No Egito, confrontos entre apoiadores de Mursi e forças de segurança deixam quatro mortos

Deu na Agência Brasil

Cairo – Quatro apoiadores do presidente egípcio Mouhamed Mursi, deposto hoje (3) pelos militares, foram mortos em confrontos entre forças de segurança e grupo armado na cidade de Marsa Matruh (no Nordeste do país), segundo fonte dos serviços de segurança.

Dez pessoas ficaram feridas durante o ataque desencadeado por um grupo armado de partidários do presidente deposto contra a sede dos serviços de segurança da cidade, situada na costa mediterrânea, próxima da fronteira com a Líbia.

Os serviços de segurança egípcios interromperam hoje a transmissão da cadeia de televisão pertencente à Irmandade Muçulmana, o movimento que era liderado por Mursi antes de ser eleito presidente, há cerca de um ano, disse um colaborador do chefe de Estado à agência noticiosa AFP.

Os funcionários da sucursal egípcia da Al Jazeera, Al Jazeera Mobasher, foram igualmente detidos depois de a estação ter transmitido um discurso do presidente.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

4 thoughts on “No Egito, confrontos entre apoiadores de Mursi e forças de segurança deixam quatro mortos

  1. “Os povos estão cansados de ser coadjuvantes” …
    Estará nascendo (florescendo) uma nova forma de governo … que não é “nova” coisa nenhuma?
    Clístenes, um governante grego pré-socrático, foi quem determinou os primeiros verdadeiros passos do que viria a ser conhecido como Democracia. Evoluiu, perante Solon.
    O que fez Clístenes? Mandou colocar na rua, para o povo julgar, pedras brancas e pedras pretas. Num saquinho, como depósito das pedras, estava escrito o nome de um cidadão. Ao final, contavam-se as pedras. Se as pedras brancas fossem maioria, o cidadão estava livre de qualquer acusação. Se as pretas tivessem em maior quantidade … o cidadão estava obrigado a deixar a cidade, por tempo pré-estabelecido; a pena poderia alcançar anos e anos!!!
    Depois veio Péricles e deu outros contornos a este sistema democrático. Foram formados os primeiros condomínios, nos quais grupos de pessoas decidiam as questões fundamentais para a boa gestão e administração de cada condomínio.
    Hoje … ” não é bem assim ” … mas o que estamos assistindo no Egito guarda boa semelhança. O povo não quis mais seu governante e tratou de expulsá-lo. Entre nós … poderíamos aproveitar isto? Eis a questão shakespeariana. Temos sistemas disso, sistemas daquilo e … as formas autênticas da Democracia já (quase que) não mais existem.

  2. Quanto a esse último parágrafo, não me admirei porque o governo do Catar, maior financiador da Irmandade Muçulmana, é proprietária da AL Jazeera e a vem controlando e interferindo bastante na linha da emissora nos últimos dois anos. No site http://www.livestation.com está disponivel gratis várias TVs. Basta ver sua programação e noticiário para comprovar. De qualquer maneira, a situação lá é complicada, porque o Catar é o maior aliado dos EUA no Golfo, mais confiável que a Arabia Saudita que financia outro grupo, e os EUA há 38 anos mantém estreitos vínculos com a alta oficialidade militar egípcia. Problemas para eles resolverem.

  3. Acho que devemos acompanhar o que esta acontecendo e comparar com a Venezuela em 2002. Será um golpe? Acho que o povo e o futuro nos dirá…

    Lembrem-se: A revolução não será televisionada…

  4. As TVS estão mostrando o Egito ao vivo e direto com comentários de rua em árabe e inglês. SKY NEWS inglesa, PRESSTV iraniana e AL ARABIYA dos Emirados Árabes também, embora os milicos tenham entrado ontem na última citada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *