Nos EUA, nasce o “Bolsonaro Ternura”, que faz autocrítica e reconhece seus erros

Resultado de imagem para bolsonaro nos eua

Bolsonaro diz que é inexperiente, mas quer acertar

Thais Bilenky
Folha

Em palestra fechada a investidores e analistas em Nova York, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) afirmou que não é o nome mais capacitado para ser presidente do Brasil, mas não está envolvido em escândalos de corrupção. “Tem muita gente mais preparada do que eu, mas no Brasil hoje o pessoal está alvejado. Praticamente não tem candidato deles que se apresenta aí que não tenha problemas na Lava Jato ou já tiveram no mensalão”, disse o deputado na Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, na quarta-feira (dia 11).

“Gostaria que isso não acontecesse. Tem gente lá que eu gosto, mas, infelizmente, não vou citar nomes nem vou criticar, estão envolvidos nessas questões. Então, hoje em dia, cai para mim.”

VONTADE DE ACERTAR – Na quinta-feira (dia 12), em tom mais polido, Bolsonaro voltou a fazer autocrítica em palestra no Conselho das Américas. “Estendo a mão aos senhores. Entendam a minha inexperiência em algumas áreas, mas o mais importante é a vontade de acertar”, rogou.

A Folha teve acesso à integra das duas palestras, ambas fechadas. O deputado, empatado em segundo lugar na disputa presidencial de 2018, de acordo com o Datafolha, desculpou-se por arroubos agressivos. “De vez em quando me perco nas palavras, sim, me perco, me perco, peço desculpas. Mas o nosso objetivo exatamente é o bem de todos”, afirmou, no segundo evento.

Bolsonaro pediu uma nova Constituinte e a reformulação da legislação trabalhista. “Temos um problema na CLT, está engessada na Constituição”, reclamou, para então defender a adoção do modelo americano, que não prevê direitos como férias e licença-maternidade.

CUSTO BRASIL – O deputado repetiu lugares-comuns em favor da livre iniciativa. “O Custo Brasil é altíssimo, a burocracia é enorme, o número de horas para abrir uma empresa no Brasil acho que é… Estamos em primeiro lugar no mundo”, observou. “Temos que ressuscitar o [ministro do Planejamento na ditadura militar] Helio Beltrão, né, mas revigorado, para desburocratizar o Brasil.”

Ao comentar a reforma da Previdência proposta pelo governo Michel Temer, porém, Bolsonaro foi mais cauteloso. “Dá para sair, devagar, dá. Não adianta o pré-candidato aqui dizer que vai fazer. Não vai fazer, a verdade acima de tudo. Pode até agradar os senhores aqui, mas ele vai ter dificuldade um ou dois anos depois ao ver que não fizemos”.

Bolsonaro declarou sua admiração pelos Estados Unidos e disse que o país deveria ser “o primeiro parceiro comercial” do Brasil. “Em muitas coisas, temos afinidades. Sou apaixonado por esse país do coração, gostaríamos que nos aproximássemos, que os acordos fossem mais céleres”, desejou.

APARELHAMENTO – Sobre política, Bolsonaro disse que “o Judiciário é um tanto quanto aparelhado também” e o Congresso, um “gargalo” para o Executivo em algumas matérias, mas afirmou contar com as bancadas da segurança, evangélica e do agronegócio (conhecidas como da bala, da bíblia e do boi) como sustentação.

“Temos um sentimento muito grande que pode unir o Parlamento brasileiro”, assinalou.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Bolsonaro segue a linha introduzida por ACM e depois imitada com sucesso por Lula na campanha de 2002. Portanto, começa a surgir o Bolsonaro Ternura, que faz autocrítica e reconhece os erros. Em breve, o candidato terá de discutir a relação com as mulheres, os negros e os eleitores LGBT, se realmente quiser ganhar a eleição. (C.N.)

33 thoughts on “Nos EUA, nasce o “Bolsonaro Ternura”, que faz autocrítica e reconhece seus erros

  1. O negocio é chegar lá …..Depois agente vê o que dá pra mudar , não podemos é ficar refém desses políticos de carteirinha e carreirinha , se é que me faço entender …

  2. Deputado a um milhão de anos, inútil. Sem qualquer projeto digno de nota. Não tem realizações nem projeto. Se quiser ser presidente precisa de projeto de governo, algo que não tem. Mas no Brasil, os eleitores têm o péssimo hábito de escolherem representantes inúteis. Deveria ser mais um caso de piada do ano, este ignorante querer ser presidente do Brasil. Enfim, este sujeito, que deveria ser ignorado, ganha projeção na imprensa brasileira. Não resiste a um debate com Ciro.

    • Bolsonaro, ao que parece, trata-se apenas de mais um carreirista numa versão extravagante do velho continuísmo da mesmice do velho $istema político apodrecido, que o faz mais um caboclo mamador do erário abastecido pelo sangue, suor e lágrimas do contribuinte que é o povo brasileiro. Portanto, mais um chupa-cabra do erário luso-tupiniquim, que assim agindo continua iludindo eleitores otários e se mantendo na comilança, na qual empregou até o seu irmão, comerciante no litoral paulista, na AL/SP, tipo aspone de algum deputado do esquema Bolsonaro. Aliás, os gestos e declarações do Bolsonaro diante da bandeira norte-americana, afeiçoa-se à expressão encanrnada do velho complexo de vira-lata. Nem nas forças armadas, Bolsonoro tem uma boa folha de serviços, nem sabe o que um guerra. Aliás, se o espírito das nossas forças armadas for o mesmo do Bolsonaro, fodeu geral, os norte-americanos vão enfiar até o talo no Brasil.

  3. Tudo que vier a acontecer até o dia da eleição é simplesmente marketing eleitoral e os políticos e o mercado sabem disso. O que conta para analisar os acontecimentos futuros são os compromissos e encontros firmados entre candidatos e representantes do mercado, que nem sempre são públicos. As eleições presidenciais de 2018 serão as primeiras da História moderna que não geram nenhuma expectativa de melhora para os brasileiros – não é uma questão partidária. As condições em que estão as contas públicas exigem medidas que de um lado vão cortar gastos sociais e de outro aumentar impostos. É a realidade que vemos todos os dias estampadas em manchetes. É importante que essas dificuldades sejam reveladas à população pela imprensa durante a campanha para evitar expectativas e ilusões que vão se desfazer no dia seguinte ao pleito, como foi em 2014 com a eleição de Dilma Roussef.

    • Borges, meu prezado,

      O teu comentário é procedente, lúcido, e deve ser levado muito em conta.

      Independente dos problemas de corrupção e desonestidade incrustados nos poderes constituídos, as questões financeira e econômica serão o fiel da balança à escolha do candidato à presidência em 2018.

      Aquele que disser a verdade, sem dourar a pílula, vence; aquele que mentir, enganar, iludir, perde!

      Um abraço.
      Saúde e paz.

        • Também tem isso, Paulo2, esse gosto estranho do brasileiro em ser enganado, iludido, em ser manipulado e conduzido por criminosos!

          Mas, vamos ver ano que vem, pois eu acho que o povo começa a se dar conta que está sendo roubado e explorado, logo, precisa mudar os seus “hábitos”, as suas tradições e costumes.

          Um abraço.
          Saúde e paz.

          • O percentual espantoso de votos brancos, nulos e abstenções, estão desmentindo o mito do “me engana que eu gosto”. Logo, a Verdade como Ela realmente é, passa a ter chance até mesmo nas campanhas 171 do partidarismo eleitoral, do golpismo ditatorial e dos seus tentáculos, velhaco$. Grande parte da população está de fato esgotada do velho continuísmo da mesmice do me$mo$, e algo novo pode de fato acontecer, desde que não seja cercado antes pelos esquemas partidários e caso o STF não abra espaço para as candidaturas independentes que podem surpreender.

          • O novo de verdade só terá alguma chance de surgir em 2018 em duas hipóteses, a saber: através de um partido que, desprendido dos seus hábitos e vícios tradicionais, se preste ao papel de instrumento do Novo; ou caso o STF quebre o certo partidário, ou seja o monopólio ditatorial partidário, e libere a candidatura avulsa. E a terceira via, é a Revolução Redentora, das ruas para os palácios.

  4. Por que tanto medo de Bolsonaro? Só por que o cara fala sem medo do politicamente correto?
    Ou será que por orgulho? De não engolirem um ex-militar chegar ao poder pelos braços do povo? Por que isso faria cair por terra todo o discurso de que militar é maldoso, assassino… Então a imprensa brasileira, de esquerda, está com medo. Não aceitam um capitão, homem que sabe atirar ser alçado ao poder. Tem medo a imprensa de que Bolsonaro faça o que nunca se fez: ajeitar o Brasil. Temem que ele bote ordem na casa, pois isso acabaria com as mordomias e o status quo de grupos de poder, sobretudo o discurso ideológico. Bolsonaro não precisa mudar discurso nenhum. Ele sabe que as mulheres de verdade lhe respeitam. Ele sabe que este discurso de negro serve apenas pra rachar mais ainda a sociedade doente. Que tudo não passa de intriga criada por uma mídia doente, ideológica, ressentida… Bolsonaro sabe que o cidadão trabalhador e pai de família pensa em ganhar o pão honestamente e ver os filhos crescerem em paz. Dizer que Bolsonaro precisa mudar ora agradar pobre é dizer que todo pobre é ladrão, pois Bolsonaro acusa aos padrões e não aos pobres. E reconhecer os próprios erros é uma virtude, coisa que muitos como Lula jamais tiveram, pois tudo nega, até a cama que os netos dormem ele nega. Vai ser muito fácil pro Bolsonaro vencer este discurso de esquerda. Ele conta com o apoio de quem realmente entende o Brasil. E Ciro Gomes não passa de um bobão… Um comprometido com os chineses até o osso. Tire tudo e ver-se que sobra apenas o orgulho ferido de uma meia dúzia de metidos a intelectuais.

    • No comentário que fiz sobre marketing eleitoral o que disse é que os candidatos em geral costumam ser levados a dizerem e fazerem aquilo que agrada o mercado e os eleitores orientados por suas equipes que geralmente incluem marqueteiros. Concordo com este comentário sobre Bolsonaro manter coerência com tudo que disse e praticou até hoje, quer gostem ou não o mercado e o eleitorado. Isso vai valorizar a sua campanha em 2018. O que não dá é para mudar ou ajustar o discurso às conveniências político-eleitorais do momento. Há muitas questões hoje em dia no mundo que comprovadamente fazem parte de uma agenda globalista de esquerda que são rejeitadas pela sociedade brasileira que é majoritariamente conservadora. Veja a campanha de um famoso sabão em pó sobre ideologia de gênero!!! no Dia das Crianças que foi reprovada por mais de 90% dos que viram o vídeo no Youtube. São exemplos como esse que Bolsonaro e seus assessores precisam estar alertas.

  5. Perceberam que só quem se volta contra o Bolsonaro desesperadamente são os bandidos, terroristas, pedófilos, drogados, subversivos, delinquentes, depravados e afins? Vide a classe artística e política desse país. Que medo que esse pessoal tem dele, não? Por que será?

  6. Não quero mais do mesmo. Tenho convicção de que Bolsonaro não representa isto.
    32 anos de deseducacao e analfabetismo funcional. ( Freire que o diga) Haja vista os péssimos resultados do PISA e ENEM e a fuga de cérebros .. Parcos investimentos em pesquisa. Uma lástima para qualquer pesquisador… Temos que continuar tentando. Porém, faz -se necessário uma intervenção e governo provisório.
    Desde quando Bento Carneiro, ou melhor carmem lucifer foi escolhida , atentei para o convidados da “festa”. Lembram dos convidados? Uma quadrilha de bandidos não vai largar o osso sem a imposição constitucional que ora procastinam as forças armadas.

  7. Acho que o Bolsonaro não deve “abrir” tanto. É o candidato de uma parcela do eleitorado, pela maneira que faz política, dizendo sempre o que pensa e condenando as roubalheiras.
    Deve manter o discurso, já agrada aos “gregos”, quanto aos “troianos”, estes estão do outro lado, jamais irão se juntar a direita, portanto devem ser combatidos e não agradados.
    Bolsonaro deve continuar sendo firme, dizer o que deve ser dito, sem deixar que as provocações o façam maleável, tem que ser inflexível, quem gostar, que se aproxime, afinal, o que queremos é justamente a mudança, quem não concordar que vá bater as portas dos que arruinaram o pais.
    Desta vez não haverá meio termo, é a pregação do lula. Nós contra eles e o povo que decida.

  8. Bolsonaro não tem as qualidades de um candidato ideal para o Brasil de hoje, mas quem as tem? Talvez Alvaro Dias pela sua experiência de governador de um estado do sul e pela sua conduta responsável no senado. Os outros não valem a nossa atenção.
    Por isso não vou votar, mas vou me empenhar a difundir o nome dos filhos de puta que vão impedir Temer de ser julgado pelo inútil STF.
    Viu, general, a nossa situação? Estamos sendo liderados por escrotos, corruptos, juizes estúpidos e cúmplices com a corrução. Até nossos soldados tiveram seu papel rebaixado para combater bandidos em morros do estado. Que vergonha!
    Para resolver a nossa vergonhosa situação ter canhões ajuda, mas é mister também ter culhões.

  9. A mídia e os políticos que formam o poder corporativo no país estão batendo dia e noite no Bolsonaro. Só estão se esquecendo que a população está de saco cheio com TODOS os políticos e aí, aí…estão transformando o Bolsonaro no voto de protesto. Que vai ser enorme, se tivermos eleições.

    • Houve uma época em que, em todas as rádios, as paradas de sucesso eram de dobrados militares! Agora! Só funk e pagode! Só quero ver o que vão tocar daqui há uns dias…

  10. Para a psicologia de massa e os marqueteiros, o comportamento coletivo é catatônico, ou senão, ele é como os marcadores de Garrincha, que, embora já conhecessem o seu drible manjado, ainda assim, sentiam-se na obrigação de se deixar enganar.

  11. E assim, coma as traquinagens e trocas de farpas de Bolsonaros, Tiriricas, Dórias e CIA, mais as pesquisas dos me$mo$, o circo do velho continuísmo da mesmice já começa aquecer o caldeirão dos me$mo$, e a população que quer ver o diabo mas os me$mo$ nunca mais já começa a ser cooptada pela rivalidade entre os me$mo$ , entrando nas manobras diversionistas delle$, esquecendo-se da gravidade do $istema político podre, terminal, dando assim mais sobrevida ao dito cujo, que só convém aos me$mo$.

  12. Tenho até dificuldades de comentar sobre esse senhor, porque meu primeiro e maior sentimento, pela candidatura dele, é de vergonha. Sim, pela falta de senso que o caracteriza ao, sabendo-se claramente um despreparado e aventureiro, brincar com a sorte do povo brasileiro, nessa hora tão grave. Trata-se de um guia cego, para resumo da ópera_ Ópera bufa, nenhuma dúvida.

    Saudações,
    Carlos Cazé.

    PS: Claro está que esse senhor NÃO vencerá as eleições . Deverá ir, sim, para o segundo turno, porque as viúvas do Aécio estão baratinadas, sem rumo, e esse foi o primeiro galho que apareceu para resgatá-las do oceano de equívocos em que se meteram ao , ingênua e arrogantemente, não darem ouvidos aos que as alertaram sobre o desatino que cometeriam, em 2014. Mas não aprendem, mesmo. Será necessário o segundo turno, em 2018, e com ele o Índice de Rejeição, para darem, uma vez mais, adeus às ilusões…

  13. Benigno Dias,

    Nao seja tão injusto. Garrincha foi o maior jogador de futebol de todos os tempos. Pergunte ao notável Gerson. Foi o único jogador. que tinha unanimidade no Maracanã . ( eu sempre digo que fui gerado por um esperma e um óvulo flamenguistas.) Lembro-me que ele Garrincha, já no fim de carreira foi convocado para um jogo de Brasil e Inglaterra. Isso em 1966. Terminado o primeiro tempo o jogo estava empatado em 0x0.
    Antes de começar o 2. tempo o serviço do Maracanã anunciou: sai Garrincha entra Julinho.
    Foi a maior vaia que ja vi no Maraca, 130 mil bocas griitando frenéticamente. Somente esse jogador despertou tanta paixao.

    Julinho foi o maior jogador em campo e o Brasil ganhou de 2 x 0. Saiu aplaudido.

    Sem Garrincha, duvido que teriamos ganho as copas de 58 e 62

    • A lógica de Bolsonaro no EUA, custeado pelo dinheiro do povo, ao que parece, foi tentar conseguir dinheiro dos “republicanos” trumpista$ para a sua campanha, porque sem dinheiro não tem acordo no seu partido, posto que donos de partidos querem cash, dinheiro na mão, para liberarem candidaturas, salvo exceções. É um comércio desgraçado, propiciado pelo monopólio das eleições nas mãos dos donos de partidos. Vide o exemplo do Marcão Pereira, enrolado para explicar R$ 6 milhões do Joesley da Friboi. Daí a loucura dos me$mo$ para acabar com a Lava Jato, que pois à luz do sol a galinha dos ovos de ouro dos me$mo$.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *