No último discurso de Dilma no Planalto, Lula se mostra apático, ao lado dela

O ex-presidente Lula acompanhou o discusro feito por Dilma do lado de fora do Planalto UESLEI MARCELINO / REUTERS

Lula nem entrou no Palácio do Planalto, ficou esperando por Dilma do lado de fora

Marina Dias e Paulo Gama
Folha

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estava abatido. Quem esteve com ele às vésperas do afastamento de Dilma Rousseff da Presidência da República diz que nunca o viu tão chateado.

Nos últimos dias, Lula teve raiva, sentiu tristeza, brigou, chorou. Mas nesta quinta-feira (12) o ex-presidente parecia apático. Ao lado da sucessora e diante de uma plateia que gritava e chamava por seu nome, Lula não reagia. Durante o discurso de Dilma em frente ao Palácio do Planalto, poucas vezes bateu palmas, ficava com o olhar distante e, segundo aliados, parecia não estar ali. Durante sua chegada e saída, foram os momentos em o ex-presidente acenou ao público e cumprimentou alguns amigos e militantes petistas que o abordavam.

Pouco antes de entrar no carro e seguir para um almoço no Palácio da Alvorada junto com a sucessora, Lula despistou jornalistas numa frase que pareceu mais um desabafo: “Agora eu vou pra casa”.

Vestindo camisa social azul e blazer cinza, o ex-presidente fugiu do vermelho, cor do PT, que costumava adotar em atos simbólicos. Desta vez, foi conselho do próprio ex-presidente não fazer desta quinta-feira um dia com cara de “fim de governo” Dilma.

SEM DESCER A RAMPA

Lula aconselhou a sucessora a não descer a rampa do Palácio do Planalto, como ela pensava inicialmente em fazer. No lugar, disse, “saia pela porta da frente, no térreo, que estarei esperando você”.

Na terça-feira (10), quando chegou a Brasília, o ex-presidente jantou com Dilma no Palácio da Alvorada junto com o presidente do PT, Rui Falcão, Jaques Wagner (Gabinete Pessoal da Presidência) e Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo). Na quarta-feira (11), porém, quando o Senado votou o impeachment numa sessão de mais de vinte horas, Lula não quis acompanhar a votação pela TV ao lado de Dilma.

Assessores diziam que o resultado “era esperado” e que “não tinha motivo” de fazer daquilo “um evento”.

Naquele dia, Dilma se recolheu à área privada do Alvorada por volta das 22h. Dispensou assessores e alguns ministros que a acompanhavam para assistir à sessão. Queria descansar.

19 thoughts on “No último discurso de Dilma no Planalto, Lula se mostra apático, ao lado dela

  1. Horas extras para o Dr. Moro.

    Além da investigação de Lula, Sérgio Moro receberá de Brasília nos próximos dias os inquéritos de Edinho Silva e Aloizio Mercadante. Ele também vai investigar Jaques Wagner, Ricardo Berzoini e José Eduardo Cardozo.

  2. Prezados,

    Nossas leis são realmente confusas…

    A idade liberta

    Brasil 12.05.16 14:22
    Ao aceitar a denúncia do MPF na Operação Carbono 14, Sérgio Moro decidiu pelo arquivamento das imputações contra José Dirceu, José Carlos Bumlai, Milton Schahin e Salim Schahim, por terem mais de 70 anos.

    Segundo Moro, a idade “acarreta a redução pela metade do prazo prescricional”, considerando que o crime ocorreu em 2004.

    Temos muitas coisas para mudar aqui no Brasil a começar por essas exceções …

    Um Forte Abraço,

  3. Considerando a proclamação do resultado da votação no Senado Federal no dia de hoje às 06:33 sobre a admissibilidade do processo de impeachment da madame (55 votos a favor e 22 votos contra), lembrei-me ainda a pouco do inesquecível brasileiro Ruy Barbosa, sobretudo da seguinte passagem de ORAÇÃO AOS MOÇOS “Mas, senhores, os que madrugam no ler, convém madrugarem também no pensar. Vulgar é o ler, raro o refletir. O saber não está na ciência alheia que se absorve, mas, principalmente, nas idéias próprias, que se geram dos conhecimentos absorvidos, mediante a transmutação, por que passam, no espírito que os assimila. Um sabedor não é armário de sabedoria armazenada, mas transformador reflexivo de aquisições digeridas.”.
    Abaixo transcrevo outros pensamentos desse brilhante jurista brasileiro, para que reflitamos acerca desse momento que estamos atravessando de uma crise sem precedentes, de cunho ético, moral, social, econômico, financeiro.

    • Caros tribunários,
      A seguir seguem os brilhantes pensamentos de Ruy Barbosa a que fiz alusão no comentário acima, a fim de que nos possibilitem a refletir, porque do jeito que está esse Brasil que nos enfiaram goela abaixo não dá mais para suportar.
      Já passou da hora da celebração de um novo CONTRATO SOCIAL.
      Devemos aproveitar esse momento em que fomos protagonistas que culminou com o afastamento da presidente Dilma Rousseff.
      “Os governos, que têm explorado as acumulações, para aninhar os incompetentes, amigos seus, explorarão doravante, as desacumulações, para beneficiar os incapazes, seus afilhados. Mera questão de mudança no sistema do arbítrio, de variação no regímen da incompetência, da moda na distribuição do nepotismo. As épocas de servilhismo e prostituição vivem destas superstições. […]”
      – “Obras completas de Rui Barbosa” – Página 73, de Ruy Barbosa – Publicado por Ministério de Educação e Saúde, 1942
      • “Lucram com a desordem os governos desacreditados, que, vivendo apenas de viver, tendo violado todas as leis, faltado a todos os deveres, perdido toda a estima pública, necessitam de romancear revoluções, que recomendem o zelo da administração pela estabilidade da paz, autorizem a perpetração de insídias contra o direito desarmado, e encubram, na confusão das ruas, a mão da polícia, que passa, executando os seus cálculos de eliminação homicida.”
      – “Obras completas de Rui Barbosa” – Página 103, de Ruy Barbosa – Publicado por Ministério de Educação e Saúde, 1942
      • “Má conselheira é a fome, especialmente para a multidão, em cujo seio há muitos instintos bons, muitas tendências nobres, muitos impulsos desinteressados, mas há também as paixões da ignorância, da indigência, da força. Quando, portanto, a necessidade, que, creio eu, desde que o mundo é mundo, não tem lei, lhe estiver surdamente despertando n’alma esses sentimentos cegos, importa reagir, com certa prudência, no sentido oposto, avivando-lhe esses sentimentos contrários, de abnegação, de paciência, de esperança, de altivez, de fé no trabalho, de ódio à injustiça, tão profundos no povo, mas tantas vezes entibiados, e, entretanto, tão necessários, tão salvadores nesses tempos de provação. […]”
      – “Obras completas de Rui Barbosa” – Página 47, de Ruy Barbosa – Publicado por Ministério de Educação e Saúde, 1942
      • “Oxalá fôssemos uma nação de juristas. Mas o que somos, é uma nação de retóricos. Os nossos governos vivem a envolver num tecido de palavras os seus abusos, porque as maiores enormidades oficiais têm certeza de iludir, se forem lustrosamente fraseadas. O arbítrio palavreado, eis o regime brasileiro. Agora mesmo, a usurpação de que me queixo perante vós, nunca se teria sonhado, se a espada, que nos governa, estivesse embainhada no elemento jurídico. Mas a espada, parenta próxima da tirania, detesta instintivamente esse elemento.”
      – Obras completas de Rui Barbosa – Página 92, de Ruy Barbosa – Publicado por Ministério de Educação e Saúde, 1942
      • “Creio que a ordem não pode eflorescer, senão no seio da estabilidade e da justiça. Mas vejo os depositários da ordem respirarem deliciosamente na agitação, animando-a, promovendo-a, propagando-a, e sinto empolarem-se, cada vez mais acirradas, as paixões políticas, em que a vida oficial parece comprazer-se. Creio de dia em dia mais urgente um apelo a todas as forças vivas da nação, a todos os elementos válidos e sinceros do patriotismo brasileiro. Mas vejo a política tender de dia em dia mais à subdivisão, ao personalismo, ao espírito de grupo.”
      – Obras completas – Página 76, de Ruy Barbosa – Publicado por Ministério da Educação e Saúde, 1942
      • “[…] creio no governo do povo pelo povo; creio, porém, que o governo do povo pelo povo tem a base da sua legitimidade na cultura da inteligência nacional pelo desenvolvimento nacional do ensino, para o qual as maiores liberalidades do Tesouro constituirão sempre o mais reprodutivo emprego da riqueza pública; creio na tribuna sem fúrias e na imprensa sem restrições, porque creio no poder da razão e da verdade; creio na moderação e na tolerância, no progresso e na tradição, no respeito e na disciplina, na impotência fatal dos incompetentes e no valor insuprível das capacidades.”
      – Escritos e discursos seletos – Página 227, de Ruy Barbosa, Virginia Cortes de Lacerda – Publicado por Companhia Aguilar Editôra, 1966 – 1095 páginas
      • “A injustiça, senhores, desanima o trabalho, a honestidade, o bem; cresta em flor os espíritos dos moços, semeia no coração das gerações que vêm nascendo a semente da podridão, habitua os homens a não acreditar senão na estrela, na fortuna, no acaso, na loteria da sorte, promove a desonestidade, promove a venalidade […] promove a relaxação, insufla a cortesania, a baixeza, sob todas as suas formas.”
      – discurso no Senado, em 1914, conforme citado em “Erasmo ou a loucura nossa de todo dia”, página 86, Ciro Faro, Editora Biblioteca24x7, 2009, ISBN 8578932455, 9788578932459
      • “[…] a esperança nos juízes é a última esperança. Ela estará perdida, quando os juízes já nos não escudarem dos golpes do Governo. E, logo que o povo a perder, cada um de nós será legitimamente executor das próprias sentenças, e a anarquia zombará da vontade dos presidentes como o vento do argueiro que arrebata.”
      – Obras completas de Rui Barbosa – Página 130, de Ruy Barbosa – Publicado por Ministério de Educação e Saúde, 1942
      • “O povo não tem representante porque as maiorias partidárias, reunidas nas duas casas do Congresso, distribuem a seu bel-prazer as cadeiras de uma e de outra casa, conforme os interesses das facções a que pertencem. O povo sabe que não tem justiça; o povo tem certeza de que não pode contar com os tribunais; o povo vê que todas as leis lhe falham como abrigo no momento em que delas precise, porque os governos seduzem os magistrados, os governos os corrompem, e, quando não podem dominar e seduzir, os desrespeitam, zombam das suas sentenças, e as mandam declarar inaplicáveis, constituindo-se desta arte no juiz supremo, no tribunal da última instância, na última corte de revisão das decisões da justiça brasileira.”
      – Obras completas – Página 81, de Ruy Barbosa – Publicado por Ministério da Educação e Saúde, 1942
      • “A República não precisa de fazer-se terrível, mas de ser amável; não deve perseguir, mas conciliar; não carece de vingar-se, mas de esquecer; não tem que se coser na pele das antigas reações, mas que alargar e consolidar a liberdade.”
      – Escritos e discursos seletos, de Ruy Barbosa, Virginia Cortes de Lacerda – Publicado por Companhia Aguilar Editôra, 1966 – 1095 páginas
      • “Tudo vence o patriotismo.”
      – fonte: “O Código Civil”
      – Obras completas de Rui Barbosa, Volume 26, Parte 4, página 86, O Ruy Barbosa, ISBN 8570040075, 9788570040077, Ministério de Educação e Saúde

  4. #FuiQuerido #LulaNaCadeiaJá
    APÓS IMPEACHMENT, SAMBA COMEMORA SAÍDA DE DILMA. OUÇA ÁUDIO.
    “A vaca que dava mais leite era a Petrobras e a teta secou. E a vaca BNDES, xii… Muita gente ali mamou. Dava leite em abundância, importava e até exportava pra gente de fora”, em outra parte. O refrão entoa: “Chora, querida, chora. Chora, cambada, chora. A teta da vaca secou. Onde vão mamar agora?”
    Ouça o samba do impeachment:
    https://soundcloud.com/elijonas-maia/samba-comemora-impeachment-de-dilma

  5. ALÔ, ALÔ, PESSOAL!

    Quem foi o maior inimigo petista durante o julgamento do mensalão?

    Acertou quem respondeu Joaquim Barbosa, presidente do STF à época.

    O ministro foi simplesmente PULVERIZADO pelo PT na mídia e redes sociais, lembram?

    Pois Barbosa deu uma entrevista onde se declara CONTRÁRIO AO IMPEACHMENT, e dizendo que Temer “não tem legitimidade” para a função!

    http://diariodesantamaria.clicrbs.com.br/rs/economia-politica/noticia/2016/05/joaquim-barbosa-diz-que-impeachment-esta-sendo-feito-sem-consulta-a-populacao-5799858.html

    Pois o vai e vem dos petistas, o cinismo e a hipocrisia, vão ser demonstrados em pleno vigor imediatamente, assim que esta notícia correr o Brasil, e Barbosa será o novo ídolo do PT, o personagem a ser cultuado e herói reverenciado.

    Não sei o que houve com o ex-ministro, confesso.

    Mas as suas declarações de hoje atestam que a sua mente não é mais a mesma, pois está confuso, certamente longe da Alta Corte onde tinha vários assessores consigo que o auxiliavam nas sentenças prolatadas, sozinho está dizendo frases desconexas, sem sentido, e que agridem a Constituição e os ritos que foram obedecidos porque determinados pelo Supremo.

    Ou, então, longe dos holofotes, Joaquim teve saudades das fortes luzes, e quis sentir o calor das lâmpadas, razão pela qual se mostra solidário com o PT, surpreendentemente!

    Não será surpresa para país que atualmente vivemos, que o ex-presidente do STF seja candidato pelo PT à presidência da República, credo!

  6. O Lula está mais perdido do que cachorro que cai de caminhão de mudança. Ele está preocupado pois sabe que a viagem dele para a República de Curitiba já está com passagem comprada, só de ida.

  7. Existem informantes dentro da República de Curitiba. Isso já foi vazado nas escutas. O capo já deve saber que a sua situação está complicadíssima e sem o cofre e a caneta na mão…

  8. Apático…???…me poupe…!!!…o adáctilo é um ator genial que usa essa capacidade para o mal…!!!…só na cadeia, num regime democrático, nos livraremos dessa tralha…!!!…em outra circunstância, já se sabe como resolver…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *