Ninguém fala sobre a descoberta no Brasil de uma grande reserva de tálio, mineral altamente estratégico,

Francisco Vieira

Precisamos discutir mais a questão dos minérios. O Departamento Nacional da Produção Mineral divulgou, em fevereiro deste ano, a descoberta da primeira jazida brasileira de tálio, um metal extremamente estratégico e de alto valor, hoje produzido somente na China e no Cazaquistão. E a China já divulgou que imporá barreiras a sua exportação!

De tão raro, nem era procurado no Brasil. Foi divulgado que o objetivo da empreitada, inicialmente era, tão somente, a exploração de calcário. E a descoberta foi feita pela empresa do ex-rei da soja, Olacyr de Morais que, nos seus 80 anos de idade, aceitou um novo desafio: a mineração.

A jazida está localizada no território baiano do município de Barreiras e constitui a única ocorrência mundial em que o tálio está associado ao manganês e ao cobalto, em ambiente continental, e que é considerado o elemento de principal interesse econômico.

Para se ter uma idéia da jazida, apenas uma das 24 áreas pesquisadas pela empresa seria suficiente para abastecer todo o consumo mundial, hoje estimado em 10 toneladas anuais, pelo período de seis anos.

O tálio é um metal aplicado em soluções de alta tecnologia, de utilização estratégica nas áreas de saúde e energia, por exemplo. é usado como contraste em exames cardiológicos por imagem, como elemento supercondutor na transmissão de energia e como material termoelétrico, já que tem capacidade de transformar calor desperdiçado em eletricidade aproveitável.

Foi divulgado, ainda, que a reserva do minério é superior a 60 milhões de gramas, apenas na primeira área onde a pesquisa foi concluída, equivalente a menos de 2% da área total de pesquisas do projeto. O metal é comercializado e cotado em grama e o preço varia próximo dos US$ 6 o grama, o que equivale a mais ou menos R$ 10 reais.

Não é preciso nem falar das dificuldades criadas pelo IBAMA…

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *