Nos bastidores, Cunha vai destruindo seus inimigos, um após o outro

Mercadante é a próxima vítima de Eduardo Cunha

Ranier Bragon e Márcio Falcão
Folha

Quando o PT e o Palácio do Planalto mobilizavam ministros, cargos e verbas contra a sua candidatura, em janeiro deste ano, o então líder da bancada de deputados federais do PMDB não se cansava de repetir uma espécie de promessa: a interferência do governo Dilma Rousseff na disputa pelo comando da Câmara provocaria consequências.

Eduardo Cunha derrotou o PT, o governo da presidente Dilma Rousseff e seus ministros no primeiro turno da eleição. Desde que se sentou na cadeira de presidente da Câmara, em fevereiro, trabalha para cumprir o vaticínio.

De cara, caiu o líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS). Cunha nunca perdoou o fato de ele ter convocado uma entrevista coletiva, durante a campanha para a presidência da Câmara, para criticá-lo e defender a candidatura do rival, o petista Arlindo Chinaglia (SP).

O peemedebista reagiu na ocasião afirmando que Fontana era “fraco” e “desagregador”, e que o PMDB, dali em diante, não reconheceria mais a sua liderança. Após derrotar Chinaglia por 267 votos contra 136, Cunha manteve sua posição, levando a presidente a substituir o petista.

PEPE VARGAS E MERCADANTE

Nas conversas logo após a vitória sobre o PT, também não escondeu dos aliados que tinha alvos certos no ministério. Aqueles que, em sua avaliação, interferiram de forma indevida no processo eleitoral – Pepe Vargas, então chefe da Secretaria de Relações Institucionais, e Aloizio Mercadante, da Casa Civil.

Também viraram alvo de Eduardo Cunha dois ministros que patrocinaram uma frustrada operação para tentar esvaziar o PMDB criando um novo partido político, Gilberto Kassab, das Cidades, e Cid Gomes, da Educação.

Em relação a Pepe e Mercadante, Cunha se recusou a negociar ou conversar com ambos sobre a relação da Câmara com o governo Dilma.

Mais do que isso, ele colocou em pauta e operou politicamente a aprovação de projetos como o que obrigava o Planalto a colocar em vigor em 30 dias a renegociação de dívidas de Estados e municípios. Isso horas depois de Dilma ter dito publicamente que o governo não teria como financiar o custo da medida.

VARGAS FOI HUMILHADO

O gelo dado em Pepe Vargas, no papel o responsável pela interlocução do governo com o Congresso, levou o ministro à vexatória situação de se ver demitido pela imprensa na semana passada –deu lugar ao vice-presidente da República, Michel Temer, presidente nacional do PMDB.

Mercadante também se viu afastado das tratativas técnicas e políticas com a Câmara dos Deputados. Aliados do presidente da Câmara têm repetido nos bastidores, após a queda de Pepe, que “Mercadante é o próximo”. Além das sequelas da campanha, o chefe da Casa Civil é apontado pelos peemedebistas como mentor de outra operação anti-PMDB.

A tentativa de recriação do Partido Liberal teve patrocínio de Kassab e o apoio de Cid Gomes. Na visão do PMDB, o novo PL tinha o objetivo de atrair insatisfeitos do PMDB e da oposição para formar uma robusta sigla governista que diminuísse a dependência de Dilma do partido de Cunha. O PMDB questiona judicialmente a recriação do PL.

7 thoughts on “Nos bastidores, Cunha vai destruindo seus inimigos, um após o outro

  1. Caro CN … uma rápida pesquisa para conhecermos melhor o Eduardo Cunha … saudações!

    1 – em 2006 temos http://www.rodaviva.fapesp.br/materia/131/entrevistados/anthony_garotinho_2006.htm com: “Célia Melhem: Senhor governador, considerando que o PMDB chegou aparentemente bastante dividido a sua escolha, uma parte do partido com tendência governista, não interessado em lançar candidatura própria, e uma outra parte apoiou num outro candidato, esta outra parte também é expressiva. O senhor não teme que ocorra ao longo da campanha o mesmo que aconteceu com o doutor Ulysses, que foi o fundador do partido e que acabou cristianizado, abandonado pela máquina partidária, teve uma votação totalmente inexpressiva para presidente, o senhor não teme que lhe ocorra o mesmo? E se isso ocorrer, qual é o seu plano B com que o senhor conta para se eleger?
    Anthony Garotinho: Olha Célia, não tenho plano B, estou seguro de que nós vamos partir do patamar de votos da eleição passada, 15 milhões de votos, eu já disse, a candidatura vai crescer e eu não serei abandonado.
    [Em 13 de maio de 2006, a convenção extraordinária do PMDB decidiu que o partido não teria candidato próprio ao Palácio do Planalto nas eleições de outubro. Os governistas – defensores de uma aliança informal com o PT em torno do presidente Lula – conseguiram uma vitória apertada. Foram 351 votos contra a candidatura, 303 a favor, 1 nulo e 2 em branco, de um total de 657 votos. Nesse mesmo dia, a Segunda Turma Civil de Brasília concedeu uma liminar suspendendo os efeitos da convenção extraordinária, em resposta a uma ação do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ligado ao ex-governador Anthony Garotinho. Este, ao ver-se sem o apoio do PMDB para disputar a Presidência da República, começou a colocar em prática um plano para tentar viabilizar a candidatura própria, cogitando o possível apoio à candidatura do senador Pedro Simon (RS), já que o ex-presidente Itamar Franco desistira da disputa à Presidência. Dessa forma, Garotinho poderia impor uma derrota ao grupo governista do partido mesmo que para isso ele tivesse que desistir da disputa. O ex-governador ainda acusou os governistas de terem atuado para desmoralizá-lo e assim impedir que seu nome se viabilizasse como candidato.]”

    Destaco: “Nesse mesmo dia, a Segunda Turma Civil de Brasília concedeu uma liminar suspendendo os efeitos da convenção extraordinária, em resposta a uma ação do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ligado ao ex-governador Anthony Garotinho.”

    Em 2006 Eduardo Cunha já lutava para o PMDB ter candidato próprio!!! !!! !!!

  2. Em 21/02/2009 Noblat constata em seu blog: http://noblat.oglobo.globo.com/noticias/noticia/2009/02/indicacoes-nas-maos-de-cunha-163359.html

    Indicações nas mãos de Cunha … 21.02.2009 08:02
    Em seu segundo mandato como deputado federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de 50 anos, ampliou sua influência no partido. Controla a bancada do Rio e é do círculo próximo ao presidente da Câmara e do partido, Michel Temer (SP), e do líder, Henrique Eduardo Alves (RN). Depois de comandar a Comissão de Constituição e Justiça, este ano, Cunha voltou suas atenções para o setor energético: é relator da importante MP 450, que trata do Fundo de Garantia a Empreendimentos de Energia Elétrica (FGEE), fundamental para o PAC, e deve indicar o presidente da Comissão de Minas e Energia da Câmara. Essa comissão tratará, por exemplo das regras de exploração do pré-sal e da distribuição dos royalties do petróleo, essenciais para a economia fluminense.
    O deputado ingressou no mundo do poder com as bênçãos do governo Fernando Collor: foi presidente da Telerj. Depois, aliou-se ao ex-governador Anthony Garotinho, ocupando cargos no em sua administração – presidiu a companhia de habitação do Estado do Rio.
    No início do segundo mandato de Lula, o deputado conseguiu emplacar o ex-prefeito Luiz Paulo Conde na presidência de Furnas – substituído recentemente por Carlos Nadalutti Filho, indicação do PMDB mineiro.
    Cunha não esconde seu controle sobre a bancada, avisando que o nome para a Comissão de Minas e Energia sairia de uma reunião do PMDB do Rio. Costuma se referir a esse grupo de deputados como “os meus”.
    … … …
    É que a bancada federal RJ tem sido a maior do PMDB na Câmara dos Deputados!!!

  3. 3 – Noblat noticiou tintim por tintim a ida de Eduardo Cunha a líder do PMDB em 2013:
    http://noblat.oglobo.globo.com/noticias/noticia/2013/02/temer-sob-pressao-para-ajudar-eduardo-cunha-se-eleger-lider-do-pmdb-484899.html

    Temer sob pressão para ajudar Eduardo Cunha a se eleger líder do PMDB … 03.02.2013 14:32
    O controverso deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) está desesperado. É candidato a líder do PMDB concorrendo com Osmar Terra e Sandro Mabel. E imaginava se eleger no primeiro turno logo mais a partir das 17h, em Brasília. Corre o risco de disputar com Mabel o segundo turno. E de perder. Eleitores de Terra não votam em Eduardo.
    É brutal a pressão que apoiadores de Eduardo exercem sobre o vice-presidente da República Michel Temer – de fato, o presidente nacional do PMDB. Ameaçam detonar escândalos envolvendo Renan Calheiros, recém-eleito presidente do Senado, caso Temer continue se recusando a ajudar Eduardo a se eleger. Temer não esconde seu nervosismo.
    … … …
    4 – http://noblat.oglobo.globo.com/noticias/noticia/2013/02/pmdb-henrique-eduardo-mabel-osmar-terra-estao-reunidos-484897.html

    PMDB: Henrique Eduardo, Mabel e Osmar Terra estão reunidos … 03.02.2013 17:22
    Henrique Eduardo Alves (RN), candidato favorito a presidente da Câmara dos Deputados, está neste momento na casa do deputado Luiz Pichman (PMDB-DF), no Lago Norte, em Brasília, reunido com os deputados Sandro Mabel (GO) e Osmar Terra (RS), candidatos a líder do PMDB.
    Sandro e Osmar enfrentarão logo mais o candidato favorito a líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ). Os dois combinaram: se houver segundo turno, aquele que ficar de fora apoiará o outro para derrotar Eduardo.
    Henrique sabe: se Eduardo perder a briga pela vaga de líder do PMDB, seus eleitores não votarão nele, Henrique, amanhã, para presidente da Câmara.
    Renanzinho, deputado federal (PMDN-AL) e filho do recém-eleito presidente do Senado Renan Calheiros, é eleitor de Sandro. Carrega com ele um grande número de deputados. O pai diz que não pode interferir nas escolhas do filho.
    … … …
    A candidatura de Sandro Mabel representaria influência de Renan … o que facilitaria a continuidade do PMDB ficar apoiando o governo sem impor condições de valorização do PMDB!!!

  4. 5 – http://noblat.oglobo.globo.com/noticias/noticia/2013/02/pmdb-eduardo-cunha-gasta-tudo-que-pode-para-se-eleger-484896.html com:

    PMDB: Eduardo Cunha gasta tudo o que pode para se eleger … 03.02.2013 17:41
    Eduardo Cunha (RJ) está gastando todos os recursos de sua imaginação para tentar se eleger logo mais líder do PMDB na Câmara dos Deputados.
    Acossado pelos adversários Sandro Mabel (G) e Osmar Terra (RS), conseguiu convencer três deputados de outros partidos – um da Bahia, um do Tocantins e um do Rio – a se licenciarem da Câmara por 120 dias.
    Como os três foram eleitos em coligação com o PMDB nos seus Estados, serão substituídos por suplentes do PMDB. Os suplentes se comprometeram em votar em Eduardo. Em troca de quê? De afeto, apenas.
    Saca briga de traficantes pelo controle de morro?
    É mais ou menos isso o que está acontecendo com o PMDB na Câmara.
    Eduardo é, digamos assim, o traficante novo, ousado, que quer mandar no morro. Os outros, mais antigos, não querem deixar.
    … … …
    6 – http://noblat.oglobo.globo.com/noticias/noticia/2013/02/pmdb-escolhe-seu-lider-na-camara-484893.html com:

    PMDB escolhe seu líder na Câmara … 03.02.2013 18:50
    Começou no plenário da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara a eleição do próximo líder do PMDB. Por sorteio falou primeiro Sandro Mabel (GO) durante 10 minutos.
    Está falando Osmar Terra (RS) e por último falará Eduardo Cunha (RJ).
    Preside a eleição Henrique Alves, atual líder do PMDB, que deverá ser eleito amanhã presidente da Câmara.
    Atualização das 19h08 – Somente Sandro Mabel pediu votos para eleger Henrique presidente da Câmara. Eduardo Cunha acabalou de falar. A votação terá início em instantes. Secreta.
    … … …
    7 – http://noblat.oglobo.globo.com/noticias/noticia/2013/02/pmdb-eduardo-cunha-um-passo-de-se-eleger-lider-na-camara-484892.html com:

    PMDB: Eduardo Cunha, a um passo de se eleger líder na Câmara … 03.02.2013 20:05
    Eduardo Cunha (RJ) está a um passo de se eleger líder do PMDB na Câmara dos Deputados.
    Para vencer direto no primeiro turno ele precisava obter 41 votos. Obteve 40 contra 26 de Sandro Mabel (GO) e 13 de Osmar Terra (RS).
    Começou o segundo turno entre Eduardo e Mabel. Será eleito aquele que for o mais votado.

  5. 8 – http://noblat.oglobo.globo.com/noticias/noticia/2013/02/eduardo-cunha-eleito-lider-do-pmdb-na-camara-dos-deputados-484815.html com:

    Eduardo Cunha eleito líder do PMDB na Câmara dos Deputados … 03.02.2013 20:56
    Resultado final da eleição para líder do PMDB na Câmara: Eduardo Cunha, 46 votos; Sandro Mabel, 32 e dois votos em branco.
    … … …
    Caro CN … esta é a rápida pesquisa da rápida subida de Eduardo Cunha … Forte abraço!!!
    PS – Eduardo Cunha disputa … porém, não desagrega – pois não menospreza nem tripudia!!! !!! !!!
    É LÍDER!!! !!! !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *