No pas bestificado, parece que a Era da Revolta, 2013-2018, chegou ao fim

Resultado de imagem para PATO AMARELO CHARGES

O Pato da Fiesp foi recolhido das ruas e o pas parece estar resignado

Vinicius Torres Freire
Folha

O pas quase inteiro assistiu de modo resignado aprovao da reforma da Previdncia. Na prtica e no grosso, espera de modo conformado que a economia d sinal de vida. Talvez a reao bestificada ou perplexa fosse esperana modesta e calada em algum alvio prximo. No o que parecem dizer pesquisas de confiana econmica, de outros sentimentos da vida e de prestgio do governo, que sugerem desiluso e medo.

Talvez tenhamos chegado fase de aceitao, como se diz do ltimo estgio do luto, como se no houvesse mais a fazer alm de atravessar o deserto de modo paciente. Acabou a era da revolta, 2013-2018?

PASMACEIRA – Claro que esta caricatura de psicologia apenas um modo tentativo de descrever a pasmaceira, obviamente no um diagnstico do silncio. O pas parece ruidoso nas redes insociveis ou no governo e nas demais minorias extremistas, mas no se movimenta poltica ou socialmente mesmo diante de questo controversa como a Previdncia.

Antes da tramitao quase pacfica ou funrea da reforma das aposentadorias e penses, parecia razovel estimar que o plano de mudanas previsto para o ano causasse conflito. Vai?

A reforma tributria pode ser racionalizao econmica, como a previdenciria, mas tambm provoca perdas ou ganhos, talvez ainda mais evidentes. Haver quem pague mais e menos impostos, empresas e cidados. A ideia temerria de acabar com os gastos obrigatrios em sade e educao, que vem por a, caso anlogo.

ALGUM BARULHO? – No conflito entre elites econmicas devido a mudanas nos impostos ou mesmo reforma de carreiras e salrios de servidores, talvez se escute algum barulho. O povo em geral e o mido em particular assistir bestificado ao resto da parada das reformas? uma grande pergunta para o resto deste ano ou de governo, to difcil de responder quanto prever os danos do prximo desvario ou remelexo ultradireitista do bolsonarismo.

No mais, haver questes srias que no causam comoo popular, como a deciso do futuro da taxa de juros (caso a Selic no v de 6,5% a 5% at o fim do ano, o Banco Central estar promovendo arrocho grtis e caro, tudo mais constante). Haver um pacotinho econmico para o curto prazo, uma aguinha para ajudar a travessia do deserto, como a liberao de dinheiro de Pis/Pasep e FGTS. Mata a sede at o ano que vem?

DEPRESSO – Embora as previses econmicas dos dois ltimos anos, por a, tenham sido horrendas bolas fora, na mdia no parece que a economia v crescer alm do ritmo anual de 1% ao ano at o Carnaval de 2020, se houver Carnaval. Teremos ento chegado a seis anos de depresso.

Haver fadiga de reformas com efeito prtico? A pergunta nem to ociosa, porque at economistas-padro, ditos ortodoxos, comeam a especular sobre a possibilidade ou necessidade de algum estmulo para que a economia pegue no tranco (gasto extra do governo, em investimento).

SILNCIO DE OURO – H, porm, quem preveja que um passeio de reformas possa antecipar a retomada do crescimento. O silncio nacional seria ento de ouro.

Mais seguro dizer que, na falta de alternativa poltica considervel, respeitvel e razovel, resta aos insatisfeitos chorar no cantinho. Pelo andar da carruagem, o pas vai ser virado do avesso socioeconmico sob a anestesia da depresso e da catatonia da oposio mais incapaz e desinformada de que se tem notcia.

6 thoughts on “No pas bestificado, parece que a Era da Revolta, 2013-2018, chegou ao fim

  1. E tem gente que ainda considera o PT e seus lderes vtimas de armao judicial de primeiro grau.
    S mesmo psicopata e iletrado para considerar os governos do PT como merecedores de crdito por levantar a economia.
    Pagamos caro por uma festa que patrocinamos e ouvimos, mas no participamos.
    O pobre foi enganado, usado e levou a pior nesses 14 anos de cleptomancia.

  2. Talvez a verdade seja que nem os supostos representantes da classe trabalhadora tenham mais um interesse real em combater a reforma da previdncia. Sindicatos parecem mais preocupados em assegurar o recebimento de contribuies obrigatrias, tiradas a seu favor do bolso dos trabalhadores. Partidos e movimentos de esquerda s se preocupam em soltar o Lula, e no mximo se preocupam com questes politicamente corretas com boa exposio na mdia. No fundo talvez esperem que a reforma assegure mais algum dinheiro nos cofres do governo, e tambm receber mais alguns votos na prxima eleio, se beneficiando da frustrao de parte da classe trabalhadora. Assim, a reforma acabaria sendo vantajosa para os partidos que supostamente deveriam ser contra ela.

  3. O povo est cansado, no aguenta mais o bombardeio dos corruptos, da imprensa vendida. Ser eleito, no Brasil, para polticos, acreditar que tem carta branca pra fazer o que quiser. O povo se tornou refm, e quando pode fazer alguma coisa, no voto, no tem a quem escolher. Aqui, democracia sinnimo de esculhambao.

  4. No pas bestificado, maior celeiro de alimentos do planeta, facil a inflao entoada ser de 0,01%

    Pense num contingeqnte de 200 milhoes de pessoas proximas linha da pobreza pagando mais caro por alimentao que os paises do primeiro mundo, baixar a cesta basica pra fazer bonito no ndice inflacionario significa somente maquiar um grama a menos no assalto a que esse povo acometido…

    Nada mudou, s quem tem a caneta mudou.
    E pra pior, estamos chegando no gargalo, vai transbordar…..

    A veremos o novo comeo.

Deixe um comentário para acme Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.