Nomeado para Fundação Palmares diz que Dia da Consciência Negra propaga vitimismo e precisa acabar

Sérgio disse que “não há salvação para o movimento negro”

Guilherme Mazui
G1

O presidente nomeado da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Nascimento de Camargo, afirmou nesta terça-feira, dia 10, que o Dia da Consciência Negra precisa acabar. Acrescentou que, na opinião dele, a data foi criada pelo campo político de esquerda para “propagar o vitimismo”.

Camargo deu a declaração ao deixar o Palácio do Planalto, onde se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro. A nomeação dele está suspensa desde o último dia 4, por determinação da Justiça Federal do Ceará – o governo informou já ter recorrido da decisão.

“VITIMISMO” –  “Claro que tem que acabar o Dia da Consciência Negra, que é uma data da qual a esquerda se apropriou para propagar vitimismo e ressentimento racial. Isso não é uma data do negro brasileiro. Isso é uma data de minorias empoderadas pela esquerda, que propagam o ódio, ressentimento e a divisão racial”, afirmou.

Levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no mês passado mostra que o trabalhador branco ganha por hora 68% mais que pretos e pardos. Além disso, segundo um levantamento feito pelo G1 no ano passado mostrou que os brancos são maioria em empregos de elite, e os negros, em vagas sem qualificação.

REDES SOCIAIS – Nas redes sociais, Sérgio Nascimento já disse que a escravidão foi “terrível”, mas “benéfica para os descendentes” dos escravos porque, na opinião dele, “negros do Brasil vivem melhor que os negros da África”. Nascimento também já afirmou na internet que “não há salvação para o movimento negro”, que “precisa ser extinto”.

Na entrevista concedida nesta terça-feira, Sérgio Nascimento foi questionado sobre o conteúdo das postagens nas redes sociais. Respondeu, então, que houve “deturpação” do material publicado.

“Eu nunca neguei a existência do racismo no Brasil, isso é uma deturpação das minhas postagens nas redes sociais. Eu afirmo que há racismo. O racismo, porém, não é estrutural, segundo tese da esquerda. Ele é circunstancial”, respondeu.

SECRETÁRIO DA CULTURA – Também no Planalto, o secretário de Cultura, Roberto Alvim, foi questionado se “endossa” as falas de Camargo sobre escravidão. Alvim disse, então, que as explicações cabem ao chefe da Fundação Palmares.

Na entrevista, o secretário de Cultura acrescentou que Bolsonaro “está muito tranquilo” em relação aos nomes escolhidos por ele para os cargos vinculados à secretaria.

OBRAS DE ARTE –  O secretário enfatizou ainda que, “de maneira nenhuma”, fará “estrutura de propaganda de qualquer ideologia que seja”. Alvim também afirmou ser “terminantemente contra qualquer forma de censura”, exceto “quando a obra vilipendia crianças que são indefesas e expõe essas crianças a conteúdos absolutamente impróprios para essas crianças”.

“Nesse caso, a liberdade de expressão do artista deve ser, ficar em segundo plano em relação ao direito das crianças, é o único caso em que eu problematizo o conceito de liberdade de expressão”, ressaltou.

21 thoughts on “Nomeado para Fundação Palmares diz que Dia da Consciência Negra propaga vitimismo e precisa acabar

  1. Não sei mais o que falar deste inimigo da própria etnia. Racista contra os negros, sendo ele também um negro ? E ainda acha que os negros no Brasil não precisam unir-se em movimentos negros e quer acabar com o Dia da Consciência Negra, com o argumento de que os negros vivem melhor no Brasil do que na África e que a escravidão foi boa para os negros ?

    Da mesma laia dele é o Secretário de Cultura que o nomeou, o mesmo que ofendeu Fernanda Montenegro com adjetivos abjetos e fez também isso aqui :

    https://www.poder360.com.br/governo/roberto-alvim-convidou-esposa-a-gerenciar-fundo-de-r-35-milhoes-na-funarte/

    E quem o nomeou para a titularidade da Secretaria de Cultura foi ninguém mais, ninguém menos que Jair Bolsonaro.

  2. O erro que está implícito no Dia da Consciência Negra é que aborda somente a questão racial, e o negro exigindo tratamentos diferenciados como uma espécie de compensação pelo passado.

    O combate ao racismo não poderá se dar através de movimentos, mas pela educação!
    Os negros conquistarão seus espaços mediante estudos e trabalho como hoje vem padecendo as etnias existentes no Brasil.

    O Dia da Consciência Negra deve existir, porém ser prestigiado e cultuado como símbolo de Liberdade!
    O ser humano deve ter a sua vida comandada por ele mesmo, e não a serviço de senhores através da escravidão ou trabalhos forçados.

    O Quilombo dos Palmares foi um dos tantos quilombos existentes (a título de informação, quilombo é uma expressão de um idioma africano que significa “esconderijo no mato”).

    Palmares não reunia apenas milhares de escravos negros, que fugiam de seus donos, mas havia índios e até brancos que viviam unidos pela mesma causa, o direito à Liberdade!

    O Dia da Consciência Negra deveria ser em homenagem a esta condição inata do ser humano, a liberdade, menos como hoje acontece, em forma de contornos nitidamente políticos e ideológicos.

    Logo, existem reações diferentes com relação a esta data:
    Por que não o Dia da Consciência Branca, Amarela, Parda, Vermelha …
    No entanto, se a data fosse restrita à liberdade, QUE HOJE ESTAMOS SENDO SURRUPIADOS NESTE DIREITO INALIENÁVEL, e me refiro às etnias brasileiras em geral, haveria a simpatia do povo, o apoio da população, a solidariedade de todos.

    Lembro que o Brasil foi o país que mais escravizou africanos no mundo;
    Também fomos a nação que mais tempo a escravidão ficou ativa;
    que mais atrocidades foram cometidas contra os escravos.

    Portanto, se a homenagem deve ser feita aos negros, cuja Fundação leva o nome do famoso e mais emblemático quilombo, Palmares, eu sugeriria a mudança para o Dia da Consciência pela LIBERDADE, onde o negro seria o seu símbolo por justiça e de direito, e excluir totalmente o aspecto político, que considero um erro grave e que obtém reações contrárias à data!

  3. VEJAM QUE APESAR DAS OPINIÕES EM CONTRÁRIO, EU ESTAVA COM A RAZÃO

    Ednei José Dutra de Freitas

    O GLOBO – 12/12/2019

    GOVERNO SUSPENDE NOMEAÇÕES DE NOVOS PRESIDENTES DO IPHAN E DA FUNDAÇÃO PALMARES

    Nomeação da arquiteta e urbanista Luciana Féres para o institudo do patrimônio foi anulada hora depois ter sido indicada

    https://oglobo.globo.com/cultura/governo-suspende-nomeacoes-de-novos-presidentes-do-iphan-da-fundacao-palmares-24133274?utm_source=notificacao-geral&utm_medium=notificacao-browser&utm_campaign=O%20Globo

    • Estas denúncias sem as devidas explicações são o prato cheio da esquerda para fazer o que sabem de melhor: mentir.

      Não vai processar?
      Não adianta?

      Mas, o que interessa para a esquerdinha já é suficiente para seus fins espúrios.

      • Mario Junior,

        O que tem a esquerda a ver com o fato de uma cantora negra, que foi primeira colocada num concurso de canto com apresentação de Silvio Santos, ter sido humilhada por Silvio Santos, negando a ela o prêmio prometido e a que ela tinha direito de receber, porque venceu o concurso, e ser destratada, discriminada e com o prêmio negado por Silvio Santos, apesar do mérito da cantora ?

        São fatos. Tem de ser denunciados. O racismo de Silvio Santos foi um crime testemunhado por pessoas do auditório e os poucos telespectadores que assistem ao programa deste farsante racista ?

        Silvio Santos não é de esquerda, e a cantora não sabemos de que lado está, mas o que aconteceu foi uma humilhação racista perpetrada por Silvio Santos, que tem bons advogados, e, por isso, a cantora disse que “não adianta processar” , isto porque ela sabe que não vai dar em nada.

        Mas, repito a pergunta: o que é que a esquerda tem a ver com tudo isso ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *