Dilma é uma coisa, o que nós que vemos os acontecimento fora do torvelinho, devemos ter tranquilidade para analisar os acontecimentos. Lula reclama de Dilma por não tê-lo blindado da Lava Jato. Se é assim ele não queria uma presidente, queria uma cúmplice. Friamente analizando os acontecimentos, chegamos a conclusão que Dilma foi vítima do PT. Lula nunca se conformou em ficar no ostracismo. Pressionava Dilma de todas as maneiras ostensivamente. Queria tutela-la a qualquer custo. No final de tudo de maneira oblíqua incitou sua turma do PT para pedir a Dilma que o nomeasse Chefe da Casa Civil. “A Casa Caiu”. Se Dilma ainda tinha alguma chace de salvar-se do impeachmente essa chance esvaiu-se. Agora Lula culpa Dilma, que é vítima do PT? “Dilma correu atrás de morcego e está morrendo de cabeça para baixo”.

    • Só faríamos justiça à Dilma se ela fosse
      julgada por aquela antiga e machista Constituição que considerava as mulheres – essas criaturas temperamentais , desequilibradas e destituídas de neurônios – inimputáveis juntamente com as crianças antes da net e dos silvícolas antes das antenas parabólicas

  10. Prezados Senhores,
    Fiquei apaixonado pela figura de Sérgio Moro, na charge (Charge do Paixão, reprodução da Gazeta do Povo), em que ele está de terno com o japonês da federal e Lula . A figura/charge de Sérgio Moro está cortada. como posso obter a charge/figura, completa?
    Poderiam me ajudar? Sou aficionado por desenho.
    Fico, desde já, agradecido.
    atenciosamente,
    Mauricio Mattos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *