No reino da impunidade, Sergio Cabral entrega o Maracanã a Eike e justifica 200 milhões de gastos adicionais

Carlos Newton

Reportagem de Carolina Oliveira Castro, no Globo Online, mostra que mais uma anunciada armação do governador Sergio Cabral foi completada com êxito. Como já se sabia, o consórcio Maracanã S.A – formado pelas empresas Odebrecht (90%), IMX (5%), de Eike Batista, e a americana AEG (5%) – ganhou a concorrência pública para administrar o estádio pelos próximos 35 anos.

O anúncio do novo administrador do palco da final da Copa do Mundo de 2014 foi feito nesta quinta-feira, no Palácio Guanabara, onde foram abertos os envelopes com as garantias dos dois consórcios que estavam na disputa.

O resultado transforma a AEG (Anschutz Entertainment Group) no maior administrador de estádios no Brasil. Com sede em Los Angeles, nos EUA, a empresa é responsável pela administração de 120 arenas em todo o mundo. Entre as quais, estão as brasileiras Arena da Baixada (Curitiba), Arena Pernambuco e Arena Palestra (do Palmeiras, em São Paulo). A empresa pretende concorrer também à administração do Mané Garrincha, em Brasília. Mesmo tendo só 5% de participação no consórcio, a empresa foi fundamental para o consórcio na disputa. A AEG, das três, era a única que cumpria o requisito, exigido por edital, de ter experiência em administração de estádios.

IMPREVISTOS DE 200 MILHÕES

O governo do estado atribuiu a “imprevistos” o gasto adicional de cerca de R$ 200 milhões na reforma do Maracanã. Mas não discriminou quanto gastará em cada um dos “fatores alheios à vontade” do consórcio responsável pela reconstrução do estádio.

Em nota oficial, o governo afirma que “uma obra dessa magnitude pode enfrentar obstáculos imprevisíveis ao longo da sua execução”. O principal deles, diz, “foi o expressivo aumento de quantitativo de recuperação e reforço estrutural e de demolição verificadas”. Segundo a nota, ao longo da reforma, os técnicos descobriram que as estruturas das rampas monumentais e de cinco pavimentos do estádio precisavam ser recuperadas.

Um reforço metálico sob a arquibancada, segundo o governo, também justificou o aditivo. “Os impactos de todos os imprevistos”, diz a nota oficial, adiariam a conclusão da obra para setembro deste ano, já depois da Copa das Confederações. Por isso, “optou-se pela adoção de metodologia diferenciada para as arquibancadas (estruturas metálicas) e implantação de medidas de aceleração (turno adicional e horas extras)”, o que elevou o valor final do contrato para R$ 1,12 bilhão.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

15 thoughts on “No reino da impunidade, Sergio Cabral entrega o Maracanã a Eike e justifica 200 milhões de gastos adicionais

  1. Quem fiscaliza esses gastos, de onde e do bolso de quem sai essa dinheirada toda?Como é feita a prestação de contas? Por Que o governo federal se omite, nada comenta , libera o dinheiro sem nenhum questionamento? por que dona dilma blinda o desgovernador guardanapo? por que o ministério publico nada comenta? até onde a midia podre vai ocultar a verdade dessa negociata , desse roubo ? Nada tenho a favor do dep. Gartotinho mas ele´deixou o sr beltrame de calças nas mãos em seus questionamentos e ninguem investiga e ninguem fala nada. Paises da europa, asia e até mesmo da america do sul, aconselhando as pessoas não viajarem ao brasil em destaque ao rio de janeiro, por falta de segurança . Vergonha somente vergonha essas quadrilhas que se apossaram dos governos estão levando ao povo brasileiro. quando teremos uma justiça confiavel?

  2. Assim é fácil, o “govierno” investe bilhões nas obras, depois vem um playbozinho duma figa que até hoje não disse de onde “nasceu” a big-fortuna e entra no “negócio” sem colocar um leaul no tijolo….eh!eh!eh
    Tá me cheirando coisa do Partido Francês e dos franceses entreguitas-traidores da pátria..

  3. O Consórcio Maracanã S.A, formado pela Odebrecht, o grupo AEG e a IMX, do empresário Eike Batista, foi habilitado nesta quinta-feira a administrar o Maracanã.
    O consórcio, liderado pela Odebrecht, ofereceu R$ 5,5 milhões anuais pela concessão do complexo, no valor total de R$ 192,5 milhões no período de 35 anos.
    Que mamata, só neste país, quanto irão lucrar, apenas R$ 2 bilhões de reais, esta é a expectativa e o sr. governador já está armando sua saída, ser embaixador do Brasil em Paris, com a benesse da presidente Dilma Rousseff, pobre povo brasileiro.

  4. O Maracanã será todo ele do Flamengo, o único time carioca campeão do mundo e o único seis vezes campeão brasileiro.
    O Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes são vascaínos, mas admitem que agora vão torcer pelo Flamengo.
    Como diria o intelectual Ibrahim Sued, sorry periferia.

  5. O dinheiro sai fundamentalmente dos contribuintes do estado do Rio e de maldades que Sergio Cabral pratica, como exemplos, negativa de pagar retroativos quinqüenais de pensionistas e legatarios que recebiam meio salario minimo mensais, sentença coletiva ha anos ganha por funcionários celetistas da EMOP em conseqüências de tíquetes alimentação acordados e não pagos, verbas públicas federais desviadas de saúde e educação, enfim, covardia e patifaria contra velhos, enfermos, crianças e funcionários.

  6. Caro Newton, parabens,o Paulo Peres, tem plena razão, basta o torcedor não ir ao Maraca, ficar em casa acompanhado de uma “loura gelada” em frente à televisão,como protesto pela nossa “grana” ir para o bolso dos politiqueiros – governo e empresários.
    Acorda Cidadão(ã), a Srª Saúde sucateada, teus familiares morrendo ou ficando aleijado, a Educação no caos (estamos importando “cerebros”, em detrimento de você, que fica no Pão e Circo e no me engana que eu gosto.
    A fiscalização cabe aos Tribunais de Contas, que fazem vista grossa,isto é, não veem a legalidade das despesas, e aos Ministérios Públicos, que fica no “sabe, como é que é” isto significa, obediência ao poder corrupto.
    Brasil, medalha de ouro na corrupção.
    De Gaulle e Rui, ambos com plena razão!!.

  7. Concordo com o Paulo Peres, inclusive já faço minha parte há mais de 3 anos. E digo mais, o brasileiro não deveria frequentar qualquer estádio feito com dinheiro público.

    #boicote2014
    #boicote2016

  8. Sergio Cabral é um bandido quer já deveria está atrás das grades a muito tempo.
    e desanimado viver nesse país,onde mora á corrupção e a injustiça.

  9. Este desgoverno do Cabraladrão parece a casa da mãe Joana onde impera a maracutáia que enche as contas bancárias desta quadrilha de corruptos.

  10. Êles não se preoculpam, pois, contam com eterna impunidade, silêncio de quem deveria fiscalizar, e com a conivência desta mídia venal, que só faz alienar cada vez mais a
    massa ignorante. A patuléia não percebe que só vera os jogos pela televisão, pagam a
    conta mas não participam da festa, a não ser como serviço gerais. Tera como legado deste e do outro evento, o mesmo que teve da realização do Pam, a conta, a conta, nada mais.

  11. Gostaria de lembra, para aqueles que esqueceram, e informar, para os que não sabem, que o investimento publico na reforma do Maracanã é, em grande parte, recursos de empréstimos junto ao Bancos nacionais e estrangeiros, com juros, claro, conforme leis 5804/2010 (BNDES), 6053/2011 (Banco de Desenvolvimento da América Latina, Corporação Andina de Fomento – CAF) e 6330/2012 (Caixa Econômica Federal).

    Aproximadamente, o total AUTORIZADO pela ALERJ, para o Governo do Estado do Rio de Janeiro contratar, sob garantia da União, é de 1,8 BILHÃO de reais. Ou seja, muito ainda se pode gastar até junho, quando efetivamente se transferiria o estádio para o consorcio sem contrapartida nenhuma para o país em retorno dos recursos públicos.

Deixe um comentário para Roberto C. Silva Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *