Nova saída do governo é aumentar preço dos combustíveis

Deu em O Tempo

Diante da dificuldade de fechar as contas de 2016 sem a recriação da CPMF, a área econômica já admite a possibilidade de recorrer à elevação das alíquotas de tributos que não precisam de aprovação do Congresso Nacional, como Cide, IPI e IOF, para tentar reduzir o rombo no Orçamento da União.

Esses tributos dependem apenas da caneta da presidente da República e são utilizados como instrumento regulatório de política econômica para enfrentar determinadas situações conjunturais da economia. Não há necessidade de aprovação de mudança legal pelos deputados e senadores.

Há consenso no governo sobre a necessidade de elevação da carga tributária. Caberá agora à presidente Dilma Rousseff decidir sobre o tributo com menor efeito colateral na economia ou um mix de alta das alíquotas de todos eles.

AUMENTAR A CIDE

Os estudos mais avançados no Ministério da Fazenda são o que envolvem a alta da Cide, uma contribuição que incide sobre os combustíveis, segundo fontes. Um aumento da Cide dos atuais R$ 0,22 por litro para algo em torno de R$ 0,60 representaria uma arrecadação extra para a União de cerca de R$ 12 bilhões. O aumento menor, para R$ 0,40, é outra opção em estudo. A dificuldade para o Ministério da Fazenda é calibrar a alíquota sem fazer um estrago gigantesco na inflação.

Uma fonte da equipe econômica reconheceu, no entanto, que nenhum dos tributos que podem ser elevados pela presidente tem capacidade, sozinho, de garantir uma arrecadação em torno de R$ 64 bilhões, tamanho do rombo que o governo precisa cobrir no Orçamento de 2016 para fechar as contas com superávit de R$ 34,4 bilhões e, junto com resultado previsto dos Estados e municípios de R$ 9,4 bilhões, fechar o ano dentro da meta de 0,7% Produto Interno Bruto (PIB).

A defesa do compromisso de cumprimento da meta de 0,7% foi assumida pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e o presidente do Banco Central, nas reuniões internas do G20, na Turquia. Um recuo nesse compromisso, pela presidente Dilma, comprometerá de vez a permanência do ministro Levy no governo.

Uma das propostas também em estudo é a criação de uma alíquota mais alta do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) para atingir os mais ricos. Hoje, a alíquota mais alta é de 27,5%. A elevação para 35% poderia render mais R$ 7 bilhões.

10 thoughts on “Nova saída do governo é aumentar preço dos combustíveis

  1. Triste sina de um povo que vota com o coração e com o bolso, sempre pagamos pelos erros dos governos, sempre com nosso dinheiro, lutamos ano aós ano para conseguir reajustes nos nossos suado e roubado salário, sempre o governo a dizer que não tem dinheiro, ora, não tem mesmo, pois roubaram, desviaram para seus propósitos escusos. Agora o Senhor Joaquim Levy com aquela cara sonsa vem dizer que precisa sangrar mais o cidadão pois o que nos foi ROUBADO com os impostos arrecadados não foi o suficiente para mitigar o voraz apetite do Estado.
    A voracidade do estado é tamanha que até produtos que são isentos em compras pela internet que sendo abaixo dos US$ 50.00 eram isentos, no entanto a Receita Federal está taxando tudo, até item de US$ 10.00.
    Estamos vivendo o assalto declarado.

    • Agradecimentos:
      Primeiro, ao morubixaba “Lula”; segundo, aos incautos e/ou mal-intencionados (muitos deles defecam, aqui, na Tribuna); terceiro, ao Bradesco. Faltou alguém?

  2. Só dizendo: Bravo, ótima saída para a crise.

    Vamos pensar como técnicos HONESTOS e DECENTES, analisando somente o efeito do aumento dos combustíveis na Agroindustria:

    1. Arar e preparar o solo – o agricultor utiliza trator que tem como combustível Óleo Diesel;
    2. Semear – o agricultor novamente vai utilizar trator que tem como combustível Óleo Diesel;
    3. Adubar – o agricultor novamente vai utilizar trator que tem como combustível Óleo Diesel;
    4. Aspergir defensivo agrícola contras pragas – novamente, vai ser utilizado trator que tem como combustível Óleo Diesel ou avião a gasolina ou QAV;
    5. Colheita – o agricultor novamente vai utilizar trator que tem como combustível Óleo Diesel;
    6. Transporte da Produção fazenda a Unidade de Processamento – o agricultor novamente vai utilizar caminhão que tem como combustível Óleo Diesel;
    7. Processamento da Produção – energia elétrica que tem boa parte da matriz energética gás e derivados de petróleo;
    8. Transporte da Unidade de Processamento o Centro de distribuição – novamente vão utilizar caminhão que tem como combustível Óleo Diesel;
    9. Conservação da produção no Centro de Distribuição – energia elétrica que tem boa parte da matriz energética gás e derivados de petróleo;

    Ai eu pergunto a quanto vai a nossa inflação?

    Pelo andar da carruagem chegaremos na mesma inflação dos Irmão Bolivarianos de Venezuela.

    • Guilherme, não há “honestos e decentes” no poder! “Tá tudo dominado”! PMDB e PT se equivalem em gênero, número e grau! E essa oposição é outra merda…

  3. A cada dia cai mais a mascara do Circus Petralis. Os comediantes aumentam a CSLLdos bancos para arrecadarem mais 900 mi e o Levyata quer aumentar as aliquotas do IR pessoa fisica para arrecadar mais 9 bi.
    E a CSLL certamente sera embutida nos juros.
    Vao ‘leiloar’ a folha de pagamento do funcionalismo federal , aposto 144 Brahma no engradado que o ‘vencedor’ sera o Bradesco. Sera que ele comprou o HSBC por descuido , ou para ter mais agencias ja montadas ???

  4. Se fosse um governo com um minimo de competência e politica industrial-ecológica um tributo como a CIDE deveria sim ser de fato bem alta.
    Primeiro para desestimular o uso de combustiveis fósseis, logo a gasolina e o diesel deveriam de fato ser bem caros para incentivar o etanol e também veiculos elétricos.

    Segundo, o volume arrecadado serviria também para a Petrobrás acelerar a conclusão de novas refinarias para dimniuir a necessidade de importação de diesel e de gasolina como estava aconetcendo até o ano passado.

    Mas o que fez a estúpida PRESIDANTA nos seus 4 primeiros anos de DESGOVERNO. Subsidiou o consumo de diesel e gasolina, ferrando com as contas da PETROBRÁS, com o setor do etanol e também com o meio ambiente através da queima de mais combustíveis fósseis.Isso porque a ANTA GERENTONA era especialista no setor energético(imagine se não fosse).

    Agora na pior hora vai ter que aumentar a CIDE não como parte de uma saudável politica industrial, mas como um desesperado esforço arrecadatorio.

    NINGUÉM AGUENTA MAIS! FORA DILMA E FORA PETRALHAS! CHEGA DE INCOMPETÊNCIA, DE SORDIDEZ E DESONESTIDADE! ESTAMOS FARTOS! ALGUÉM TEM QUE DAR UM FIM NESSA ANTA DESTRUIDORA!

Deixe um comentário para virgilio tamberlini Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *