Nova ordem de libertação de Cachoeira e Cavendish desmoraliza a Justiça

Cachoeira já se acostumou com o entra-e-sai

Deu no G1

O ministro Nefi Cordeiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), determinou a soltura do contraventor Carlinhos Cachoeira, dos empresários Fernando Cavendish e Adir Assad e de outros dois presos na semana passada pela Operação Saqueador, da Polícia Federal. Eles são réus em ação penal e acusados de lavagem de R$ 370 milhões, desviados de contratos de obras públicas realizadas pela construtora Delta. Os presos estão no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Segundo a defesa de Carlinhos Cachoeira, que entrou com o habeas corpus, o pedido questionou a decisão do TRF2 de anular o aval para o contraventor deixar a cadeia e ficar em prisão domiciliar.

Na última quarta-feira (6), um dos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), Paulo Espírito Santo, anulou decisão de outro desembargador, Ivan Athié, que havia convertido em domiciliar a prisão preventiva de Cachoeira, Cavendish e outros três presos.

JUSTIFICATIVA  – O argumento era o de que a prisão preventiva não poderia ter sido restabelecida porque o desembargador Ivan Athié já havia liberado Cachoeira da cadeia. Conforme a defesa, o ministro Nefi Cordeiro concordou com o argumento. O ministro determinou que medidas cautelares – como prisão domiciliar e eventual proibição de contato com outros investigados – sejam definidas pelo juiz do caso, no Rio.

Embora o habeas corpus tenha sido pedido por Cachoeira, o ministro Nefi Cordeiro entendeu que a situação de todos os acusados é igual e considerou que todos devem ser beneficiados pela liminar (decisão provisória).

Quem está de plantão no STJ é a vice-presidente do tribunal, Laurita Vaz, mas, neste caso, ela se declarou impedida de julgar. Por isso, determinou que o caso fosse analisado pelo ministro com mais tempo de tribunal que estava em Brasília – Nefi Cordeiro.

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região havia concedido prisão domiciliar aos acusados, mas eles não foram soltos porque não havia tornozeleira eletrônica. Depois, o TRF anulou a prisão domiciliar.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGA decisão é confusa ou a matéria é confusa. Se o ministro decidiu que medidas cautelares sejam definidas pelo juiz de primeira instância, porque as revogou. De toda forma, a impunidade de criminosos seriais como Cachoeira e Cavendish desmoraliza a Justiça brasileira. Este é o fato concreto. O resto é silêncio, como diria Fidel Castro, segundo alguns de seus seguidores shakesperianos. (C.N.)

21 thoughts on “Nova ordem de libertação de Cachoeira e Cavendish desmoraliza a Justiça

  1. Estariam segmentos significativos das duas Cortes de Justiça do país sob controle de vários elementos do crime organizado nacional e internacional?
    Tudo leva a crer que a ruptura institucional está próxima.
    A cada notícia dessas, convenço-me de que o golpe virá do STF.

  2. Quem bom !
    Que bom !
    Que bom !

    O Judiciário brasileiro está voltando à sua normalidade como instituição beneficente e tranquilizadora de corruptos.

    Depois das últimas decisões das instâncias superiores, não resta dúvida que os parlamentares, os administradores públicos e de estatais e os empresários corruptos poderão ficar tranquilos.

    E o impoluto Renan Calheiros vai conseguir colocar em vigor a lei para punir agentes públicos decentes, aquela que pretende punir os “abusos de autoridades” contra os corruptos.

  3. Por falar em desmoralizado, segundo o Jornalista Ricardo Boechat o Presidente Interino Provisório temer/dilma/2010 teve um encontro secreto no Palácio com o ladrão, ops, deputado ratoardo cunha depois das doze badaladas notúrnicas…….
    É nas madrugadas temerárias que se fazem os acordos……

    eh1eh!eh!eh

  4. Insuportável essa sensação de impunidade que paira no país!
    As instituições funcionam é fato, mas de modo dicotômico!
    Mesmo não sendo da área jurídica entendo claramente que as leis são materializadas por interpretações de acordo com princípios éticos e morais de seus juízes! Esse é o componente subjetivo que move o universo do que pode ser moral ou ilegal, público e privado.
    A ditadura da toga não tem mais como ocultar seus verdadeiros interesses.
    Ao contrário do que imaginam muitos magistrados, o povo não é ignorante.
    Apesar de estarmos humilhados, sabemos distinguir o que é ético do que não o é.
    Se hoje Moro, Bicudo, Paschoal e tantos outros juristas são considerados heróis nacionais, é porque o povo está aprendendo a distinguir o direito da injustiça! Precisamos de referências éticas como do ar que respiramos!
    Estes magistrados não são heróis, são profissionais que cumprem com dignidade com seu papel; mas, se são alçados a heróis é porque representam a esperança de que de fato o país se transforme radicalmente em um espaço verdadeiramente justo e democrático, um lugar melhor para todos, independente de quem seja ou de qual partido se filie!

  5. O ‘cineasta’ Cachoeira filma a todos desde 1992, com esse acervo ele vai rir da nossa cara por muito tempo.
    Perguntinha : Algum ministro do STF ou do STJ sequer respondeu ao Moreno ???

    • O presidente do STJ pediu férias de TRÊS MESES depois que seu nome foi citado na delação do Delcidio…… Processo contra o delator???? Nada até agora……

      Credibilidade “indiscutível” do STJ é isso aí….kkkkkkkkk

  6. Decididamente os ministros dos tribunais superiores estão com seus espíritos contrários à Justiça, que determina punição para os que erram, os que roubam, matam, assaltam …

    A liberação de mais dois ladrões – o primeiro foi Paulo Bernardo, que roubava pessoas humildes que pediam empréstimos consignados – deixa o povo de orelha em pé, e se perguntando o que acontece com Suas Excelências!?

    Os detalhes técnicos não poderiam ter mais importância que a prisão desses meliantes, que prejudicaram sobremaneira o povo e país, e pormenores que beiram o inacreditável porque liberam da detenção indivíduos ladrões, altamente perigosos, de grande influência no meio político e, agora, surpreendentemente, também no Judiciário!

    STF e STJ querem nos mostrar o quê?!

    Por que esse tratamento tão cuidadoso com meliantes que agiram com tanta maldade contra o povo e Nação?

    A revolta e indignação devem fazer parte dos que estão detidos em presídios infectos, putrefatos, insalubres, em consequência, pelo fato de terem cometido crimes infinitamente menos graves que essas figuras deploráveis e tão próximas dos ministros, que estão soltos ou cumprindo “penas” em suas mansões, em flagrante INJUSTIÇA e crime contra a Constituição que, reza, mesmo que seja aparentemente, que todos somos iguais perante a lei!

    Desta forma, nossos tribunais superiores estão se tornando proteção para ladrões de alta estirpe, de criminosos que roubam o país e população, de cúmplices de parlamentares que não podem ser presos ou condenados porque são imunes às leis brasileiras, colaborando para que a impunidade seja cada vez mais realçada como a inexplicável falha do judiciário do Brasil, lamentavelmente!

    Indiscutivelmente, a desconfiança que passamos a ter dos tribunais superiores pode se transformar no maior problema a ser resolvido, pior que a crise econômica e política, pois a atuação dos ministros não só deixa a desejar com relação à própria Justiça, como propicia que se imagine laços muito estreitos com ladrões do erário e do povo, que não teriam beneficiado somente parlamentares, seus partidos e empresas construtoras com o produto de seus roubos, mas muito mais gente que, em princípio, estaria acima de qualquer suspeita!

  7. Se for roubar uma galinha é melhor roubar todo o galinheiro assim tem galinha para fiança e outros custos e não vai poder se distanciar mais de trinta metros da piscina.
    Negócios são negócios amizade à parte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *