No palco da existência, o regime ideal para evolução dos espíritos atrasados

Welinton Naveira e Silva

Acreditando que existe alma e na teoria da reencarnação, inevitavelmente temos que aceitar que estamos aqui em permanente missão de desenvolvimento espiritual. Se isso é verdade, como em qualquer escola, a vida tem lá seu lado divertido e alegre. Mas também impõe deveres, provas, broncas, castigos e permanentes avaliações, expressas na cobrança pela sobrevivência, nas crueldades, injustiças e violências diversas, bem próprias do mundo capitalista.

Há que acreditar ser a Terra um colégio para espíritos da pesada, para almas muito atrasadas e toscas. Por isso mesmo, de terríveis provações, inclusive, com as doenças e a temida decadência orgânica.

De um modo geral, para a grande maioria das pessoas, a provação mostra-se cruel, embora considerada adequada ao desenvolvimento espiritual de cada um. Cada alma deve vir com uma missão de desenvolvimento. Para tanto, recebe adequada rota existencial condizente com seu programa de desenvolvimento e aqui exerce o papel de operário, artista, mendigo, engenheiro, jornalista, médico, prostituta, advogado, político, dona de casa, militar, empresário, comerciante etc.

REGIME ADEQUADO

Nesse aspecto, o sistema capitalista é de natureza muito adequada e própria à evolução espiritual de espíritos bem atrasados, devido à sua selvagem natureza, propícia a grandes acumulações de riquezas, geradora de massas de miseráveis e de pobres, terríveis crueldades, injustiças e diversos sofrimentos. Ao mesmo tempo, nos expõe permanentemente a inúmeras grandes provas de honestidade,  dignidade, justiça, coragem, força, fraternidade, solidariedade, compaixão etc.

Nesse modelo, o padre Jorge Mario Bergoglio, de visão humilde e preocupado com os sofrimentos dos pobres e miseráveis, justamente esse homem, Deus lhes reserva importante provação neste mundo, como Papa Francisco, supremo executivo da bilionária Igreja Católica, de seculares alianças com poderosos e ricos de todos os tempos. Sem requerer imaginação alguma, é possível antever os sofrimentos e grandes pressões que por certo já estão incidindo sobre o Papa Francisco.

Dependendo do arrojo e extensão de suas pregações e ações, em defesa dos oprimidos, miseráveis e injustiçados, poderá pagar muito caro, até mesmo, com a própria vida. Rezemos por ele.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

76 thoughts on “No palco da existência, o regime ideal para evolução dos espíritos atrasados

  1. Caro Welington,

    -Vsa não acha CÔMODO dizer que os miseráveis, homens, mulheres e crianças, estão sujeitos a crueldades, injustiças e violências diversas apenas para galgarem um “nível espiritual maior” na próxima existência?

    -Não seria uma forma de se “dar de ombros” e DORMIR COM A CONSCIÊNCIA TRANQUILA, já que “se eles estão sofrendo, é porque merecem”, uma vez que “a Terra é um colégio para espíritos da pesada, para almas muito atrasadas e toscas”?
    Abraços.

  2. Entre todos os cretinos, que pululam neste Blog, lhe respeito, e lhe considero o “grande imbecíl, o grande cretino”. O Sr. só perde para o idiota mor, Paulo Solon, e o outro idiota, Almério Nunes. já que este é fora de série, e consegue ser cristão e socialista. Como se fosse possível ser prostituta e mulher decente.
    O capitalismo propiciou a todos, nos últimos 200 anos,progressos que a Humanidade nunca teve. A expectativa de vida dobrou, foram oferecidas milhões de facilidades a todos: vacinas, internet, livre comércio, liberdade de expressão, desenvolvimento em todas as áreas.
    Mais os cretinos do seu tipo não se contentam, ganham dinheiro em mercado de ações como você, que já afirmou aqui neste Blog, mas continuam afirmando cretinices contra o capitalismo.
    Gostaria que você, Naveira cretino, aprendesse rudimentos sobre o Liberalismo Econômico, antes de ser arvorar a criticar aquilo que não conhece.
    Gostaria de lhe dizer estas coisas pessoalmente, mas não moro aí no Rio.

  3. Não sei o que essa gente GANHA em TENTAR desmerecer o outro neste blog. Pessoalmente se sabe que é quase impossível falar tantas coisas “na cara”, como se fala em fórum de internet. As pessoas que criticam o outro deveriam se perguntar antes QUAL O PESO que elas têm ( o que construíram, o que produziram ou produzem para beneficiar a vida de outras pessoas, se tem uma história de luta, enfim…) para se darem o direito de terem este tipo de atitude.

  4. O fato de haver exploração do homem por parte do Capitalismo Selvagem em seus vários graus, não significa que não estejamos passando por um processo cármico. Não li em nenhuma linha que o fato de sabermos disso, nos faça dormir com a consciência tranquila. Longe disso!

    O capitalismo trouxe benefícios para a humanidade? Em partes, sim! MAS a enorme disparidade social é maior do que os benefícios. Só falta dizer que parte da humanidade é miserável por que ela é preguiçosa…

  5. Mônica:
    Não se meta onde não foi chamada. Procure a sua turma de vadias. Procure a sua turma, entendeu?
    Não lhe conheço e não me venha com indiretas, não me dirigi a Sra, e fique na sua.

  6. Faço minhas as palavras da Sra. Mônica, e lamento a agressão verbal do Sr. Mário Leme ao nosso velho colega Comentarista Sr. Welinton Naveira e Silva e outros citados. Não podemos confundir ideias com Pessoas como bem disse o Sr. Luiz Álvaro. Podemos discordar totalmente das ideias mas devemos respeitar todas as Pessoas.

  7. Caríssimo Naveira,

    Como você já deve estar ciente, admiro-lhe deveras! Já reafirmei isto aqui neste blog. Sua alma é a dos grandes visionários, sempre à frente do seu tempo. Seus posts aqui na Tribuna têm o condão de nos ferroar o lombo, recalcitrantes que somos, a nos fazer avançar! As verdades ditas por você, aqui, são tenazes de fogo a carimbar a testa dos espíritos da pesada, que pululam por todos os lados, inclusive aqui, nesta Tribuna. O capitalismo é um sistema do Cão, do Belzebu, do Coisa-Ruim, do Temba, do Capiroto, do Canho do Pé-Preto, do Diabo e do Cramulhão! E os coitados que aqui ousam defendê-lo, são apenas isso: coitados! Coitados equivocados que, na ausência de arrazoado que justifique as crueldades, safadezas e canalhices de um sistema diabólico e apodrecido, vêm aqui insultar quem ousa jogar-lhes na cara as verdades dolorosas! Coitados, sentirão em seus costados a mão pesada de Deus, a expurgar-lhes o cerne purulento, pleno de egoísmos, orgulhos e vaidades vãs, qualificativos dos quais o capitalismo está pejado, constituindo-lhe mesmo a matriz característica! Relevemos as reações iracundas e caminhemos, sempre em frente! Um dia, esse sistema nefando ruirá e o homem habitará o reino de Deus na Terra!
    Um abraço ao editor Carlos Newton, que aqui nos tolera, cotidianamente…
    Um abraço a todos do blog.

  8. Sr. Bortolotto:
    Estou preocupadíssimo com os seus comentários. E acho que terei imensos remorsos “nos próximos 10 anos”.Terei que tomar Prozac, Rivotril, e o escambau.
    Bortolloto, escrevi o que acho que é verdadeiro e não pertenço ao seu Clube de puxo-sacos das empulhações socialistas.Lhe falta coragem moral para denunciar a mentira socialista, já que você é um social-democrata, travestido de libertário.
    As suas opiniões valem muito para mim, valem lixo.

  9. Monica, o que produz justiça social são boas leis que punem com rigor os aproveitadores, criminosos que existem em qualquer sistema. Aliás, no sistema comunista o capitalismo existe, só que nas mãos de meia dúzia de dirigentes desses regimes totalitários e não nas mãos de milhões de pessoas que podem criar e produzir como nas democracias capitalistas. Por isto estas produzem muito mais riquezas e consequentemente beneficiam muito mais pessoas que no comunismo.
    Comunismo é produto de um ideal e todo ideal termina em religião com seus dogmas contrariando as leis da natureza. Por isso o fracasso desses regimes religiosos, pois eles anulam a alma humana que é sonhar com um amanhã diferente, melhor, com o proprio trabalho. Na URSS foi assim e ela não sofreu o tal bloqueio dos EUA, que os fanticos da religião comunista dizem. Ela faliu porque ninguém lá se interessava em criar alguma coisa, pois sabia que não seria recompensado. Seria garfado pelos dirigentes desse regime opressor.
    Assim esse estado faliu pois, em nome de uma falsa moral e promessas de mundo perfeito, que caracteriza tudo quando se trata de algumas religiões ou ideologias, na prática a teoria foi outra.

  10. Monica, o que produz justiça social são boas leis que punem com rigor os aproveitadores, criminosos que existem em qualquer sistema. Aliás, no sistema comunista o capitalismo existe, só que nas mãos de meia dúzia de dirigentes desses regimes totalitários e não nas mãos de milhões de pessoas que podem criar e produzir como nas democracias capitalistas. Por isto estas produzem muito mais riquezas e consequentemente beneficiam muito mais pessoas que no comunismo.
    Comunismo é produto de um ideal e todo ideal termina em religião com seus dogmas contrariando as leis da natureza. Por isso o fracasso desses regimes religiosos, pois eles anulam a alma humana que é sonhar com um amanhã diferente, melhor, com o proprio trabalho. Na URSS foi assim e ela não sofreu o tal bloqueio dos EUA, que os fanticos da religião comunista dizem. Ela faliu porque ninguém lá se interessava em criar alguma coisa, pois sabia que não seria recompensado. Seria garfado pelos dirigentes desse regime opressor.
    Assim esse estado faliu pois, em nome de uma falsa moral e promessas de mundo perfeito, que caracteriza tudo quando se trata de algumas religiões ou ideologias, na prática a teoria foi outra.
    ..Deixar um comentário

  11. Caro Newton,

    Minha mãe, atrasada que era, apegada às pieguices e sentimentalismos que era, me ensinou que, ao tratar as pessoas por telefone, o fizesse como se estivesse na presença delas.
    No tempo da minha infância ainda não tinha internet. Mas, se tivesse, acredito que o conselho teria sido o mesmo…

    Caro Welington,

    Não “concordo muito” com a sua colocação, com a sua espiritualidade. Mas acredito no seu direito de falar neste espaço qualquer impropério, por mais estaparfúdio que seja… Se o Carlos Newton permitir.

    Argumento se derruba com argumento, e não com ofensas.

    Se eu não gosto do seu artigo, simplesmente “passo”, não comento e leio outro…

    Abraços.

  12. Welinton, concordo com seu artigo e com o cometário inteligente da Mônica.
    A maioria das pessoas não se dá conta, como a nossa existência na terra é passageira.
    Acreditando-se que exista um Deus: porque uns nascem filhos de pais pobres e outros de
    de pais ricos, uns feios, outros, bonitos, uns perfeitos e outros imperfeitos, uns nascem
    em país rico e outros em países pobres etc. Para tudo existe uma razão, nada acontece
    por acaso. A existência na terra é apenas uma etapa da vida. Acredito que no futuro os
    cientistas descobriram que o espiritismo, não será visto com religião, mas como ciência.
    Um ensinamento importante de Cristo: Amai uns aos outros, tanto quanto vos amei.

  13. Ô Mário Leme, ô Mário Leme,
    Que surto de raiva é este que apresentas contra alguns frequentadores da Tribuna?
    Em princípio, não será desta forma que irás angariar adeptos aos teus conceitos, agredindo e ofendendo quem não concorda contigo.
    Naveira, Almério, Bortolotto, são homens distintos, educados, que, se deles discordamos, devemos respeitá-los.
    Leme, és dotado de inteligência e cultura que admiramos.
    Teus textos, em decorrência, devem ser lidos, menos rechaçados;
    Tuas palavras têm o dever de agregar, e não separar;
    O teu nível educacional obrigatoriamente precisa preponderar sobre a emoção, e não te deixares levar por atitudes que serão repudiadas pela violência empregada desnecessariamente.
    Se é esta a maneira que demonstras a superioridade do capitalismo e do Cristianismo em detrimento do bem comum, do desprezo e desrespeito entre as relações interpessoais, então serei socialista e ateu, mas, pelo menos, enaltecerei o ser humano, o meu próximo, e vou lhe agradecer por pensar diferente de mim, seja para eu ratificar o que penso ou retificar as idéias que até então eu as julgava como corretas.
    Mais a mais, Leme, o alvo que se quer atingir neste espaço democrático quando empregamos expressões que ferem o decoro não é quem queremos, mas aqueles que nos colocam à disposição um Blog incomparável:
    Newton, o incansável e, Hélio Fernandes, com a sua experiência e conhecimentos extraordinários.
    Caso as ofensas e agressões continuarem a ser a tônica para implementarmos o que imaginamos, que ela seja fechada, mas não pode servir de palco à irracionalidade e de demonstrações de total ausência de civilidade e urbanidade.
    Quanto à Mônica, foste vulgar ao te dirigires a ela, um legítimo vadio.

  14. Horridus Trincheira,
    Que homem é este que “habitará o reino de Deus na Terra!?”
    O capitalista – “sentirão em seus costados a mão pesada de Deus, a expurgar-lhes o cerne purulento, pleno de egoísmos, orgulhos e vaidades vãs, qualificativos dos quais o capitalismo está pejado, constituindo-lhe mesmo a matriz característica”?
    Ou o socialista – inflado de ódio, contrariando plenamente a mensagem de Cristo, querendo vingança e sedento de sangue?!
    Interessante que este teu texto corrobora o inferno que ambos vivem:
    O endinheirado que se preocupa tanto com o seu capital que vive infeliz e, o pobre, que por não tê-lo, despreza a vida e as belezas do mundo que dispõe porque o sonho é ter grana!
    As tuas palavras simplesmente atestam que, desta forma, o ódio enaltecido, continuaremos vivendo e dividindo este planeta sem a presença de Deus, que não tomará partido a favor de nenhum e outro, haja vista que já nomeamos um deus e é ele quem mais o capitalista e socialista mais professam:
    O DINHEIRO!
    Um por tê-lo demais e, o outro, por querer tê-lo de qualquer jeito.

  15. Sr. Francisco Bendl:
    Fique na sua, não citei o seu nome. Assino o que escrevi, e essa é a minha opinião sobre os personagens que citei. Não lhe pedi conselhos.
    Enfrento qualquer um, em qualquer condição. Tenho educação,vasta, e as pessoas que citei merecem as palavras que descrevi, pois elas atacam sem justificativas o sistema que lhes permite viver com sobras, com abundância. São hipócritas,sepulcro caiados.
    REPITO: “O SOCIALISMO É UM LIXO, E TODO SOCIALISTA É UM SOCIOPATA”.
    Todas as palavras que usei, repito-as, agora.
    Não venha com sermões Bendl, FIQUE NA SUA.

  16. Leme,
    Não vou te respeitar enquanto não fizeres o mesmo com os demais participantes deste espaço democrático.
    Deste o pontapé inicial, então aguenta as caneladas ou, por acaso, elas são de vidro?
    Ah, antes que eu me esqueça:
    Posso até ser vadio na tua ótica deturpada, mas trato bem as mulheres.

  17. Todo extremismo é mau caminho. Há que se buscar o melhor de cada sistema e buscar o bem da sociedade, abdicando das características que venham a causar prejuízo ao Todo da sociedade.
    O capitalismo impõe a meritocracia que nos impele a buscar melhorar sempre em todos os sentidos; por outro lado sua exacerbação causa a concentração de riquezas e segregação social.
    Já o Socialismo busca igualdade de oportunidades para todos, mas levado a extremismos gera os regimes ditatoriais que são evidentes em diversos países pelo mundo.
    Meu entendimento é de que é o caráter das pessoas que conduzem esses sistemas aliado à resultante das forças que levaram essas pessoas até ali é que determinam se o Capitalismo é selvagem ou se o Socialismo é ditatorial.Caso os governantes subissem a seus postos exclusivamente por vontade do Povo e não devessem favores, estes sistemas seriam puros e poderíamos analisar melhor, mas os egos distorcem todas as amostras disponíveis.
    Saudações a todos que concordarem ou que discordarem, afinal, ainda temos esta liberdade.

  18. Socialismo é ideal.
    Economia de mercado existe desde que o Homem aprendeu a armazenar alimentos.
    É da natureza humana.
    Todo ideal termina em uma religião ou ideologia , o que dá no mesmo. Nelas, a falsa-moral e as promessas de mundo perfeito sentimentalizam os humanos, que perdem o senso da relidade. Trocam o palpável e o visível, que por si só mostra o caminho do progresso, pela utopia. Por aquilo que sempre será melhopr que o presente e portanto uma doença cosequ~encia de outra: o ideal.

  19. Economia de mercado existe desde que o Homem aprendeu a armazenar alimentos.
    É da natureza humana.
    Socialismo é ideal.
    Todo ideal termina em uma religião ou ideologia, o que dá no mesmo. Nelas, a falsa-moral e as promessas de mundo perfeito sentimentalizam os humanos mais fragilizados, que perdem por completo o senso da relidade. Trocam o palpável e o visível, que por si só mostra o caminho das soluções do problemas, conhecido como “óbvio”, pela utopia. Por aquilo que sempre será melhor que o presente e portanto uma doença cosequente de outra: o ideal.

  20. Há muito não se vê aqui um comentário abjeto, chocante, revelador, pífio, devastador e misógino. (pelo menos, tudo isso ao mesmo tempo).
    Cada frase denota covardia moral e ignorância intelectual.
    O idiota mor, o socialista, esquerdopata, esquerdista festivo e festeiro, que gosto de ser, costuma consultar o “The Complete Idiot’s Guide”. Corra para o dicionário de Deonísio da Silva, “De onde vêm as Palavras”. Corra para o google.
    E como disse o fabuloso Fidel Castro, “Fora da Revolução, NADA”

  21. Caro Bendl,

    É um prazer voltar a parlamentar consigo…Não, eu não defendi o socialismo, conquanto sistema político-econômico vigorante; até porque, os arremedos de socialismo já tentados, descambaram para um personalismo ditatorial, que desaguaram bem longe do ideário socialista, cujas bases são a fraternidade, a igualdade e o amor ao próximo. Eu reafirmei ao Naveira que as bases em que se assentam o capitalismo são anti-cristãs: egoísmo, orgulho e vaidade são a tríade que ditam os comportamentos pessoais no sistema capitalista. Cristo, há mais de 2.000 anos, preconizava: Amai aos vossos inimigos, orai àqueles que vos perseguem e vos caluniam; Se alguém lhe toma a capa, dá-lhe também a túnica…se alguém lhe obriga a caminhar mil passos, vai com ele dois mil…Perdoa, não sete vezes, mas setenta vezes sete vezes…Não fuja daquele que quer lhe pedir emprestado…Por acaso, Bendl, não há libelos mais anti-capitalistas do que estes, proferidos por Jesus de Nazaré…O que Naveira reafirma, nas entrelinhas, é que enquanto os seres humanos que habitarem a Terra forem maus, se catalogarem como a escória, a escumalha da espécie humana, vigerá o capitalismo, que traz, intrinsecamente, o mal dormitando em suas entranhas…Mesmo que estrebuchem os defensores deste sistema ignóbil, a verdade é grande e cristalina: capitalismo e maldade possuem afinidades insolúveis e inquebrantáveis! E, juntos, ainda arrastarão os seres humanos por séculos afora, em jornadas dolorosas sobre o planeta Terra! Até que os homens resolvam seguir a doutrina do amor pregada pelo Cristo de Deus!

    Um abraço cordial, Bendl.
    Um abraço cordial, Naveira.
    Um abraço, também cordial, ao Mário Leme.

  22. Maior respeito a todos, mas sentimentalismos piegas eu mando é enfiar no cu.

    Nem foi minha mente que me fez manifestar desta maneira. A mente mente.

    Foi uma reação do meu corpo e o corpo não mente.
    Voces sabem disso.
    Muito obrigado.

  23. Agressividade

    Caso o modelo da reencarnação esteja próximo da verdade, então, tem irmão nosso com retorno garantido a Terra. Quem sabe, por várias reencarnações!

  24. É exatamente assim conforme o texto de Welinton Naveira e Silva, pois a condição humana, que é uma condição animal e passageira, é nesessária para a evolução espiritual através do acúmulo de experiências neste planeta. Assim sendo, o “capetalismo” é uma espécie de purgatório e é um mal necessário, uma espécie de castigo social e espiritual que deve ser superado através da solidariedade proporcionada pelo verdadeiro socialismo.

  25. Desconfio, por uma pista deixada no último comentário, que o vadio desbocado é aquele vira-lata baiano falso intelecto que se dizia professor e xingava a todos que discordavam dele. Na última vez saiu-se com um monte de palavrões e sumiu. Recentemente voltou transvestido, mas a catadura de antissocial é a mesma.

  26. Não vou responder a cada uma das ofensas que recebi de cada um dos socialistas acima, não tenho tempo a perder com estes inúteis.
    Gostaria de dizer a todos esses “bem intencionados socialistas” que me atacaram, organizadinhos, amestrados, em grupo, que pouco me importa o que pensam sobre mim. Socialistas como o Sr. J.Paul Sartre já chamaram os liberais de cães, as palavras do Sr. Lenin contra os cristãos enojam a qualquer um, se compararmos com as palavras que usei considero que elas foram cabíveis.
    No momento em que imbecis, idiotas, se acham no direito de escrever asneiras do tipo: “Nesse aspecto, o sistema capitalista é de natureza muito adequada e própria à evolução espiritual de espíritos bem atrasados, devido à sua selvagem natureza, propícia a grandes acumulações de riquezas”. Considerando a agressividade, pequenez moral do texto, considero que as minhas palavras foram adequadas, cabíveis , em resposta a estas idiotices.
    Pelo que me consta, aqueles que me agrediram não são donos deste Blog, portanto me sinto a vontade para escrever o que bem entender. Só deixarei de escrever neste Blog quando estiver estampada na página principal a proibição de textos que não façam apologia ao socialismo. Quem sabe assim, os “espíritos bem atrasados”, não incomodariam os “espíritos evoluídos” dos socialistas.

  27. Existem homens que envelhecem com sabedoria, enriquecendo a vida de dos que o rodeiam. Servindo como fonte de inspiração dos mais jovens, como referência. Não é o caso do bom filho da puta que escreveu o texto que vem logo acima do meu último comentário.
    Este “senhor”, que escreve o próprio nome com letras minusculas, não passa de um rato desdentado, cheio de pulgas. É desprezível.

  28. Podem acreditar que o vadio desbocado é aquele manjado vira-lata que tenta em vão conquistar sua vitória aos palavrões, marcando território como uma fera irracional. Ele sabe que já o identifiquei nas entrelinhas. Está a morder o rabo de ódio.

  29. Excelente texto, Naveira. Quanto aos comentaristas defensores do capitalismo, coitados, são tão engraçados…Naveira os definiu vem: são espíritos da pesada, mas não deixam de ser cômicos, risíveis, agarrados ao seu quinhão de egoísmo, como cachorros, agarrados ao seu osso…

  30. Modelo da reencarnação

    O modelo existencial da reencarnação (polêmico para os cristãos) me parece o mais lógico. Hora nenhuma, ninguém pode se julgar portador da devida evolução espiritual. Se assim fosse, em princípio, não deveria estar mais por aqui. Nessa minha reencarnação, estou vestindo a fantasia de engenheiro, por conta disso, não tenho o direito de achar que meu espírito poderia ser mais evoluído do que o de minha diarista. Quem sabe, ela é muito mais evoluída do que eu. Cada um com sua profissão bem de acordo com as necessidades de sua evolução. Isso, para os que creem no modelo evolutivo da reencarnação.

  31. Por outro lado, percebo, que, neste tom, os adeptos do socialismo e suas expressões contra os capitalistas e não contra o sistema, perdem a razão.
    Repito o que eu disse acima:
    O Deus de um e outro é o DINHEIRO!
    Um por tê-lo demais e, o outro, por querê-lo de qualquer jeito.
    Neste contexto, duvido que algum socialista convicto e crente em Deus e participante deste espaço democrático, divida sua residência com pessoas sem teto;
    Não acredito que doa parte do seu salário para os necessitados;
    Muito menos que diariamente mate a fome de algumas pessoas;
    Que tenha adotado crianças abandonadas pelos pais carentes;
    Que distribua o que tem em excesso.
    Assim, as agressões que tenham como alvo os capitalistas, soam como cinismo e hipocrisia, haja vista que divulgar regimes teoricamente perfeitos, mas não praticá-los é incoerência plena, contradição absoluta, escárnio para quem deseja discutir seriamente esta questão.
    Mais a mais não observei em qualquer comentário a favor do socialismo, que se tenha ido ao âmago da causa que impede o Brasil, pelo menos, não ser uma nação com tantos contrastes existentes no seu aspecto social.
    Ora, o nosso governo central de declara abertamente de esquerda, preocupado permanente com os pobres, sua bandeira neste sentido.
    Pois bem:
    Quais foram as medidas efetivas do PT para melhorar a vida dos necessitados e da classe média, que leva o País em suas costas?!
    A maior carga tributária do planeta;
    Um imposto de renda explorador e defasado ao longo dos últimos dez anos – governo petista – em mais de SETENTA POR CENTO;
    A classe das elites que mais lucrou no governo do PT foi a dos bancos, que nunca antes lucraram tanto em tão pouco tempo;
    Os privilégios governamentais foram destinados a empresários sabidamente desonestos, que adquiriram mediante financiamento facilitado pelo PT, bens pertencentes ao povo, lucrando, enriquecendo e, agora falidos, cabe à população arcar com o prejuízo!
    O PT não soube conduzir o Brasil rumo ao crescimento, estamos estagnados. Em compensação, propiciou que partidários e cúmplices dos escândalos financeiros por ele produzidos se locupletassem às nossas custas.
    Tivemos o aparelhamento do Estado em níveis jamais vistos;
    A inflação, outrora debelada, atualmente é uma ameaça constante;
    Os aposentados se ressentem de pensões que lhes foram roubadas de forma aviltante, de prejuízos incalculáveis, face ao que eram obrigados a contribuir à Previdência em comparação ao recebido mensalmente;
    O Piso Nacional ao Magistério, obra do PT, NÃO É PAGO por governadores petistas, alegando que, seus Estados, não têm condições para arcar com tais despesas;
    Se o rico tem carro – na imaginação limitada do socialista, carro é luxo -, mas o pobre não pode tê-lo, danem-se as estradas, que permaneçam piores a cada dia, levando gente a morrer pelo péssimo estado que se encontram, afora termos graves problemas de escoação do que se produz porque não atendem à demanda;
    O PT nivelou a população brasileira negando-lhe ensino de qualidade. A Educação, atualmente, é a prova cabal do descaso petista para que o povo não se desenvolva e deixe de ser dependente do governo, forma encontrada de manter milhões de votos mediante esmolas, mas condenado à miséria;
    Se o pobre não pode ter acesso à Saúde que todos, indistintamente, sofram as suas consequências, menos os abonados, haja vista eles terem os grandes hospitais à disposição e médicos a tempo e hora de seus males;
    O desarmamento foi uma maneira engenhosa de deixar à população à mercê de marginais, bandidos, que foram beneficiados criminosamente por organizações – muitas delas clandestinas – em nome de “direitos humanos”. A eles o direito de matar; à população, sem direito de se defender!
    Nesse meio tempo, vivemos o período da maior insegurança que este País já presenciou na sua História!
    Pergunto:
    Como podemos classificar o governo petista?
    Capitalista? Sim. Olha o quanto ele beneficiou a mesmas elites que anteriormente era tida e havida como inimiga do Brasil, além do partido, lógico;
    Socialista? Sim. Parte dos nossos impostos foi destinado ao Bolsa Família. Porém, um detalhe de fundamental importância foi deixado propositadamente de lado: o grande beneficiado não foi o pobre porque este continuará sendo pobre mas, o governo, que arregimentou em seu favor milhões de sufrágios mediante aumento da carga tributária à população, incluindo, ironicamente, tal aumento, ao próprio necessitado!
    Então, como podemos defini-lo neste aspecto?
    Aguardo por respostas dos meus colegas deste espaço democrático.

  32. Caro Welinton Naveira, saudações
    Este texto, “no palco das existências” … talvez seja o mais importante que li aqui. Como já era de se esperar, contudo, a expectativa de comentários no mesmo nível … esvaiu-se rapidamente, exceções – e que exceções!!! – à parte.
    Identifico-me totalmente com cada palavra que você escreveu. Hoje – mais do que em qualquer outra época – o distanciamento do Sentido da Existência é crescente. Vivemos em tempos do “Eu compro, logo existo”. Materialismo Puro. E lá vão eles, felizes, em regozijo pleno ao Deus Dinheiro. E são eles mesmos, os súditos desta religião, os que praticam as maiores violências verbais contra os que deles discordam; seja com deboches explícitos, “verdades definitivas” ou violentas agressões, reveladoras de que não estão dispostos (por incapazes) a um debate educado.
    Sou pelo Social, pela integração de todos numa sociedade pelo menos um pouco mais justa. A desigualdade chegou a um ponto que a veneração ao Deus Dinheiro transformou o meio em que vivemos numa selva autêntica: os trabalhadores/escravos são alvo de uma humilhação … que … nem representa qualquer novidade.
    Estamos AQUI para crescer, para sermos solidários, para praticar a compaixão, a caridade e a misericórdia. A quantidade de excluídos pela jogatina desenfreada é contada aos bilhões de indivíduos. Em todo o mundo. Este sistema, o Capeta-Lismo, é feroz e voraz. Resta-nos, talvez muito tolamente, advertir que o “poder comprar”, “poder fazer dívidas” tem seu lado bom (claro).
    Mas não é exatamente este o propósito do artigo do Welinton Naveira. O assunto é a Existência. Como colocaram Sócrates, Platão, Aristóteles, Epicuro, Descartes, Spinoza, Kant, São Francisco de Assis, São Tomás de Aquino e outros. A Metafísica deles é uma preciosa razão para meditarmos sobre o nosso papel AQUI.
    Nem falemos … do Mestre de Todos os Mestres, Jesus de Nazaré, O Cristo. ELE pediu-nos para dividir o pão, a água. Foi morto por causa disso. Foi alvo de deboches, e continua sendo. ELE sempre será pelo Social. ELE é a própria essência do Social. Do olhar para o outro. Pela integração entre todos nós. Se não nos é permitido praticar pelo menos um pouquinho dos Seus Ensinamentos, então … de que vale estar AQUI???
    Caro Welinton, obrigado!!! Mesmo!!!
    Receba o abraço deste seu humilde e tão pequeno admirador, o Almério Nunes

  33. Eu, e outros socialistas, não entendemos o dinheiro como o Bem Maior, alvo de toda uma vida.
    Preciso dele, é claro. Mas tenho e pratico outras prioridades, que tornam a minha vida válida para a minha consciência. Quero apenas ser feliz com o que tenho e obtenho meus resultados. Aos 70 anos, nem sei o que é Rivotril, Prozac e seus irmãos. Vivo em Paz comigo mesmo.
    Minhas prioridades são curtir um livro, boa música, pescar, cinema, teatro e (claro) namorar. Tenho que ter dinheiro para isto!!! Claro!!! Mas não vou adotar práticas que me vilipendiem para conseguir o que me eventualmente faltar. Posso esperar o Amanhã!!! Palavra belíssima!!!
    E lá vou eu … dando minhas caminhadas matinais … conversando e fazendo amigos … sem ter verdades para lhes apresentar … pois sou um socrático inveterado. Muito aprecio a investigação sobre Deus (a Teosofia de Helena Blavátski!!!) refletir sobre a vida que tenho e se posso melhorar como pessoa. Isto me basta.

  34. Rodrigo Pinto, em artigo muito esclarecedor, nos apresenta: “As elites brasileiras depositaram em paraísos fiscais a quarta maior fortuna do mundo”.
    Há regras para impedir ISTO?
    E se há … quem está se posicionando contra ISTO?
    E … quem se manifestar, logo logo será taxado de terrorista, revolucionário, perigoso para a sociedade, etc etc etc.
    Quem está ao lado do Deus Dinheiro, diz como será a “missa”, como será a “homilia”, como será a “comunhão” com Ele, o Deus Dinheiro.
    O que podemos fazer??? Os socialistas que tivemos (Leonel de Moura Brizola e Darcy Ribeiro) priorizaram a Educação e a Cultura para nossos indivíduos, para que futuramente se posicionassem como pessoas, como cidadãos! e não como meros instrumentos produtores para o Deus Dinheiro.
    Uma pessoa instruída é alguém que dificilmente será enganado. Observar a obra maiúscula do Professor Darcy Ribeiro teria sido um caminho para o desenvolvimento do Brasil, no mais absoluto âmbito social.
    Welinton, me desculpe. O aspecto político surgiu, e sua análise (do especto político) se insere na Existência, por estarmos sufocados por um sistema diabólico. Quanto à evolução dos “espíritos atrasados”, cabe a eles e só a eles, a vontade de deixar esta condição.
    Mas que você apresentou um caminho, apresentou.
    Refletirão eles sobre isto? Ou prosseguirão debochando e trazendo as mesmas “verdades” que vêm destruindo povos, famílias e sociedades inteiras???

  35. Almério, meu caro,
    Tenho me insurgido contra as pessoas que ofendem os comentaristas deste Blog incomparável. Não que elas precisem da minha defesa, mas sinto-me também agredido porque o tema deixa de ser debatido para ser substituído por questões pessoais e, invariavelmente, injustas!
    Conforme a minha ótica, independentemente de regimes políticos ou sistemas econômicos que nos regem, encontro na coerência – a pessoa mais importante que qualquer movimento – a solução para nossos impasses sociais, culturais, religiosos e políticos.
    Desta forma, desagradam-me palavras que atacam desnecessariamente as pessoas em nome de uma posição, de uma utopia ou constatação, se devereríamos considerar o ser humano como prioridade, meta fundamental, objetivo maior.
    Socialismo e Capitalismo têm sido responsáveis por milhões de mortes ao longo dos anos em vários conflitos, que somente causaram sofrimentos e nada contribuiram para que o homem tivesse uma vida melhor, ao contrário, com as guerras, revoluções e revoltas, tivemos o aumento da miséria, da escassez de produtos, de padecimentos, e falta de futuro à Humanidade!
    Assim, meu caro, entendo que, a Liberdade, a Democracia, a livre iniciativa, o dom pessoal, talento e vocação, devem reger a vida das pessoas, e não submetê-las a sistemas que previamente sabemos não contemplar o espírito e o desejo de independência do ser humano.
    Penso que, muito antes de culparmos o Capitalismo pelos males que ocasiona, também seria correto e sensato que fossem trazidos à tona para debates as nações que implantaram o Socialismo e que deram certo, sem que tal método fosse mantido à força ou introduzido à base de assassinatos e cerceamento de liberdades individuais e coletivas e, posteriormente, chefiadas totalitariamente!
    Observa que no meu comentário anterior, questionei o PT sobre as políticas econômicas e sociais que emprega no País.
    Ora, o PT não é socialista e nem capitalista, mas uma frente que visa locupletar-se às custas da ignorância de um povo propositadamente assim condenado.
    Por que, então, não discutimos as medidas que podemos tomar dentro do nosso Brasil e melhorar as nossas condições mudando radicalmente os nomes que compõem as nossas Assembléias, Câmaras e Congresso, e não ficarmos debatendo a teoria socialista que, na prática, não tem trazido os resultados esperados?
    Sabemos dos males do capitalismo. O PT deveria saber do distanciamento entre a sociedade que este sistema acarreta, por que cargas d’água permitimos?
    O que impede que tenhamos um governo mais preocupado com o povo?
    O que dificulta sobremaneira que não tenhamos à testa desta grandiosa nação um presidente ou uma presidente que queira reinstituir os CIEPS?
    Que tenha como objetivo diminuir a carga tributária?
    As alícotas exploradoras do IR?
    Que remunere melhor os aposentados?
    Que tentássemos seguir os moldes escandinavos e alemão, a social democracia, e liberdade ampla a seus povos?
    Não sei, Almor, mas a gente ficar se digladiando apenas no terreno hipotético ao invés de trazer o assunto à realidade que nos cerca, definitivamente não vamos encontrar soluções, mas ocasionar mais ainda ódio e indignação contra muitas vezes não o responsável pelas diferenças sociais, o dinheiro, mas isentarmos os governos que têm a obrigação de não permitir que os contrastes sejam mais acentuados na sociedade, liberando-os injustamente de suas funções precípuas, a instalação do bem comum.
    Igualmente não podemos eleger o socialismo como solução à pessoa, a não ser que ela tenha o que comer, vestir e onde trabalhar ou imaginar que faça algo de útil, fim.
    O socialismo não contempla o indivíduo na sua capacidade mental, na sua inteligência, criatividade, decisão pessoal, de ser o que quer na sua vida. Ele vem ao mundo e tem um roteiro previamente estabelecido para seguir.
    O problema reside na péssima situação que as pessoas se encontram por culpa de seus GOVERNANTES, muito antes de acusarmos o modelo capitalista como responsável pelas injustiças sociais constatadas e, neste particular, não vejo discussões a respeito, e resgatando os exemplos escandinavos e germânico como os mais eficientes, corretos e justos quanto aos impostos caros cobrados de seus contribuintes, mas que retornam aos cidadãos no que se referem à Educação, Saúde e Segurança, afora infraestruturas impecáveis no transporte público, saneamento básico, diversão, altíssimo nível de vida e assim por diante.
    Pergunto:
    Escandinávia e Alemanha precisariam do socialismo, este que se debate neste espaço democrático e com relação ao artigo em questão?
    Finalizo, balançando a minha cabeça de um lado para outro, ao ver que deixamos de fazer o que está ao alcance de nossas mãos, imaginando que podemos abraças as estrelas, que coisa!
    Um abraço, Almério.

  36. Caro Francisco Bendl, saudações !!!
    O artigo do Welinton é transcendental.
    Aborda a Existência. Independentemente de ismos. Nada a ver com políticas.
    O mestre maior da linha filosófica existencialista, o dinamarquês Soren Kierkegaard, sentenciou:
    “O importante não é o que fazem com a gente. É o que fazemos com o que fazem com a gente”.
    Pronto. Kierkegaard era considerado, no seu tempo, como o “Novo Sócrates”.
    Considerando que a chibata que agride, tortura e mata o indivíduo … está invariavelmente em mãos assassinas, procuremos, no palco da existência, a nossa elevação. Os espíritos atrasados, por tudo que leio, permanecerão assim. Mas … pode ser … que o atrasado seja eu. Pode ser mesmo.
    Permanecerei atrasado, então. Eis uma atitude sábia. Evoluo na direção que escolho e sinto-me (muito) bem nesta Caminhada por AQUI.
    Abração e bom domingo!!!
    (um passarinho pousou no meu ombro agora, para dizer: “acho que o Welinton perdeu o tempo dele: pobre Welinton, não percebe que tem gente que brada ‘comprei um tablet, estou vivendo, minha existência é maravilhosa!’)

  37. Como sou adepto do ateísmo, isto significa que, para mim (para mim, por favor!), não existe vida após a morte. Mas entendo os que são teístas, deístas ou agnósticos.
    No entanto, como vi que alguns aqui são adeptos do espiritismo, gostaria que me explicassem a razão de alguns crentes espíritas só conseguirem sentir a presença de Deus em suas vidas quando tomam drogas alucinógenas. É o que de fato acontece com os “fiéis” do Centro Espírita Beneficiente União do Vegetal. Tenho uma amiga que declara ser espírita, frequentadora do supracitado Centro União do Vegetal. Diz que vai lá toda semana, passando lá a noite na “nave”, onde toma chá de Hoasca. Essa amiga tem um sítio no Itanhangá, RJ, onde ela própria cuiltiva hoasca, fornecendo esse vegetal para sua igreja. O curioso para mim é que este vegetal contém a droga alucinógena ilegal dimethyltryptamina. Fiquei pasmo de ver que essa minha amiga acredita que a droga facilita seu contato com Deus, mas brigou com o filho por ele fumar maconha.
    Bem, muitos ficaram surpresos com a decisão do presidente do Uruguai ao legalizar a maconha. Mas é sabido que cannabis elimina, ou atenua, o desconforto dos que sofrem de cancer e estão submetidos a quimioterapia.
    Não sou contra a droga espírita para a aproximação com Deus, mas a favor de que todo mundo possa usar seu alucinógeno.

  38. Com licença de entrar no debate. Prezado Solon, as religiões são plurais, são várias correntes, aliás, como tudo na vida. O espiritismo é plural, tem os chamados kardecistas(e estes se subdividem: ramatisianos, roustanguistas, Pietro Ubaldi etc) sem contar com as correntes afro-brasileiras que muitos se dizem espíritas, quando não católicos.Especificamente este que vc mencionou a União do Vegetal é uma das denominações(um racha) do chamado Santo Daime, que nasceu no Acre e fazem um chá a partir da raiz de uma planta. Eles tb se dizem espíritas e utilizam o sincretismo católico. Há 40 anos, fiz uso por três vezes desta infusão, como experiência, e participei da gravação de um depoimento, que inclusive participou o Gabeira, então chegado do exílio, na antiga Funarte, RJ. O Vegetal/Santo Daime (escrevo isso com todo respeito aos praticantes destas linhagens)é um chá alucinógeno, as sensações são parecidas com o LSD = ácido lisérgico. Nunca usei o LSD, cito o que falaram, os que usaram os dois.Na época da citada gravação dizia-se que estavam solicitando a aprovação do chá na Polícia Federal, para fins religiosos… certamente conseguiram. Vamos dizer, existe um pan-espiritismo… onde tudo acaba sendo englobado na ampla definição.

  39. A Verdade

    Por conta da nossa pouca dimensão espiritual – creio eu – não foi liberado a necessária capacidade de enxergar muito além, por mais que tentamos ver através do denso nevoeiro entre nós e a Verdade. Inclusive a ciência, continua aguardando liberação para chegar mais próximo de Deus. Mas, observando nossas vidas com mais atenção já é possível perceber muita coisa. Nossa trajetória não pode ser obra do acaso.

  40. As drogas

    Além da boa cerveja, de uma boa cachaça brasileira e de um bom vinho, nunca fui mais adiante. Entretanto, posso entender a eterna busca de muitos tentando fugir do preto e branco de suas vidas, buscando a companhia das drogas. Não é atoa que os EUA são os maiores consumidores de drogas do mundo. Enquanto existir grandes injustiças, violências e indiferença humana para com o próximo, muito próprio da sociedade de consumo, as drogas terão muito espaço. Quanto a maconha, pelo que vejo pela mídia, sua polêmica liberação parece ser questão de tempo.

  41. Grato, prezado Antonio Rocha. Eu até havia me esquecido dessa ramificação denominada Santo Daime.
    O que glorifica qualquer ramificação religiosa é justamente ela se ajeitar, se amoldar, ou se ajustar à qualificação de religião. Ao fazer isto, ela não mais depende de justificação racional. Nem mesmo da legalidade. Qualquer crítica passa a ser vista como ataque à liberdade religiosa.
    Não foi surpresa para mim a informação de que no Acre, onde o nível de educação é baixíssimo, surgiu essa religião chamada Santo Daime. Suponho que você esteja se referindo ao Acre do Brasil, não àquele das Cruzadas, cidade que assinalou a vitória dos Cristãos na Terceira Cruzada e a queda dos Mamelucos na última.
    Naquela época (Terceira Cruzada) os Cristãos liderados pelo Rei Ricardo Coração de Leão (na verdade foi o Rei Guy de Lusignan) ocuparam uma cidade/porto marítimo na Palestina, chamada Acre.
    Não consta que no Acre da Palestina vicejasse aluma corrente chamada Santo Daime. Lá só havia papistas e o “retificador da fé muçulmana”, o Rei Saladin com seu poderoso exército.

  42. Parece que, no âmbito dos comentários anteriores, vale a leitura de uma “Entrevista del Cardenal Bergoglio a un comunista”. Confira: http://www.asuntoscapitales.com/articulo.asp?ida=6644.

    A entrevista começou quando o jornalista, tentando embaraçar o Cardeal, perguntou-lhe o que ele pensava sobre a pobreza no mundo.

    O cardeal respondeu:

    ” – Primeiro na Europa e agora nas Américas, alguns políticos têm se dedicado a endividar as pessoas, fazendo com que fiquem dependentes.

    – E para quê? Para aumentar o seu poder. Eles são grandes especialistas em criação de pobreza e isso ninguém questiona. Eu me esforço para lutar contra esta pobreza.

    – A pobreza tornou-se algo natural e isso é ruim. Minha tarefa é evitar o agravamento de tal condição. As ideologias que produzem a pobreza devem ser denunciadas. A educação é a grande solução para o problema.

    – Devemos ensinar as pessoas como salvar sua alma, mas ensinar-lhes também a evitar a pobreza e a não permitir que o governo os conduza a esse estado lastimável ”

    Mathews ofendido pergunta: – O senhor culpa o governo?

    ” – Eu culpo os políticos que buscam seus próprios interesses. Você e seus amigos são socialistas. Vocês (socialistas) e suas políticas, são a causa de 70 anos de miséria, e são culpados de levar muitos países à beira do colapso. Vocês acreditam na redistribuição, que é uma das razões para a pobreza. Vocês querem nacionalizar o universo para poder controlar todas as atividades humanas. Vocês destroem o incentivo do homem, até mesmo para cuidar de sua família, o que é um crime contra a natureza e contra Deus. Esta vossa ideologia cria mais pobres do que todas as empresas que vocês classificam de diabólicas”.

    Replica Mathews: – Eu nunca tinha ouvido nada parecido de um cardeal.

    ” – As pessoas dominadas pelos socialistas precisam saber não têm que ser pobres”

    Ataca Mathews: – E a América Latina? O senhor quer negar o progresso conseguido?

    “O império da dependência foi criado na Venezuela por Hugo Chávez, com falsas promessas e mentindo para que se ajoelhem diante de seu governo. Dando peixe ao povo, sem lhes permitir pescar. Se na América Latina alguém aprende a pescar é punido e seus peixes são confiscados pelos socialistas. A liberdade é castigada.

    – Você fala de progresso e eu falo de pobreza. Temo pela América Latina. Toda a região está controlada por um bloco de regimes socialistas, como Cuba, Argentina, Equador, Bolívia, Venezuela, Nicarágua. Quem vai salvá-los (a América Latina) dessa tirania?”

    Acusa Mathews: – O senhor é um capitalista.

    ” – Se pensarmos que o capital é necessário para construir fábricas, escolas, hospitais, igrejas, talvez eu seja capitalista. Você se opõe a este raciocínio?”

    – Claro que não, mas o senhor não acha que o capital é retirado do povo pelas corporações abusivas?

    – “Não, eu acho que as pessoas, através de suas escolhas econômicas, devem decidir que parte do seu capital vai para esses projetos. O uso do capital deve ser voluntário. Só quando os políticos se apropriam (confiscam) esse capital para construir obras públicas e para alimentar a burocracia é que surge um problema grave. O capital investido voluntariamente é legítimo, mas o que é investido com base na coerção é ilegítimo “.

    – “Suas idéias são radicais”, diz o jornalista.

    – “Não. Há anos Khrushchev advertiu: “Não devemos esperar que os americanos abracem o comunismo, mas podemos ajudar os seus líderes com injeções de socialismo, até que, ao acordar, eles percebam que abraçaram o comunismo”. Isto está acontecendo agora mesmo no antigo bastião da liberdade. Como os EUA poderão salvar a América Latina, se eles próprios se tornarem escravos de seu governo? ”

    Mathews diz: – “Eu não consigo digerir (aceitar) tal pensamento”.

    O cardeal respondeu: – “Você está muito irritado porque a verdade pode ser dolorosa. Vocês (os socialistas) criaram o estado de bem-estar que consiste apenas em atender às necessidades dos pobres, pobres esses que foram criados por vocês mesmos, com a vossa política. O estado interventor retira da sociedade, a sua responsabilidade. Graças ao estado assistencialista, as famílias deixam de cumprir seus deveres para obterem o seu bem-estar, incluindo as igrejas. As pessoas já não praticam mais a caridade e veem os pobres como um problema de governo.

    – Para a igreja já não há pobres a ajudar, porque foram empobrecidos permanentemente e agora são propriedade dos políticos. E algo que me irrita profundamente, é o fato dos meios de comunicação observarem o problema sem conseguir analisar o que o causa. O povo empobrece e logo em seguida, vota em quem os afundou na pobreza “.

  43. Só isso:
    Fico extremamente feliz que as palavras do Papa coincidem com as minhas!
    A meu ver, a questão dos graves contrastes sociais não estão enraizadas no capitalismo e nem o socialismo é a solução, haja vista haver um responsável somente pela situação do povo:
    SEUS GOVERNANTES!
    Igualmente, não posso crer que a religião – cristã, judaica, islâmica, espírita, budista, politeísta… – tenha qualquer resquício de importância em regimes ou sistemas de governo.
    Fosse assim, o Darcy está cumprindo com o seu carma, mediante a Lei de Causa e Efeito que, através de um corpo humano, ele não passa de uma besta quadrada, cujo fenômeno biológico lhe possibilita escrever duas ou três palavras. Em comentários maiores de sua autoria, irremedialvelmente são transcrições de pensamentos outros, haja vista a sua incapacidade de raciocinar, então sai dando coices e zurrando.
    Mitômano, ridículo, tem a petulância de alterar fatos, mentindo deslavadamente sobre alegar que, “é um dos que mais xingam aqui no blog!!!”, dirigindo-se a mim.
    Prova, muar escrevinhador! Prova!
    Covarde, incapaz de se solidarizar com algum frequentador atingido por ofensas ou agressões, tem como diversão atacar, tripudiar, mostrar que de fato se trata de uma mula travestida em sei lá o quê, pois o nome que se apresenta não define se homem ou mulher!
    Suas intervenções patéticas, inócuas, sem sentido, comprovam um ser obsessivo, e obcecado em perseguições pessoais, uma besta maluca, daquelas que empacam com as quatro patas encravadas no chão.
    Mais a mais, diante do resgate das religiões sobre o tema, seria de bom alvitre que este indivíduo fosse conduzido a Centros Espíritas para sua desobsessão, certamente portador de algum espírito animalesco que se aproveita para externar seu ódio aos humanos e, em especial, aos gaúchos, que devem lhe ter tratado conforme merecia em vidas passadas!
    Já disse e repito, Darcy, o muar:
    Vai te tratar antes que seja tarde demais, e tu encarnas definitivamente o papel de mula sem cabeça, no caso, sem cérebro!
    Amém.

  44. Concordo com Paulo Solon.
    O que a mente cria são delírios.
    Com mais um pouco, a esquisofrenia.
    A verdade está no palpável.
    No visível.
    Se se quer sobreviver, não creia.

  45. “No palco da existência …”
    Pensei que a ideia era debater sobre isto.
    Basta ler … que foi tudo (quase que completamente) desvirtuado.
    Ao deparar-me com alguns dos comentários, percebo que o desânimo vai tomando conta da gente, de prosseguir escrevendo.

  46. Uma falsificação. Nada a ver com o Pontífice que esteve no Rio de Janeiro.
    Esse vídeo/fantasma deve ter sido preparado por um “adventista do sétimo dia” de lá da Argentina, tipo Pastor Rodrigo Silva, cuja especialidade é atacar o Papa, qualquer Papa, de qualquer época.

  47. Mauro Júlio Vieira,
    Muito cuidado com as afirmações, muito cuidado!
    Tu consegues te ver sem espelho?
    Não.
    Então não existes, pois não conseguirias te identificar sem a tua imagem refletida.
    Mais a mais, pergunto:
    Amas a tua mulher ou filhos ou amaste alguém na tua vida?
    Claro.
    E tu vês o amor?
    Ele é, por acaso, palpável?
    Não.
    Então não amaste, tiveste uma sensação apenas e, mesmo assim, sem poderes tocá-la, ela foi sintoma de esquizofrenia, pelo que alegas, Mauro!
    Observa, que as força que nos impulsionam, determinação, vontade, decisão, são invisíveis, então não existiriam no teu entendimento?
    Crês em ti mesmo?
    Como?
    Com base em quê?
    Consegues sentir o teu pensamento? Vê-lo? Tocá-lo? Então, Mauro, tu estás simplesmente contestando um dos maiores filósofos de todos os tempos, Descartes, que padronizou a expressão maior da nossa existência:
    “Penso, logo existo!”
    Menos para o Mauro, pois ele somente acredita no que vê e toca!
    Para e pensa, Mauro, por favor!

  48. “Uma falsificação. Nada a ver com o Pontífice que esteve no Rio de Janeiro”

    Prezado Paulo Solon

    Endosso seu ponto de vista. Por certo que não condiz com a linguagem do papa Francisco. Deve ter vindo de outra fonte.

  49. Sabe Bendl, já falei isso aqui: às vezes nem sei se estou vivo.
    Já pensou nisso?
    Esse assunto é complexo.
    Por isso vou ficando no palpável e no visível para não complicar.

  50. Pois é prezado Welinton Naveira.
    Em decorrência do estrondoso sucesso alcançado pelo atual Pontífice, não só no Brasil, mas no resto do mundo, era de se esperar as falsificações grosseiras por parte de seitas que nem sequer podem ser rotuladas de religiões.
    No Rio, surgiu aquele grupelho que quebrou imagens da Mãe de Jesus. O que essa gente de fato ama e gosta de produzir se chama pandemonium.
    O tal vídeo foi falsificado antes de a Presidente Cristina Fernandez de Kirchner vir ao Rio, beijar o Papa Francisco e ser correspondida. Não contavam com essa. São muito burros, os que produziram a farsa.
    Ao menos deviam esperar um pouco. Mas agora é tarde. O atual Pontífice já mostrou e demonstrou que segue a linha de Cristo, o qual, tudo indica nas escrituras, fundou o socialismo.

  51. Que Entrevero!!!!! Que Peleja!!!!! Sr.Leme no 2º§ tem razão o capitalismo nos trouxe benefícios
    Os comentários do dia 4 as 11:20 Am,e 2:29Pm,7:30Pm do respeitado conterrâneo FRANCISCO BENDL..
    disse tudo,somos contra as distorções do sistema capitalista,distorções estas,desumana,e cruel.
    Caro BENDL,chega por hoje,tire o fardamento,guarde as chuteiras, e as caneleiras,amanhã tem ma-
    is,continuas batendo um bolão… forte abraço…

    À todos Ofereço-lhes à Oração do DINHEIRO…
    O Dinheiro representa uma idéia divina.Ele Flui para mim e de mim,fazendo-me próspero
    e proporcionando-me as coisas “Boas da Vida”.
    DEUS não nega nenhuma coisa boa. A mente infinita que me criou,agora estimula o meu –
    pensamento na direção de uma atividade cada vez mais ampla.”NÃO ESTOU ESCRAVIZADO AO ‘
    DINHEIRO”,antes o dinheiro me serve,assim como EU”sirvo” a Vida. O dinheiro é simbolo de
    ABUNDÂNCIA de DEUS,EU aceito o que mim me foi destinado.Obrigado pelo que já recebi.
    OBRIGADO PELO QUE ESTOU RECEBENDO.OBRIGADO pelo que vou receber…

    Fonte Luz/SEICHO-NO-IE

  52. Bobagem essa história de reencarnação.

    Só se vive uma vez. Não há retorno. Faça agora pois a vida é rápida e você jamais terá a chance de repetir de fase neste curso biopsicológico.

    Cada ano, cada mês, cada dia, cada momento é único, não apenas para você, mas para toda a história da humanidade.

    A vida vale muito justamente porque é única. Não pode ser desperdiçada.

  53. Sabia que ira gostar,afinal quem não gosta de dinheiro ????

    Viva!!!! BENITO AMILCARE ANDREA MUSSOLINI!!!!!
    Viva!!!Lênin
    Viva!!!Leon Trótsky!!!
    ha…ha…ha…

  54. Eu nunca fui praticante de nenhuma religião e nunca usei nenhuma droga ilícita. A única droga que usei em toda a minha vida foi o álcool, e mesmo assim de forma moderada e somente após os 23 anos.
    Mas desde a minha infância vejo formas humanas que aparecem e desaparecem do nada, tais como imagens de pessoas em espelhos ou atravessando paredes, por exemplo. E passei muito tempo de minha vida tentando esconder e me convencer de que tudo não passava de alucinações (de efeito extremamente traumático para mim, pois de fato é barra pesada). Hoje penso que talvez possam ter sido criaturas com realidade objetiva, talvez espíritos, talvez outra coisa. Entenderá melhor quem assistir ao filme “O sexto sentido”. E quanto a pensar que só se vive uma vez: dia desses eu estava vendo uma fotografia minha aos 8 anos de idade, então tive a certeza de que aquela criança de 8 anos “tinha morrido”, pois em nada se parecia comigo atualmente e ouvia a voz muito forte do corvo dizendo “nunca mais”. No entanto eu continuo vivo.

  55. Esta escória intelectual, de fingidos, “comunistas de sapato bico fino”, que me atacaram acima, sem sequer apontar um erro intelectual, conceitual, do meu texto , nada vale. São hipócritas, mentirosos, falsos. Estou me lixando para cada um destes inúteis. Felizmente, nunca tive o desprazer de encontrar nenhum deles.
    Segue abaixo dois textos sobre a miséria do socialismo-comunismo. O primeiro texto do economista americano Hazzlit, o segundo texto do intelectual espanhol Soto. Estes textos simplesmente destroem a base intelectual-moral do socialismo.

    “Todo o evangelho de Karl Marx pode ser resumido em duas frases: Odeie o indivíduo mais bem-sucedido do que você. Odeie qualquer pessoa que esteja em melhor situação do que a sua.
    Jamais, sob qualquer circunstância, admita que o sucesso de alguém pode ser decorrente de seu esforço próprio, de sua capacidade, de seu preparo, de sua superioridade em determinada atividade. Jamais aceite que o sucesso de alguém pode advir de sua contribuição produtiva para algum setor da economia, contribuição essa que foi apreciada por pessoas que voluntariamente adquiriram seus serviços. Jamais atribua o sucesso de alguém às suas virtudes, mas sim à sua capacidade de explorar, trapacear, ludibriar e espoliar.
    Jamais, sob qualquer circunstância, admita que você pode não ter se tornado aquilo com que sempre sonhou por causa de alguma fraqueza ou incapacidade sua. Jamais admita que o fracasso de alguém pode ser devido aos defeitos dessa própria pessoa — preguiça, incompetência, imprudência, incapacidade ou ignorância.
    Acima de tudo, jamais acredite na honestidade, objetividade ou imparcialidade de alguém que discorde de você. Qualquer um que discorde de você certamente é um alienado a serviço da burguesia e do “capital”.
    Este ódio básico é o núcleo do marxismo. É a sua força-motriz. É o que impele seus seguidores. Se você jogar fora o materialismo dialético, o arcabouço hegeliano, os jargões técnicos, a análise ‘científica’ e todas as inúmeras palavras presunçosas, você ainda assim ficará com o núcleo do marxismo: o ódio e a inveja doentia do sucesso, que são a razão de ser de toda esta ideologia.” Hazlit
    O que é realmente o socialismo e qual o seu maior problema. Não há nada mais prático do que uma boa teoria. Por isso, proponho-me a explicar em termos teóricos o que é o socialismo e por que ele não apenas é um erro intelectual, como também é uma impossibilidade científica. Mostrarei por que ele se desmoronou — ao menos o socialismo real — e por que o socialismo que segue existindo na forma de intervencionismo econômico nos países ocidentais é o principal culpado pelas tensões e conflitos de que padece o mundo atual.
    Ainda estamos vivendo em um mundo essencialmente socialista, não obstante a queda do Muro de Berlim; e continuamos tolerando os efeitos que, segundo a teoria, são próprios da intervenção do estado sobre a vida social.
    Para definir o socialismo, é necessário antes entendermos o conceito de “função empresarial”. Os teóricos da economia dizem que a função empresarial é uma capacidade inata do ser humano. Não estamos nos referindo aqui ao empresário típico que leva adiante um empreendimento. Estamos nos referindo, isso sim, à capacidade inata que todo ser humano tem de descobrir, criar, tomar conhecimento das oportunidades de lucro que surgem ao seu redor e atuar de modo a se aproveitar das mesmas. Com efeito, etimologicamente, a palavra ‘empresário’ evoca o descobridor, alguém que percebe algo e aproveita a oportunidade. Em termos mais figurativos, seria a lâmpada que se acende.
    A função empresarial é a mais essencial das capacidades do ser humano. Essa capacidade de criar e de descobrir coisas é o que, por natureza, mais nos distingue dos animais. Neste sentido geral, o ser humano, mais do que um homo sapiens é um homo empresario. Quem seria, portanto, um empresário? Não se trata apenas de Henry Ford ou de Bill Gates, que sem dúvida alguma são grandes empresários no âmbito comercial e econômico. Um empresário é toda e qualquer pessoa que tenha uma visão criativa, uma visão revolucionária. Madre Teresa de Calcutá, por exemplo. Sua missão era ajudar aos mais necessitados, e ela buscava fazer isso de forma criativa, unindo voluntários e canalizando os desejos de todos para o seu objetivo. Por isso, Teresa de Calcutá foi um exemplo paradigmático de empresário.
    Portanto, entendamos a função empresarial como sendo a mais íntima característica de nossa natureza como seres humanos, a característica que explica o surgimento da sociedade e o seu desenvolvimento como uma extremamente complicada rede de interações. A sociedade é formada por inúmeras relações de interação e troca entre indivíduos, relações estas que são empreendidas porque, de alguma forma, imaginamos que estaremos melhor após elas. Todas estas relações são impulsionadas por nosso espírito empresarial.
    Todo ato empresarial produz uma sequência de três etapas. A primeira consiste na criação da informação: quando um empresário descobre ou cria uma ideia nova; quando ele gera em sua mente uma informação que antes não existia. Para colocar essa descoberta em prática, ele parte para a segunda etapa, que é quando ele combina recursos para satisfazer necessidades. Se, de um lado, ele percebe que há um recurso barato e mal aproveitado, e, do outro, ele descobre que há demandas que podem ser satisfeitas com este recurso, ele irá atuar de modo a coordenar este “desarranjo”. Ele irá comprar barato o recurso, utilizá-lo, transformá-lo, e vendê-lo a um preço maior, satisfazendo assim a demanda que ele havia percebido. Desta forma, a informação é transmitida a todos, o que nos leva à terceira e última etapa, que é quando os agentes econômicos, atuando de maneira descoordenada, observam, aprendem e descobrem que devem conservar e economizar melhor um determinado recurso porque alguém o está demandando.
    Estes são os três planos que completam a sequência: criação de informação, transmissão de informação e, o mais importante, o efeito de coordenação gerado pelas duas etapas anteriores. Desde o momento em que acordamos e nos levantamos da cama até o momento em que voltamos a dormir, disciplinamos nosso comportamento em função das mais distintas necessidades, em função das necessidades de pessoas que nem sequer conhecemos; e fazemos isso por iniciativa própria porque, seguindo nosso próprio interesse empresarial, sabemos que assim saímos ganhando. É importante entendermos tudo isso porque, em contraste, vejamos agora o que é o socialismo.
    O socialismo deve ser definido como sendo “todo e qualquer sistema de agressão institucional e sistemática contra o livre exercício da função empresarial”. O socialismo consiste em um sistema de intervenção que se impõe pela força, utilizando todos os meios coercitivos do estado. O socialismo poderá apresentar determinados objetivos como sendo bons, mas terá de impor estes objetivos supostamente bons por meio de intervenções coercivas que provocarão distúrbios neste processo de cooperação social protagonizado pelos empresários. Sendo assim — e essa é sua principal característica —, o socialismo funciona por meio da coerção. Esta definição é muito importante porque os socialistas sempre querem ocultar sua face coerciva, a qual é a essência mais distintiva de seu sistema.
    A coerção consiste em utilizar a violência para obrigar alguém a fazer algo. De um lado temos a coerção do criminoso de rua que assalta um indivíduo qualquer; de outro temos a coerção do estado, que é a coerção que caracteriza o socialismo. Quando a coerção é aleatória, não sistemática, o mercado tem, na medida do possível, seus próprios mecanismos para definir direitos de propriedade e defender-se da criminalidade. Porém, se a coerção é sistemática e advém institucionalmente de um estado que detém todos os instrumentos do poder, a possibilidade de nos defendermos destes instrumentos e evitá-los é muito reduzida. É neste ponto que o socialismo manifesta sua realidade em toda a sua crueza.
    O socialismo não deve ser definido unicamente em termos de propriedade pública ou privada dos meios de produção. Isso é um arcaísmo. A essência do socialismo é a coerção, a coerção institucional oriunda do estado, por meio da qual se pretende que um órgão planejador se encarregue de todas as tarefas supostamente necessárias para se coordenar toda uma sociedade. A responsabilidade é retirada à força dos indivíduos — que são naturalmente os únicos responsáveis por sua função empresarial, e que almejam seus objetivos e querem alcançá-los utilizando os meios mais adequados para tal — e repassada a um órgão planejador que, “lá de cima”, pretende impor por meio da coerção sua visão específica de mundo e seus objetivos particulares. Nesta definição de socialismo, vale enfatizar que é irrelevante se este órgão planejador foi ou não eleito democraticamente. O teorema da impossibilidade do socialismo se mantém intacto, sem nenhuma modificação, independentemente de ser democrática ou não a origem do órgão planejador que quer impor à força a coordenação de toda a sociedade.
    Definido o socialismo desta maneira, expliquemos então por que ele é um erro intelectual.
    O socialismo é um erro intelectual porque é impossível que o órgão planejador encarregado de exercer a coerção para coordenar a sociedade obtenha todas as informações de que necessita para fornecer um conteúdo coordenador às suas ordens. Este é o grande paradoxo do socialismo, e o seu maior problema. O planejador da economia necessita receber um fluxo ininterrupto e crescente de informação, de conhecimento e de dados para que seu impacto coercivo — a organização da sociedade — tenha algum êxito. Mas é obviamente impossível uma mente ou mesmo várias mentes obterem e processarem todas as informações que estão dispersas na economia. As interações diárias entre milhões de indivíduos produzem uma multiplicidade de informações que são impossíveis de serem apreendidas e processadas por apenas um seleto grupo de seres humanos.
    Os teóricos da Escola Austríaca de Economia, Mises e Hayek, elaboraram quatro argumentos básicos no debate que mantiveram durante a primeira metade do século XX contra os teóricos da economia neoclássica, os quais nunca foram capazes de entender o problema inerente ao socialismo. E por que não foram capazes de entendê-lo? Pelo seguinte motivo: eles acreditavam que a economia funcionava exatamente como nos livros-textos de faculdade. Mas o que os livros-textos ensinam em relação ao funcionamento da economia de mercado é radicalmente falso e fictício. Tais manuais baseiam suas explicações sobre o mercado em termos matemáticos que supõem um ajuste perfeito. É como se o mercado fosse uma espécie de computador que ajusta de maneira automática e perfeita os desejos dos consumidores à ação dos produtores. O modelo ideal dos manuais é o daconcorrência perfeita, descrito pelo sistema de equações simultâneas de Walras.
    Quando era universitário, minha primeira aula de economia foi com um professor que começou sua explanação com a seguinte e espantosa frase: “Suponhamos que todas as informações sejam conhecidas”. E logo em seguida ele se pôs a encher o quadro-negro com funções, curvas e fórmulas. Esta é exatamente a hipótese da qual partem os neoclássicos: todas as informações são conhecidas e nada se altera; tudo é estático. Mas esta hipótese é radicalmente irreal. Ela vai contra a característica mais típica do mercado: a informação nunca é conhecida por todos; ela está dispersa pela economia. Ela não é um dado constante que está ali para ser consultado a qualquer momento. O conhecimento dos dados surge continuamente em decorrência da atividade criativa dos empresários: novos fins são almejados, novos meios são criados e utilizados. Logo, qualquer teoria econômica construída a partir deste pressuposto irreal está fatalmente errada.
    Os economistas neoclássicos pensaram que o socialismo era possível porque supuseram que todos os dados necessários para elaborar o sistema de equações simultâneas de Walras e encontrar sua solução eram “conhecidos”. Não foram capazes de apreciar o que ocorria neste mundo que tinham de investigar cientificamente; por conseguinte, não conseguiram entender o que realmente se passava.
    Somente a Escola Austríaca seguiu um paradigma distinto. Ela nunca supôs que as informações já estavam dadas e eram conhecidas por todos. Ela sempre considerou que o processo econômico era impulsionado por empresários que continuamente incorrem em transações e descobrem novas informações. Somente ela foi capaz de entender e explicar que o socialismo era um erro intelectual. Ela desenvolveu seu argumento utilizando quatro enunciados: dois podem ser considerados “estáticos” e os outros dois podem ser considerados “dinâmicos”.
    Em primeiro lugar, a Escola Austríaca afirma, como já dito, ser impossível o órgão planejador coletar e utilizar corretamente todas as informações de que necessita para imprimir um conteúdo coordenador às suas ordens. O volume de informações que os seres humanos manejam e com as quais lidam diariamente é imenso, de modo que é impossível gerir o que sete bilhões de seres humanos têm na cabeça. Embora os neoclássicos não tenham sequer conseguido entender este argumento, ele é o mais fraco e o menos importante. Ao fim e ao cabo, nos dias de hoje, com toda a capacidade informática existente, é um pouco mais fácil lidar com volumes imensos de informação.
    O segundo argumento é muito mais profundo e contundente. A informação com que lida o mercado não é objetiva; não é como a informação que se encontra impressa em um catálogo. A informação empresarial possui uma natureza radicalmente distinta; ela é uma informação subjetiva, e não objetiva. Ela é tácita, por assim dizer. Ela é do tipo “sabemos algo, temos a técnica, a prática e o conhecimento, mas não sabemos no que tudo isso consiste detalhadamente.” Explicando de outra forma: é como a informação necessária para andar de bicicleta. É como se alguém quisesse aprender a andar de bicicleta estudando as fórmulas físicas e matemáticas que expressam o equilíbrio que mantém o ciclista enquanto ele pedala. O conhecimento necessário para saber andar de bicicleta não é adquirido desta forma, mas sim mediante um processo prático de aprendizagem, normalmente bem acidentado, que finalmente permite entender como se equilibra sobre uma bicicleta, além de detalhes fundamentais, como o de que, ao fazermos as curvas, temos de nos inclinar para não cairmos. É bem provável que Lance Armstrong desconheça os detalhes das leis da física que o permitiram vencer o Tour de France várias vezes, mas ele indubitavelmente possui o conhecimento de como se anda em uma bicicleta.
    A informação implícita não pode ser moldada de maneira formalizada e objetiva; tampouco pode ser transmitida corretamente a um órgão planejador. Só é possível transmitir a um órgão planejador — de modo que este assimile e imponha uma coerção, dando um conteúdo coordenador às suas ordens — uma informação unívoca que não dê brechas a mal entendidos. Porém, a esmagadora maioria das informações das quais dependemos para sermos bem-sucedidos em nossas vidas não é objetiva; não é informação de catálogo. É informação subjetiva e tácita.
    Mas estes dois argumentos — que as informações são extremamente volumosas e que possuem um caráter subjetivo — não bastam. Existem outros dois, de caráter dinâmico, que são ainda mais contundentes e cuja implicação inevitável é a impossibilidade do socialismo.
    Nós seres humanos somos dotados de uma inata capacidade criativa. Continuamente descobrimos coisas “novas”, almejamos objetivos “novos”, e escolhemos meios “novos” para alcançá-los. É impossível transmitir a um órgão planejador a informação ou o conhecimento que ainda não foi “criado” pelos empresários. O órgão planejador pode se empenhar o quanto quiser em construir um “nirvana social” por meio de uma publicação diária de decretos e da imposição da força. Mas, para fazer isso — ou seja, para se alcançar o “nirvana social” — ele tem de saber exatamente o que ocorrerá amanhã. E o que vai ocorrer amanhã dependerá de uma informação empresarial que ainda não foi criada hoje, e que não pode ser transmitida ainda hoje para que nossos governantes nos coordenem eficientemente amanhã. Este é o paradoxo do socialismo, a terceira razão.
    Mas isso ainda não é tudo. Existe um quarto argumento que é definitivo. A própria natureza do socialismo — que, como dito, se baseia na coerção, no impacto coercivo sobre o corpo social ou a sociedade civil — bloqueia, dificulta ou impossibilita a criação empresarial de informação, que é precisamente aquilo de que necessita o governante para dar um conteúdo coordenador às suas ordens.
    Esta é a demonstração em termos científicos do motivo de o socialismo ser teoricamente impossível. É impossível o órgão planejador socialista coletar, apreender e colocar em prática todas as informações de que necessita para imprimir um conteúdo coordenador aos seus decretos. Esta é uma análise puramente objetiva e científica. Não é necessário pensar que o problema do socialismo está no fato de que “aqueles que estão no comando são maus”. Nem mesmo anjos, santos ou seres humanos genuinamente bondosos, com as melhores intenções e com os melhores conhecimentos, poderiam organizar uma sociedade de acordo com o esquema coercivo socialista. Ela seria convertida em um inferno, já que, dada a natureza do ser humano, é impossívelalcançar o objetivo ou o ideal socialista.
    Todas estas características do socialismo têm consequências que podemos identificar em nossa realidade cotidiana. A primeira é seu poder de encanto. Em nossa natureza mais íntima, sempre encontramos o risco de ceder ao socialismo porque seu ideal nos tenta, porque o ser humano sempre tende a se rebelar contra sua natureza. Viver em um mundo cujo futuro é incerto é algo que nos inquieta, e a possibilidade de controlar este futuro, de erradicar a incerteza, nos atrai. Em seu livro A Arrogância Fatal, Hayek diz que, na realidade, o socialismo é a manifestação social, política e econômica do pecado original do ser humano, que é a arrogância. O ser humano sempre teve o devaneio de querer ser Deus — isto é, onisciente. Por isso, sempre, geração após geração, temos de estar em guarda contra o socialismo, continuamente vigilantes, e entender o fato de que nossa natureza é criativa, do tipo empresarial.
    O socialismo não é uma simples questão de siglas, abreviações, sindicatos ou partidos políticos em determinados contextos históricos. O socialismo é uma ideia que está e sempre estará se infiltrando de maneira insidiosa em famílias, comunidades, bairros, igrejas, empresas, movimentos, partidos políticos de todas as ideologias etc. É necessário lutar continuamente contra a tentação do estatismo porque ele representa o perigo mais original que há dentro dos seres humanos, nossa maior tentação: crer que somos Deus. O socialista acredita ser genuinamente capaz de superar o problema da impossibilidade da coleta, da apreensão e da utilização de informações dispersas, problema esse que desacredita totalmente a essência do sistema que ele defende. Por isso, o socialismo sempre decorre do pecado da soberba intelectual. Por trás de todo socialista há um arrogante, um intelectual soberbo. E isso é algo fácil de constatarmos ao nosso redor.
    O socialismo não é somente um erro intelectual. É também uma força verdadeiramente antissocial, pois sua mais íntima característica consiste em violentar, em maior ou menor escala, a liberdade empresarial dos seres humanos em seu sentido criativo e coordenador. E, como é exatamente isso o que distingue os seres humanos dos outros seres vivos, o socialismo é um sistema social antinatural, contrário a tudo o que o ser humano é e aspira a ser.” Soto

  56. “Para chegar à libertação completa, os povos oprimidos devem apoiar-se em primeiro lugar na sua própria luta, e só depois na ajuda internacional. Os povos cujas revoluções já triunfaram devem ajudar os que ainda lutam pela libertação. Esse é o nosso dever internacionalista”
    (Citação do Presidente Mao Tse-tung)
    E pelo visto, a China de hoje segue essa recomendação ao pé da letra.

  57. “Para chegar à libertação completa, os povos oprimidos devem apoiar-se em primeiro lugar na sua própria luta, e só depois na ajuda internacional. Os povos cujas revoluções já triunfaram devem ajudar os que ainda lutam pela libertação. Esse é o nosso dever internacionalista”
    (Citação do Presidente Mao Tse-tung)
    E pelo visto, a China de hoje segue essa recomendação ao pé da letra.
    A baboseira contra o socialismo revela-se inócua, de vez que é a tendência de todos os países.

  58. A China,hoje está infestada de multinacionais produzindo com mão obra barata(setor calçadista de
    Novo Hamburgo-RS),que o diga,os prejuízos.
    A CHINA,aplica no mercado de capitais,compra a Sueca VOLVO,se espraia a Mundo fora,o srº SOLON
    fala em MAO TSE-TUNG.
    Só pode ser brincadeira nesta segunda feira.

  59. “A maioria sempre erra” e “Sempre escolherão Barrabás”.
    Discuto aqui idéias, fundamentos, e não estou nem aí para a política de resultados, se as massas ignaras escolhem pilantras, empulhadores, populistas, caudilhos, vigaristas socialistas, como líderes, para serem escravos, isso pouco me importa. Da madeira torta que é feita a humanidade, não se poderá construir jamais nenhum edifício reto, como já dizia Kant.
    O Brasil chegou aonde chegou devido aos “nobres ideais socialistas”, já que nos últimos dezenove anos, todos os governos foram socialistas: (FHC, LULA, E FINALMENTE, O POSTE.
    Esta turminha de “socialistas indignados” deste Blog, raivosinhos com este governo petralha, não passa de fingidos, já que não possuem ideário diferente. Simplesmente foram expulsos do banquete petista, e fariam igual, ou pior, se tivessem no poder. E como diz o ditado popular: “É FARINHA DO MESMO SACO”.
    O que esta escrito acima não é baboseira, as palavras de Hazzlit, Soto, são argumentos irrefutáveis, e não há maior COVARDIA INTELECTUAL do que dizer que um argumento é falso, que é “baboseira”, sem apontar, mostrar onde estão as falhas, os erros.
    Enfrentaria num debate qualquer um destes falsos intelectuais que me agrediram , e ganharia, pois a miséria moral e intelectual destes falsos eruditos, é de fundo.

  60. Mario Leme tá certo. fala com conhecimento de causa. Apresenta fatos, para a indignação de religiosos como V martins, Darci , Caco Silva e outros, sentimentalizados pelas fantasias de mundo perfeito e falsa moral de suas ideologias.
    O socialismo que essa gente quer sequestrar de Cristo, não existe. É mais uma empulhação de mentores e sacerdotes para encantar otários como os citados, com o fim de tomar o poder e escravizar o povo.
    Cristo pregou a solidadriedade, o amor, o desapego e outras coisas desse tipo entre as pessoas. Nada a ver com política de estado, que esses malandros ou otários entendem por socialismo, mesmo porque a Galiléia estava sob o jugo do Império Romano.
    “A César o que é de César”….”Meu reino não é deste mundo”….”Nem só de pão vive o Homem”….
    Enfim, como Buda, Cristo filosofava com o fim de levar paz ao espírito das pessoas.

  61. Caro Sr. Mauro Júlio Vieira:
    O meu ideário é o seu. Comungamos dos mesmos princípios, a saber: prioridade a Liberdade,propriedade privada, livre expressão, educação plural, não dirigida, alternância do poder, meritocracia, liberdade de ir e vir, democracia, abertura comercial, competitividade, respeito aos contratos, Estado de Direito, respeito as minorias, em suma: “SOCIEDADE ABERTA”.
    Como o Sr. sabe, a criatividade está diretamente ligada a democracia, e muitos tolos socialistas desprezam a democracia, pois acham que estando os tiranos no poder, eles não seriam importunados, já que seriam “amigos do rei”. Ledo engano, os tiranos só são amigos do poder.
    Leio com atenção todos os seus comentários, e confesso que aprecio muito as suas idéias.
    Aceite um fraterno abraço.

  62. Obrigado Mario leme. E por por falar em ódio ao sucesso do outro, que é o fundamento do comunismo, eu vi na prática o que essa gente fez com Alselmo Duarte , quando ele ganhou a Palma de Ouro em Cannes com o Pagador de Promessas e, olhe que filme foi escrito pelo comunista Dias Gomes. Mas, como essa gente só pensa no poder e não foram eles que ganharam a tal Palma, cairam em cima de Anselmo Duarte como hienas enlouquecidas e o trucidaram vivo.

  63. Taí. Gostei do Pagador de Promessas e do trabalho do Anselmo Duarte. O mineiro não sabe de nada, sequer que após o falecimento da Janete Clair o Dias Gomes nada fez de relevante. Aposto que nem pensou nisso para tirar alguma conclusão. Quanto a sapato bico fino, deixo para o transvestido vira-lata desbocado baiano apertar seus dedões dos pés e criar joanetes ao som do Baile da Betinha, da Banda do Eddie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *