Nos bastidores, comenta-se que Paulo Guedes já perdeu muita influência sobre Bolsonaro

Mercado financeiro reage mal ao desentendimento entre Bolsonaro e Guedes |  VEJA

Olhar de Bolsonaro diz tudo sobre a relação com Guedes

Vicente Nunes
Correio Braziliense

Um dos ministros mais próximos do presidente Jair Bolsonaro assegura que seu colega da Economia, Paulo Guedes, o Posto Ipiranga, perdeu muito da influência que tinha sobre o chefe do Executivo.

“Nós, que estamos no dia a dia do governo, que falamos diariamente com o presidente, estamos cientes de que Paulo Guedes já não faz tanto a cabeça do chefe”, afirma o ministro. “Diria que a relação entre eles hoje é mediana”, acrescenta.

MOSTRA SERVIÇO – A avaliação no Palácio do Planalto é a de que Guedes, para reconquistar espaço no coração de Bolsonaro, terá que mostrar resultados muito bons na economia nos próximos medes. Isso é considerado vital para a reeleição do presidente na eleição marcada para daqui a dois anos.

“Não bastam promessas. É preciso entregar bons resultados”, diz o mesmo ministro. “Antes da pandemia do novo coronavírus, o ritmo de recuperação vinha aquém do desejado. Com a covid, foi um desastre. O auxílio emergencial reduziu parte dos estragos, mas 2021 e 2022 terão que ser muito bons”, emenda.

VOLTA DA INFLAÇÃO – A pressão sobre Guedes será ainda maior por causa do risco de volta da inflação diante da disparada dos preços do alimentos.

Na semana passada, o Ministério da Economia reclamou de uma ação do Ministério da Justiça, que interpelou redes de supermercados pelos reajustes, mas Bolsonaro deu aval ao movimento do ministro André Mendonça.

Se a carestia se estender por muito tempo, o Planalto está certo de que parte do apoio que o presidente conquistou entre a população de mais baixa renda, sobretudo no Nordeste, vai se perder rapidinho. Inflação alta, puxada pela comida, é o pior imposto sobre os pobres. Guedes que se cuide.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Bolsonaro parece gostar de torturar os ministros aos poucos. Em Brasília não se fala em outra coisa, o desprestígio de Guedes domina as atenções. No sábado, foi chamado para um encontro com Bolsonaro, fora da agenda, na Granja do Torto, onde Guedes foi esculachado por Sua Excia. Deveria pedir demissão, mas é um fraco, apenas mais um bajulador que presta serviços. (C.N.)

19 thoughts on “Nos bastidores, comenta-se que Paulo Guedes já perdeu muita influência sobre Bolsonaro

  1. “Deveria pedir demissão, mas é um fraco, apenas mais um bajulador que presta serviços. (C.N.)”
    Ele deve estar pensando muito. Passar de herói a traidor no governo atual, é barbada. Guedes deve estar preocupado com o que dirão Bia Kicis e Carla Zambelli, duas expoentes políticas em defesa do presidente. Se o defendem mesmo quando errado, ….

  2. Já comentei aqui mais de uma vez. O Posto Ypiranga será chutado só no segundo semestre de 2021. Até lá ele vai engolir todos o sapos só para poder privatizar ao máximo. Sairá satisfeito e com boas ofertas de amigos beneficiados, principalmente os bancos. E o JB ao demitílo de forma vergonhosa (como é do seu feitio), colocará toda culpa pelo fracasso econômico nas costas do Posto Ypiranga. Anotem e me cobrem. O enredo será este.

  3. Vou pelo atalho:
    O povo não tem a menor ideia do que seja esta reforma tributária!

    Não sabe nada a respeito, a não ser do preço dos gêneros alimentícios que sobe a cada mês.
    O povo não saberia dizer aonde que a reforma deveria ser aplicada, e o jeito como deveria ser implantada, de modo que o trabalhador fosse beneficiado e também seus estados de origem.

    Dito isso, eu pediria aos meus colegas que entendem dessa questão que se lembrassem dos Chico existentes, e explicassem em linguajar inteligível para semianalfabetos como eu do que se trata, e quais as vantagens que ocasionaria na vida de todos nós.

    Por exemplo:
    Em que segmento a reforma tributária hoje é fundamental?
    Em que setores o Brasil estaria melhor, caso resolvesse as disparidades existentes entre os estados da União?
    As concessões livres de impostos para que as empresas se instalem seriam definidas como?
    Haveria correção da Tabela do Imposto de Renda, defasada em quase 80%?
    O ICMS de combustíveis seria padronizado no território nacional?
    Os estados exportadores teriam compensações pela isenção de impostos sobre produtos que vendem?
    A fatídica Lei Kandir seria finalmente equacionada?

    O povão precisa saber a respeito de certos assuntos que não tem a menor ideia do que se tratam.
    Conto com a colaboração dos meus colegas especialistas, apelando para o meu amigo e mestre Bortolotto, que se digne a explicar para gente ignorante como eu, a tal reforma tributária e seus efeitos na vida de todos nós.

  4. O Sr. Carlos Newton ideia o Guedes, simplesmente por que ele não segue o velho direcionando estatal, a velha fórmula já testada várias e várias vezes e sempre fracassar. É impressionante o mito de um dia o Brasil terá um Estado honesto que vai nos levar ao paraíso do primeiro mundo, coisa que aliás nunca aconteceu em lugar nenhum.

  5. Para os ainda descrentes que o NINE, é um ladrão safado e que não vale M. nenhuma.
    Teria imenso prazer que os defensores deste facínora dessem suas explicações.
    Sou todo ouvidos!
    Fico no aguardo… kkkk
    Atenciosamente.

    https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://www.oantagonista.com/brasil/as-provas-do-repasse-de-r-4-milhoes-da-odebrecht-para-lula/amp/&ved=2ahUKEwj05avPxenrAhUhLLkGHbJwAQgQlO8DMAZ6BAgOEA0&usg=AOvVaw1HTE4OvjFIdCbT3aEf6JFz&ampcf=1

  6. Prezado Colega Sr. FRANCISCO BENDL,

    O senhor é um dos mais ilustres Escritores da T I , seu Senso de Justiça, sua Inteligência e seu Bom Senso são enormes, tanto que o senhor é muito lido e admirado por todos Nós.

    O Assunto TRIBUTAÇÃO é complexo e requer Especialista. Eu não sou Especialista também, mas tenho algum conhecimento porque é da minha área de interesse, E depois nenhuma Pergunta pode ficar sem Resposta na nossa T I, mesmo que a Resposta não seja brilhante.

    O Código Tributário Brasileiro é terrivelmente complexo e difícil de entender. Tanto que a Petrobras SA tem questionamentos Tributários da ordem de R$ 4 Bilhões na Justiça. Ora, a Petrobras SA é Sonegadora ? Claro que não, até porque é de maioria do Governo.

    Há portanto necessidade de Simplificar e torná-lo Compreensível ao máximo.
    Temos 2 Projetos de Reforma Tributária, um no Senado e outro na Câmara, em fase adiantada de estudos, ( PEC 45 e PEC 110) que são muito bons, serão UNIFICADAS ,mas que demandarão mais de 12 anos de transição para convergir os interesses do Gov. Federal, Estaduais e Municipais. Mais um ano e será Aprovado, e temos que começar essa Transição.

    De maneira geral o Gov Federal cobra os seguintes impostos:
    -Imposto de Renda Pessoas Físicas e Jurídicas.
    -Impostos sobre Folhas Pagamentos das Empresas. INSS, CSLL, Cofins, etc, etc.
    -Tarifas Comércio Exterior, etc.
    -Etc.

    Estados
    -Impostos sobre Vendas ICMS
    -Impostos sobre Propriedades e Heranças.
    -IPVA, Etc

    Municípios
    -IPTU,
    -Impostos sobre Serviços- ISS
    -Etc.
    Esses são os principais, existem muitas outras Taxas, Contribuições, etc. Tudo isso está sendo processado no Congresso.

    O Min. da Fazenda PAULO GUEDES (71) quer, independente do Reformão geral do Congresso, uma Mini Reforma rápida que desonere as Empresas dos 20% da Folha de Pagamentos o que daria – R$ 220 Bi/Ano, para ativar o EMPREGO, compensada por uma CPMF 0,28% que aportaria + R$ 130 Bi/Ano, + Tributação de Dividendos + R$ 60 Bi/Ano, + outras Tributações Financeiras que aportariam os faltantes +R$ 30 Bi/Ano.

    A ideia é desonerar +-R$ 220 Bi/Ano das Empresas que geram Emprego, e buscar esses +- R$ 220 Bi/Ano na Economia em geral.

    Nós não achamos boa ideia essa desoneração dos 20% da Folha de Pagamentos das Empresas porque são uma Fonte Segura do Financiamento da Seguridade Social. Mas concordamos que as Empresas devem ter seus Custos de Produção reduzidos nessa proporção de outra maneira. Juros Comerciais baixos já ajudam muito.

    Abração.

  7. Prezado Bortolotto;
    Um Operário (felizardo por ter um emprego), ganha R$2.000,00 por mês.
    Este Operário sustenta uma Nomeklatura com salários de R$30.000,00 ou mais. Em vários casos, as filhas e netas desta Nomeklatura, herdam estas aposentadorias.
    Podem trazer o maior matemático do Sistema Solar para fazer uma reforma tributária. A conta nunca ( NUNCA) vai fechar.

    • Prezado Sr. VICTOR,

      Sim, o senhor tem razão na sua argumentação, com Salário Médio no Brasil de R$ 2.400/mês não dá para sustentar a Nomenklatura atual, e o Funcionalismo em geral, que ganha em média R$ 7.500/mês.

      O Brasil foi empurrando com a barriga essa distorção, aumentando a Carga Tributária, aumentando o Endividamento, até o limite superior em que chegamos agora. É por isso que essas grandes distorções vão diminuir daqui para frente.

      A Lei do Teto de Gastos (20 Anos de Orçamento Federal congelado em Valores Reais expurgados da Inflação dado pelo IGPA-IBGE desde 2016, e a Lei de Ouro ( Não permite emitir Dívida Pública Nova para pagar Despesas Correntes do Gov.), obrigarão a isto.

      Ou fim do Plano Real e a volta com força da Inflação que nivelaria os Vencimentos/Salários por outros meios.

      Abração.

  8. Prezada Sra. SOLANGE,

    Sim, o Min. da Fazenda PAULO GUEDES (71) na sua Mini-Reforma Tributária rápida solicitada ao Congresso, desonera as Empresas dos 20% da Folha de Pagamentos (INSS), com perda de R$ 220 Bi/Ano e busca Arrecadar esses R$ 220Bi/Ano via CPMF 0,28% (Digital) R$ 130Bi/Ano + Taxação de Dividendos hoje Isentos R$ 60 Bi/Ano, aumento da Tx máx Imposto de Renda das Empresas de 27,5% para 35%, e mais umas coisinhas Financeiras R$ 30Bi/Ano, o que daria os R$ 220/Bi/Ano desonerado do INSS das Empesas.
    A ideia com isso é fomentar o Emprego que ficaria mais barato para as Empesas.

    O Presidente BOLSONARO não quis nem ouvir falar em CPMF (Digital) e mandou retornar a proposta para o Min. da Fazenda.

    Nossos números são arredondados para gravar mais fácil.

    Nossas Saudações.

  9. Meu caro amigo e mestre, Bortolotto,

    Tu me deixas constrangido com as palavras sempre gentis que me diriges, a ponto de eu não saber se te agradeço ou te recrimino.

    Opto pela primeira opção, meu caro, pois, confesso, me animas a seguir em frente, além de eu ter o meu ego – volta e meia eu o confundo com bala de goma – massageado.

    Tu, além de guru na área econômica da TI, és uma das pessoas mais elegantes, educadas, dotada de conhecimentos vastos nesse segmento tão melindroso e que poucos o conhecem, então o pedido de ajuda para essas questões complicadas.

    Portanto, muito obrigado pelas respostas, mestre Bortolotto, e pela tua gentileza em dares tenção a este semianalfabeto, razão pela qual és o meu guru nesse particular e modelo de sociabilidade e civilidade que tento, em vão, seguir.

    Forte e fraterno abraço.
    Saúde e paz.
    Te cuida, meu!

  10. Vergonha na cara no ministério do boçal é mercadoria em falta. Os que tiveram um só pingo de vergonha pediram a conta, um foi demitido porque não tem vergonha na cara e agora fala mal do boçal. O Posto Ipiranga prova que não tem só este pingo de vergonha, a hora dele ir embora já passou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *