Novela da queda do ministro Orlando Silva está cada vez mais emocionante, embora tenha cenas explícitas de comédia-pastelão.

Carlos Newton

O milionário PM João Dias Ferreira já está inebriado com a fama súbita e começa a extrapolar. Depois de alegar motivos de saúde (pneumonia) para não comparecer à Polícia Federal na manhã de ontem e prestar depoimento sobre as denúncias contra o Ministério do Esporte e o titular da pasta, Orlando Silva, o ex-militante do PCdoB de repente ficou bem disposto e atendeu a um pedido da oposição para se reunir com integrantes do PSDB, DEM e PPS no gabinete da liderança dos tucanos.

Ficou feio, pegou mal esse comportamento de quem faz acusações tão graves. Apesar dessa ressalva, deve-se destacar que durante a reunião, segundo o deputado ACM Neto (DEM-BA), Ferreira teria apresentado denúncias consistentes contra o ministério. Essa informação foi levada pelo deputado à Comissão de Fiscalização Financeira e Turismo da Câmara, durante o depoimento do ministro Orlando Silva, mas não foi divulgado que acusações o policial teria feito.

“O depoimento dele é estarrecedor. Traz detalhes e informações que não constam da imprensa. Demonstram a existência de provas materiais inegáveis contra o ministro e todo seu ministério. Nós aqui hoje não faremos questionamento do ministro. Dissemos que era necessário primeiro saber das provas do delator, para depois ouvir o ministro. Quero sugerir que essa comissão possa aprovar de imediato um requerimento para o depoimento do senhor João Dias”, disse ACM Neto à Comissão, segundo relato da excelente repórter Adriana Vasconcelos, de O Globo.

O policial seria ouvido de manhã pela Polícia Federal, mas alegou que ele está com pneumonia. Contou também após a reunião que há dois anos vem recebendo ameaças de morte.

Pela manhã, o Senado rejeitou os convites ao PM João Dias Ferreira e ao ex-ministro do Esporte e atual governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, mas aprovou convite para ouvir Orlando Silva amanhã, às 14h. O ministro confirmou que irá à audiência conjunta das comissões do Meio Ambiente, Defesa do Consumidor, Fiscalização e Controle; e de Educação, Cultura e Esporte. O convite foi proposto pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), do mesmo partido de Orlando Silva, que está um passo de ser demitido do cargo, sofrendo a mesma fritura imposta aos outros ministros recentemente afastados.

***
BASE ALIADA FAZ PAPEL FEIO

Se o PM Ferreira procedeu mal ao deixar de prestar depoimento, preferindo se tratar com o pneumotórax político da reunião com os oposicionistas, a base aliada não ficou atrás. Os deputados governistas logo aproveitaram a debandada da oposição, cujos parlamentares preferiram ouvir o acusador do ministro. E a audiência pública conjunta da Câmara, convocada para ouvir o ministro do Esporte, Orlando Silva, somente serviu para tentar blindá-lo das acusações de corrupção.

Em quatro horas de depoimento, Orlando Silva praticamente não respondeu às denúncias publicadas pela revista “Veja” de que teria recebido suposta propina relacionada ao programa Segundo Tempo. A maior parte do tempo da sessão foi gasta com elogios e exortações de parlamentares do PCdoB e outros partidos governistas.

Que Congresso é esse? – perguntariam Francelino Pereira e Renato Russo, em uníssono. E ninguém responderia.

***
ELOGIOS À ONG FRAUDADORA 

O ministro Orlando Silva (Esporte) gravou uma participação na propaganda institucional da ONG Pra Frente Brasil, alvo de denúncias de desvio de recursos repassados pelo ministério.

Em um vídeo, gravado para divulgação, o ministro Orlando Silva diz que a instituição dirigida pela ex-jogadora de basquete Karina Valéria Rodrigues, tem um “trabalho maravilhoso”. Segundo o ministro, a ONG trabalha “disseminando os valores para que a juventude tenha um futuro diferente”.

Segundo a Folha, diz ainda o ministro: “Aqui no Estado de São Paulo temos a Pra frente Brasil, uma ONG que a Karina dirige e que faz um trabalho maravilhoso, construindo parcerias com prefeituras e entidades privadas disseminando os valores para que a juventude tenha um futuro diferente. Muito obrigado, Pra Frente Brasil, obrigado Karina.”

De nada, nem precisava agradecer. A ex-jogadora Karina é que lhe deve agradecimentos pela generosidade, em função dos R$ 28 milhões recebidos nos últimos anos.

O vídeo foi encaminhado ontem ao gabinete do líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), de forma anônima. Não há registro de quando essa propaganda foi gravada.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *