Nem tudo está perdido. Câmara vai investigar Ricardo Teixeira, a CBF e os preparativos da Copa.

Carlos Newton

Enquanto se aguarda a demissão do ministro do Esporte, Orlando Silva, surge uma boa notícia. O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, além dos dirigentes do COL (Comitê Organizador Local da Copa-2014), também chefiado pelo dirigente, serão investigados por uma comissão instalada pela Câmara dos Deputados, em Brasília.

Serão apuradas as denúncias de irregularidades, como o critério de divisão dos lucros do Mundial, os acordos firmados entre a CBF e as redes de TV e patrocinadores e os excessivos gastos com a construção e reformas de estádios.

Formulada pelo deputado Anthony Garotinho (PR-RJ), que em março tentou reunir assinaturas para criar uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) contra o cartola, mas não conseguiu, a proposta foi aprovada pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle.

“Em sua defesa, Ricardo Teixeira afirma que esta Casa não tem poder de investigá-lo, já que não há recursos federais envolvidos na organização da Copa. Entretanto, somente de renúncia fiscal há mais de R$ 1,1 bilhão envolvido, e com certeza renúncia fiscal é recurso federal”, argumenta Garotinho, acrescentando que a as renúncias englobam estádios e sistemas de infraestruturas de cidades-sede.

O deputado também propõe que a comissão investigue o recebimento de salários pelos membros da diretoria da CBF, o que seria proibido, além de possível prática de lavagem de dinheiro pela Confederação e o financiamento de campanhas eleitorais. Garotinho diz ainda que Teixeira paga advogados com recursos da entidade, que é privada, para se defender das múltiplas e sucessivas denúncias.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *