No feriado do Sete de Setembro, haverá protestos contra Temer em 18 capitais

Resultado de imagem para fora temer charges

Charge do Oliveira, reproduzida do Diário Gaúcho

Deu no Estadão

Protestos em pelo menos 18 capitais contra o presidente Michel Temer estão programados para o feriado de 7 de Setembro. Alguns atos estão sendo convocados pelas redes sociais para começar já na noite desta terça-feira (6). As manifestações pedem a saída do peemedebista do poder, a convocação de novas eleições e ainda destacam oposição à agenda econômica do novo governo.

Em Brasília, diversos movimentos de esquerda assinam a organização de um ato marcado para as 8h30 em frente à Catedral Metropolitana, na Esplanada dos Ministérios. Segundo um grupo da Universidade de Brasília (UnB), a ideia é ficar no local até à noite. No Facebook, 3,8 mil pessoas confirmaram presença na manifestação até as 13h30 desta terça-feira.

“O povo brasileiro sofre cada vez mais com a crise. Só em agosto mais de 100 mil pessoas ficaram desempregadas. O salário já não dá mais para as compras do mês. E se Temer continuar realizando suas medidas, isso só tende a piorar. Não podemos esperar nada de bom de um governo que não foi escolhido pelo povo”, diz o texto do evento no Facebook.

AVENIDA PAULISTA – Na capital paulista, o primeiro ato do dia ocorre na Praça Oswaldo Cruz, às 9h, e ocupará a Avenida Paulista. O evento é organizado pela Central de Movimentos Populares do Estado de São Paulo e sua convocação no Facebook destaca o protesto contra as reações de Temer às manifestações. A concentração será na Praça Oswaldo Cruz, que fica entre as estações Brigadeiro e Paraíso do Metrô. Dessa esquina na avenida Paulista, o grupo vai caminhar até o Parque do Ibirapuera.

Outra manifestação está programada na Praça da Sé para as 14h e está sendo chamada pela Frente Periferia Revolucionária. “Quem votou na Dilma, votou ciente – ou ao menos deveria – de que o vice-presidente seria o Temer, mas isso não significa que os mais de 54 milhões de brasileiros apoiam as ideias neoliberais do peemedebista”, diz a convocação do evento na rede social. Até as 12h desta terça-feira, 7 mil pessoas confirmaram presença no ato.

Às 17h, um ato organizado pela Frente Brasil Popular vai estar concentrado no Largo da Batata. Um dos lemas usados no protesto é “nenhum direito a menos”, destacando oposição à agenda econômica de Michel Temer.

CONTRA A REDE GLOBO – No Rio de Janeiro, uma emissora de televisão será alvo de protestos neste 7 de Setembro. Às 18h, manifestantes vão se reunir em frente à sede da Rede Globo, no Jardim Botânico. “A Rede Golpe de Televisão apoiou a ditadura militar em 1964 e a mesma articulou e viabilizou o golpe dado em nossa democracia no dia 31 de agosto de 2016”, diz o evento. Ao meio-dia desta terça-feira, 1,3 mil pessoas confirmaram presença através da internet.

Também no Rio, um ato “Fora Temer” está programado pela frente Povo sem Medo para as 11h na esquina da rua Uruguaiana com a avenida Presidente Vargas. O evento chamado na internet destaca a data simbólica do feriado e diz que o objetivo é gritar pela “verdade liberdade e independência”, pedindo a saída de Temer da Presidência e a realização de eleições.

A FAVOR DE TEMER – Em Brasília, uma manifestação a favor de Temer está sendo organizada para as 9h pelo Movimento Brasil Contra Corrupção na Esplanada, mesmo local do ato marcado por oposicionistas de Michel Temer. O movimento tem lideranças que apoiaram o impeachment de Dilma Rousseff (PT) e pede aprovação imediata e sem mudanças do projeto que estabelece as “dez medidas contra a corrupção”, que está sendo discutido em comissão especial na Câmara dos Deputados. O evento convocado na internet também coloca na pauta do protesto a aplicação da Lei da Ficha Limpa e o fim do Foro de São Paulo, que reúne partidos de esquerda da América Latina.

O Movimento Brasil Livre (MBL) e o Vem pra Rua, que protagonizaram os protestos pedindo a saída da ex-presidente Dilma Rousseff, não estão chamando para manifestações no feriado Nas redes sociais, as organizações têm criticado os atos contra o presidente Temer afirmando que esses protestos pedem a volta de corruptos ao poder.

Nos últimos dias, o MBL tem se dedicado às campanhas de seus candidatos nas eleições municipais, além de pedir o impeachment do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, por ele ter decidido fatiar a votação do processo que cassou Dilma Rousseff.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGNo feriado da Independência, teremos um bom teste sobre a conjuntura política. Já poderá ser avaliado o verdadeiro potencial da oposição ao governo Temer, porque os movimentos sociais não têm condições financeiras de continuar bancando transporte, alimentação e remuneração dos militantes. Portanto, a tendência é de os protestos perderem a força, progressivamente. (C.N.)

13 thoughts on “No feriado do Sete de Setembro, haverá protestos contra Temer em 18 capitais

  1. Movimento sociais econômicos. Acabou o milho acabou a pipoca. Vai ter um grupo de estudantes, filhos de mamis e papos. O qual vão até o fim ao lado do PT. Mas o povo sabe que essa conversa do Lula não cola mais.

  2. … e quem votou no TEMER???
    -Os PETISTAS, ora!!! E dos 54 milhões, apenas os que tinham uma boquinha e os que estão com medo de perder uma estão protestando pela volta da Dilma!!!

  3. É necessário deixar claro. os que querem o “fora Temer” e novas eleições, não é o povo, são os movimentos que foram sustentados pelos governos do PT, que juntamente com o aparelhamento do Estado formou uma defesa dos interesses escusos do petismo.
    Novas eleições, neste momento só serviria para tumultuar mais a vida nacional e aumentar a crise, mas parece que é isso que o PT e seus comandados querem.
    É evidente, se a Dilma não tivesse o apoio e os votos do PMDB, não seria eleita.

  4. Protestar é o ofício do pt e seus permanentes aliados. Não sou a favor dos que sairam pois cuidavam dos pobres para transformá-los em currais eleitorais,nem dos que voltaram ao poder,porque nunca fizeram nada pelos pobres. Creio que, de agora em diante,o povo um pouco mais consciente,precisa pressionar os governantes para que cuidem dos pobres e não sejam indiferentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *